Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Dez piadas e histórias engraçadas para contar no findi #30

03 de agosto de 2012 6
The following two tabs change content below.

Estão de volta as 10 piadas e histórias engraçadas para contar no findi. Uma super seleção para você fazer a alegria da turma.

Decore suas preferidas e conte aos amigos no final de semana. Os leitores que enviaram os textos estão indicados abaixo.

Colaboraram nesta edição, respectivamente: Gisele Bassani (x3); Ivo Altacheres Godoi; Rochelle da Silva Pereira; Hélio Amaral (x2); Gilso Cavalin; Norman William; Lininha Stumpf.

——————————————————————————————————

Consertando o armário

Uma senhora comprou um novo armário para seu quarto. Depois que ele foi montado, ela notou que toda vez que passava um ônibus na rua, as portas do armário se abriam.

Chamou o marceneiro e pediu que o consertasse.

Sem saber onde estava o defeito, o marceneiro sentou dentro do armário para, quando passasse um ônibus, verificar a causa da abertura das portas. Minutos depois o marido chega, abre a porta do armário e, vendo lá o marceneiro, pergunta irritado:

- O que é que o senhor está fazendo aí dentro?

- O senhor não vai acreditar – responde o marceneiro – mas estava esperando o ônibus passar.

——————————————————————————————————

Filho na sacada

Bill e Marla decidiram que o único jeito de se livrarem de seu filho de dez anos por umas horas no domingo seria colocá-lo na sacada do apartamento e pedir para ele relatar as atividades da vizinhança.

Os pais puseram seu plano em ação e o garoto começou seus comentários enquanto eles se divertiam na cama.

- Tem um carro sendo guinchado aí na rua – ele disse – E tem uma ambulância parando lá na esquina. Parece que os Andersons estão recebendo visita. O Matt ganhou uma bicicleta nova. E os Coopper estão trep#ndo.

Os pais pularam da cama.

- Como você sabe disso? – o pai perguntou.

- O filho deles está na sacada também – respondeu o guri.

——————————————————————————————————

Papo de vaca

Duas vacas estavam conversando.

A primeira vaca disse:

-Muuuuu!

E a segunda:

-Nossa, você tirou as palavras da minha boca!

——————————————————————————————————

Tal dono, tal cão

O Engenheiro ordenou a seu cachorro:

- Escalímetro, mostra tuas habilidades!

O cãozinho pegou um martelo, umas tábuas e, num instante, construiu um casinha para cachorros. Todos admitiram que era um façanha.

O contador disse que seu cão podia fazer algo melhor:

- Cash Flow, mostra tuas habilidades!

O cachorro foi à cozinha, voltou com 24 bolinhos, dividiu os 24 bolinhos em 8 pilhas de 3 bolinhos cada. Todos admitiram que era genial.

O químico disse que seu cão podia fazer algo melhor:

- Óxido, mostra tuas habilidades!

Óxido caminhou até a geladeira, pegou um litro de leite, umas bananas, colocou tudo no liquidificador e fez uma vitamina. Todos aceitaram que era impressionante.

O técnico em informática sabia que podia ganhar de todos:

- Megabyte, vamos lá!

Megabyte atravessou o quarto, ligou o computador, verificou se tinha vírus, redimencionou o sistema operativo, mandou um e-mail e instalou um jogo excelente. Todos sabiam que este era muito difícil de superar.

Todos olharam para o político e disseram:

- E o seu cão, o que sabe fazer?

O político chamou seu cão e disse:

- Deputado, mostra tuas habilidades!

Deputado deu um salto, comeu os bolinhos, tomou a vitamina, fez cocô na casinha, deletou todos os arquivos do computador, armou a maior zorra com os outros cachorros. E expulsou todo mundo, exibindo um título falso de propriedade. Em seguida, alegou imunidade parlamentar!

——————————————————————————————————

Baiana desesperada na Igreja Universal

Uma baiana comenta sua situação aflitiva com um amigo, crédulo da Igreja Universal:

- Estou numa maré baixa, fio. Estou sem crédito na praça, devendo para todo mundo… Não vejo solução. Já pensei em me matar. Estou desempregada e sem dinheiro, cheia de contas e carnês atrasados. Não há nada que dê jeito nessa situação. Já perdi a esperança! Acho que já estou doente e vou morrer mesmo…

O religioso:

- Calma! Não é nada disso… Você precisa de ajuda espiritual. Você conhece a minha igreja? É pertinho da rodoviária, quase em frente ao Iguatemi. Na quarta-feira tem uma Sessão de Descarrego, onde todos são curados ou aliviados, com uns 318 pastores e muita fé. Vai lá… Vamos te salvar!

