Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Hurry: conheça o triciclo elétrico que tem chamado a atenção nas ruas da Capital

15 de dezembro de 2011 35

Prático e sustentável. Assim é o hurry, o triciclo elétrico que tem despertado a curiosidade dos porto- alegrenses ao ser visto circulando pelo bairro Moinhos de Vento sob o comando do produtor executivo Luccas Gonçalves.

O veículo — que lembra um patinete — atinge a velocidade de 30 km/h e funciona à bateria.

— Quando chego em algum lugar para uma reunião, por exemplo, posso colocá- lo no elevador e ainda carregá- lo em qualquer tomada disponível.

O triciclo viajará com o produtor para Punta del Este no fim do ano e circulará por Atlântida no veraneio. Para levá- lo até os destinos é fácil: é dobrável e cabe no porta- malas do carro.

Comentários (35)

  • Ricardo Porto diz: 15 de dezembro de 2011

    Eu quero um. Comofaz?

  • gabriela diz: 15 de dezembro de 2011

    Cláudia, faltaram 2 informações principais: o preço e onde pode ser comprado.

  • Miguel diz: 15 de dezembro de 2011

    Onde se pode comprar?

  • Nadja Bergussian diz: 15 de dezembro de 2011

    OOOOOOOOOOOOOHHHHHHHHHHHHHHHHHHH! Que novidade!!!!!!!!!!!!!!!!!!Cidade pequena é tão previsível…Que marasmo!!!! PS – Calma, queridos habitantes de Porto Nadalegre…Não se ofendam. Nasci aqui, estou aqui para as comemorações natalinas, junto de meus avozinhos diletos, mas vivo numa metrópole vibrante, moderna, culta e rica. Tenho parâmetros para comparar uma cidade grande com uma pequenina e atrasadona, como PNadalegre. Este tópico deste blog é um deles…

  • carlos diz: 15 de dezembro de 2011

    bom dia .
    quanto custa .

  • batista mad max diz: 15 de dezembro de 2011

    Eh a versão pobre do Segway “A Coisa”. Tá na cara que eh coisa chinesa

  • Jonas diz: 15 de dezembro de 2011

    Vai caminhar! Frescura é essa de triciclo?!

  • Luli diz: 15 de dezembro de 2011

    Eu tb gostaria de saber o valor… onde comprar.. seria beeeem útil!

  • Alexandre Fernandes diz: 15 de dezembro de 2011

    Poderiam ter informado na matéria como/onde a bagaça foi adquirida, quanto custou e se há legislação específica para usá-la!!!!

  • Diego diz: 15 de dezembro de 2011

    Em casos como este que poderíamos pensar no meio ambiente. Porque não uma bicicleta no lugar do triciclo?

    Se eu fosse idoso ou deficiente iria na feira de triciclo.

  • Maurecy diz: 15 de dezembro de 2011

    Esta leitora melhor visitante *Nadja Bergussian* vai para sua vibrante metropole culta e rica ,por aqui vc não faz falta nenhumaaaaaa!

  • DORA diz: 15 de dezembro de 2011

    È só assistir ao TV+ na NET.Só tem um representante que vende.Custa em torno de R$2000,00.Meio carinho,não acham? Custa quase o preço de uma motocicleta.

  • Marcos Elias diz: 15 de dezembro de 2011

    Não vejo nada de novo nisso, só pode ser falta de assunto e adulação deste sujeito que deve ser bem chegado com a mídia. Na cidade de Alvorada uma menina transita com um semelhante, também elétrico e vi isso no início do ano. Que tal uma reportagem? No diário gaúcho claro…Pois ZH é mais chegada no pessoal do moinhos.

  • Andrea diz: 15 de dezembro de 2011

    Patetico terem tirado meu comentári o sobre o veiculo eletrico da VILCO, projetado e fabricado por gauchos aqui em Poa!

  • Roberto diz: 15 de dezembro de 2011

    Ahhhh certamente a prefeitura irá achar um meio de cobrar laguma tipo de imposto pra usar esse veiculo, isso se a EPTC ou algum Detran, Contran, Denatran não achar alguma forma de considerar irregular ou não homologar. Afinal estamos na terra das dificuldades burocraticas.

