Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Noiva.com responde: preciso pagar o jantar de quem trabalhar no meu casamento?

31 de janeiro de 2013 16

A Fabi, de Itaara, aqui no Rio Grande do Sul, me mandou um e-mail com um daqueles dilemas de noiva que a menina só se depara na finaleira da organização do casamento. Muita gente se questiona (e me questiona também) o que é certo fazer, por isso eu fui buscar a resposta de quatro profissionais de destaque aqui no Estado. Primeiro, a pergunta da Fabi, e depois as respostas de organizadoras de eventos que têm dezenas de festas na bagagem.

“Estamos com uma dúvida: somos obrigados a fornecer jantar para as pessoas que estarão trabalhando no nosso casamento (como fotógrafo, assistente, cerimonialistas e DJ)? Como teremos serviço empratado e pagamos por pessoa, isto representaria um gasto considerável. Como proceder?”


A primeira resposta é da querida Margarida Müller. Ela faz festas lindas e foi a responsável pela organização do 5º Encontro Noiva.com, lá em 2010, que nos deixa saudades até hoje.

“O cliente pode escolher pagar ou não, salvo conste e contrato que deva pagar. Quando comecei a trabalhar, via profissionais pegando canapés escondido, pedindo para os garçons discretamente um prato de comida, ou ao contrário, se servindo antes dos convidados. Escolhiam uma mesa no salão e se acomodavam e se alimentavam e ainda bebiam sem menor comprometimento com a festa. Hoje os profissionais trabalham mais de 8 horas (sonorização,DJ, foto, vídeo e equipe de organização) e  seria justo quem contrata pagar uma refeição. Mas custos às vezes são altos. É melhor a noiva disponibilizar uma verba para um lanche que fique abaixo do valor de jantar dos clubes.”


Agora quem responde é a Cris Calero, uma fofa. A Cris organizou o encontrinho lá da Maison Carlos Gomes, que ainda está fresquinho na memória da gente.

“Você não é obrigada a fornecer a alimentação, desde que na contratação destes fornecedores este item seja pontuado. Alguns fornecedores colocam no contrato como obrigatoriedade dos noivos a alimentação. Sugiro verificar com a empresa fornecedora de alimentação uma forma de negociação com custo reduzido, pois estes fornecedores não são convidados, tem pouco tempo para se alimentar, não participam do coquetel e não ingerem bebidas alcoólicas. Deve-se levar em conta que trabalham desde muito cedo no dia do casamento e no momento do jantar é impossível se retirarem da festa para se alimentar em outro local. Uma dica ter atenção e solicitar o número correto de pessoas atuantes como fornecedores no dia do casamento que participarão desta alimentação com valor diferenciado, assim evita-se um custo extra pós-casamento.”

Fecho com a palavra das experts Aline e Shana Zimmermann, irmãs que comandam a Idealize Eventos. Vocês lembram delas do deslumbrante 10º Encontro Noiva.com, lá na Inês Noivas.

“O cliente não é obrigado a fornecer jantar para a equipe que estará trabalhando em seu casamento. Entretanto, consideramos de bom tom fornecer jantar aos profissionais, visto que a maioria deles inicia o trabalho horas antes da cerimônia e permanece no evento muitas vezes até o final. Isso não quer dizer que o fornecedor irá jantar a mesma alimentação e ter o mesmo custo que os demais convidados. Hoje em dia, a maioria dos economatos já estão preparados para atender toda essa equipe que trabalha durante o evento e já oferece ao cliente um valor reduzido para esse serviço e algumas vezes, até outro tipo de alimentação a estes profissionais. Na dúvida, questione e deixe claro como será o procedimento com cada profissional no dia do evento. Cabe também, que esse acordo entre as partes, fique registrado em contrato. Seja qual for a sua opinião, fica a nossa dica: você escolheu pessoas para fazer parte do dia mais especial da sua vida e serão elas juntas, satisfeitas e empolgadas que trarão o melhor resultado para esse dia.”

The following two tabs change content below.

Gabi Chanas

Ótima amiga, péssima cozinheira. Adoro cachorros (tenho um vira-lata charmoso chamado Dunga), Friends, casamentos, decoração. Além do bloguinho, dou dicas todos os domingos na revista Donna, do jornal Zero Hora, e nos sábados na Almanaque, do jornal Pioneiro. Curto muito fazer novos amigos virtuais, por isso recadinhos são sempre bem-vindos!

