Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

A nova da praça: fim de ciclo para D'Alessandro

03 de December de 2013 22

Minha coluna em ZH desta terça-feira integra mais uma edição da seção Na Marca do Pênalti, na qual somos convidados a não ficar em cima do muro sobre uma questão polêmica. Aí vai a parte que me coube neste latifúndio, sobre um imaginário fim de ciclo de D’Alessandro:

 

dal

 Um dos riscos das crises é ela turvar a correta identificação dos erros. Escrevi esta frase na minha coluna em ZH acerca do tema em questão ainda antes de o Inter passar esta vergonha de gastar R$ 9 milhões em salários e fechar o ano com chances de cair. Sem D’Alessandro – 31 jogos em 35 no Campeonato Brasileiro, 20 gols em 2013 e dezenas de assistências miseravelmente desperdiçadas pelos atacantes – o Inter não estaria a um ponto de escapar do rebaixamento. O Inter já estaria medonhamente rebaixado.

Apesar de liderar um time coerente (quase sempre joga mal e não ganha), que o puxa para baixo, ele sempre figurou nas listas dos melhores do país. Aos 32 anos, suportou uma temporada cansativa do primeiro ao último minuto das partidas. Deve ter esquecido o endereço do departamento médico.

D’Alessandro fechou o corredor até cá embaixo sem prejuízo de sua contribuição ofensiva. É o recordista de passes certos no Footstats, a maior empresa de dados e estatísticas em futebol da América Latina. E não são passes laterais, irrelevantes. São lançamentos, metidas por entre os zagueiros, inversões precisas de lado, o comando do toque curto para sair da marcação encaixada, a última bola.

A Bola de Prata, da Revista Placar, mais conceituada premiação do Brasileirão, leva em conta a média das notas conferidas jogo a jogo. Nesta seleção, todos os eleitos são de equipes do G-4 ou do Flamengo campeão da Copa do Brasil (Elias) e do Atlético-MG dono da América (Diego Tardelli). O único de um time que briga para não cair é D’Alessandro. Esta história de fim de ciclo é chavão. O futebol os adora, aliás: é um tal de partida de seis pontos quando a tabela soma só três ou o estranho masoquismo de correr atrás do prejuízo após levar o primeiro gol. Mas vá lá. O fim de ciclo.

Antes seria preciso questionar o de Ednei, o cobrador de faltas. Airton, que desonra até a classe dos volantes brucutus. Willians, que ofende a autoridade do treinador em público e, como prêmio, joga no domingo seguinte. Rafael Moura, o centroavante que não faz gols, evita os de seus companheiros e, quando vai ajudar a defesa, põe a mão na bola na própria área. O negócio é avaliar corretamente os bons, médios e ruins. E eliminar os ruins _ no caso do Inter deste ano, é sempre bom explicar didaticamente, com desenhos. O pior erro é procurá-lo no lugar errado.

D’Alessandro não é problema. É solução.

Siga no twitter

Bookmark and Share

Comentários (22)

  • Eduardo diz: 3 de December de 2013

    Diogo, concordo plenamente com teu texto.
    Mudando de assunto, a FIFA determinou um prazo para término dos estádios da copa do mundo, dezembro/2013, tenho dito que este prazo é para inglês ver, agora, com o acidente acontecido no Itaquerão e o atraso nas obras da Arena do Atl. Paranaense, o prazo, num passe de mágica e sem nenhum constrangimento, passou para fevereiro/2014.

  • Fernando Quadros Salaberri diz: 3 de December de 2013

    Perfeito. Um comentário lúcido e coerente. Nunca vi um time do inter tão recheado de ruindades. Abraços.

  • Marcos Vinicius diz: 3 de December de 2013

    Perfeito, faltou mencionar que o Damião também vem em crise há dois anos e desaprendeu a fazer gols.

  • Emerson diz: 3 de December de 2013

    Onde assino …..
    No Beira Rio há um time inteiro com suplentes cujo o ciclo já terminou, ou pior, nem inciaram e nem iniciarão que não são contestados.

  • eduardo diz: 3 de December de 2013

    Diogo: Mitou!

  • maurino diz: 3 de December de 2013

    Perfeita análise. Contra números não há contradição. Isso serve para qualquer jogador ou cidadão.

  • claudio diz: 3 de December de 2013

    Nada mais a falar….o problema maior é o cargo do mais alto escalão: o PRESIDENTE!!
    Depois de resolvido este, então se fala em time.

