Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2008

Pão do Rafa

31 de março de 2008 3

Os queijos se misturar e derretem entre a massa/Bete Duarte
Os almoços de domingo são, para mim, o melhor momento da semana. É quando consigo reunir toda a família. Nesses momentos, costumamos contar, também, com amigos de meus filhos ou de minha enteada, já considerados  da família. Ontem, meu filho mais novo, Eduardo, veio com o Rafa, seu amigo desde a infância. Um daqueles filhos agregados que acabei de citar. No almoço, o assunto foi um pão muito duro resultado das aventuras do Rafa na cozinha. Entre alguns equívocos, resultantes da falta de prática, o uso de fermento químico (para bolo) em lugar do fermento biológico.

Resolvemos, então, preparar uma receita para que o Rafa literalmente colocasse a mão na massa. O resultado está aí e, como podem conferir, ficou delicioso. Fizemos um pão de iogurte, recheado com queijo provolone, Minas, gorgonzola e parmesão. Na foto, antes da degustação, dá para ver o queijo derretido escorrendo. Experimente também a receita, você certamente vai gostar

Pão do Rafa

700g de farinha de trigo peneirada

1 1/2 sachê de fermento biológico seco (15g)

1/2 xícara de açúcar

3 ovos

3 colheres (sopa) de óleo, manteiga ou banha

1 pote de iogurte natural

1 colher (chá) de sal

Recheio

queijo gorgonzola

queijo provolone

queijo Minas

queijo parmesão ralado

Para decorar

clara

queijo ralado

Modo de fazer

1. Peneire a farinha de trigo. Reserve.

2. Junte os demais ingredientes e vá acrescentando a farinha de trigo, aos poucos, amassando até que a massa comece a soltar das mãos.

3. Não ponha muita farinha para que a massa não fique dura.

4. Coloque a massa sobre uma superfície untada com óleo e sove bem.

5. Coloque em uma vasilha e cubra com um plástico, deixando crescer até dobrar de volume.

6. Amasse novamente e abra a massa em um retângulo.

7. Coloque o recheio e enrole como rocambole.

8. Pincele com a clara e polvilhe com queijo ralado.

9. Deixe crescer novamente.

10. Leve ao forno preaquecido, a 200 graus, até que esteja bem assado.

Depois é só cortar, ainda quente, e servir com manteiga.

 

Postado por Bete Duarte

Coisinhas de cozinha

30 de março de 2008 3


Eu adoro coisinhas para a cozinha: forminhas, facas, pratos, canecas, cortadores etc. Alguns apetrechos são muito úteis e capazes de solucionar alguns de nossos problemas. Outros podem ser apenas enfeites. E tem ainda aqueles que apenas ocupam espaço nas gavetas e poderiam ser armazenados sob uma etiqueta de quinquilharia. Veja só algumas invenções interessantes para quem gosta de novidades:

 

O cortador de banana pode não ser lá tão útil, mas é bem bonitinho.


Essa caneca é ideal para levar para a cama nos dias frios: reúne leite ou chá com os biscoitos.


E a capinha para manter o ovo quente aquecido?

Postado por Bete Duarte

Pave chocolate

29 de março de 2008 1


Sou chocólatra assumida. Por isso, não posso deixar de passar uma receita muito simples, mas que meus filhos costumam pedir para os almoços dominicais: pavê de chocolate com biscoito maria e um toque de café. Algumas vezes, costumo polvilhar castanha-do-pará moída entre as camadas de creme.

Pavê de chocolate

1 1/2 xícara de leite

1 1/2 xícara de açúcar

1 xícara de café bem forte

3 colheres (sopa) de chocolate em pó

4 colheres (sopa) de maisena

1 colher (chá) de essência de baunilha

1 caixinha de creme de leite

250g de biscoito maria

castanha-do-pará moída (opcional)

 

1. Em uma panela, coloque o leite, o açúcar, o café, o chocolate em pó, a maisena dissolvida em um pouco de leite ou água e leve ao fogo, mexendo sempre até ficar um creme bem grosso.

2. Retire do fogo e deixe esfriar.

3. Junte a essência de baunilha e o creme de leite e misture bem.

4. Em um refratário, alterne as camadas de creme com os biscoitos maria molhados no leite misturado com um pouco de café.

