Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Telegrama de 1986, onde Roberto Carlos mostra apoio à censura, vem a público

21 de maio de 2014 9

Dario Zalis, divulgação
* Por Cris Cordioli
Olha, pelo jeito o disse me disse entre Caetano e Roberto vem de tempos e vai pegar fogo depois que um telegrama de Roberto Carlos, de 1986, destinado ao então presidente da República, José Sarney, veio a público e mostra o apoio do Rei à censura.

“Cumprimento Vossa Excelência por impedir a exibição do filme ‘Je Vous Salue’ Marie, que não é obra de arte ou expressão cultural que mereça a liberdade de atingir a tradição religiosa de nosso povo e o sentimento cristão da humanidade. Deus abençoe Vossa Excelência. Roberto Carlos Braga”, dizia o documento publicado pelo colunista Mário Magalhães.

O motivo da carta seria a decisão do governo, implementada por meio da Divisão de Censura do Departamento de Polícia Federal, de proibir a exibição de “Je Vous Salue Marie”, do cineasta Jean-Luc Godard. Ainda com ideias da ditadura, o primeiro governo após o período militar alegava que a obra de Godard feria a imagem de Virgem Maria. Em um artigo do mesmo ano, Caetano Veloso soltou o verbo e condenou a “burrice de Roberto”.
“O telegrama de Roberto Carlos a Sarney, congratulando-se com este pelo veto a ‘Je Vous Salue Marie’, envergonha nossa classe.”

O que eu penso sobre? Acho que o Rei anda em fase de muita reflexão. Voltou a comer carne, anda abrindo mão de alguns toques, numas vai repensar, também, sobre o telegrama enviado.

* Por Celina Keppeler
è bom ele repensar logo, antes que alguns mais radicais comecem a repensar sobre seus ídolos também!

Comentários (9)

  • Otavio Manara Filho diz: 22 de maio de 2014

    Parabéns ao Rei, em música e responsabilidade com A Padroeira do Brasil, A Virgem Imaculada deve ser reverenciada em Orações, é absurdo filmecos apelativos e depreciar a fé do brasileiro

  • José diz: 22 de maio de 2014

    Parabéns Roberto Carlos!
    Musica é RC! Já pararam para pensar se o mundo, ou quase todo o mundo não seguissem pelos caminhos de Jesus! como seria, este este mundo?
    O restante a natureza toma conta.

  • ifm diz: 22 de maio de 2014

    Esse babaca, hipócrita e intelectual de bosta do Caetano, que vá plantar batata,pra não falar outra planta.

  • Lucas diz: 22 de maio de 2014

    filmecos apelativos^ e Godard seu imbecil
    Apelativo e copiar musica italiana como esse manco fez a vida inteira, Rei da Globo e Rei dos imbecis

  • Luiz diz: 22 de maio de 2014

    Eu sou brasileiro e não tenho fé. Prezo pela vivência em um País livre. Enquanto Caetano, Raul Seixas, Rita Lee, Gilberto Gil, Chico Buarque e Fafá de Belém lutavam pela redemocratização do Brasil, este infeliz era amigo da ditadura e cantava “meu calhambeque bibi”. FORA ROBERTO CARLOS!

  • Pedro Nobre diz: 22 de maio de 2014

    Ninguém é obrigado a ter fé. Mas para viver em um país livre, há que se respeitar a opinião de todos, inclusive a de Roberto Carlos. Os mencionados “heróis” da redemocratização do Brasil, até onde eu sei, não lutaram coisa nenhuma. Alguns simplesmente se mandarm, espontaneamente, do país e foram viver no bem bom do primeiro mundo. Outros ficaram aqui faturando alto com sua músicas ditas de protesto, vivendo suas mordomias e sem serem molestados por ninguém.

  • Lupercio diz: 22 de maio de 2014

    Tudo bem, que o filme possa ser isso ou aqui, MAS QUEM DECIDE SE VOU ASSITIR SOU EU e não um bando burocratas mediocres.

  • George Gomes Savala diz: 22 de maio de 2014

    Assiste ao filme “Je vous salue Marie”, na época. Um filme sensível, que nada denigre a imagem da Virgem Maria, padroeira do Brasil. Um filme de reflexão, cheio de humanidade, que mostra o conflito humano na difícil convivência entre corpo e espírito. O que fizeram os ignorantes (que não assistiram ao filme) rosnarem foi a utilização da primeira frase do nosso Ave Maria (“ve Maria cheia de graça…”corresponde ao “Je vous salue Maria” , que na tradução lieral seria “Eu vos saúdo Maria). Quem assistir verá que não tem nada demais. É uma história simples, bonita que não tem nada de apelativo. Apelativo é que são as novelas da Globo: carregadas de ódio, de maldade, de baixaria (brigas e intrigas).
    Sejamos mais tolerantes, inclusive com o Roberto, que é homem e não é perfeito. Carrega a imperfeição, como todos nós, tendo direito de opinar e de errar como todos nós.
    Na minha opinião quem viu apelação no filme de Godart, deveria ter a mente demasiadamente poluida.

  • Roberto Carlos assume primeiro lugar de vendas na América Latina com “Esse Cara Sou Eu” | Na Ponta da Língua diz: 15 de agosto de 2014

    […] também: >> Friboi pode rescindir contrato com Roberto Carlos >> Telegrama de 1986, onde Roberto Carlos mostra apoio à censura, vem a público >> Um final sem surpresas para Salve […]

Envie seu Comentário