Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "Cazuza"

Mãe de Cazuza publica carta de repúdio a episódio de Malhação que trata do tema HIV

01 de janeiro de 2016 12
Sociedade Viva Cazuza, divulgação

Sociedade Viva Cazuza, divulgação

* Por Cris Cordioli
Vocês sabem que eu não sou o tipo de pessoa que não assumiria assistir Malhação para não queimar o filme com a geral, né? No caso, não assisto mesmo, mas ontem, meio que por acaso, coloquei os olhos na novelinha sofrida, com o povo cheiro de boas intenções, acreditando em um talento que em muito ainda está por nascer. Assisti e vi que o assunto Aids estava na rodinha de amigos bem vestidos, bem penteados e maquiados. E é sobre isso que quero falar neste primeiro post do ano. Lucinha Araújo, mãe de Cazuza e presidente da Sociedade Viva Cazuza, foi às redes sociais, no último dia do ano, para criticar, e muito, a abordagem ao tema HIV na novela meio infanto, meio tosca. Ela publicou nas redes sociais uma carta das boas depois que uma cena em que uma menina esbarra no personagem soropositivo e vai à enfermaria tomar um coquetel preventivo contra o vírus.

“Como se não bastassem todos os problemas que nós brasileiros estamos sofrendo, ainda temos que ver em pleno ano 2015 o programa Malhação, da TV Globo, prestar um desserviço à saúde pública. Há 10 anos vemos os novos casos de Aids aumentando entre jovens, segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, por transmissão sexual. Depois de 30 anos de trabalho para combater o preconceito e informar corretamente as formas de transmissão do HIV, vemos um programa destinado ao público jovem aconselhar soropositivos a não praticar esportes, a mostrar um médico receitar medicamento antirretroviral numa situação onde dois jovens dão uma cabeçada é no mínimo de chorar. Que se queira ganhar dinheiro com sensacionalismo já é duro, mas dar informações erradas é um pouco demais.Deixo aqui minha indignação, meu repúdio e a vergonha que senti ao saber que o trabalho que a Viva Cazuza, as ONG’s/Aids e todas as campanhas governamentais de prevenção ao longo de 30 anos vão por terra de uma maneira tão irresponsável. O mínimo que espero seria um novo episódio com a devida correção.“

Cauã Reymond beijou de língua Daniel de Oliveira em testes para filme ''Cazuza''

10 de setembro de 2013 0

Divulgação - Filme " Cazuza - O tempo não pára "

* Por Bárbara Nunes
Para deixar todo mundo ba-bando, tipo Anitta, Daniel Oliveira revelou que já beijou Cauã Reymond na boca e de língua. Em entrevista ao programa O Papel da Vida, exibido no Canal Brasil, o ator contou que durante os testes para o filme ”Cazuza”, Cauã fez de tudo para ganhar o papel de namorado do protagonista, tanto que deixou de lado o “beijo técnico” e enfiou a língua na boca de Daniel. Rolando o maior beijaço! Porém, todavia, entretanto, o máximo que conseguiu foi o susto do ator e do diretor da trama. Quem abocanhou o papel foi Eduardo Pires, fazendo muito bem o personagem lhe dado: o Serginho.

Mas nada de mimimi, hein, gente! Pois essa “não-contratação” não afetou em nada a vida profissional de Cauãzito, porém na vida de Edu acho que foi um dos trabalhos de maior peso. Acredito que Eduardo foi escolhido por ter os traços mais delicados e rostinho mais ingênuo. Ficou ótimo no papel!

Olha que graça que o Cauã estava naquela época:

divulgação

Não chora, amor, mamãe tá aqui!

tv globo/divulgação

Cazuza volta aos palcos no Rock in Rio 2013, em versão holograma (Errata)

25 de abril de 2013 3

* Por Bárbara Nunes
A ideia de ressuscitar um músico por meio de um holograma parece que vai virar moda. A emoção promete vir tomar conta do Rock in Rio, em setembro desse ano, através de Cazuza. Ele virá para cantar no palco ao lado de seu grande amigo Frejat. Mórbido? Bom, a ideia até parece meio estranha, mas imagina a sensação!!!

O negócio faz com que o artista apareça em 3D. Até Frejat vai se apavorar. Imagina a emoção dele! Imperdível, gente.
Serão 20 minutos de Cazuza. Para realizar o trabalho foram necessárias 16 pessoas trabalhando por três meses. A homenagem é pelos 30 anos de Barão Vermelho e pelos 55 anos que Cazuza completaria.

