Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Anderson Silva fecha com chave de ouro o UFC Rio 3

14 de outubro de 2012 0

Incrível!
Só essa palavra pode descrever a sensação de assistir a um UFC ao vivo. A estrutura montada, com oito telões, mais de 500 pessoas só na parte de trás do evento, mostra que o esporte MMA realmente cresce no Brasil. Abaixo, uma análise luta a luta, com o que vi de pertinho na Arena.

Anderson Silva
Que momento! Foi incrível assistira lenda viva Anderson Silva “brincar” de esconder com Stephan onnar em uma luta que, em caso de derrota, colocaria toda a capacidade do brasileiro em dúvida. Porém, ele, mais do que ninguém, sabe dar show e acalmar os ânimos dos aflitos. Com uma joelhada potente, colocou Bonnar no chão sem chance de continuar. Ainda deu mais alguns socos até o árbitro encerrar o combate, fechando com chave de ouro a edição de número 3 do UFC no Rio de Janeiro. Ah, e essa foi a única luta em que William Bonner, vizinho de camarote, levantou para aplaudir.

Minotauro
Emocionante a entrada de Rodrigo Minotauro na HSBC Arena. Ainda nas imagens, ele dentro dos vestiários, a galera já ia ao delírio. Dentro do octógono, Minota mostrou a força dos seus socos contra um Dave Herman aparentemente desligado, ou é o jogo dele ficar com a guarda baixa. Após encaixar bons golpes e conseguir montar no ground and pound, Minotauro foi para o braço do americano e, após quatro anos, conseguiu vencer uma luta por finalização, a sua especialidade. Na coletiva, ele disse que a vitória assim serviu para calar a boca de Herman, que disse que o Jiu-Jitsu não serve de nada. Deve ter aprendido.

Glover Teixeira
Num duelo que já começou antes, com declarações polêmicas de ambos os lados, Glover Teixeira e Fabio Maldonado fizeram uma das melhores lutas da noite, e isso que ela foi encerrada no segundo round. Após acertar um direto e um cruzado logo no início do combate, Glover Teixeira dominou a luta e castigou demais o rosto de Maldonado, que escapou de mata-leão e de ser nocauteado, ainda acertando duas bombas que balançaram Glover. Mas como o estado de Maldonado era crítico, os médicos encerram o combate com vitória para Glover Teixeira.

Erick Silva
A decepção da noite. Não pela luta, que foi espetacular, já que teve reviravoltas incríveis, com um quase finalizando o outro, mas decepção pelo desempenho do brasileiro Erick Silva. Tido como o novo fenômeno do MMA brasileiro, Erick foi presa fácil para o experiente Jon Fitch aplicar-lhe muitos golpes na cabeça, em sequência, e sem deixar o brasileiro esboçar muita reação. O gás de Erick foi para o espaço já no segundo round, coisa que um lutador explosivo como ele, que vem de grande vitória, não pode vacilar. A derrota custou caro pra ele, já que volta para baixo na lista dos top 5 da categoria. Por outro lado, Fitch ganhou pontos com o chefe.

Wagner Caldeirão
Muito se esperava de Wagner Caldeirão e Phil Davis, já que a primeira luta entre os dois foi interrompida por decisão médica, após o brasileiro machucar o olho. No combate, Caldeirão até tentou acertar alguns socos, mas foi presa fácil para o excelente Wrestling de Phil Davis, que colocou o brasileiro no chão a hora que quis e do jeito que quis. Após perder o primeiro round, Caldeirão seguiu com o mesmo jogo, mas Davis de novo colocou o brasileiro no chão e conseguiu uma finalização perfeita.

Demian Maia
Faixa preta de Jiu-Jitsu, Demian Maia usou a sua especialidade para vencer Rick Story no primeiro round. Após acertar bons socos e ir no chão, o paulista conseguiu encaixar um estrangulamento que, no close da câmera, mostra o sangue do americano escorrendo cada vez que o brasileiro apertava mais. A cena foi forte, nem um pouco bonita, mas terminou com mais uma grande finalização de Demian, que já começa a ser galgado a um title shot muito em breve.

