Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2008

Delícia de castanha

27 de junho de 2008 0

Tem quem considere requintados os biscoitos de amêndoas ou nozes. Apesar de apreciá-los, acredito que possamos fazer uma grande economia utilizando um produto bem brasileiro, a castanha-do-pará, além de manter o sabor.

 

Foto: Emilio Pedroso

BISCOITO DE CASTANHA

 

1 xícara de azeite de oliva

1/2 xícara de açúcar

2 xícaras de farinha de trigo

1 pitada de sal

200g de castanha-do-pará

moída

2 xícaras de fécula de batata

9 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro

 

Modo de fazer

 

1. Bata o açúcar e o azeite até ficar um creme.

2. Junte a farinha de trigo peneirada, a fécula de batata e o sal e misture bem.

3. Adicione a castanha-do-pará moída e amasse novamente.

4. Abra a massa e corte no tamanho desejado.

5. Polvilhe os biscoitos com açúcar de confeiteiro.

6. Leve ao forno, em temperatura de 180 graus, até que doure na parte inferior.

Postado por Bete Duarte

Biscoitos especiarias

26 de junho de 2008 2

Adoro fazer biscoitos. Quando coloco o avental, passo a tarde inteira preparando diversas receitas diferentes. Na minha cozinha, tenho muitos vidros que gosto de manter cheios para quando meus filhos vão lá em casa. Uma receita fácil de fazer e muito saborosa é a de biscoito de chocolate com especiarias. Espero que gostem.

 

Foto: Emílio Pedroso

 

CROCANTE DE ESPECIARIAS

1 xícara de açúcar

1/4 de xícara de cacau em pó

1 ovo

1/2 xícara de manteiga

1 1/4 de xícara de farinha de trigo

3/4 de colher (chá) de fermento em pó

1 colher (chá) de essência de baunilha

Cobertura

1/4 de colher (chá) de canela em pó

1/4 de colher (chá) de gengibre em pó

1/4 de colher (chá) de cardamomo em pó

1/8 de colher (chá) de pimenta-da-jamaica moída

1/8 de colher (chá) de pimenta-do-reino branca moída

2 colheres (sopa) de açúcar

 

Modo de fazer

 

1. Misture o açúcar com a manteiga em temperatura ambiente.

2. Adicione o ovo, misturando bem.

3. Acrescente o cacau em pó, a farinha de trigo, o fermento e a essência de baunilha.

4. Amasse até que solte das mãos e fique uma massa bem maleável.

5. Prepare a cobertura, misturando todas as especiarias.

6. Faça bolinhas pequenas com a massa.

7. Passe as bolinhas na cobertura.

8. Leve ao forno preaquecido, em temperatura média, por cerca de 15min.

 

Postado por Bete Duarte

Filé ao funghi

24 de junho de 2008 0

É uma experiência reveladora experimentar o funghi sec em uma receita, em lugar daqueles cogumelos industrializados, em conserva. O sabor é inigualável. Ainda mais quando vem associado a uma boa massa ou como complemento de um filé. Sei que há quem abomine o funghi, e acredito que gosto não se discute. Ainda mais que cogumelos são daqueles ingredientes que se ama ou se odeia. E, confesso, adoro. Por isso, uma sugestão de um filé ao funchi, muito saboroso e que faz sucesso á mesa.

 

Foto: Jeferson Bottega

Filé ao funghi

 

2 pedaços de filé mignon

manteiga

sal e pimenta-do-reino

1 cebola em rodelas

150g de funghi sec

1 taça de vinho

shoyu

 

Modo de fazer

1. Aqueça uma frigideira com a manteiga.

2.  Sele o filé dos dois lados.

3. Tempere com sal e pimenta-do-reino.

4. Leve ao forno para atingir o ponto desejado.

5. Enquanto isso, doure a cebola na manteiga, e junte o funghi hidratado, o shoyu e o vinho.

6. Se preferir um sabor mais leve, junte nata fresca.

7. Tire o filé do forno e regue fartamente com o molho.

8. Sirva com batatas suíças ou arroz branco.

 

Postado por Bete Duarte

Pudim cremoso

23 de junho de 2008 9

Ninguém é melhor degustador de minhas receitas do que meus filhos: Gustavo, Eduardo e minha enteada Fernanda. Cada um tem suas preferências e algumas coisas em comum. Os pães, os biscoitos e a granola fazem a alegria dos três. Assim como o pudim de leite condensado. Mas o pudim me faz lembrar sempre da Fer, porque ela adora o pudim que faço. E tem explicações científicas para essa paixão: o meu pudim não tem furinhos.