Na quarta-feira, a baiana vai. No meio do culto é chamada ao palco e, entre outros desesperados, um pastor a agarra e grita:

- Sai desse corpo, demônio! Disaloja! Esse corpo não te pertence! Disaloja! Disaloja! Disaloooooojaa!

E a baiana , aflita, grita:

- Casas Bahia, Ponto Frio, Lojas Americanas, Magazine Luiza, Cartão Visa, Fininvest, C&A, Losango, Marisa, Bloco Camaleão, Camarote da Ivete, ………  Me acuda!!!!!!!!

——————————————————————————————————

Visitando a nonna

Uma nonna  italiana ao telefone indica sua moradia ao neto, que quer visitá-la  com sua nova mulher:

- Quando vocês chegarem no prédio, na porta da  frente tem um grande painel. Io moro no apartamento 301. Apertem  o botón do interfone com o cotovelo, que io abro a porta. Entrem, o elevadore é à direita. Aperta o trê com o cotovelo.  Quando ocês saírem do elevadore, mio apartamento é nas esquerda. Com o cotovelo, apertem a campainha. Tcherto?

- Vó,  parece fácil, mas… por que tenho que apertar todos esses botões  com o cotovelo?

- Máaaaah que!!!!!!!!  Dio mio!!!!! Tão vindo de mão vazia?????”

——————————————————————————————————

Como Surgiu o Tchê!

Sotaques e regionalismos na hora de falar são conhecidos desde os tempos de Jesus. Todos na casa do sumo sacerdote reconheceram Pedro como discípulo de Jesus pelo seu jeito “Galileu” de se expressar.

No Brasil também existem muitos regionalismos. Quem já não ouviu um gaúcho dizer: “Barbaridade, Tchê”? Ou de modo mais abreviado “bah, Tchê”? Essa expressão, própria dos irmãos do sul, tem um significado muito curioso. Para conhecê-lo, é preciso entender um pouquinho do espanhol, dos quais os gaúchos herdaram seu “Tchê”.

Há muitos anos, antes da descoberta do Brasil, o latim marcava acentuada presença nas línguas européias como o francês, espanhol e o português. Além disso, o fervor religioso era muito grande entre a população mais simples. Por essa razão, a linguagem falada no dia a dia era dominada por expressões religiosas como: “vá com Deus”, “queira Deus que isso aconteça”, “juro pelo céu que estou falando a verdade”, “graças a Deus”, e assim por diante.

Uma forma comum das pessoas se referirem a outra era usando interjeições também religiosas como: “Ô criatura de Deus, por que você fez isso”? Ou “menino do céu, onde você pensa que vai”? Muita gente especialmente no interior ainda fala desse jeito.

Os espanhóis preferiam abreviar algumas dessas interjeições e, ao invés de exclamar “gente do céu”, falavam apenas Che! (se lê Tchê) que era uma abreviatura da palavra caelestis (se lê tchelestis) e significa “do céu” (proveniente, oriundo do céu). Eles usavam essa expressão para expressar espanto, admiração, susto. Era talvez uma forma de apelar a Deus na hora do sufoco. Mas também serviam dela para chamar pessoas ou animais.

Com a descoberta da América, os espanhóis trouxeram essa expressão para as colônias latino-americanas. Aí os Gaúchos, que eram vizinhos dos argentinos e uruguaios acabaram importando para a sua forma de falar. Portanto, exclamar “Tchê” ao se referir a alguém significa considerá-lo alguém “do Céu”, o que é uma grande honraria e uma bela saudação.

——————————————————————————————————

O mundo mudou muito em 40 anos

Cenário 1:

Luis, de sacanagem quebra o farol de um carro, no seu bairro:

• Ano 1971: Seu pai tira a cinta e lhe aplica umas sonoras bordoadas no traseiro. A Luis nem lhe passa pela cabeça fazer outra nova “cagada”, cresce normalmente, vai à universidade e se transforma num profissional de sucesso.

• Ano 2011: Prendem o pai de Luis por maus tratos. O condenam a 5 anos de reclusão e, por 15 anos deve abster-se de ver seu  filho. Sem o guia de uma  figura paterna, Luis se volta para as drogas, transforma-se num delinquente e fica preso num presídio especial para adolescentes.

Cenário 2:

José cai enquanto corria no pátio do colégio, machuca o joelho. Sua professora Maria, o encontra chorando e o abraça para confortá-lo…

• Ano 1971: Rapidamente, José se sente melhor e continua brincando.

