Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Escola cita Valesca Popozuda em prova como “grande pensadora contemporânea” e artista responde à altura

08 de abril de 2014 36
Reprodução/ Youtube

Reprodução/ Youtube

* Por Bárbara Nunes
Uma questão de uma prova de Filosofia, aplicada a estudantes do segundo e terceiro ano do ensino médio do Centro de Ensino de Taguatinga, Distrito Federal, chamou a atenção ao ser publicada no Facebook por alunos da escola. A pergunta citava o “hino” “Beijinho no Ombro”, da cantora Valesca Popozuda.

1017157_616266778455003_5643577349083391460_n_586x422

Reprodução/ Facebook

Se você respondeu a “A”, acertou. Tá, brincadeiras a parte, a diretoria da escola afirma que o professor tem total liberdade para escolher as questões das provas e que ele não vai sofrer represália devido ao caso. Segundo a coordenadora pedagógica da escola, Irisnar Lima, o professor Antônio Kubitschek se justificou sobre o caso.

“O professor afirma que a questão tem a ver com o conteúdo praticado em sala de aula”, respondeu Irismar ao  site R7. De acordo com a coordenadora, alguns alunos foram à diretoria do centro de ensino para reclamar porque teriam achado a questão “estranha”. Afinal, Valesca é com “V” e não “W”. Segundo fontes, na verdade, o aluno escreveu do lado da questão o seguinte: “É sério isso?! O senhor não sabe escrever o nome da DIVA???”.

Vem cá, e pode celular durante a prova? Essa escola tá bem, hein?!

Bom, claro que Popo não ia ficar quieta. E para mostrar que apesar de não ser pensadora, ela tem, sim, muita coisa na cabeça, Valesca foi crítica ao falar sobre o assunto:

“Vamos falar de polêmica então? Pois é vocês já devem ter visto aquela questão de uma prova que caiu um pedacinho da minha música né? E dai que a professora ainda escreveu “Pensadora contemporânea” hahaha acho que o que criou toda essa confusão é esse tal “Pensadora” que ela colocou hahah mas tudo bem vamos lá: todo mundo quer saber o que eu acho e eu vou dar minha opinião mesmo que ela não tenha grande efeito, EU ACHO UMA BOBAGEM ISSO TUDO, talvez se ele tivesse colocado um trecho de qualquer música de MPB ou até mesmo de qualquer outro gênero musical que não fosse o FUNK talvez não tivesse gerado tal problema sabia! Sim eu acredito nisso! E se a polêmica é apenas por ser uma música de funk? E se fosse MPB ou uma música americana que tanto é valorizada por nós? Será que daria a mesma polêmica? Hummm ai eu entro como pensadora contemporânea hahahah não por criar frases de efeito tipo “Bateu de frente é só tiro porrada e bomba” ou até mesmo “O meu sensor de periguete explodiu pega a sua inveja e vai pra…” sim mas talvez por questionar isso, mas me espanta mesmo é todo mundo se preocupar com uma única questão da prova sem analisar os termos por trás disso tudo ( E se a professora colocou a questão dentro do contexto da matéria? E se a professora quis ser irônica com o sucesso das músicas de hoje em dia? E se a professora quis apenas distrair a turma e fez a questão apenas pra brincar?) são muitas questões que somente a mesma poderá responder , eu queria até saber o nome dessa professora pra poder agradecer sabia! Eu fiquei foi bem honrada me senti duas vezes homenageada tanto pela pergunta quanto com o titulo de pensadora (Mas isso eu vou ter que recusar porque é um titulo muito forte e eu ainda não me sinto pronta pra isso hahaha) Diva, Diva sambista, Lacradora essas coisas eu já estou pronta ok mas PENSADORA CONTEMPORÂNEA ainda não ( mas prometo que vou trabalhar isso) então o que eu quero dizer é que o tempo que todo mundo gasta julgando a professora a ofendendo por isso, deveríamos era nos unir e protestar sim pelo salário dela e dos outros professores, pelas condições que muitos dão aulas pelo Brasil, pelas escolas que as vezes nem quadro ou cadeira pro aluno sentar tem , por merendas que faltam, por várias questões que ninguém se preocupa, mas se preocupam com uma questão de uma prova que caiu um trecho de uma música de FUNK “Ó MEU DEUS” a música daquela tal POPOZUDA não pode cair na prova, ela é funkeira ó MEU DEUS aonde vamos parar… ou seja meus parabéns a corajosa professora que mesmo não ganhando muito bem é batalhadora e corajosa demais pra chegar em casa e elaborar uma questão de uma prova colocando um dito popular do momento e sambando na cara de todo mundo que está a julgando por isso! Agora todo mundo virou juiz e Deus, o bom de todos é que todo mundo se sente capaz pra julgar e apontar os defeitos ou problemas dos outros né? É todo mundo perfeito o funk não presta e a Popozuda não pode ser pensadora contemporânea então vamos tacar pedra na professora porque o resto vai continuar da mesma forma… enfim.. é isso que eu penso é assim que eu vejo. UMA POLÊMICA GRANDE por algo pequeno! Beijos pra vcs! Vou ali ler um Machado de Assis e ir treinando pra quem sabe um dia conseguir ser uma pensadora de elite!”

