Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Minha princesinha se foi

11 de outubro de 2013 114

Uma vez me disseram que a melhor forma de lidar com a perda de alguém querido é celebrar as coisas boas que aquela pessoa fez em vida. Desde então, sempre que alguém que amo parte, adoto a estratégia. Me fez bem em vários momentos e espero que agora, quando meu coração está absolutamente destroçado, faça de novo algum efeito ou minimize um pouco a minha dor. Escrever, para mim, sempre foi terapêutico. Agora eu escrevo para celebrar a minha princesa, minha filhota, minha nenê, minha Bellinha Maria, que se foi aos 13, quase 14 aninhos.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.24.50

Ganhei a Bellinha em março de 2000. Eu tinha 22 anos e ela foi meu primeiro cachorro. Sempre fui cachorreira, mas minha mãe não gostava de cachorro em apartamento. Como desde os 7 eu morei em um, tive que me contentar em mimar o dog dos outros. A Bellinha foi presente de Páscoa de um amigo. Foi surpresa. Ele me entregou ela dentro de uma caixa de celular (eles eram bem grandões no ano 2000). Imaginei porque a caixa estava meio aberta, abri e vi aquele coelhinho branco me espiando. Era cotoca. Tinha só 45 dias e era a caçula da ninhada.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.27.09

Levei a pequena para casa tremendo de medo da reação da minha mãe. A dona Nelma adora uma casa bem limpa, e cachorro não combina com tudo 100% em ordem. Abri a porta e a mãe estava de costas, assistindo tevê. Coloquei a Bellinha no chão e ela caminhou tranquilamente até a minha mãe, abriu as perninhas e fez xixi no chão. Assim, sem cerimônia, sem nem dar oi antes. Achamos que seria o fim da relação que mal tinha começado, mas a mãe achou engraçadíssimo e não resistiu aos encantos daquela princesa. Começava naquele dia uma amizade que toda minha família sabe o quanto foi importante para a mãe nos últimos anos.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.27.48

A Bellinha ganhou esse nome em homenagem à minha prima Isabella, que eu adoro, mas com quem adorava implicar. Mais tarde a Bel se “vingou” de mim e batizou uma cadela dela como Gabinha.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.25.35

5 coisas típicas da minha princesa:

1. Odiava tirar fotos. Era apontar a câmera ou o celular para ela que a moça virava a cara. As desse post foram tiradas depois de centenas de tentativas.

2. Era metida a valente e colocava qualquer cachorro para correr.

3. Lia a Bíblia com meu pai. À noite o pai sempre lê um trecho antes de dormir. Ele chamava ela: “Bellinha, vamos ler a Bíblia?”.  Ela parava o que estivesse fazendo e ia para o colo dele. Ficava bem quietinha até o pai terminar. Parecia estar ouvindo atenta.

4. Me esperava voltar da faculdade. Eu chegava por volta da meia-noite em casa. 15 minutos antes, sabe-se lá como, ela adivinhava e parava na sacada. Quando eu dobrava a esquina, fazia festinha e pulava.

5. Ganhou agradecimento no meu discurso de formatura. A minha irmã até hoje não me perdoa. Eu agradeci pais, amigos, colegas e larguei um “eu queria muito agradecer ao meu cachorrinho, que obviamente não pode vir aqui”. Mas esqueci de citar a Claudya.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.26.23

Quando vim morar sozinha em Porto Alegre, o plano era trazer a Bellinha comigo. Cheguei no meu primeiro apê, que parecia uma caixa de fósforos de tão pequeno, e ela estranhou. Eu tento me convencer que foi porque não tinha sacada (ela amava implicar com quem passava na rua), mas no fundo sei que era saudade da mãe. As duas eram unha e carne. No dia seguinte à minha mudança, pedi para buscarem a Bella de volta. Ela tinha chorado a noite toda e ficado de plantão olhando para a porta de entrada. Me consolei que a veria apenas em finais de semana, mas que estaria mais bem cuidada e mais feliz com a mãe em Gravataí.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.25.58