5. Se gostar, coloque castanhas-do-pará moídas sobre cada camada de creme.

6. Leve à geladeira por cerca de 3h.

 

 

Postado por Bete Duarte

Do jornal para a Internet

28 de março de 2008 12

Sou do tempo em que os cadernos de receitas, com páginas amarelecidas e caligrafia caprichada, eram heranças que passavam de mães para filhas. Algumas receitas eram tratadas como relíquias e guardadas como jóias por muitas gerações.

Os tempos mudaram, os homens invadiram a cozinha, e as receitas ganharam o mundo na Internet. Os livros de receitas e os cadernos ficam esquecidos nas gavetas ou prateleiras, e o computador funciona como um grande arquivo, com acesso quase ilimitado.

Há 14 anos à frente do caderno Gastronomia, de Zero Hora, passo, agora, a integrar o mundo dos blogs e estou muito animada. Na Cozinha da Bete terá mais do que receitas.

É um espaço para trocarmos experiências. Quero conhecer aquela sua receita especial, aquela dica que ajuda na hora de preparar os pratos mais deliciosos.

Sejam bem-vindos, terei muito prazer em recebê-los em minha cozinha!

Postado por Bete Duarte

Delícia de forno

28 de março de 2008 3


Para a Cozinha da Bete, a culinarista Noemea Munaretti preparou delicados pastéis de forno, com recheio de provolone e presunto, que se desmancham na boca. Noemea sugere outros recheios, como tomate seco e rúcula, requeijão e frango desfiado, tomate, mussarela e orégano e até goiabada.

Assista ao preparo da receita:

Pastel de forno

2 xícaras de farinha de trigo peneirada

1 xícara de amido de milho (maisena)

1 colher (chá) de sal

 200g de margarina ou manteiga

1 iogurte natural

2 gemas

Recheio

100g de queijo provolone picado

100g de presunto picado

 1 xícara de maionese

 Para pincelar

 maionese

 queijo ralado

1. Para a massa, misture todos os ingredientes.

2. Amasse até ficar homogêneo.

3. Enrole a massa em filme-plástico e leve à geladeira por 20min.

4. Misture os ingredientes do recheio.

5. Abra a massa em superfície polvilhada com farinha.

6. Coloque o recheio e dobre a massa por cima.

7. Corte com cortadoresou com a boca de uma xícara.

8. Pincele com a maionese e polvilhe com queijo ralado.

9. Leve ao forno preaquecido, em temperatura média.

Postado por Bete Duarte

Ponto da carne

28 de março de 2008 1


Se há quem defenda que a carne, seja churrasco ou um bom medalhão, deve ser sangrenta para manter todos os sabores, há quem não possa ver uma gota de sangue e até a prefira bem seca. Gosto não se discute. Por isso, para não servir seus convidados com carnes no ponto errado, observe um truque, usado pelo chef André Bocatto, para saber como a carne está:

1. Una os dedos indicador e polegar. Com a outra mão, apalpe a palma na região próxima ao polegar e sinta a consistência do músculo. Ela é equivalente à rigidez de uma carne mal passada.

2. Repita o movimento, desta vez unindo o polegar ao dedo médio para encontrar a consistência equivalente à rigidez de uma carne ao ponto para mal passada.

3. Repita o movimento, desta vez unindo o polegar ao dedo anular para encontrar a consistência equivalente à rigidez de uma carne ao ponto.

4. Repita o movimento, desta vez unindo o polegar ao dedo mínimo para encontrar a consistência equivalente à rigidez de uma carne bem passada.

Postado por Bete Duarte

Cálculo de carne

28 de março de 2008 4

O chef André Boccato, autor do livro Churrasco Uma Paixão Nacional, entende tudo de churrasco. Da carne preparada apenas com sal grosso até as marinadas em cerveja ou suco de laranja, que agrada a muitos, desde que não sejam gaúchos radicais. Uma dica importante do chef é de como calcular a quantidade de carne a ser servida em um churrasco:

 * Quando é servido só um ou dois tipos de carne, o consumo per capita é menor do que quando há muitas opções, porque as pessoas tendem a exagerar provando de tudo um pouco.

* Se servir apenas um tipo de carne, calcule de 350g a 500g por pessoa (os mais gulosos).

 * Se tiver muitas opções, é melhor calcular cerca de 1kg por pessoa. É que os convidados costumam querer provar um pouquinho de cada coisa e ultrapassar o consumo previsto.

Postado por Bete Duarte