• Ano 2011: A professora Maria é acusada de não cuidar das crianças. José passa cinco anos em terapia pelo susto e seus pais processam o colégio por danos psicológicos e a professora por negligência, ganhando os dois juízos. Maria renuncia à docência, entra em aguda depressão e se suicida…

Cenário 3:

Disciplina escolar:

• Ano 1971: Fazíamos bagunça na classe… O professor nos dava uma boa “mijada” e/ou nos encaminhava para a direção; chegando em casa, nosso velho nos castigava sem piedade e no resto da semana não incomodávamos mais ninguém.

• Ano 2011: Fazemos bagunça na classe. O professor nos pede desculpas por repreender-nos e fica com a culpa por fazê-lo. Nosso velho vai até o colégio dar queixa do professor e para consolá-lo compra uma moto para o filhinho.

Cenário 4:

Horário de Verão:

• Ano 1971: Chega o dia de mudança de horário de inverno para horário de verão. Nada acontece.

• Ano 2011: Chega o dia de mudança de horário de inverno para horário de verão. A gente sofre transtornos de sono, depressão, falta de apetite, nas mulheres aparece até celulite.

Cenário 5:

Fim das férias:

• Ano 1971: Depois de passar férias com toda a família enfiados num Gordini ou Fusca, é hora de voltar, após 15 dias de sol na praia. No dia seguinte se trabalha e tudo bem.

• Ano 2011: Depois de voltar de Cancun, numa viagem’all inclusive’, terminam as férias e a gente sofre da síndrome do abandono, “panic attack”, seborréia, e ainda precisa de mais 15 dias de readaptação…

Cenário 6:

Saúde:

• Ano 1971: Quando ficávamos doentes, íamos ao INPS aguardávamos 2 horas para sermos atendidos, não pagávamos nada, tomávamos os remédios e melhorávamos.

• Ano 2011: Pagamos uma fortuna por plano de saúde. Quando fazemos uma distensão muscular, conseguimos uma consulta VIP para daqui a 3 meses, o médico ortopedista vê uma pintinha no nosso nariz, acha que é câncer, nos indica um amigo dermatologista que pede uma biópsia, e nos indica um amigo oftalmologista porque acha que temos uma deficiência visual.  Fazemos quimioterapia, usamos óculos e depois de dois anos e mais 15 consultas, melhoramos da distensão muscular.

Cenário 7:

Trabalho:

• Ano 1971: O funcionário que era “pego” fazendo “cera” (fazendo nada). Tomava uma regada do chefe, ficava com vergonha e ia trabalhar.

• Ano 2011: O funcionário pego “desestressando” é abordado gentilmente pelo chefe que pergunta se ele está passando bem. O funcionário acusa-o de bullying e assédio moral, processa a empresa que toma uma multa, o funcionário é indenizado e o chefe é demitido.

Cenário 8:

Assédio:

• Ano 1971: A colega gostosona recebe uma cantada de Ricardo. Ela reclama, faz charminho, mas fica envaidecida, saem para jantar, namoram e se casam.

• Ano 2011: Ricardo admira as pernas da colega gostosona quando ela nem está olhando, ela o processa por assédio sexual. Ele é condenado a prestar serviços comunitários. Ela recebe indenização, terapia e proteção paga pelo estado.

Cenário 9:

Comportamento:

• Ano 1971: Homem fumar era bonito, dar o rabo era feio.

• Ano 2011: Homem fumar é feio, dar o rabo é bonito.

——————————————————————————————————

Freiras no céu

Um ônibus cheio de freiras tombou, e todas morreram. Em frente a São Pedro, ele ordenou que se organizassem em fila indiana para a purificação e posterior  entrada no céu .

Para a primeira ele perguntou se já havia tocado em um pênis, o que ela respondeu que sim, somente com a ponta  dos dedos. Então S. Pedro mostrou uma bacia com água benta e mandou que lavasse os dedos para purificá-los, assim entraria no céu.

A segunda disse agarrara com a mão. Mandou que lavasse a mão na bacia.

Em certo momento, viu uma atrás da fila passando na frente de outra. Curioso, chama a freira  e pergunta por que passou na frente da outra. Ela respondeu que tinha que fazer um gargarejo antes que a outra lavasse a bunda.

——————————————————————————————————

Marido quer ir ao bar

Duas semanas de casamento, o marido, apesar de feliz, já estava com uma vontade reprimida de encontrar a galera pra fazer a festa. Assim, ele diz à sua queridinha:

- Amorzinho, vou dar uma saidinha mas não demoro…

- Onde você vai, meu docinho…?