A partir daí todos os meus fins de semana foram mais felizes. Ela gritava enlouquecidamente quando eu chegava. Achávamos que teria um ataque cardíaco a cada visita. Só se acalmava depois de montoeiras de beijos e abraços. E mesmo assim ainda passava uns bons 20 minutos pulando nas minhas pernas. Depois, voltava ao seu estado lady. Tinha mesmo um comportamento de princesa, obedecendo a mãe, fazendo xixi sempre no mesmo lugar, dormindo na sua caminha.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.29.00

A Bellinha só não dormia na cama quando eu estava por perto (ou quando a mãe queria mimar a moça). Nas férias na praia, por exemplo, se esparramava entre eu e o Marcelo e empurrava ele para fora da cama. Eu amava. Tirava o atraso, colocava o amor em dia. As férias lá em Santa Catarina sempre eram mais especiais porque quem cuidava da Bellinha era eu. Fazia tudo com ela.

Bellinha

A Bellinha parecia um ursinho com o pelo cheio. Quando era tosada, voltava para casa mirradinha. A mãe dizia que tinha mandando um urso para a pet e tinham devolvido um ratinho.

bellinha

O tempo foi passando e a Bella foi ficando mais velha. Começou a ter problemas de pele, ter catarata nos olhinhos, a ficar meio surda. Isso era motivo de brincadeira, pois o pai e a mãe também já têm essas doenças que chegam com a idade. A casa de Gravataí, a gente fazia piada, parecia um asilo. Mas apesar de estar velhota, a Bellinha nunca perdeu a agilidade. E parece que redescobriu a força quando apareceu uma grande “ameaça” na vida dela: o Dunga.

bellinha

Ter um cachorro morando com a gente em Porto Alegre era sonho antigo meu e do Marcelo. Como a Bellinha e a mãe não podiam ser separadas, sob risco de uma das duas surtar, adotamos nosso vira-lata. Eu estava ansiosa pelo encontro dos irmãos,  mas a Bella fez questão de mostrar que ela era a mais velha e que ela que mandava ali. A foto acima foi tirada no dia em que os dois se conheceram. Foi o mais perto que consegui aproximar a dupla. Recentemente, já estavam mais amigos. Acho que a minha princesa entendeu que o irmão nunca iria tirar o lugar dela.

bellinha

Quando adotei o Dunga, me disseram que seria ótimo ter um outro cachorro antes do primeiro morrer. Foi então que caiu a ficha e fiz aquelas contas para converter a idade da Bella de anos caninos para anos humanos. Ela já tinha passado dos 80. Eu tinha mesmo que me preparar psicologicamente para perder minha cachorrinha amada, minha amiga, minha princesa. Foi nesse dia que escrevi aqui no blog sobre a angústia de saber que ela iria morrer.

Bellinha

Racionalmente eu sabia que a Bellinha iria partir logo, mas preferia me concentrar em depoimentos de gente que tinha tido poodles por até 16 anos. Ultimamente, estava convencida de que a Bella ia longe. Faria 14 em março, mas tinha agilidade de um filhote. Seus exames estavam bem, mas a cada consulta os veterinários advertiam que ela estava velhinha e que os órgãos de um cachorro idoso vão ficando “cansados” e deixando de funcionar 100% aos poucos.

BELLINHA

Eles pararam nessa madrugada. Bellinha teve uma convulsão que – eu não sei se ouvi ou entendi certo – sinalizava que algo estava ruim. Os órgãos dela entraram em falência. Deu tempo da mãe me ligar, da minha mana pegar elas em casa e trazer para uma emergência 24 horas em Porto Alegre. Deu tempo de vermos ela com vida, ofegante e fraquinha, e de tentarmos reanimar. Ela ia ficar internada para ver se reagia aos medicamentos. Entramos no carro chorando muito, mas confiantes. Mal dobramos a esquina e recebemos uma ligação dizendo que minha princesa tinha ido para o céu dos cachorros.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.28.44

Parece que ela esperou por mim. Parece que queria dar tchau para a gente. Deu tempo de dizer o quanto amo ela, o quanto ela sempre será especial e de agradecer muito por todo bem que nos fez. E eu tenho tanto para agradecer a esse cachorrinho que só quem é próximo de nós sabe. Bellinha fez a minha mãe mais feliz e nossa vida muito mais divertida e completa.