Beijinho no ombro, meu bem!

Comentários (36)

  • Silvino Salviato diz: 8 de abril de 2014

    Sinceramente não acredito o que estou lendo, é verdade? Só pode ser montagem; desde quando essa Walesca Popozuda, é um personagem de tamanho destaque da História?

  • Carlos Alberto Coveiro diz: 8 de abril de 2014

    Com esta resposta, simples, e, objetiva, ela conquistou minha admiração, realmente, tanto barulho por tão pouco é “contemporâneo” demais.

  • andrei cividini diz: 8 de abril de 2014

    O Brasil tá perdido mesmo, não tem mais volta

  • waltencir j da silva diz: 8 de abril de 2014

    pensadora contemporânea, kkkkkkk, a educação no brasil está padrão fifa mesmo, enquanto pensar em copa do mundo e esquecer do básico o governo vai enganando o cidadão.

  • Fran diz: 8 de abril de 2014

    Tirando onda do salário da professora, cuidado! Daqui a pouco vc vai aparecer naquele quadro: Por onde anda”. Ou seja, falida pq a bunda caiu e não tem mais por onde fazer sucesso. Não vai estar ganhando nem o q a prof ganha, sem pobre sem conteudo.

  • Moisés diz: 8 de abril de 2014

    Run to the hills ( corram para as montanhas)

  • Manoel Sezinando de Andrade Neto diz: 8 de abril de 2014

    Até q ela se defendeu bem e tem razão ao descrever a péssima situação que se encontram os professores no Brasil. Concordo tb com ela que afirma que isso tudo é uma grande polêmica por algo pequeno. Porém não concordo qdo ela leva a polêmica para o gênero de música q ela diz interpretar que é o Funk. Eu não conheço mtos Funks pq não faz o meu gosto mas poderia ter letras bem mais inteligentes dos q as dela. Ela quer dizer que as pessoas criticam o “gênero” e não a sua música ou a sua letra. Eu digo q as pessoas criticam justamente a musica dela e não o gênero musical q é o Funk. Deu pra entender a diferença? Ela é tentou ser inteligente ao levar a discussão como se a sociedade não gostasse do gênero Funk, o q não é verdade. Essa tal de popuzada gosta de intriga pode crer rsrs

  • marlan diz: 8 de abril de 2014

    tal professor merece mesmo o salário baixo que ganha ,pois se não se dá ao trabalho de realmente pesquisar um pensador contempôraneo de verdade pra incluir na prova e citar essa moça,então ele faz jus ao que ganha ,se ainda citase Gabriel o pensador ,apesar de não ser o ideal seria mas plausivel

  • Amanda diz: 8 de abril de 2014

    Gente, é montagem. Primeiro eu vi a foto circulando sem a parte da caneta escrita, isso foi semana passada. Depois, surgiu a mesma imagem, com a parte da caneta.
    E então, uma página no face falando que a tal escola fica no Rio de Janeiro.
    E agora, em Brasília.