  • Gaúcha diz: 15 de dezembro de 2011

    Não costumo comentar o que escrevem aqui, mas a tal Nadja me deixou fula da vida: primeiro, quer aparecer; segundo esnobando o post e terceiro, desfazendo de nossa cidade. Se a grande metrópole que mora a faz sentir-se importante, porque veio pará cá e perdeu tempo lendo isso? Cada um pensa o que quer e, vi que a notícia é para deixar as pessoas por dentro das novidades, compra quem pode e usa quem quer. Agora, detonar com a nossa cidade, por favor…..Volta prá casa!!!!!

  • Alberto Von A.Junior diz: 15 de dezembro de 2011

    Compramos dois,é maravilhoso,a minha família esta apaixonada,vamos estar em Capão da canoa neste verão,qualquer informação passo por e-mail,albertobrt@ig.com.br.

  • Ever diz: 15 de dezembro de 2011

    nossa!!!! que legal…
    concordo com o individuo que falou da bicicleta.
    E mais: todos sabem quanto custa uma bici, onde tem para vender e ajuda a manter o corpo saudavel e bonito.

  • Osmar Hainzenreder diz: 15 de dezembro de 2011

    Alguém perguntou alguma coisa para esta deslumbrada Nadja Bergussian?
    Tipico de quem se acha e pensa que é a rainha da cocada.
    Pobre de espírito e de inteligência!

  • Schadosim diz: 15 de dezembro de 2011

    Nadja Bergussian, deves ter problemas psicológicos, deverias tratar!! Ninguém tem interesse em saber da sua vida e na sua opinião fora do contexto do produto em questão. E acredito que estejas desconectada do mundo, pois a busca de soluções sustentáveis de mobilidade urbana são muito atuais, modernas e politicamente corretas , acredito que aqui na província estamos mais atualizados que você da metrópole.

  • Vinicius diz: 15 de dezembro de 2011

    depois nao querem ficar incomodados com o que falam dos gaúchos…

  • Márcio diz: 15 de dezembro de 2011

    A Nadja apesar de desagradavel não falou muita mentira…
    Nossos representantes não apoiam meios alternativos de transporte( e percebam: a população tb não apoia.)
    Nós gauchos defendemos sempre o carro…

    No Big os seguranças andam de Segway(q é meio caro) e tem uns trykke por aí.

    Mas infelizmente nas ruas é mto pouco…

  • Roberto diz: 15 de dezembro de 2011

    A Nadia está corretissima, Porto Alegre é provinciana e atrasada, leva 30 anos para dar uma solução de uso do cais do porto, leva 20 anos para “arrumar” o arroio diluvio, 5 anos pra decidir o que mudar e se mudar, o transito nas mãos da EPTC é um caos, prefeitos inertes e incopetentes, vereadores que só pensam em seus cargos, e a cidade que quer posar de “tecnopolis” como dizia o famigerado “Atraso Genro”. Não vejo a hora de me mudar daqui!

  • Andre diz: 15 de dezembro de 2011

    Onde encontro em Porto Alegre?

  • Fernando Barcelos diz: 15 de dezembro de 2011

    Muito legal, com certeza para distâncias curtas é uma excelente opção, lazer e transporte alternativo, esse é o caminho, vou procurar onde comprar em Porto Alegre.

  • JOSÉ JÚNIOR diz: 15 de dezembro de 2011

    Alguns idiotas e/ou bestas, deveriam se preocupar c/ questões mais importantes ao invés de ficarem “detonando” c/ a cidade onde residem ou residiram. Tá achando ruim aqui, pega tua bagulhada e vai “pro … que te carregue”.

  • Marcelo diz: 15 de dezembro de 2011

    Achei o máximo esse Hurry. Já ví no barrashopping um quiosque vendendo, mas não sei o preço. É um meio alternativo de transporte. O trânsito dessa cidade está cada dia pior. Sobre os posts anteriores falando que Poa é atrasada … bom … atrasados são os políticos dessa cidade que não se importam e não têm respeito pelos cidadãos. Lamentável.