Captura de Tela 2013-10-11 às 07.29.12

Escrevo isso chorando feito criança. Agora a gente vai cuidar da despedida da nossa amada. Eu só queria registrar de alguma forma o quanto eu te amo, cachorrinha. Sabia, pela experiência de amigos, que perder um cachorro era doloroso, mas não imaginava que doía tanto. Eu simplesmente não sei lidar com isso. O Dunga está aqui do lado fazendo macaquices inéditas para me animar. Parece que foi a Bella, que sempre quis nos deixar felizes, que está soprando no ouvido do irmão que é para ele cuidar da gente.

Captura de Tela 2013-10-11 às 08.24.51

Vou lembrar sempre dessa carinha fofa, do focinho marrom, do pelo branquinho que estava ficando amarelado. Vou lembrar dos latidos pedindo comida, da festa quando eu chegava em casa, dos vestidinhos de princesa, do amor pelas corridas na beira da praia. Te guardarei para sempre no meu coração e no topo de bolo do meu casamento (escondida estrategicamente debaixo do meu vestido para surpreender e ralhar com quem quisesse chegar perto de mim).

29701328_gabrieli_e_marcelo

29701327_gabrieli_e_marcelo

Essa vai ser a nossa última foto juntas, Bellinha. Se eu soubesse que irias embora uma semana depois dela, teria te apertado mais, te beijado mais e te dito mais vezes que és parte fundamental da minha vida.

Captura de Tela 2013-10-11 às 08.29.42

Fica com Deus, princesa. Eu vou cuidar da vó, para que ela não fique triste. Vou te amar até o fim da vida, cachorrinha da mãe.

The following two tabs change content below.

Gabi Chanas

Ótima amiga, péssima cozinheira. Adoro cachorros (tenho um vira-lata charmoso chamado Dunga), Friends, casamentos, decoração. Além do bloguinho, dou dicas todos os domingos na revista Donna, do jornal Zero Hora, e nos sábados na Almanaque, do jornal Pioneiro. Curto muito fazer novos amigos virtuais, por isso recadinhos são sempre bem-vindos!

Latest posts by Gabi Chanas (see all)

Comments pelo FB

Comments pelo FB

Comentários (114)

  • Paula diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, que depoimento emocionante. Chorei lendo aqui, pq tenho uma cadelinha que está com doze anos, só de pensar nela partindo, já fico bem mal. Mas sorte que tu tem o Dunga, com certeza ele vai fazer uma enorme diferença pra ajudar a amenizar tua perda.

  • Mari diz: 11 de outubro de 2013

    Linda homenagem, Gabi. Me emocionei, lembrei dos meus cachorrinhos que eu amo demais…

  • Claudia diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, sinto muito pela perda da Belinha… temos aqui em casa também uma pequenina que se chama Pituca, é uma linguicinha… e está com 14 anos, já está surdinha e perdendo um pouco a visão, minha filha tem 12 anos, então quando ela chegou a Pituca já estava na família e eu não sei como será quando ela partir pois as duas são “unha e carne” sabe como é? Espero que consigas acalmar teu coração e compartilhar teu amor pelos bichinhos com o Dunga que agora terá que se virar em 2 para te completar. Beijos no coração e fica em paz.