Latest posts by Gabi Chanas (see all)

Comments pelo FB

Comments pelo FB

Comentários (16)

  • Mayara diz: 31 de janeiro de 2013

    No meu casamento eu contratei uma cerimonial, como o restaurante que escolhi sempre tem muitas indicações da cerimonial, o próprio local ofereceu gratuitamente a comida aos profissionais que estavam trabalhando no evento.

  • paula reis diz: 31 de janeiro de 2013

    bom entao gostaria de saber oq voces achan de jantares por adesao.. aq na minha cidade c usa muito isso… cada comvidado paga sua janta isso quando c entrega o comvite ja esta ali disendo q e por adesao ai a pessoa comvidada pergunta c tem listas de presente e tal.. ai e comentado q como e por adesao nao tem mas senpre as pessoas querem dar uma lenbrança e tal.. so quero saber c e elegante faser dessa forama eq aq da certo esse tipo de jantares … cada janta custa entre 40 e 45 reais ou ate menos.. preciso de uma opiniao para q possa falar para meus clienes .. esa forma de comvites por adesao ficaria chato por lista de noivos ou nao. desde ja agradeço.. bjossssss paula

  • Fernanda Lima diz: 31 de janeiro de 2013

    Quando me casei em dezembro, fiz questão de pagar a janta de quem trabalhou. Quem não acha legal, eu lhes pergunto, o que a pessoa que está trabalhando vai comer se você não liberar seu jantar? O profissional está ao seu dispôr e não pode se dar ao luxo de encomendar uma comida com tele entrega como muitos pensam. Pense no fotógrafo que está contigo desde teu making of na estética, ele pode chegar a ficar mais de 10h com você, que momento ele terá para parar e comer um lanche? E outra que lanche ele poderá guardar em sua mala ou mochila de trabalho sem que estrague…?
    Você acha que quem aguenta uma rotina dessas consegue se manter em pé com lanchinhos industrializados, como bolachinha e salgadinhos? Sejamos justos, o mínimo que podemos oferecer é comida para que possam trabalhar com dignidade.

  • Idemar Freesom Sonorização diz: 31 de janeiro de 2013

    Olá, trabalhamos com som, iluminação e imagem para eventos, e geralmente iniciamos os trabalhos as 13:30 horas do dia da cerimônia, permanecemos até o final, em torno das 5 horas da manha, e em nosso contrato consta alimentação para 2 pessoas da equipe técnica, bem como 2 águas durante a montagem do equipamento. Porém fazemos questão de nos alimentar na cozinha ou outro local reservados aos trabalhadores. Mas como disseram as entrevistadas, é de bom tom oferecer, afinal, são mais de 16 horas de trabalho initerútas.

  • Andrea diz: 31 de janeiro de 2013

    Olá,

    No meu casamento o buffet contratado oferecia um prato com valor diferenciado para os profissionais. Não olhei se em algum contrato exigia alimentação ou não, simplesmente perguntei para a minha organizadora quantos seriam e inclui na conta na hora de fazer o fechamento. E pela carga horária que eles ficam disponíveis, nada mais do que justo.

  • Fabiane diz: 31 de janeiro de 2013

    Olá, Obrigada Gabi pela resposta! é claro que devem comer sim!! minha dúvida também seria COMO proceder, já que vamos ter servico empratado. Se eu puder servir uma comida boa, mas com o preco menor, melhor ainda! Afinal, quem está planejando casar sabe o quanto pode gastar e qualquer economia é bem vinda!

  • Gabrieli Chanas diz: 31 de janeiro de 2013

    Fabi, as gurias deram uma boa saída, né? Custear um lanche diferenciado é uma ótima! Beijo pra ti, queridona!

  • Antonia diz: 31 de janeiro de 2013

    A pergunta é pertinente, tanto que veio a destaque no site.
    Entendi que a questão não é quanto ao não fornecimento de alimentação para as pessoas que trabalham e sim, como proceder em caso de serviço empratado ou buffet, pois essas pessoas não são convidados e sim profissionais.

  • Erica diz: 31 de janeiro de 2013

    Eu acho que nada mais justo do que pagar, no meu casamento teve um valor um pouco mais baixo com refrigerantes e um lugar reservado para a equipe, e eu paguei com o maior gosto pois todo mundo estava ali pra me ajudar e tinha uns que estavam laá desde as 8 da manha, chegamos no salao as 23h, e nada mais justo!