    Me cheira a notícia falsa. E muito me admira ver isso com destaque na página de um noticiário. Lamentável.

  • silvio cesar diz: 8 de abril de 2014

    na minha época se ensinavam português, matemática, história, literatura e etc, e funk nao tem nada ve com ensino de um adolescente, “tiro, porrada e bomba”, e a quanto a questao de julgar alguem, nao julgo voce Valesca Popuzuda, por fazer musicas com letras de baixo calao, a questao é onde fica a qualidade de ensino? E pensadora contemporanea, quer dizer que hoje em dia é isso…. tiro, porrada e bomba.
    TA TUDO ERRADO.

  • Pablo diz: 8 de abril de 2014

    Pois é…Tem gente q acha q o problema na educação brasileira é só o salário dos professores……o problema começa aíiiiiiii……na mídia q influencia mal, cultura fraca…….se o cérebro tivesse o tamanho da bunda………

  • Claudia diz: 8 de abril de 2014

    Essa resposta não tem nada de simples, muito menos objetiva. Pra ser objetivo é necessário menos de cinco linhas…. e falando a verdade não respondeu nada. Essa questão realmente é triste, mas real. A cultura brasileira está aos poucos escoando e quando alguém tenta manifestar-se, chamam de “uma grande polêmica por algo pequeno”. Isso é relevante sim. É sobre isso que estão eatudando hoje em dia? Assuntos atuais…

  • Becker diz: 8 de abril de 2014

    Gostei, se ler até o final a gente muda de opinião.
    Apesar de não curtir o funk, ele tem seus méritos e mudou a vida de muita gente, seja pra pior ou pra melhor, fato é que existe uma nação que admira esse tipo de som, e tem os que gostam de samba,pagode, axé, sertanejo, MPB, rock…
    A resposta dela foi muito inteligente.
    Temos que aprender a respeitar para ser respeitado.
    Abraços

  • aline diz: 8 de abril de 2014

    Somos um povo que realmente não se orgulha da nossa cultura. Não sou fã de funk, nem de tecno brega, nem de sertanejo, mas reconheço que fazem parte de nossa cultura e que devemos no orgulhar. Se fosse o Paulo Coelho que fosse citado, nao teria problemas, mas é que ele é reconhecido mundialmente, ai tudo bem. Se esquecem que era drogado, e até mesmo citado por ele, internado em clinicas de psiquiatria, mas a Walesca é favelada, dança de bunda quase de fora, portanto não merece nosso respeito! Quem sabe quando ela ganhar milhões e for reconhecida pelos gringos, ai sim, pode ter uma questão com sua musica numa prova.

  • Jania diz: 8 de abril de 2014

    Não é contra o FUNK, acho que a polêmica toda é mais pela letra da música, gente que é isso, tem tantas letras que servem sim para educação que ensinal respeito / amor / caridade / compaixão e daria o maior apoio inclusive se fosse FUNK (não gosto, ñ faz minha cabeça) agora uma questão onde a resposta é do genero GUERRA / BRIGA, pelo amor de Deus onde está o setor de pedagogia dessas escolas que permitem isso, será se os pais desses alunos sabem disso… olha é até difícil de colocar em palavras pq é revoltante. Juro se fosse eu aluna com uma prova dessa fazia pedacinhos e com ele um bolinho pra esse professor comer.

  • Rogério Silvério de Farias diz: 8 de abril de 2014

    O Brasil está perdido mesmo…professores cada vez mais burros e alunos idem. Filosofia…esse deve ter sido aluno dos “filósofos” do Brasil…

  • Marcos diz: 8 de abril de 2014

    ISSO É BRASIL!