  • Mariane Batista diz: 11 de outubro de 2013

    Se eu conseguir ver o que estou escrevendo… desabei contigo Gabi…

    Na terça ainda falávamos muito no Dunga, lembra ??? No quanto esses seres especiais mudam a vida da gente…

    Quando vi de madrugada, ( acordei não sei porque…) fiquei tensa e dormi mals… Acordei e fiquei à espera de notícias, mas não queria essas…
    Ao menos ela viveu sempre bem e dignamente. E com certeza o Dunga está ouvindo ela sim, acredito que eles tem uma ligação maior com o outro plano.

    Força, beijo meu e uma lambida da Lisa

    BEIJO

  • Carol X. diz: 11 de outubro de 2013

    Não deu pra ler tudo Gabi, pq já tava chorando como tu, lembrando do nosso Fredinho quando se foi!
    Agora vai doer muito, e provavelmente vais continuar fazendo as mesmas coisas que fazias antes por um tempo (eu colocava casquinhas pro Fred no cantinho, até meu irmão dizer: Carol, não tem mais ele…). Mas aos poucos vai passando e a gente fica realmente com as boas lembranças.
    Força, que esse anjo fez o papel dele: ensinou o amor incondicional!
    Beijos

  • Mariana Moura diz: 11 de outubro de 2013

    Compreendo e sei exatamente o que tu estás sentindo. Tive cachorros a minha vida toda, mas o que mais senti foi a partida do Pituco, o primeiro e único cão do meu filho. Ele tinha desde pequeno e também morreu velhinho dia 8/11 do ano passado. Sofri muito e em dobro por ver o sofrimento do meu filho (estava com 16, hoje 17 anos). Dia 08 desde mês coloquei uma foto do Pituco no face porque fez 11 meses que estamos sem ele. Ainda sofremos, ainda sentimos saudades, ainda estamos de luto e não estamos preparados para ter outro cachorro. Ele era filho de cachorros de rua e fomos de Gravataí a Sapucaia do Sul buscá-lo. Me emociono em contar e só posso te dizer que ao ler o teu post revivi a morte do Pituco e chorei. Portanto, não sou a pessoa indicada para dizer “vai passar” porque para mim, não passou, mesmo 11 meses após a ausência. O Matheus tinha 8 anos quando “corrigiu” a minha resposta na pesquisa do IBGE quando respondi que moravam três pessoas na nossa casa, o Matheus disse “são 4, tem o Pituco”.. portanto os nossos animais de estimação são membros da família. E quem está preparado para perder alguém tão próximo e que amamos tanto?

  • Karen Nunes diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, sinto muito pela sua perda, sei o quanto é difícil perder alguém que é parte da nossa vida, da nossa família!! Que Deus conforte seu coração, e o Dunga te de muito ânimo hoje.
    Saiba que ela está no céu dos cachorros, feliz e em paz.
    Se cuida, um beijo.

  • Gabi diz: 11 de outubro de 2013

    Ai, Gabi.. Chorei junto contigo lendo esse post.
    Também tenho uma cachorrinha e nem quero ver o dia que tiver que passar por isso.
    Mas vou te dizer o que uma amiga me disse esses dias: “os cachorros vivem menos porque já nasceram sabendo amar.”
    Tenho certeza que a Bellinha passou esses ensinamentos pra ti.
    Um beijo, querida!
    Fica bem!

  • Lu Procianoy diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, não existem palavras para uma situação como essa!! Só te desejo força, pois nunca vais esquecer da tua Bellinha! Perdi meu poodle no ano retrasado, ele estava com quase 13 anos, é uma dor que não cabe no peito! Também adotei um outro cachorrinho e ajuda a minimizar a dor, mas nunca é a mesma coisa! Ele era tão especial, pq era o cachorrinho que minha mãe adorava e ela infelizmente também se foi, então era minha última ligação com ela, e toda a dor da perda da mãe veio a tona.
    Enfim, só restam as boas lembranças e a certeza de que eles realmente mudam a nossa vida, aflorando um amor nunca imaginado por um ser incrível!
    Um beijo enoorme no coração e espero que minha história te ajude nesse dia tão tão difícil!

