Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Escritora fala sobre preconceito com quilos a mais, balança e autoestima feminina

14 de novembro de 2015 0
Foto: Diogo Droschi/Editora Gutemberg, reprodução

Foto: Diogo Droschi/Editora Gutemberg, reprodução

Recém-lançado, Tudo que se perde, tudo que se ganha (Ed. Gutemberg, 187 págs., R$ 34,90) é o quinto livro da escritora e redatora publicitária Clarissa Corrêa. A obra traz uma deliciosa compilação de crônicas sobre autoestima, relação das mulheres com o próprio corpo e a pressão para se adequar a um padrão de beleza de capa de revista – ou de blogueira fitness.

– Tem gente que acha que o livro é minha história. Ele é. E não é – despista.

O assunto, aliás, não podia ser mais pertinente numa semana que a principal celebridade dos blogs de vida saudável, Gabriela Pugliesi, deu uma declaração super infeliz, disseminada entre os milhões de seguidores.

– Tenho horror dessas blogueiras e nem é por causa das hashtags que elas usam (risos). É porque elas vendem uma vida que não existe e que é sempre cheia de sacrifícios – afirma.

Rio-grandina e residente na Capital, Clarissa ganhou 40 quilos quase sem perceber. Quando decidiu subir na balança, levou um susto: estava com 114 quilos. Por causa disso, descobriu como a sociedade costuma ser cruel com quem está acima do peso.

– Existe muito preconceito contra gordas. Eu evitava ir a eventos, para não virar o assunto. E não são só as mulheres que comentam, homens também falam – relata.

Depois de ser aconselhada por uma amiga a emagrecer, Clarissa conseguiu voltar à antiga forma depois de mais de um ano.
– A gente pode ser feliz gorda ou magra, desde que se aceite. Não me sinto bem gorda, mas quem sou eu pra dizer como as pessoas devem ser? – diz.

Atualmente, aliás, ela está comemorando os quilos a mais – os mais “bonitos que ganhou” – por causa da gravidez de Lucca, que nasce até o fim do mês.

 

Linda e fora do padrão

Foto: Nanda Colmenaro Martens, divulgação

Foto: Nanda Colmenaro Martens, divulgação

 

Miss RS Plus Size 2015, a bom-retirense Scheila Maria Dornelles, 32 anos, sabe que não se encaixa no padrão de beleza das blogueiras fitness. Mas ela não se importa. Desde criança, participa de concursos e contabiliza alguns títulos, como de princesa da Expobom:

– Mesmo não me enquadrando ao padrão, sempre gostei de mim – conta.

Essa auto aceitação, segundo ela, é determinante para qualquer uma fazer as pazes com o espelho:

– A gente precisa aprender a aceitar o outro como ele é. Quero inspirar as pessoas a se entenderem e se amarem – diz.

A lucidez da análise de Scheila, felizmente, passa longe da observação de Gabriela Pugliesi.

Envie seu Comentário