Em tempo: a versão holográfica chamou a atenção mundo afora em abril deste ano, quando o rapper americano Tupac Shakur (1971-1996), assassinado quase 16 anos antes, reapareceu projetado em um show do também rapper Snoop Dogg, no festival Coachella, nos EUA. No Brasil será a primeira vez.

* Por Cris Cordioli
Mas será que rola um abraço? Certo que não, né? Na verdade, acho legal, tudo, mas não vejo muito sentido. São tantos os momentos inesquecíveis, pra que ficar mexendo com quem está quieto – e bota quieta nisso! Vamos esperar pra ver. Se eu estiver errada, faço uma retratação!

Errata:

Foi divulgado que a organização do Rock in Rio teria informado que foram contratadas empresas nacionais e estrangeiras para criar o holograma de Cazuza que iria apresentar-se no Show de abertura do Rock inRio. A organização do evento não divulgou, nem sequer publicou em seu site, nenhuma notícia sobre holograma. Trata-se de uma interpretação errônea sobre as declarações de Lucinha Araújo – mãe de Cazuza - que disse “estar muito feliz com esta homenagem e a do holograma“. “Qualquer homenagem ao meu filho é muito bem vinda”!
A produtora licenciada para fazer o holograma de Cazuza é a Se7e Ar7es Produções e, este evento se dará independentemente da homenagem do Rock in Rio a este grande ídolo do Rock brasileiro. A Turnê esta prevista para novembro com as datas/cidades e convidados especiais a serem apresentados na coletiva de imprensa.
As informações publicadas no post do dia 22/4 foram tiradas da revista Rolling Stones deste mês. A correção foi solicitada pela própria Se7e Ar7es Produções.

Os bafos da semana no Na Ponta da Língua na TV!

10 de julho de 2015 2

TV

* Por Janaína Laurindo
Saiu e tá quentinho!!! Tem vídeo novo com os assuntos mais comentados da semana. Quer saber quais foram eu te conto, mas se quiser dar algumas risadas, aperta o play.
Tem Tati Zaqui – quem é Tati Zaqui? -, oferecendo um presentinho para Justin Bieber. Tem Monica Iozzi dando tchau para o Vídeo Show. Tem o final de Sete Vidas. Regina Duarte se afirmando bi. Tem também a Cris me cantando… Não, pera!!! Pula essa parte. Enfim, aperta o play que tá bom demais. E tem surpresinha no final, não deixa de assistir.

* Por Cris Cordioli
Jana, e por acaso agora tu atendes pela alcunha de “oportunidade”? Quando a coisa já começa com amizade no meio, não rola. Mas tá tudo registrado. O povo há de ficar do meu lado! Ahh, e vale fazer uma correção. Esta semana Cazuza completou 25 anos de morte e não 23 como falei equivocadamente no vídeo.

 

Continua repercutindo comentário antisertanejos de Mônica Iozzi

10 de julho de 2015 0
TV Globo/Divulgação

TV Globo/Divulgação

Disfarça. Fingi que não foi com você.



* Por Cris Cordioli
De Mônica pra Mônica… E se tivesse um Sansão, tinha rolado uma briga das boas. Ainda está rolando o bafo da outra, no caso, Mônica Iozzi, sair falando no Vídeo Show que o povo devia deixar o sertanejo de lado e escutar um pouco mais de Cazuza. Tá, eu adoro Cazuza. Direto, intenso, poeta das palavras certas, mas mexer com os sertanejos nos dias de hoje é se jogar do sétimo andar sem a ajuda de dublê. O povo não tá pra brincadeira, Mônica Guedes, a outra Mônica da parada, que o diga. Doeu nos dedos a diretona que ela mandou:

“Minha filha, curto rock anos 80. Aliás, iniciei minha carreira no rock! Curto algumas músicas do Cazuza, do Legião [Urbana], mas tenho orgulho de hoje ser bem sucedida cantando música sertaneja. Seus heróis morreram de overdose há milhões de anos. Os meus [sertanejos] morreram na estrada trabalhando. Não me venha falar de ‘bons exemplos’, pois ninguém é santo. Desculpa escrachar, mas detesto preconceito musical. Ô mania de criticar o gosto dos outros. Cada um ouve o que quiser”, disparou.