  • Vic diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, estou chorando até agora depois de ler o teu post, espero que o pessoal do trabalho não perceba hehehe
    Minha história com os cachorros é muito parecida com a tua, meu 1º veio quando eu tinha 18 anos também porque morávamos em apartamento.
    Minha 2º veio em uma época em que eu estava muito doente, e essa é a princesa da minha vida. Depois vieram outros 3, que estão todos gravados em tatuagem, pois eles são tudo para mim. Não tenho filhos, não quero ter, então esses cachorrinhos são meus 5 filhos e não consigo passar um dia longe deles…
    As vezes me pego imaginando o dia que algum dos meus bebês vai partir, por isso consigo entender tua dor. Não sei nem o que dizer, só te desejo muita força, porque esse deve ser um dos momentos mais difíceis da vida para pessoas que amam os bichinhos como nós.
    Fica bem Gabi, pois a Bellinha com certeza está =)

  • Juliana diz: 11 de outubro de 2013

    Ai Gabi, sinto muito pela sua perda!
    Estou aqui, em prantos, lendo o texto, vendo as fotos :(
    Só quem ama estas coisinhas, sabe a dor de perdê-los.
    Seja forte, pois o Dunga precisa de vc.

  • Pati diz: 11 de outubro de 2013

    Que lindo, Gabi! Me emocionei porque também já perdi um cãozinho muito especial, o Bobby, que nos ajudou a enfrentar a perda do meu pai. É muito bom saber que existem pessoas que tratam os animais como verdadeiros amigos e dão o carinho e respeito que eles merecem. A Bellinha continuará sempre presente na tua vida, de alguma forma. Fica bem!

  • Mauren diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi querida, fico triste junto contigo.
    Sinta-se abraçada e beijada.
    Fique bem.

  • Fernanda diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, querida… Chorei com você. Sei como é difícil perder os nossos “filhos de quatro patas”,e apenas nós sabemos o tamanho do amor que temos por eles…
    Dói muito, e não sei se você se sentirá melhor com as palavras que irão te escrever, então sinta-se abraçada por uma mãe de uma canina, um abraço bem apertado e cheio de carinho e amor…

  • karine mielczarski de oliveira diz: 11 de outubro de 2013

    Ai Gabi, que tristeza! chorei junto contigo, não tem como reagir de outra maneira, e olha que já se passaram quase 8 anos que a minha também se foi… meu abraço bem apertado pra ti e tua família. um beijo com mto carinho.

  • Marci Pagnoncelli diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, só que teve um cachorro sabe o quanto dói quando eles se vão, o vazio que fica e a saudade que vez ou outra insiste em aparecer. Quando perdemos nossa bebezona, a dor foi inacreditável, e acho que algumas pessoas acham que é exagero tudo isso por um cão, mas não entendem que não são só cachorros, são muito mais que isso.

    “Bem do ladinho do céu tem um lugar chamado Ponte do Arco Íris.

    Quando morre um animal que foi especial para alguém daqui, esse animal vai para Ponte do Arco Íris.
    Lá existem riachos e colinas para que todos os nossos amigos possam correr e brincar juntos .
    Tem muita comida, água e sol, e nossos amigos estão quentinhos e confortáveis. .

    Todos os animais que estavam velhos e doentes voltaram a ter vigor e saúde; aqueles que estavam machucados ou aleijados estão inteiros e fortes novamente, exatamente como nas nossas lembranças dos tempos que já se foram.
    Os animais estão felizes e contentes, exceto por uma coisinha: cada um deles sente falta de alguém muito especial , que teve que ficar para trás.

    Todos correm e brincam juntos, mas chega o dia quando um subitamente para e olha para longe. Seus olhos brilhantes estão atentos; seu corpo treme de ansiedade. De repente ele começa a correr para longe do grupo, voando sobre o gramado verde, suas pernas indo mais e mais rápido.

