Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Livro polêmico diz que 40% das gurias de seis anos usam batom regularmente

28 de setembro de 2010 3

A tendência girly – ou mulherzinha – com muito rosa, maquiagem, cabelos arrumados e acessórios está cada vez mais presente na vida das gurias do Ocidente. São hábitos femininos exagerados que estão virando mania entre as adolescentes. Basta olhar para o lado para constatar tal ”fenômeno”.

Só que as mulheres estão se preocupando com a beleza (!) cada vez mais cedo. A jornalista Peggy Orenstein acabou de lançar o livro Cinderella ate my daughter (Cinderela devorou minha filha, na tradução) que está causando a maior polêmica nos Estados Unidos. Nele, a autora critica esse comportamento e afirma que 40% das guriazinhas de seis anos já usam batom regularmente e estão ficando ”neuróticas pela beleza”.

Para escrever o livro, Peggy, que é mãe de uma menina, foi à Disney e a feiras de brinquedos, conversou com pais de participantes de concurso de beleza infantil, analisou os contos de fadas, falou com a gurizada pela internet e chegou à conclusão de que a ênfase no feminino causa sexualização precoce, preocupação exacerbada com a beleza e o corpo e auto-estima centrada no olhar dos outros. 

E há um antídoto? Para evitar esse mal cor-de-rosa é preciso deixar essas meninas menos focadas na ideia de serem mulheres, estimulando a convivência com os meninos e as presenteando com brinquedos neutros. Até porque essas gurizinhas terão toda uma vida para mostrar sua feminilidade, não precisa começar na infância, né?

Comentários (3)

  • Juliana Lazzarotto diz: 28 de setembro de 2010

    Concordo integralmente com sua posição, Trissia. Tenho uma menina de 4 anos, que gosta de um batonzinho, mas nada de exageros, o que acho saudável, já que ela busca imitar a mãe. Não concordo com excessos, do tipo tem que sair de casa como se fosse uma princesa de conto de fadas, nem precisa de coleções de Barbies e Princesas. Incentivo desenhos para a faixa etária dela, de forma a limitar a sexualidade precoe, bem como deixo ela bem a vontade… quer sair de abrigo? sai. A sandália está machucando? põe tênis. Do meu ponto de vista, isso é saudável, e cria auto-estima nas meninas.
    Um grande abraço,
    PS: Adoro sua coluna!

    Obrigada, Juliana!
    beijo

  • Sarita diz: 28 de setembro de 2010

    Concordo com a Juliana.

    Quando eu era criança, parecia um guri. Tinha meus momentos de vaidade, brincava de boneca, mas depois estava na rua, de bermuda, brincando (e brigando) com a gurizada. Hoje não consigo ir à padaria na esquina sem colocar ao menos um brinco! Há época para tudo; o culto ao corpo tem efeitos deletérios na cabeça de muita gente adulta, que dirá numa criança que está aprendendo a observar o mundo.

  • blog de OMI diz: 28 de setembro de 2010

    Sou pai de uma menina de sete anos e já deu para aprender que elas não querem usar maquiagem por causa da “mídia, da precocidade, da Dilma, do PT, ou de qualquer outro blábláblá acadêmico”.
    Elas simplesmente querem imitar a mãe! É só mais uma brincadeira, como colocar os sapatos grandes e usar bolsa – coisa que a Marina faz desde que aprendeu a caminhar.
    A guria vira uma Barbie só se os pais forem loucos.

Envie seu Comentário