  • Alexandre Vieira diz: 31 de janeiro de 2013

    Parabéns pelas respostas, como Técnico de Serviço de Bar e Restaurante(IFSC), se deseja uma equipe alegre, disposta, comprometida para servir, dê o suporte necessário, esse detalhe de alimentação se não for bem administrado, pode colocar em risco o evento, como já colocara em respostas acima, imagina um empregado mastigando na frente dos convidados, com o dentes com alimentos, hálito de bebida, se houver uma cozinha, planeje uma boa massa com suco, simples de preparar e abastece os empregados com carboidratos para suportarem firmes até o final do evento. PARABÉNS prima(Cris Calero), sempre realizando eventos com muita competência.

  • Natalia Correia diz: 31 de janeiro de 2013

    Meu casamento foi em um hotel, em Agosto, e o próprio hotel me sugeriu ter um espaço reservado para os fornecedores poderem almoçar (meu casamento foi 11h30).

    Segui a sugestão e banquei o almoço de todos! Do lado do salão principal do casamento havia uma “sala de apoio” onde foi montado um buffet, que ficou disponivel o evento inteiro junto com aguas e sucos, para que todos pudessem comer na hora que desse… inclusive a minha fotógrafa estava grávida, jamais a deixaria sem comida neh? rs

  • Rodrigo Lorandi diz: 31 de janeiro de 2013

    Sou fotografo e sempre pergunto se vai ter janta disponivel para equipe e ateh hoje, felizmente, nunca tive problema.

    Concordo com as irmas Aline e Shana de que cliente nao eh obrigado mas que seria de bom tom.

    Confesso que seria frustrante estar com uma noiva desde o making of, registrando a intimidade daquele momento, preocupado em documentar da forma mais bela possivel, e ficar com fome ou sede.

    Achei muito interessante a colocacao da Margarida Müller, ressaltando como se teve uma profissionalizacao no mercado, com forncedores seguidamente ficando mais de 8 horas em um evento. Esse tempo segudamente chega a 12 ou 14 horas.

    Tambem concordo com a Cris Calero quando afirma que o valor da janta dos fornecedores deve ser negociado. Canapes, coquetel, bebidas alcoolicas, nao tomo conhecimento nem do cheiro. 20 minutos para saborear uma refeicao eh luxo.

    Sobre o local para fazer a refeicao, eh recomendavel que seja fora do salao principal. Acho bem estranho e desconfortavel quando eu e minha equipe somos colocados em uma mesa junto com convidados.

  • Márcia Lima diz: 31 de janeiro de 2013

    Nao sou do ramo, mas acho que os serviços de buffet deveriam oferecer gratuitamente um prato de comida a todos que trabalharam para levar o evento até eles Afinal, sempre sobra comida e o que fazem com ela? Os profissionais trabalham quase 24 horas seguidas pra que cada evento supere o anteror. Entao, eles merecem!!!

  • Cinto de Castidade diz: 1 de fevereiro de 2013

    Quando eu casar, se casar, trabalhar no meu casamento será um privilégio para qualquer pessoa. Então não vou pagar nada para ninguém. Ao contrário, pretendo cobrar.

  • TAY MESQUITA diz: 1 de fevereiro de 2013

    Anos atras quando comecei a fotografar, em um dos primeiros casamentos que fiz em um ambiente extremamente requintado, na epoca não colocava nada sobre alimentaçao no contrato, não me ofereceram nem agua muito menos janta, como tinha vindo a pouco do interior e nem sabia que faziam jantares de casamentos que cada um pagava sua janta não me preocupei em levar dinheiro foi bem complicado pois não se podia ir até a cozinha pra beber agua nem da torneira, e quando todos foram jantar tb não podíamos sair do salão, resultado passamos muita sede num calor terrivel de janeiro. Nos últimos anos ja bem mais experiente não passei mais por isso, inclusive no ultimo casamento os noivos enquanto não fizeram toda equipe(fotografos, cinegrafista e cerimonial) que estava trabalhando sentasse na mesa deles para jantar não sossegaram tods ficamos envergonhados e constrangindos mas acabamos tendo que ceder a vontade deles pois disseram que estaríamos fazendo uma grande disfeita é como se diz humildade não te faz melhor que ninguém mas te faz diferente de muitos.

  • Pedro diz: 1 de fevereiro de 2013

    Acho justo ter alimentação, inclusive ja coloco no contrato, para não ter dúvidas, caso contrario, ja cobro no valor do serviço a alimentação.

Envie seu Comentário