    Você foi avistado, e quando você e o seu amigo finalmente se encontrarem, vocês se abraçam numa reunião feliz, para nunca serem separados novamente. Os beijos alegres chovem sobre o seu rosto; suas mãos afagam de novo a cabeça amada, e você pode olhar mais uma vez nos olhos confiantes do seu amigo, ausentes há tanto tempo da sua vida mas nunca longe do seu coração.

    Aí vocês cruzam juntos a Ponte do Arco Íris….

    Autor desconhecido…”

    Espero que a dor seja amenizada pelas doces lembranças. Beijos.

  • Samira diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi,

    Lamento muito a sua perda, mas acredite, ela sempre estará cuidando de você. Agora você ganhou mais um anjinho da guarda, dessa vez canino.

    Beijos e fica bem.

  • Juliana S diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, tive que dar umas 4 pausas, no mínimo, na leitura pra segurar minhas lágrimas,
    eu ja tive muitos cachorrinhos, que tratava como filhos, irmãos, e que, infelismente, partiram, eu choro só em pensar que meu pequeno Baby possa partir, não tenho muito tempo pra estar com ele, mas quando tenho, dou o máximo de atenção possivel, sinto muito pela tua perda, apesar de não ter conhecido a Bellinha fiquei mt triste …

  • Nicoly diz: 11 de outubro de 2013

    Lindo texto! Sim, é triste. Perdi minha cadelinha de infância, a Pituxa, em 2005 e sofri muito. Hoje temos a Mel, uma vira lata assim como o Dunga. Eu e a minha mãe (principalmente ela, que fica mais tempo com a Mel) nem gostamos de falar no dia em que ela for. Só quem ama esses bichinhos sabe como eles são especias e parte da família.

    Força para ti e tua família.
    Beijos com muito carinho

  • Manu diz: 11 de outubro de 2013

    Ai Gabi, sei bem como é essa dor. Perdi o meu Mike qdo ele estava com 10 aninhos. Ele era poodle e branquinho assim como a tua belinha. É muito difícil, só quem tem ou já teve um companheiro assim entende como dói quando eles se vão….
    Ficam as lembranças boas desse nossos amiguinhos integrantes da família.
    Beijão e um abraço bem apertado para tentar te confortar…

  • Mariana Costa diz: 11 de outubro de 2013

    Força… o amor deles é o mais sincero … nos amam como somos.. nao nos pedem nada em troca…

    Beijao

  • Vivian diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi…. Chorei do início ao fim do seu post, e estou na minha mesa de trabalho com os olhos e nariz vermelhos….. Depoimento muito emocionante… palavras puras e verdadeiras que vieram diretamente do coração. Só quem ama esses peludos como nós, sabe a dor que é perde-los. Há quase três meses perdemos a Mel…. morreu nos nossos braços…. choramos muito…. mas tenho certeza que, assim como a Mel, a Bellinha tá bem faceira no Céu dos Cachorros correndo e brincando… justamente porque demos todo o amor e carinho enquanto esteve conosco. Força florzinha, abraça muito o Dunguinha e cuida da tua mamis pra ela não ficar muito triste tá? Bjuuu

  • Jeniffer diz: 11 de outubro de 2013

    Chorei :’(
    Sinto muito!

  • Carine Deuner diz: 11 de outubro de 2013

    Nossa, não tem como não se emocionar lendo teu post.
    Entendo perfeitamente tua dor. Posso te afirmar que nunca vai passar.
    Ameniza com o tempo, mas volta e meia aquela feriada volta a doer.
    Mas, o Dunga vai te ajudar a superar.

    Realmente esses peludos são anjos que Deus colocou para nos ensinar o que é amar.

    Fica bem!