  • Cida diz: 8 de abril de 2014

    Não gosto de funk, acho a tal Popozuda terrível, mas ela tem razão, tem coisa mais importante pra dar atenção…. Logo que li achei que seria interpretação de texto…

  • armando diz: 8 de abril de 2014

    E a apologia a violencia: ´´só tiro, porrada e bomba“, alguem observou isso?

  • José Altair Mombach diz: 8 de abril de 2014

    Isto sim é caso de pena de morte.Ao professor e a esta tal de Popozuda.O Brasil só será respeitado internacionalmente quando estes tipos forem devidamente executados.

  • jedu diz: 8 de abril de 2014

    Alô Fran (homem, mulher ou indeterminado? com esse apelido/nome não dá para saber) acho que tens que voltar para a escola e estudar interpretação de texto. A Valesca está se referindo ao descalabro (vai procurar o significado no dicionário) que é a educação no Brasil, está salientando que os professores são mal remunerados e tu vens querer meter o pau escrevendo que ela está tirando onda com os professores? Te liga meu/minha/ou seja lá o que for, vai fazer o mobral e para de escrever bobagens.

  • Heitor SC diz: 8 de abril de 2014

    Este é o retrato da educação neste país de analfabetos e alienados. pra mim chega, para o bonde que eu quero descer.

  • Marcelo diz: 8 de abril de 2014

    Mimimi parem de julgar, mimimi não aponte o dedo. Aponto o dedo e julgo o que eu quiser! Julgo que funk é uma porcaria, letras chulas, de baixo conteúdo poético, artístico, intelectual e cultural. Funk não é manifestação cultural, é uma porcaria que meia dúzia de gente sem cultura canta pra ganhar dinheiro. O problema é que o povo não tem acesso à cultura e informação, não tem acesso à arte de verdade, que na minha opinião é qualquer coisa menos funk. Forró, baião, música clássica, mpb, pop, rock, blues, jazz, qualquer coisa dessas é música, funk não é. E pega esse discurso de politicamente correto opressor, sim ao invés de libertador é opressor, porque não deixa as pessoas emitirem suas opiniões pessoais sobre qualquer coisa. Tudo é julgamento, tudo é preconceito, tudo é discriminação, as pessoas não podem mais ter opinião pessoal e criticar nada. Crítica e não gostar de algo faz parte da construção da personalidade, dos gostos de qualquer ser humano. Se ela tem direito, e tem mesmo, de gostar e cantar funk tenho todo direito de achar um lixo e dizer isso pra quem eu quiser.

  • Richard diz: 8 de abril de 2014

    vao lavar uma louça , esse e o jeito que o prefessor achou melhor de descontrair e ensinar os alunos , pqp q polemica doentia -.-

  • Antônio diz: 8 de abril de 2014

    Sem muitos comentários, mas so pode que quem formulou a prova enganou-se se nome, isso não pode ser sério e se for é o fim do Brasil.

  • Sandra diz: 8 de abril de 2014

    Sra. Popozuda quem citou sua música foi um professor e não professora. Professor Antônio Kubitschek .

  • Jéssica Laina diz: 8 de abril de 2014

    Você é sim uma pensadora, pois está viva, mas sinceramente você só pensa besteiras em relação a esse tipo de música que você canta, pois não incentiva em nada,são músicas totalmente fúteis que não traz nenhum crescimento relevante à sociedade. Pra ser pensador de verdade tem que estudar e proporcionar a sociedade incentivos positivos, creio que você nem entrou na sala de uma universidade pra criar músicas idiotas coisa as suas.

  • Luciano diz: 8 de abril de 2014

    Acho a Valesca uma mulher inteligente ,e querendo ou não, ta fazendo sucesso com a musica, tem meu respeito pela pessoa que é e não acho que ela tirou palha do salario do professor que realmente é baixo no Brasil.
    Acredito que tenhamos muitos assuntos mais importantes para debater como a corrupção, e as próximas eleições que estão na porta.

