Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Não acredito em amores que precisam ser reafirmados publicamente

29 de março de 2011 11

Foto: Alex Carvalho/TV Globo, divulgação

Não consigo acreditar naquelas pessoas que precisam reafirmar serem muito boas em alguma coisa ou são declaradamente muito-felizes-e-apaixonadas-por-alguém. Ora, se a pessoa é boa o suficiente, ela certamente será reconhecida por suas qualidades e não pelo discurso. O amor também tem dessas. Amar não precisa ser um evento com direito a cobertura de paparazzi, o ato é a recompensa nele mesmo, concordam?

Resolvi escrever sobre isso depois que vi o fim do romance da atriz Danielle Winits com o ator Jonatas Faro. Eu não tenho nada a ver com a vida nem com as escolhas dela, mas fico um pouco chocada com a velocidade que certas coisas acontecem.

Há menos de um ano, ela se separou do marido com quem tinha um filho por causa do affair com o bofinho, de quem engravidou logo depois. Apareceu de calcinha durante a lua de mel numa sacada de hotel, protagonizou ensaios sensuais ao lado do amado e, tipicamente, até tatuou o nome do maridinho no braço. Antes mesmo de o bebê nascer eles já não estão mais juntos.

Por mais que histórias de amor precisem ser vivenciadas em sua plenitude pelo tempo que durarem – Vinícius bem disse isso – esses amores que precisam ser mostrados como perfeitos estão longe da perfeição. E, ainda, ficam os filhos e as marcas na pele para lembrar que um dia eles existiram, de fato.

Comentários (11)

  • Gilson diz: 29 de março de 2011

    Algumas pessoas famosas precisam estar sempre na midia, para não correrem o risco de serem esquecidas tanto pelo público como pelos empregadores.
    Uma atriz que teve um filho recentemente, por exemplo, “precisa” sair peladona em alguma revista para mostrar que o seu corpo já está novamente em forma e que ela já está pronta para voltar ao trabalho.
    Isso não acontece por acaso. Existem especialistas que “orientam” como as celebridades devem se comportar em público, de acordo com os seus interesses profissionais.
    Até alguns barracos em públicos são armados só para chamar a atenção da imprensa.
    E muitos jornalistas colaboram com isso, por falta de assunto.
    Não é sempre que explode uma usina atômica.
    Não é sempre que acontece um terremoto.
    Alguma coisa precisa preencher o espaço vazio na folha de jornal.
    A atriz precisa da imprensa e a imprensa precisa da atriz.
    E o mundo gira.

  • Crystal diz: 29 de março de 2011

    É verdade, Tríssia! Quando li essa notícia, falei aqui em casa a mesma coisa que tu passou pra todos nós hoje. Lamentável. E o problema cai sempre em quem? Nas crianças.

  • Fabi diz: 29 de março de 2011

    Disse tudo!
    Hoje em dia tá tudo muito moderno, a palavra família já era…infelizmente.

  • Júlia diz: 29 de março de 2011

    Ah Tríssia, cada um ama do jeito que sabe e consegue.

    Existem amores públicos bem felizes, apenas não mostram mais o “fogo” porque já são relações maduras.
    Veja Cláudia Raia e Celulari, para todos os dois envelheceriam juntos mas, mesmo sem bafões e ensaios sensuais, romperam.

    Sinceramente acho que dizer que relacionamentos que gritam sua felicidade aos ventos são superficiais é uma pontinha de inveja. #prontofalei

  • Marina Somavila diz: 29 de março de 2011

    Concordo plenamento com vc, amor para ser maduro, profundo e duradouro não precisa ser
    exposto para todos… todos os dias…
    É por isso que estou casada a 10 anos e com um filho lindo de 2 anos e 3 meses…

  • Mary F. diz: 29 de março de 2011

    Não é só no mundo das (sub) celebridades que isso ocorre! Bem pertinho da gente podemos observar quantos casais que precisam mostrar/provar o seu “amor” com decalarações públicas de afeto, desejo e com blábláblá enjoativo.
    Quanta falsidade, quanto falso moralismo!