    Carine Deuner

  • Gessica Morais diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, chorei ao ler seu texto, primeiro porque vi seu pedido desesperado no facebook hoje pela manhã, e já imaginei que seria a Bellinha por conta do seu outro post.
    Já perdi um cachorro na minha adolescência e sei que dói muito, e fiquei um pouco traumatizada a ponto de dizer que nunca mais iria ter um, afinal amamos tanto e somos obrigados a nos despedir tão cedo.
    Agora, depois de 2 anos de casada eu e meu marido adotamos um yorkshire lindo, que está com 3meses, e já o amamos tanto como um amor de filho sabe? E o pior é que eu já fico imaginando como será quando ele partir, e torcendo para que ele viva pelo menos uns 15 anos… enfim que bom que tem o Dunga para te alegrar um pouquinho mas sei que com certeza sempre terá a Bellinha em seu coração, assim como mesmo depois de anos tenho o “Natan” no meu, e agora o Vittorio todo serelepe.
    Força, muitos podem achar pura besteira esse sentimento, mas só nós que temos essa experiencia de criar, cuidar e amar tanto um bichinho sabemos o quanto que dói quando eles vão embora.

  • Carla Souza diz: 11 de outubro de 2013

    Nossa, chorei litros agora… Meus pêsames, só quem perde um amiguinho assim sabe como é a dor :( Agora ela virou uma estrelinha e está bem feliz lá no céu <3

  • Ariane diz: 11 de outubro de 2013

    Bom dia, Gabi!!!
    Compartilho imensamente sua dor estou aqui lendo no meu serviço e chorando, lembrando da minha lilica que se foi há 2 anos e era exatamente igual a belinha nas ações, serelepe, sapeca e muito querida, ela era begezinha sabe e com focinho bem pretinho, dormia no meio, entre eu e o meu marido. Te digo que lembro sempre das coisas boas dela mas ainda tem um espaço vazio dentro de nós.
    Força pra você e para sua mãezinha, cuida bem dela.
    Beijão pra vocês
    Abração Ariane

  • Helen Lucho diz: 11 de outubro de 2013

    Êêêêê moça… já passei por isso e ler teu post me fez lembrar de como foi quanto meu viralatinha Igor (por causa do cigano) partiu. Força!
    Bj!

  • Ângela Fortes diz: 11 de outubro de 2013

    Que história de vida! Mas não consigo ler tudo isso e não me colocar no seu lugar. Sinto muito por tudo o que você está passando neste momento. Tenho duas gatas que são a minha vida e não sei como vai ser a minha vida após a morte delas. Força.

  • Juliana Desterro diz: 11 de outubro de 2013

    “Se eu soubesse que ias embora uma semana depois dela, teria te apertado mais, te beijado mais e te dito mais vezes que és parte fundamental da minha vida.”
    Temos que fazer isto todos os dias. Belíssima homenagem, parabéns.

  • THIAGO diz: 11 de outubro de 2013

    Força Gabi.
    Cães são nosso melhores amigos, e tem tantas qualidades que é bem dificil encontrar todas em pessoas: lealdade é uma delas. Já te mandei mensagem pelo Facebook mas queria dizer novamente: Estamos com você! Eu e meu atual caozinho (Leopoldo), tantos leitores e leitoras e os caezinhos destes e o seu Dunga.

    Um grande beijo!

  • Jamile diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, não existe quem ame o seu Bixinho e não se sensibilize com a tua dor. Pra im foi inevitável não ficar com os olhos Marejados e lembrar de todos os cães amados que tive na vida. Animais são Divinos, sorte a nossa deles nos terem escolhidos para doar todo esse Amor. Um grande abraço pra toda a tua família e outro bem especial pra ti.

  • Beatriz diz: 11 de outubro de 2013

    Nunca tive cachorro, mas chorei horrores aqui… :’(

  • Kelly Oliveira diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, também terminei de ler com lágrimas nos olhos, afinal nunca é fácil encarar a perda de alguém querido, seja humano ou canino…

    Tenho a Soffie na casa da minha mãe e o Jobi no nosso apartamento, ambos ainda jovens, espoletas e cheios de energia, mas sei que o tempo chega pra eles também, e que um dia terei de ouvir essa notícia horrível que tu recebeu hoje, e me doi o coração.