  • Neide diz: 8 de abril de 2014

    Gosto é gosto e não se discute, mas Educação escolar se discute sim, pois é de interesse público; e a do Brasil está cada vez pior! A luz do fim do túnel, além de muito distante, está se apagando.

  • Methos diz: 9 de abril de 2014

    Isso e o fundo do poço e por isso que o Brasil não respeitado pelo mundo, aqui só tem professores, não que agrega conteúdo útil, e sim apenas esta besteira que a mídia coloca, além disso, este professor deveria ser advertido…

  • Luciana diz: 9 de abril de 2014

    O funk é exaltado por alguns, odiado por outros e sabemos o porquê, mas até ai tudo bem respeitamos a liberdade de expressão, mas uma professor aplicar em uma prova de Filosofia referência a Valeska Popozuda como grande pensadora, ai já é demais, isto é uma afronta e total falta de respeito aos reais e grandes pensadores que foram Sócrates, Platão e Aristóteles, quem leu um pouqinho de Filosofia sabe do que estou falando. Lamentável para a educação do Brasil.

  • El Thoz diz: 9 de abril de 2014

    Não é bulling ao FUNK,ou à sra Valeska. Mas fica complicado defender o tal movimento,música ou sei lá(até hoje ainda não consegui definir um termo p/o mesmo).
    Não possui uma letra inteligente,repete sempre a mesma teoria:Violência e sexo apelativo.
    Óbvio que para escrever tais letras é necessário o mínimo possível de pensamento,daí a alcunha de “Pensadora”…mas se expressou bem em sua resposta.

  • Marcos Solano diz: 10 de abril de 2014

    Neste mundo há espaço para todos! A questão é que existe uma racialidade do ser imposta, onde se impede que tais expressões musicais sejam vistas com bons olhos! Meu professor do mestrado afirmou que concorda vom a postura do professor e que devemos analisar a referida música a partir de um olhar deontológico! Sou professor e agradeço a waleska por me representar em sua fala quanto aos baixos salários e condições precáriasdas escolas! Walesca, vc é pensadora ao seu modo e o funk tmb é MPB sim! Bjinho no ombro pra quem reagiu com recalque! Kkkkkk!

  • Valesca quer tirar silicone do bumbum pois diz que ele não combina com sua nova fase | Na Ponta da Língua diz: 10 de abril de 2014

    [...] Por Bárbara Nunes Parece que os títulos de DIVA e posteriormente de “grande pensadora contemporânea” fizeram Valesca trocar as sandálias da humildade pelos saltos de grife definitivamente. E nessa [...]

  • Sérgio Queiróz diz: 10 de abril de 2014

    Queridos, vejamos as grafias, pontuações e concordâncias do texto e dos comentários, mesmo daqueles que afirmam terem estudado português no colégio? Vamos à verdade? O caso não está no funk ou outro gênero qualquer, mas sim nos cérebros por trás dos ouvidos que os escutam. O caso não é o comentário, mas o cérebro que comanda as mãos que os escrevem, ou melhor, os dedos. A Valesca é, apenas, mais um personagem do “topa tudo por dinheiro” que virou o “Brazil”. Como deseja o Salomão Schwartzman: Sejam felizes!

  • Vanessa carl diz: 16 de abril de 2014

    O gosto pela letra do funk da Popozuda é simples de explicar, ela fala sobre o cotidiano das pessoas, coisas que pensam e não falam por acharem de baixo nivel, mas é a pura verdade. o funk representa hoje a liberação sexual reprimida por muito tempo, que hoje vem com muita força e chega ser descontrolada, mas vai chegar um ponto que isso vai estabilizar. Qnto ao professor acho que ele foi moderno e realista.

Envie seu Comentário