* Por Janaína Laurindo
Podia ter ido dormir sem essa. Mas, assim, se junta com o Zeca numa conchinha e se joga na vitrola com Cazuza.

Mônica Iozzi cutuca sertanejos durante Vídeo Show

08 de julho de 2015 1
Foto Reprodução

Foto Reprodução

* Por Celina Keppeler
O problema de Zeca Camargo foi que ele falou o que pensava, mas na hora errada. No Vídeo Show de ontem, Mônica Iozzi também deu uma cutucada nos sertanejos, mas como a impacto da tragédia que matou o cantor Cristiano Araújo já havia passado, ninguém deu nem bola. Aliás, só a Fernanda Lima, que era convidada do programa e ficou com medo que a colega fosse linchada na rua.
Depois de passar um clipe dos 25 anos da morte de Cazuza, Mônica confessou que era muito fã dele.
“Quem não conhece o Cazuza, o pessoal mais novinho, vá ouvir Cazuza, gente. Vamos deixar um pouquinho o sertanejo universitário de lado, vamos ouvir um pouquinho mais de Cazuza para a gente ter um mundo melhor”.
É, se isso fosse há duas semanas, queria ver que bicho que ia dar…

Zeca Camargo é alvo de fãs e artistas após criticar comoção por morte de Cristiano Araújo

29 de junho de 2015 25
Tv Globo/ Divulgação

TV Globo/ Divulgação

* Por Celina Keppeler
Zeca Camargo perdeu uma ótima oportunidade de ficar caladinho. O apresentador, que já não andava nas graças do povo, conseguiu se queimar mais ainda ao criticar na Globo News a comoção nacional que rolou por conta da morte do sertanejo Cristiano Araújo. Zeca chegou a dizer que a alma brasileira é pobre e que não entendia tamanha comoção, já que Cristiano nem era tão conhecido.

O apresentador escreveu em sua crônica no Jornal das Dez, da Globo News, que a morte de Cristiano Araújo levou uma multidão comovida por um artista “desconhecido” e que “de uma hora para outra, fãs e pessoas que não faziam ideia de quem era Cristiano Araújo partiram para o abraço coletivo”.

“Muita gente estranhou a comoção nacional diante da morte trágica e repentina do cantor Cristiano Araújo. A surpresa maior, porém, vem do fato de ser tão famoso e tão desconhecido. O Brasil, felizmente, tem um punhado de artistas que não passam pelo radar da grande mídia, nem são um consenso popular, mas que levam multidões para seus shows. (…) O que realmente surpreende neste evento triste da semana foi a comoção nacional. De uma hora para outra, fãs e pessoas que não faziam ideia de quem era Cristiano Araújo partiram para o abraço coletivo, como se todos nós estivéssemos desejando uma catarse assim, um evento maior que nos unisse pela emoção”, escreveu Zeca.

Zeca continuou: “É só lembrar as despedidas de Cazuza, Ayrton Senna, Kurt Cobain, Lady Diana, Michael Jackson, Mamonas Assassinas. Mas Cristiano Araújo? Sim. Eles sim eram, guardadas as proporções, ídolos de grande alcance. Como fomos, então, capazes de nos seduzir emocionalmente por uma figura relativamente desconhecida?

E na parte mais criticada, Zeca fez um paralelo dessa comoção com os livros para colorir (daí ofendeu a Jana também!): “A resposta está nos livros para colorir! Sim, eles mesmos! Os inesperados vilões do nosso cenário pop, acusados de destacar a pobreza da atual alma cultural brasileira. Não vale a pena discutir os verdadeiros valores desses produtos, se é que eles existes. Mas eles vêm bem a calhar para fazermos um paralelo com a ausência de fortes referências culturais que experimentamos no momento. A morte de Cristiano Araújo e a quase insana cobertura de sua despedida vestiu a carapuça de um contorno de linhas pretas num papel branco, só esperando a tinta das emoções das pessoas para ganhar cor e, quem sabe, significado. Como robôs coloristas preenchemos aqueles desenhos na ilusão de que estamos criando alguma coisa. Assim como ao nos mostrarmos abalados com a ausência de Cristiano, acreditamos estar comovidos pela perda de um grande ídolo. Todos sabemos que não é bem assim. Talvez o cantor tenha morrido cedo demais para provar que tinha potencial para se tornar uma paixão nacional. Nossa canção popular é hoje dominada por revelações de uma música só, que se entregam a uma alucinada agenda de shows para gerar um bom dinheiro antes que a faísca desse sucesso singular apague sem deixar uma chama mais duradoura. E, nesse cenário, qualquer um pode, nem que seja por um dia, ser uma estrela maior. Teria sido esse o caso de Cristiano Araújo? […] Temos tudo para adorarmos ídolos de verdade, e chorar de verdade seja pela presença dele no palco ou na saudade da perda. Mas, agora, olhando em volta, não vemos nada disso“.

