Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "Belo"

Pavê de pêssego com coco

08 de outubro de 2010 0

* Por Cris Cordioli
Se me perguntarem, rapidinho, o que eu pediria se estivesse diante de uma vitrine de doces, essa torta estaria entre as minhas favoritas. Adoro esses bolos molhadinhos, com um muito creme e com o recheio de pêssego ou abacaxi. De rocambole à pavê, vale tudo quando o assunto é um belo creme, uma boa massa e uma fruta pra arrematar. Uma combinação mais que perfeita.

Ingredientes para o pão de ló
4 ovos (claras e gemas separadas)
1 xícara e meia de açúcar
1 xícara de leite
2 xícaras e meia de farinha de trigo
1 colher de fermento em pó

Ingredientes para o creme
1/2 xícara de amido de milho
2 xícaras e meia de leite
1 vidro de leite de coco
1 lata de leite condensado
2 gemas
1 lata de pêssego em calda, escorrido e picado
1 pacote de coco ralado

Modo de preparo
Pão de ló: Na batederia, bata as claras em neve. Continue batendo e acrescente as gemas, uma a uma, e o açúcar. Intercale o leite e a farinha. Misture o fermento em pó. Despeje a massa em uma assadeira untada e forrada com papel manteiga. Asse no forno preaquecido durante 30 minutos.
Creme: Em uma panela, misture o amido de milho dissolvido no leite, o leite de coco, o leite condensado e as gemas. Leve ao forno brando e mexa até engrossar.
Montagem: Em um refratário, alterne camadas de pão de ló umedecido na calda do pêssego, de creme, de pêssego picado e de coco ralado. Por cima polvilhe coco ralado. leve pra gelar.

Dica: Dá pra substituir o pao de ló por bolo pronto, daqueles de supermercado mesmo.

O gato da vez

07 de outubro de 2010 2

Cris, dessa tu vais gostar. O gatinho do Caio Castro tá sendo considerado o novo Zé Mayer da televisão brasileira, por quem eu não sei, mas enfim. O bofe falou numa entrevista que não gosta de namorar, tem temperamento difícil e ADORA mulheres mais velhas. Que tu acha? E um detalhe que eu nem me lembrava mais, o carinha foi descoberto num concurso o Caldeirão do Huck.

Celina, ele é mmmuuuiiiiitttooo melhor que o Zé Mayer. E olha que eu não sou de impressionar com qualquer um (o último foi o Rodrigo Lombardi, como o Raj). Dele crespo, na época do Caldeirão, eu não gostava. Foi só cortar o cabelo e o gato foi pra luz. Sabe um belo filé mignon? Tudo de bom!