  • Rogério diz: 29 de março de 2011

    Olha, primeiro, essa tia aih tá beeeeeeeeeeeeeem passada já né. Quer pagar de menininha a essas alturas??? Amor eterno, paixão, coisa de adolescente. Dá um tempo.

    Eu acho isso muito muito imbecil. Cara, casar e descasar não é assim, não é assim que funciona MESMO.

    Desculpem os que se ofenderem, mas pessoa que se separa e se casa mais do que 2x pra mim está é com problema mental. Isso sim.

    Busca da felicidade a essas alturas me soa a perda de valores, isso sim.

    A Danielle Winits é o exemplo que que NÃO fazer. Além de ter affair se casa pela 102x … fala sério … pq ela não constrói uma igreja atrás de casa tb. Assim não precisa nem tirar o pijama pra casar.

  • J.Cataclism diz: 29 de março de 2011

    Concordo com o gilson: “Algumas pessoas famosas precisam estar sempre na midia, para não correrem o risco de serem esquecidas tanto pelo público como pelos empregadores.”

    Se é amor, paixonite, trepação… não interessa; Precisam mostrar para todo mundo, porque depois vem alguém falar mal e eles querem mostrar a revista Caras e dizer “olha!, mas eu realmente tava apaixonado(a)!”. Mas também não podemos ser muito obtusos. Tem gente que é assim, assumidamente, e não tá nem aí pra coisa. É só ver o Ney LAtorraca, por exemplo, em suas ideias sobre seu casamento. É coisa do tipo “cada um dá pra quem tem vontade, separa e volta, e tá tudo certo).

  • aline diz: 29 de março de 2011

    gostei do texto!
    é claro que não temos nada a ver com a vida deles, mas eles, por serem pessoas públicas e nós, por sermos bombardeados com informações sobre o casal acabamos palpitando…

    eu não consigo entender esse casa-descasa.
    relacionamentos-relâmpago eu até entendo. mas casamento é (ou deveria) ser um passo extremamente importante, bem planejado… afinal, é (ou deveria) ser para a vida toda…

    é confuso

    quanto a estarem expostas na mídia, o casa-descasa é sim uma forma de se manterem eternizados. viram que a gretchen se separou NOVAMENTE? o que mais gera assunto para ela? a nova musica? ou é barraco com a filha ou casamento/separação

    parem o mundo que eu quero descer!

  • Sarita diz: 30 de março de 2011

    Participei de uma aula de filosofia ontem que me deixou mais ainda questionadora do que o (a)normal rsrsrs

    Uma sociedade que se preocupa com valores palpáveis ao invés dos morais não tem outro
    destino que não a falência. Hoje é preciso ter e não ser. “Tenho um amor! Não tenho mais esse amor! Consegui outro amor! Tenho dinheiro! Ah, não tenho mais nada. O que preciso fazer para conseguir tudo de volta? Os fins justificam os meios!” E tanto os fins quanto os meios estão deturpados.

    E mais: quem é ou tem não precisa falar que é ou tem.

    Por fim… o que os homens vêem nessa mulher? Deusulivre, pegou fogo na cara e apagaram a tamancadas – especialmente o nariz.

  • Carol diz: 30 de março de 2011

    Concordo em gênero, número e grau..Vivo falando isso tanto pra amigas qto pra amigos que vivem relacionamentos cheios de mimimi, grudentos e exageradamente expostos e declarados a todo momento publicamente. Sempre digo que amor de verdade não precisa de propaganda, pois vejo isso como uma coisa muito adolescente, da época em que é preciso de afirmar. E olha, não sou nenhuma titia, tenho 26 anos, sou muito bem resolvida nessas questoes e estou com meu namorado há oito anos, justamente pq pensamos da mesma forma. O problema é que as pessoas q nao nos conhecem não costumam achar isso normal e sempre acham que estamos em crise..Rimos muito disso..e somos bem felizes assim!

Envie seu Comentário