Explico: a Fernanda não come pudim com furinhos. E odeia quando alguém a questiona se os furinhos têm gosto. No último final de semana, era aniversário do meu marido, e fiz pudim de leite condensado para a sobremesa, porque é um dos poucos doces que ele gosta. E a Fer resolveu mais uma vez explicar porque o meu pudim era o seu preferido. Em suas palavras, é cremoso e não tem furinhos. Vejam só a alegria dela com o pudim.

 

 

Foi ela quem pediu para colocar a receita no blog e ainda tentar explicar o motivo de o meu pudim ser tão cremoso. Bem, a receita está aí. Não tenho nenhum segredo, só o que faço é assar o pudim no forno, em banho-maria (não gosto de fazer na chama do fogão) e não deixo assar demais. Retiro quando ainda não está totalmente firme.

 

Pudim de leite condensado

 

2 latas de leite condensado

1 lata de leite

6 ovos

Caramelo

1 1/2 xícara de açúcar

1 colher (sopa) de água

 

Modo de fazer

 

1. Leve ao fogo a fôrma de pudim com o açúcar e a água e deixe ferver até formar um caramelo dourado.

2. Cuide para não queimar, porque fica amargo.

3. Bata no liqüidificador os ovos, o leite e o leite condensado.

4. Coloque na fôrma e leve ao forno, em banho-maria, em temperatura média, por cerca de 40min.

5. O tempo de forno varia de forno para forno.

6. Retire e deixe esfriar.

7. Leve à geladeira.

8. Desenforme na hora de servir. 

 

 

Postado por Bete Duarte

Cuca de açúcar

20 de junho de 2008 1

A cuca de açúcar é uma tradição alemã. De sabor mais simples que as recheadas, é uma receita que exige poucos ingredientes. Perfeita para a hora do lanche, servida apenas com manteiga ou com geléia e nata.

 

 Foto: Ricardo Lage, especial

Cuca de açúcar

2 colheres (sopa) de fermento biológico seco

1 xícara de açúcar

250ml de leite

1 colher (chá) de sal

2 ovos

1 colher (sopa) de manteiga

1kg de farinha de trigo especial

Farofa

500g de farinha de trigo especial

500g de açúcar refinado

2 xícaras de manteiga derretida

casca de limão ralada

açúcar de baunilha

 

 

Modo de fazer

1. Misture em um recipiente grande o fermento e o leite morno, mexendo até desmanchar.

2. Acrescente o açúcar, os ovos, a manteiga e o sal.

3. Junte a farinha de trigo, aos poucos, até ficar uma massa macia.

4. Sove até formar bolhas na massa.

5. Deixe descansar até dobrar de volume.

6. Separe a massa em duas partes iguais.

7. Coloque cada uma delas em uma fôrma retangular grande.

8. Deixe descansar por mais 20min.

9. Para a cobertura, misture todos os ingredientes com as mãos até formar uma farofa.

10. Salpique a cobertura sobre a massa.

11. Leve para assar em forno prequecido, em temperatura média, por cerca de 30min.

Postado por Bete Duarte

Tatu em diferentes versões

19 de junho de 2008 2


Gosto não se discute, já dizia a minha vó. Então, nada melhor do que diferentes opções para o preparo de um mesmo ingrediente. Não pude resistir à idéia de oferecer outras receitas com tatu, ou lagarto, como chamam lá pros altos do Brasil. Fica mais fácil escolher e agradar a diferentes paladares.

 

Fotos Fernando Gomes

 

Tatu com pimentão

 

1kg de tatu

3 tabletes de caldo de carne

4 xícaras de água fervente

2 pimentões vermelhos picados

1 caixinha de creme de leite

 

Modo de fazer

 

1. Tempere a carne com sal, pimenta-do-reino.

2. Refogue em uma panela de pressão com o óleo, até que a carne esteja bem dourada de todos os lados.

3. Junte os tabletes do caldo e 4 xícaras de água fervente e os pimentões.

4. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio por 45min, contados a partir da fervura.

5. Retire do fogo, espere sair a pressão e abra a tampa retire a carne, fatie e reserve.

6. Junte o creme de leite ao molho da carne e bata no liquidificador.

7. Sirva a carne fatiada coberta com o molho.

 

Tatu tonato

 

500g de lagarto

1/2 xícara de vinagre branco

1/2 xícara de água

Molho

1 lata de atum

1/2 xícara de creme de leite

2 colheres (sopa) de alcaparra

azeitonas verdes picadas

1 colher (sopa) de salsa

1 colher (sopa) de cebolinha

verde

sal

 

Modo de fazer

 

1. Retire toda a gordura do lagarto (tatu) e amarre a peça de carne para que mantenha a forma

depois de cozida.