  • José Antônio diz: 3 de December de 2013

    Deicha este senhor aqui entender a “polênica” do momento…

    O melhor camisa 10 em atividade no Brasil, o “Maestro de America” (o maestro das Américas em castelhano) não tem lugar mais no meu Inter?

    Quem hinventou esse vesparate? Algum invejoso lilaz? Só pode!

    Vocês da imprensa não perdem uma hoportunidade de maltratar o clube que poz o RS no mapa do futebol mundial. Torcem e não disfarsam pela nossa má sorte.

    D’Ale é daqueles jogadores incontestáveis e que ninguém faz qualquer crítica. Ele vai jogar no Rio de Janeiro? Vai, mas em uma final ermana com a camisa 10 da seleste argentina.

    O resto é o que os merdys chamam de teoria da conspiração.

    Cada uma!

    José Antônio

  • William diz: 3 de December de 2013

    boa Diogo, simplesmente sem nenhum sentido essa campanha que ganha cada vez mais força que quer o D’alessandro longe do Beira Rio. Ele como vc bem disse está longe de ser o problema, tem sido (como de costume) a solução.

  • CARLAO diz: 3 de December de 2013

    Onde assino?

  • severo gottert diz: 4 de December de 2013

    ERRADO. ESSE GRINGO ENGANADOR É UMA ENCERADEIRA WALLITA DE 1970. MAIS LENTO QUE ELE , SÓ ESSE PÉSSIMO GESTOR-LENTO-SONGA-MONGA DA RODOVIÁRIA QUE VEM APEQUENANDO O FUTEBOL DO INTER HÁ QUASE 4 ANOS , COM CONTRATOS LONGOS E ABSURDOS COM BOLEIROS VAGABUNDOS E DESCOMPROMETIDOS COM O CLUBE. O CAPITÃO MUNDIAL FERNANDÃO ( MUTO, MAS MUITO MAIS ÍDOLO E IMPORTANTE QUE ESSE GRINGO CRAQUE SÓ DE GAUCHÃO), DEU A REAL ANO PASSADO! FRUTA PODRE. NA ÉPOCA ERA ELE , BOBOLÍVAR E CLEBER CHICLETE-CHINELO que detonaram o vestiário… SAÍRAM FIGUEROA, MANGA, FALCÃO, VALDOMIRO, LULA, FABIANO ELLER, IARLEY, NILMAR E CIA, E O INTER SOBREVIVEU . NÃO VAI SER PAGANDO 1 MILHÃO DE RAIS POR MÊS PRA ESSA ENCERADEIRA QUE MATA QUALQUER CONTRA ATAQUE DE UM TIME, QUE VAMOS RUIR ! MAS ANTES DESSE CARA, O MAIOR CULPADO, É ELE. O MANoBRISTA DOS 166 CONSELHEIROS…ESSE É O QUE MANTÉM VÁRIOS BOLEIROS CHINELOS COM SALÁRIOS ABSURDOS. ESSE É O QUE TOMA AS DECISÕES E EM 2012, TODA A TORCIDA VERMELHA DO RIO GRANDE JÁ QUERIA ELE FORA. SABÍAMOS DA INCOMPETÊNCIA DESSA PLASTA DESDE 2007, QUANDO ESSE INFELIZ FICOU MENOS DE 5 MESES NO CARGO DE VICE DE FUTEBOL. ISSO NÃO É SÓ LENTO. ISSO É ARROGANTE, MURRINHA, PREPOTENTE. A CARA DE SONGA MONGA, É SÓ PRA COBRIR TUDO…

  • JCBaldi diz: 4 de December de 2013

    Só um reparo na “estatística”: onde no Footstats diz que não são passes laterais?
    Não diz. São passes. Qualquer um.

    A avaliação de notas é uma bobagem que, basta pensar um pouco, qualquer um percebe. Ninguém consegue ver os jogos simultaneamente. As notas são dadas por pessoas distintas, de acordo, na maioria das vezes, com suas preferências. Cansei de ver o D’Alessandro não jogar nada e a nota nunca baixar de 6. Assim fica fácil. Já outros recebem 4 ou 5 por qualquer má partida.

    Melhor ano do D’Ale: Inter namorando com o rebaixamento, faz 20 gols, sendo 8 de pênalti, ataque não marca pq o camisa 10 não pifa. Mas, vá lá, melhor ano. Continuem acreditando que o coitadinho não tem parceria.

