Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Entenda como funciona (e a quem se destina) o congelamento de óvulos

19 de maio de 2014 0

Ricardo Wolffenbüttel, BD

Tenho ouvido, nos últimos tempos, relatos de algumas amigas que congelaram seus óvulos. Elas estão na faixa dos 30 e poucos anos e ainda não encontraram um companheiro para dividir a responsabilidade de ter um filho.

A médica Eleonora Bedin Pasqualotto, diretora da Conception — Centro de Reprodução Humana, a única clínica de Caxias do Sul a fazer o procedimento, explica que é importante que as mulheres façam esse congelamento antes dos 35 anos, porque os óvulos aparecem em maior quantidade, com melhor qualidade.

O método, por sua vez, não é absolutamente simples. A paciente recebe estímulos à ovulação, com injeções de hormônios  por um período de oito a 12 dias. Assim, os ovários liberam não um, mas de 10 a 15 óvulos em um mês.

— Eles são acompanhados por ecografias realizadas a cada três, quatro dias. A coleta é feita em uma ecografia transvaginal, mas como há uma agulha no aparelho, ocorre a sedação da paciente. O procedimento dura de 15 a 20 minutos — explica.

Nem todos os folículos coletados são aproveitados. No laboratório, eles são classificados em maduros e imaturos, e apenas os primeiros podem ser congelados. Ele ficam em um tanque com nitrogênio líquido, a -192°C, por tempo indeterminado.

— O congelamento não é garantia de uma gestão, mas uma possibilidade. Os óvulos podem não sobreviver ao procedimento — relata a médica, completando que o processo seguinte é idêntico ao da fertilização in vitro.

Eleonora diz que, às vezes, as mulheres congelam seus óvulos e, um tempinho depois, encontram o “príncipe encantado” e engravidam naturalmente. Os óvulos que estavam guardados podem, então, ser descartados sem problemas, porque não são embriões.

A médica percebe que atualmente há uma mudança no perfil das mulheres que procuram o procedimento: antes, eram basicamente mulheres com câncer, que queriam guardar os óvulos antes de começar a quimioterapia. Hoje, cerca de 10% da busca pelo método, na clínica, se dá para aquelas que desejam ficar grávidas no futuro e temem entrar na menopausa logo — o tratamento não antecipa a menopausa, esclarece a médica.

O processo é caro — custa R$ 10 mil — e cerca de R$ 600 por semestre pelo armazenamento.

Frase do dia

19 de maio de 2014 0

“É preciso ter espírito para falar bem; para ouvir bem basta a inteligência.”

André Gide

Paulo Zulu dá dicas sobre vida saudável

17 de maio de 2014 2

Anderson Tibes, divulgaçãoo

Aos 50 anos, Paulo Zulu exibe uma boa forma digna de homem recém saído da adolescência. Durante a passagem por Caxias no sábado passado, trocou uma ideia sobre vida saudável com o editor do Almanaque, Diego Adami.

O modelo disse que quando está em casa, na Guarda  do Embaú, em Santa Catarina, mantém uma rotina que inclui acordar super cedo e, dependendo do dia e da época do ano, vai pescar,  surfar, fazer exercícios… Depois ele volta para a pousada e fica por lá trabalhando. À tarde, ele dá aulas de jiu jitsu, às 17h, quando tem turma.

Nos hábitos dos quais ele não faz concessões, onde quer que esteja, estão tomar suco de frutas e comer peixe e verduras:

— Mantenho a mesma alimentação há 32 anos — disse, completando: —Não abro mão de saber a origem dos alimentos que ponho na mesa.

Por isso, pesca o peixe que come e cultiva boa parte das hortaliças. A proximidade com a natureza como parte fundamental da rotina foi o motivo principal que o levou a abrir mão da dramaturgia, que o obrigava a morar em grandes cidades.

Quer, mesmo, é viver em paz.

— Da existência ninguém leva nada — diz, fazendo referência à necessidade das pessoas terem hábitos conscientes e não acumularem bens materiais.

Frase do dia

17 de maio de 2014 0

“Espero que todos se divirtam. Não há muito mais a fazer neste mundo.”