2. Aqueça uma panela de pressão antiaderente.

3. Coloque a carne para fritar, sem gordura, virando de vez em quando para que doure por inteiro.

4. Junte o vinagre e a água e tampe.

5. Deixe cozinhar em fogo muito baixo por cerca de 1h, abrindo de vez em quando para conferir

se a água não secou, evitando que queime.

6. Nos 15min finais, acrescente sal ou tempero a gosto.

7. Corte a carne em fatias.

8. Para o molho, bata no liqüidificador o atum (prefira o conservado em água) e o creme de

leite.

9. Acrescente um pouco do caldo de cozimento da carne, cuidando para o molho não fique muito líquido.

10. Junte as alcaparras, as azeitonas, a salsa, a cebolinha.

11. Tempere com sal e pimenta-do-reino e misture bem.

12. O tatu pode ser servido frio ou quente, mas o molho deve ser frio.

13. Polvilhe com salsa picada.

Postado por Bete Duarte

Para marcar o tempo

18 de junho de 2008 0

Os timers são muitos úteis quando se prepara muitos pratos ao mesmo tempo. Com eles, é possível marcar o tempo necessário de forno ou de cozimento de um prato, ou até mesmo de descanso de uma massa. Olhem só alguns timers que, além de tudo, enfeitam a cozinha

 

 

 O ovo é uma gracinha

 

 

Uma berinjela

E a vaca azul e verde?

 

 

 

 

Postado por Bete Duarte

Tatu especial

17 de junho de 2008 0


O lagarto ou tatu, como é mais conhecido aqui no Sul, é uma carne saborosa, quando acompanhada de um molho bem temperado. A carne, por ser muito dura, precisa ser cozida em panela de pressão. O bacon ajuda a amaciar a carne. O ideal é quando ela fica se desmanchando. Eu gosto de cozinhá-la, cortá-la em fatias e depois deixar cozinhar mais um pouco no molho.

 

Foto: Fernando Gomes

 

Tatu recheado

 

1 peça de tatu

500g de lingüiça calabresa

2 cebolas

4 dentes de alho

3 cenouras

sal e pimenta-do-reino

pimenta de cheiro

100g de bacon

1 colher (chá) de vinagre

azeite de oliva

 

Modo de fazer

 

1. Retire toda a gordura da carne.

2. Com a ajuda de uma faca, faça uma abertura em uma das extremidades, sem perfurar o corpo da carne.

3. Recheie este espaço com fatias de bacon e a lingüiça inteira, de uma ponta a outra da carne.

4. Coloque também tiras de cenoura crua.

5. Tempere com sal, pimenta-do-reino, vinagre, azeite de oliva e a pimenta-de-cheiro.

6. Refogue em panela de pressão com óleo.

7. Acrescente pouca água e deixe cozinhar em fogo bem baixo.

8. Quando estiver macia, acrescente a cebola em rodelas e deixe cozinhar por mais 10min.

9. Sirva o tatu com o molho que se forma durante o cozimento.

10. Se quiser amenizar o sabor do molho, acrescente nata ou creme de leite.

Postado por Bete Duarte

Um hobby delicioso

16 de junho de 2008 17

Contei dias desses que tenho várias paixões: a cozinha, a leitura de literatura e os trabalhos manuais. Não sei dizer de qual eu gosto mais. Por isso, tenho me dedicado a todas elas. Entre os trabalhos manuais, minha grande paixão é pelo patchwork. De vez em quando, nas poucas horas vagas, me dedico a costurar e ali me esqueço da vida. Ou melhor, penso mais profundamente nela. Como resultado de algumas muitas horas dedicadas ao patchwork, aí está uma colcha de gatos que recém terminei.

Foto: Emilio Pedroso

Postado por Bete Duarte

Chope em casa

16 de junho de 2008 1


Na semana passada, fui fazer uma degustação de cervejas escuras harmonizadas com pratos de inverno. Quem conduziu a degustação foi a mestre-cervejeira da AmBev, Ana Paula Freitas de Almeida. Ela harmonizou cerveja até com sobremesa (leia matéria no caderno Gastronomia da próxima sexta-feira). Papo vai, papo vem, e fico sabendo de um serviço que achei muito interessante: o Chopp Express.

É o seguinte: a pessoa vai fazer uma festa e liga para a loja Chopp Brahma Express Porto Alegre (fone: 51 3362-4210) e eles entregam uma chopeira, que pode ter de 10 ou 30 litros de chopp, que conserva a bebida gelada por oito horas. Tem também com 100 litros, mas haja convidados para tudo isso.

 

 

Postado por Bete Duarte