  • Gustavo Koch diz: 4 de December de 2013

    Mais uma vez na mosca sua análise: a crise ofusca a busca racional da sua gênese e o momento oportuno para tomar medidas de precaução. No ano da Copa em casa, D’Alessandro é o melhor jogador estrangeiro do quinquênio. No seu encalço, dois outros argentinos: Montillo e Conca.
    D’Alessandro é um Dirceu Lopes moderno: craque excepcional, sem chance em uma seleção de astros (se bem que, na ponta do lápis, o atleta é melhor que Di Maria e opções imediatas na órbita do genial Messi).
    Ele surge como o mais promissor de uma geração de notáveis meio-campistas, já muito cedo com vaga no selecionado do seu país. O resto da história é conhecido: eclipsa na estadia européia e recupera com folga seu brilho no Inter. Muito mais do que se “repaginar”, ele conseguiu aliar seu talento ímpar com um aprendizado da excelência (ou o que resta dela) do futebol brasileiro.
    É perceptível que a altíssima remuneração que o Inter lhe assegura, o reconhecimento coletivo (mesmo entre gremistas) e a proximidade física com Buenos Aires não são capazes de compensar a suspeita de que nada por aqui é vitrine para uma convocação no auge da sua carreira, no pico da sua maturidade. Compreensível que ele mire uma visibilidade portenha extrema com baixos salários (comparativamente) no primeiro semestre de 2014 e que isto colida com os prognósticos para uma vida familiar estável na aposentadoria precoce de todo jogador de futebol. Esta é a cisão de personalidade do melhor jogador, nas últimas duas décadas, que já passou por aqui depois de Ronaldinho.
    Quem se atreve a condenar tal indecisão?

  • Paulo diz: 4 de December de 2013

    Diogo

    Eu acredito em foco, objetivos. A questão do Dale é saber se ele esta ou não focado no Inter. É preciso levar em consideração o que ele quer de verdade. Segurar um jogador infeliz é ruim pro clube e pra ele. Além disso, o Inter precisa, de qualquer jeito, montar um time que não dependa dele. Como eu não acredito que essa direção faça algo direito, penso que desde que não seja rebaixado em 2014, qualquer coisa estará bom. Restará torcer para alguém diferente assumir pra 2015 e implantar uma nova mentalidade no clube.

  • marcio neves diz: 4 de December de 2013

    Cara vcs ficam ai falando um monte de porcaria em cima do Dalessandro, wuillians, airton etc, e não falam nessa zaga podre que temos, um ataque mediocre que nao faz gols, ai fazem materia so em cima do dalessandro querendo achar um culpado…

    O problema do inter começa no gol, termina no ataque, pode vir o treinador que for que nao arrumar essa zona, mas o pior problema é o palhaço chamado LUIGGI..cade a torcida que nao faz pressao nos treinos?? será que estão pagando os lideres de torcidas para não irem aos treinos protestar??

  • MOACIR TEMP diz: 4 de December de 2013

    ciclo q não acaba é do grêmio sem taça…

  • Gustavo diz: 4 de December de 2013

    Agora sim, parabéns! Chega de comentaristas, como o Wianey, que adoram discutir a titularidade dos craques ( chegou a pedir a reserva até para o Nilmar e o Fernandão ), enquanto os ruins são poupados e até elogiados ( lembro de Claiton, Edinho e outros )!!

  • VITOR HUGO RINTER diz: 4 de December de 2013

    Estás absolutamente certo! Mas, como sou gremista, estou torcendo para que os colorados o achem um dos vilões da campanha 2013. Mandando-o embora, ano que vem é rebaixamento certo!

  • vanderlei diz: 4 de December de 2013

    Ganhando o que ganha tá produzindo muito pouco.

  • Arthur Aveline diz: 5 de December de 2013

    Diogo, sem dúvida, as mudanças devem atingir os ruins e não D’Alessandro. Esqueceste de mencionar o verdadeiro responsável pela péssima campanha: Giovani Luigi.

  • Marcelo diz: 5 de December de 2013

    Que dureza.

    “Deicha”; “polênica”; “Maestro de America”; “hinventou”; “vesparate”; “lilaz”; “hoportunidade”; “poz”; “disfarsam”; “ermana” “‘seleste’ argentina”; “merdys”.

    Em míseros 8 (dá pra chamar de parágrafos? vá, que sejam…) parágrafos, essa besta consegue essa enormidade de erros absurdos.

    Obra de quem? Tcharãn!! José “O Mago das Palavras” Antônio!!

    Eu “si” divirto!!

  • Ed Canto diz: 5 de December de 2013

    O inteligentíssimo Wianey Carlet, aquele que faz piadas super engraçadas sem preconceito algum, aquele comentarista inovador do Rio Grande do Sul, sabe? Pois é. Vai ficar brabinha com teu comentário.

Envie seu Comentário