Paulo Leminski

Mulheres de cara lavada como uma atitude libertadora

14 de maio de 2014 2

Adriana Franciosi, BD

Tenho pensado muito sobre esses pequenos movimentos de valorização da beleza real, em detrimento à aparência montada, exigência que recai essencialmente sobre as mulheres ditas contemporâneas, múltiplas e incansáveis.

Há aquelas que não saem sem maquiagem de jeito nenhum, outras que sequer aparecem de cara lavada para seus parceiros de vida inteira – e, paralelamente, leio que homens preferem mulheres com pouca ou nenhuma maquiagem, segundo um estudo das universidades britânicas Bangor e Aberdeen, e acreditam que mulheres supervalorizam o fato de poderem pintar a face. Eis um simples exemplo entre a dificuldade de correlação entre a expectativa e a realidade.

Se ir à padaria sem um batonzinho ou máscara para cílios pode provocar espanto em algumas moças, o que dizer, então, da campanha de celebridades com cara lavada que não param de pipocar por sites e revistas? Chegamos a um ponto em que aparecer como se é virou um ato de coragem, uma atitude louvável.

Sim, existe uma pitada de rebeldia em mostrar aos outros como se veio ao mundo, uma tentativa de protestar contra a chatice de todas as exigências que recaem sobre a aparência feminina. É triste chegarmos a esse ponto, eu sei.

Acabamos por construir uma imagem superficial do que é ser uma mulher bonita – como se a beleza pudesse ser tão reducionista e facilmente medida por indicadores precisos.

Aos poucos, começamos a adotar esse mesmo modelo de exigência uniformizadora, a fim de esconder pequenas (ou grandes) imperfeições no nosso comportamento. E fazemos isso sistematicamente.

Vivemos em uma era que expressar a identidade (e dá-lhe Facebook e Instagram) com boas pitadas de narcisismo é quase obrigatório e, fazendo isso, não nos damos conta que, em vez de nos diferenciarmos, estamos seguindo exatamente a mesma premissa de todo mundo: não preciso ser, só devo parecer e, assim, faço com que me percebam como idealizei.

Por outro lado, a ideia da cara lavada é simbólica, ela expressa um desejo de desvelamento, de sinceridade, de exposição franca e direta.

Há, sim, uma ação afirmativa na ausência de Photoshop. Somos todos imperfeitos, deliciosamente imperfeitos, e precisamos começar a jogar isso na cara uns dos outros. Até porque não há maquiagem capaz de nos esconder de nós mesmos.

Frase do dia

14 de maio de 2014 0

“Alguns nunca enlouquecem. Que vida de merda eles devem levar.”

Charles Bukowski

Que tal imprimir a própria maquiagem?

12 de maio de 2014 1

Mink, reprodução

Se existem receitas caseiras para fazer um batom dos sonhos, por exemplo, já é possível criar a própria maquiagem e imprimi-la em uma impressora 3D. A invenção é da estudante de Harvard Grace Choi, que cansou de “alimentar a indústria de cosméticos”.  

Nas pesquisas, ela descobriu que a tinta disponível nas impressoras é a mesma utilizada pelas fabricantes de cosméticos. A constatação serviu para criar a Mink, uma mini impressora 3D de maquiagens, que custa 300 dólares.

Na imagem acima, ela explica como é simples o processo de criação.

Bom demais pra ser verdade?

Frase do dia

12 de maio de 2014 0

“Somos sempre um pouco menos que pensávamos. Raramente, um pouco mais.”

Cecília Meireles

Você está verdadeiramente conectado?

09 de maio de 2014 0

Youtube, reprodução

Parece cada vez mais difícil conversar com alguém que olhe continuamente nos nossos olhos, sem checar a tela de um smartphone, não é? E, embora a situação pareça normal, é meio chata, né?

Não dá pra viver desconectada, é fato, mas vale preservar alguns momentos off-line para aproveitar a vida de uma maneira mais real e verdadeira.

O vídeo abaixo (não se esqueça de ativar as legendas), chamado Look Up (Olhe para cima) foi escrito, protagonizado e dirigido por Gary Turk, e traz uma lição preciosa: vale a pena parar de contemplar uma tela para observar a beleza que está ao nosso redor!

Frase do dia

09 de maio de 2014 0

“O mistério é o que nos explica.”

Carlos Nejar