- Ao barzinho, assistir o futebol.

A mulher então liga o home theatre e a TV de plasma de 52′ e diz:

- Ó meu amor adorado, aqui em casa você pode ver o jogo que quiser.

- Mas no bar, meu anjo, eu também posso tomar uma geladinha.

A mulher bota a mão na cintura e lhe responde:

- Quer cervejinha, meu amor???

Nesse momento, ela abre a porta da geladeira e mostra 25 marcas diferentes de cervejas de 12 países: alemãs, holandesas, japonesas, americanas, mexicanas, etc.

O marido sem saber o que fazer, lhe fala:

- Meu docinho de coco… mas no bar… você sabe… o copo gelado…

O marido nem terminou de falar, quando a esposa interrompe a sua conversa e lhe diz:

- Quer copo gelado, amor?

Nesse momento ela pega no freezer um copo bem gelado, branco, branco, que até tremia de frio.

O marido responde:

- Mas, minha princesa, no bar tem aqueles salgadinhos gostosos…. Já estou voltando, tá?

- Quer salgadinho, meu rei???

A mulher abre o forno e tira 15 pratos de salgadinhos diferentes: quibe, coxinha, pastel, pipoca, amendoim, coração de galinha, queijo derretido, torresmo…

- Mas, minha pixunguinha… lá no bar… tem emoção, palavrão, xingamento…

- Quer emoção, palavrão, xingamento, meu amor??? ENTÃO VAI TOMAR NO C#, PORQUE DAQUI VOCÊ NÃO SAI NEM F#DENDO, SEU FILHO DA P#TA! E SE VOCÊ TENTAR MAIS UMA DESCULPINHA DE M#RDA COMIGO EU TE CORTO O SACO FORA!

-—————————————————————————————————–

Enviadas pelos leitores

Comentários facilitados: para quem ainda não percebeu, o blog não está mais exigindo cadastro para comentar. Deixe sua opinião!

Twitter: recebe as atualizações dos blogs. Sigam-nos os bons!
@crespani
@naocliqueaqui

Faça o seu comentário!

Comentários (6)

  • Elias Rieira Viana, diz: 3 de agosto de 2012

    só tenho à agradecer os momentos que passo escutando vcs na rádio, não sou daqueles que interagem mandando e-mails, mas sigo ligado na programação e ouvindo diariamente o pretinho, vcs são de mais, agora no twitter então…meus parabéns à todos. um grande abraço.

    Resposta: Valeu, Elias!

  • Mirian Ferrari diz: 4 de agosto de 2012

    Precisamos mesmo de dar boas gargalhadas para amenisar nossas rotinas cada vez mais complicada,rir faz bem!!! Parabéns,um abraço!

  • joão da silva diz: 4 de agosto de 2012

    è verdade , o mundo mudou e nós estamos cada vez mais ferrados !!!!

  • Luiz H. S. Valente diz: 5 de agosto de 2012

    André, muito boa e divertida esta seção! Quero colaborar, mas não sei se é por aqui que se envia as piadas! De qualquer forma tô mandando uma que incrementei com o meu estilo!

    Este é um fato histórico! Muito pouca gente sabe que Che Guevara, antes de partir para Cuba, participou de um movimento separatista aqui no Rio Grande do Sul, com o intuito de separar o RS do restante do país! Para tanto, ele deslocou-se para o estado, incógnito, para tomar pé da situação! Aqui chegando, estranhou muito, pois todo mundo parecia conhecê-lo, apesar de estar disfarçado!
    -E aí, tchê?
    -Como vai, tchê?
    Ao passar em frente a um bordel, lembrou-se que há muito tempo não via mulher, entrou, combinou o preço e foi para o quarto com a moça! Quando ele tirou a roupa, ela exclamou:
    -Mas bah, tchê! Que vara…
    Che Guevara, vestiu-se, se mandou a la cria e nunca mais botou os pés aqui!

    Resposta: Luiz, pra colaborar é só mandar as piadas para o e-mail do blog. Essa tua vou deixar na lista ; ) Abraço!

  • Gisele Bassani diz: 6 de agosto de 2012

    Chorei com essa do Che Guevara…

  • beatriz santos chaves diz: 8 de junho de 2014

    era uma vez um gato chadrez caiu da zanela so foi uma vez
    era uma vez um gato braco bebel muito ate cai
    era uma vez um gato rosa ficou imvergonhada ate dismaiar
    era uma vez um gato vermelho ficou apaixonada que ate beijou ela

Envie seu Comentário