Rony Jason
Campeão do TUF, Rony Jason fez uma grande luta contra Sam Sicilia, tanto que a vitória esteve na mão de cada um durante os dois rounds. No ground and pound, o brasileiro martelou até o juiz interromper, marcando a primeira vitória da noite sem que tenha sido finalização ou decisão dos juízes. Rony lutou bem, mas me pareceu debilitado, um pouco fraco, pelo grande corte de peso que ele fez. Ele tem força pra lutar até 70kg, mas acredita que a sua categoria mesmo é até 66kg.

Gleison Tibau
Lutão, com trocação franca e o nocaute e finalização nas mãos de cada um. Massaranduba conseguiu escapar de um mata-leão de forma brilhante, levantando o público que já era favorável a ele. Mas Tibau foi mais consistente, conseguiu colocar o adversário no chão mais vezes, e saiu com a vitória na decisão dos árbitros.

Diego Brandão
Campeão do TUF nos Estados Unidos, Diego Brandão foi superior Joey Gambino e por pouco não venceu por nocaute. No final da luta, ainda brincou com o adversário chamando a torcida e danndo  a cara para bater. Muito rápido, os socos de Brandão entravam bem  pela guarda de Gambino, que também teve bons momentos na luta e também teve chance de vencer. No entanto, os árbitros deram a vitória ao brasileiro, de forma correta. Na coletiva, Dana White até cogitou casar Rony Jason x Diego Brandão, dois vencedores do TUF. Rony deu sinal verde para o combate.

Serginho
Grande nome do Jiu-Jitsu brasileiro, Serginho Moraes não poderia vencer Renée Forte de outra forma que não fosse uma finalização. Após ficar numa pior e quase tomar um knockdown, Serginho manteve o foco e, numa bobeada de Renée, conseguiu ir pras costas do adversário. Como uma mochila, literalmente, não soltou o pescoço do adversário e conseguiu vencer a sua primeira luta no UFC. No seu corner estava Mauricio Shogun dando uma força ao novo pupilo.

Luiz Banha
A torcida era toda para o brasileiro Luiz Banha Cané, mas ele decepcionou, pela segunda vez, e perdeu para Chris Camozzi na decisão dos árbitros. Banha até teve bons momentos na luta, mas o americano foi mais eficiente e fez o brasileiro cansar no chão, além de ser ofensivo na maioria do combate. O emprego de Luiz Banha no UFC, sinceramente, corre perigo.

Cristiano Marcello
A primeira luta do card preliminar foi dura, de muita trocação, guarda baixa e sangue. O sueco Reza Madadi, na minha visão, faturou dois rounds, mas os juízes deram a vitória para Cristiano Marcello. Na coletiva, Dana White, em resposta um repórter da Suécia, disse que irá rever a luta pra avaliar se a vitória foi mesmo do brasileiro. Cristiano inegavelmente bateu bastante, mas o seu adversário endureceu bem o jogo e, como é meio difícil de acontecer, poderia ser até empate. Positivo foi que Cristiano Marcello conquistou a sua primeira vitória no UFC, o que deve fazer ele ter lutas mais duras daqui para frente.

Confira os resultados do UFC Rio 3

Rodrigo Minotauro venceu Dave Herman por finalização (chave de braço) aos 4m31s do primeiro round
Glover Teixeira venceu Fábio Maldonado por nocaute técnico (interrupção médica) aos 5m do segundo round
Jon Fitch venceu Erick Silva na decisão unânime dos juízes
Phil Davis venceu Wagner Caldeirão por finalização (triângulo de mão) aos 4m29s do segundo round
Demian Maia venceu Rick por finalização (mata-leão) aos 2m30s do primeiro round
Rony Jason venceu Sam Sicilia por nocaute técnico aos 4m16s do segundo round
Gleison Tibau venceu Francisco Massaranduba na decisão unânime dos juízes
Diego Brandão venceu Joey Gambino na decisão unânime dos juízes
Serginho Moraes venceu Renée Forte por finalização (mata-leão) no terceiro round
Chris Camozzi venceu Luiz Banha na decisão unânime dos juízes
Cristiano Marcello venceu Reza Madadi na decisão dividida dos juízes

Envie seu Comentário