 

 

zeca-3

zeca-2
Pois bem, depois dessa, toda a galera que se comoveu com a morte do cantor passou a criticar o apresentador. Até os próprios cantores sertanejos e simpatizantes entraram na onda.
Olha, podia ter ido dormir mais cedo e evitado o constrangimento, hein, Zequinha?

 

* Por Janaína Laurindo
O discurso ficou ainda mais chato por ficar desalinhado com a postura da Globo diante dos fatos. Logo ele que está prestes a estrear um programa na emissora… Perdeu mesmo a oportunidade de ficar calado. Ou ele acha que vai fazer programa para qual público?! Eu não vou perder meu tempo com ele, prefiro “Meu Jardim Secreto”.

Belutti Rodrigão Israel Novaes Santiago Sorocaba Munhoz e Mariano

 

 

Suposta mensagem psicografada de Cássia Eller cai nas redes sociais

18 de junho de 2015 0
Divulgação

Divulgação

* Por Cris Cordioli
Sempre comento que tenho dificuldades em acreditar na vida depois da morte, mas falo já justificando que nunca precisei pensar seriamente sobre o assunto. Graças a Deus, todas as pessoas de quem eu gostaria de receber uma carta estão vivinhas da silva – tirando uma das minhas avós. Uma pessoa tão presente que quando partiu já tinha preenchido todo o potinho de boas lembranças que uma pessoa pode deixar. Mas, enfim, a introdução é pra contar que está rolando nas redes sociais uma suposta carta psicografada de Cássia Eller. Indo do inferno ao céu, passando por um encontro com Cazuza, o texto não deu descanso para a cantora um só minuto. Fiquei tensa. Se é verdade? Pois agora. Se for uma grande farsa, só tenho algo a acrescentar: quem escreveu, certo, assistiu a reprise da novela A Viagem no Viva.

Trecho:
“Se eu disser para vocês que o inferno existe, acreditem, pois eu estava mergulhada nele, de corpo e alma, num espaço sombrio e frio, bem interno do ser, dos pés à cabeça, sem tempo, sem luz, nem descanso e me afogava, a cada segundo, num oceano de matéria viscosa que roubava até minha ilusória alegria”. Leia a carta completa  AQUI.

O site Extra conseguiu a confirmação que de fato a carta foi psicografada no Lar de Frei Luiz, renomado centro espírita localizado no bairro de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Segundo o presidente, Wilson Pinto, a mensagem foi recebida por um médium na noite de 7 de maio, durante uma reunião de dependência química.

“Não é a primeira desse tipo que recebemos. Já recebemos do Chorão, do Cazuza… é verdadeira. O que não é de nosso costume é a divulgação dessas psicografias, é um assunto interno da casa, não deveria ter vazado – ressaltou o presidente, acrescentando que não chegaram a avisar para a família da cantora sobre a carta, procedimento padrão no centro espírita.”

O Extra também escutou a mãe de Cazuza, citado no texto. Lucinha Araújo diz que não acredita em psicografia. Segundo ela, desde que Cazuza morreu, há 25 anos, já recebeu uma enxurrada de cartas atribuídas a ele, mas, em nenhuma delas, o reconheceu.

“A Cássia e o Cazuza se gostavam muito. Falava muito com a Cássia porque ela gravou dois discos só com músicas do Cazuza e eu dei palpites. Ela era uma gracinha, gostava muito dela. E sempre me disse que era louca por ele. A Cássia era o Cazuza de saias”

* Por Janaína Laurindo
Está no direito de cada um acreditar no que quiser. Se acredito em vida depois da morte? Olha, pelo sim e pelo não, faço o que tenho que fazer nessa mesmo, só pra garantir o pontinho cheio de boas recordações. No mais, acho que a presença de Cássia é muito mais forte numa canção sua cantada pelo filho Chicão.