  • julio diz: 15 de dezembro de 2011

    É de cair o queixo que ainda existam pessoas que falem com este tom pomposo, estilo coluna de quem é quem na sociedade, e não se sintam ridiculas e descerebradas. Ora, desde que o mundo é mundo existem amenidades, tecnologias, facilidades que chegam antes ou são utilizadas conforme o interesse do país e das pessoas que nele vivem. Dizer que: “vivo em uma grande cidade..”??? é , antes de mais nada, uma falta total de critério. Nova Delhi e Cidade do México são grandes cidades e daÍ ??? Pequenas e charmosas cidades do mundo inteiro são lindas, limpas e cosmopolitas cidades sem necessidade de sentirem-se grandes. Porto Alegre é uma cidade como outra qualquer, cheia de defeitos, mas também repleta de virtudes. Querer dar a impressão de que por morar em outra cidade maior tem mais discernimento ou cultura do que os nativos, é no mínimo soberba ou babaquice pura. Para parafrásea-la, morei anos nos EUA e na Europa, em cidades como Boston, N. York, Madri e Londres, e nelas vi as mesmas virtudes e defeitos que em qualquer cidade, sempre com um olhar crítico e sabendo que Porto Alegre é uma bela cidade em comparação com muitos outros lugares em que estive. Quanto a parâmetros, que piada. Devem ser cientificos, com certeza. Quanto ao tópico, não vejo porque participou, devia ter visto algo de mais valia num New York Times , Washington Post, The independent, etc., jornais de cidades grandes, que teriam mais brilho (sic) com seus comentários.

  • Carolina diz: 15 de dezembro de 2011

    Gente, quanta ignorância de alguns, não sejam hipócritas, não é apenas Porto Alegre que tem problema em sua prefeitura, eu moro em Sp, mas vim do interior do RGS, Sp tem um caos absurdo, nós temos um país de cultura problemática, apesar de que nossa economia está melhor que muitas outras, somos obrigados a viver em meio a BURROCRACIAS. O assunto é atual e as pessoas estão apenas querendo apresentar as novidades. Parabéns para aqueles que tem condições de comprar e curtir uma nova possibilidade de transporte para pequenas distâncias com este apelo ecológico. Aos pobres de espírito, o melhor caminho é o silêncio…

  • Fernando diz: 15 de dezembro de 2011

    Muito estranho comparar o Hurry com bicicleta. São duas coisas bem diferentes ! Não é que um vá substituir o outro. Eu ando de bike, corro na redenção e tenho um Hurry, aliás, muito prático pra eu ir trabalhar com ele. Se n vou de bike? Ora, n quero chegar suado e cansado. Muita gente o critica pq são o tipo d pessoa que tem resistência a tudo que é diferente. Comprei o meu no BarraShopping a R$ 2.800,00 não lembro o nome da loja.

  • João Henrique Schmidt dos Santos diz: 15 de dezembro de 2011

    A legislação já é clara “veículos elétricos só podem andar nas calçadas (6 kms/h ) e em ciclovias ou ciclofaixas (20 kms/h) o Speedy da Joape já está adequado. Andar a 30 Kms é suícidio!

  • Claudio diz: 15 de dezembro de 2011

    É verdade jr. porto nadaelegre de um lado temos carroças sendo conduzidas por crianças livremente, atrapalhando e deixando o transito caotico, e culpam os carros, de outro lado temos que pedir por favor aos legisladores para poder usar um veiculo eletrico seja motoneta, cadeira de rodas ou clones de seagways.

  • Joker_Man diz: 15 de dezembro de 2011

    Uaaaaaaauuuuu!!! Quanta inovacao!! Esta e a versao generica do Segway?? Ehehehe. Por favor ne, com estes bairrismos!

  • João Gracia diz: 16 de dezembro de 2011

    Não vejo como alternativa às bicicletas, nem mesmo aos carros, mas apenas como um novo meio de transporte e de lazer. Discutir o quanto Porto Alegre é boa ou ruim e se seus habitantes tem um comportamento provinciano ou cosmopolita, deixo para àqueles que sentem necessidade de tal debate! A mim, interessa apenas se o hurry é seguro, sustentável, econômico e onde posso adquiri-lo! Respostas estas que já obtive e todas foram favoráveis!! O resto, é coisa de gente “Nadja”!!! Bora brincar de Hurry!!!

  • Jeff diz: 16 de dezembro de 2011

    Gente, isso é importante sim! Chega de ficar falando mal!
    Seja da cidade que for!
    Estamos em Porto Alegre, isso é que importa.
    Somos uma provincia?
    Até podemos ser, mas todos que aqui abitam e que por aqui passam sente nosso orgulho e tradição.
    Aposto que lá nas cidades ricas e modernas isso pode não acontecer como aqui!
    Eu apoio o uso do Hurry sim!
    E isso não é só do uso do moinhos de vento não… A cidade já está cheia de Hurry’s….

Envie seu Comentário