Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O Rappa agita a galera na segunda noite de Planeta e conquista mais uma fã

18 de janeiro de 2012 0

 

*Por Janaína Laurindo
Confesso que o momento mais esperado por mim em toda a cobertura do Planeta era a entrevista com O Rappa. Fã de carteirinha há muitos anos, fiquei com receio de, na hora da entrevista, travar. Na hora de conversar, nada de atendimento individual. Só conseguimos acompanhar a entrevista dentro do estúdio da TVCOM. E foi lá que tirei a dúvida de muitas pessoas sobre a cabeleira do Falcão. Afinal, o cabelão deixa a desejar, pedindo litros de xampu, ou não? Posso garantir, as longas mechas do vocalista do O Rappa têm um cheiro muito bom. Valeu, e muito, mesmo não tendo entrevistado o grupo todo. Estávamos eu e a Celina passando por trás do palco, cansadas e ”desligadas” e, por coincidência, demos de cara com Xandão. Eu, como fã que sou, pedi uma foto. Só que ele nos deu mais: tivemos uma longa e boa conversa.
Foi um papo pra lá de informal. Falamos sobre o novo CD, que será lançado ainda em 2012, sobre o processo de criação das músicas e sobre a riqueza da cultura brasileira. E, falando em cultura, O Rappa é conhecido por misturas de estilos e não foi à toa que no seu último CD gravou Súplica Cearense, composição de Gordurinha e Nelinho, gravada por Luiz Gonzaga. É claro que a versão de O Rappa não tem nada de forró, mas é uma homenagem para o povo daquelas bandas. Não é mesmo, Celina? O mais curioso foi que Xandão nos contou como a música foi parar no CD do grupo.
- O Falcão tem uma secretária que cantava muito essa música, e ele perguntou: “Que música é essa? Precisamos gravar, tem tudo a ver com a gente”.
É por isso que o grupo tem tanta empatia com o público. Os meninos cantam o cotidiano do povo, de forma simples e direta.

*Por Celina Keppeler
Confesso que não sou tão fã assim da banda, mas a simplicidade e simpatia do Xandão me cativou. O cara fez questão de levar mulher, filha e sobrinho junto. Ele contou ainda que conseguiu dar umas voltas pela cidade e que adorou Santo Antônio de Lisboa. Falou de como faz pra se inspirar na hora de compor uma música e, assim, conseguiu mais uma integrante pra sua legião de fãs: euzinha!

Envie seu Comentário