    Só tu sabes o quanto a Bellinha foi e sempre será especial para ti, portanto o que tenho a desejar é que com o tempo tua dor seja amenizada e fiques bem, e que guarde na lembrança todos os momentos bons vividos com ela.
    Felizmente o lindão do Dunga está aí pra te dar todo o amor incondicional que um cachorro sabe oferecer ao seu dono, que ele a cada dia te dê motivos pra sorrir e aproveitar as coisas importantes da vida.

    Um abraço virtual bem apertado! Bjs

  • Manu diz: 11 de outubro de 2013

    Oi Gabi…meus sentimentos pela perda…meus bichinhos são parte da minha família, amo muito, imagino (e infelizmente sei, pois já perdi outros..) como te sentes..
    Fique bem!
    Beijos

  • GABRIELA FILLA diz: 11 de outubro de 2013

    Aí Gabi, porque eu fui ler isso aqui no trabalho… caí no choro e ninguém entendeu pq… to pensando na minha doidinha, a mel, ela é nova mas me deu uma dor agora só de pensar que um dia isso vai acontecer cmg… não quero nem pensar mais nisso… esses nossos filhos peludos são a melhor coisa que Deus colocou na nossa vida… hoje em dia o despertador não me incomoda mais pois quando ele toca minha filhota vai até a porta, raspa as patinhas para entrar e com isso pulo da cama já animada e aproveito esses minutos antes de ir para o trabalho para me divertir com ela… volto hoje em dia para casa ao meio dia por causa dela, não quero que ela fique muito tempo sozinha… tem gente que acha isso um absurdo mas eu acho que isso é o mínimo que eu posso fazer para o ser que faz dos meus dias dias muito mais coloridos :)

  • Raquel Ditz Ribeiro diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi querida. Estou aqui chorando junto contigo. Muita força!!!!!

  • Maysa diz: 11 de outubro de 2013

    Oi Gabi,
    Sinto muito pela Bellinha :( muito mesmo!
    Chorei junto com você, lendo o post… Acompanho o blog há 3 anos, e sei, como todas aqui sabem, o quanto você ama ela e o Dunga.
    Eu tenho a Layla, ganhei ela tão pequeninha e hoje já tem 10 anos e já parei pra pensar que ela tá ficando velhinha, e chorei junto por pensar que logo ela pode ir também. Ela também é a companhia da minha mãe o dia todo, já que todos nós lá de casa saímos para trabalhar…
    Ontem ainda, quando eu cheguei em casa do trabalho, ela veio correndo pulando nas minhas pernas e fazendo manha pro meu lado. Brinquei com ela e dei carinho e logo ela se acalmou…
    Mas, força ai :) Agora ela tá lá no céu dos cachorrinhos e quer ver vocês bem!
    Beijão

  • Luciana diz: 11 de outubro de 2013

    Oi, Gabi,

    Nossa, chorei muito…Lembrei do meu cachorro, Anuka, um cocker preto que ganhei quando tinha 2 meses e morreu com quase 16 anos…Ainda sinto a falta dele, mesmo tendo outros 2 cachorros e o pior que também não são tão novinhos e penso que terei que passar pela perda deles também…Meu filho de 7 anos,cachorreiro como eu, mesmo tendo apenas 4 anos quando o Anuka partiu, ainda diz sentir saudades do “Anukão” (Anuka + Amigão).Força…Beijos, Lú

  • Ananda diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi Querida, sinto muito a tua perda!!! Sinta-se abraçada e beijada!!!
    Chorei bastante lendo o post, pois sou assim com o meu “filho”, meu gato Dinho! Sei que um dia ele tbm ira para o céu, mas não imagino e nem gosto de pensar em como reagirei… Ele tbm foi lembrado no meu topo de bolo no meu casamento, pois é muito importante para mim e meu marido!!!! Como é possível amarmos tanto um bichinho… E como eles nos fazem bem e nos fazem sermos pessoas melhores!!!!
    Fica com Deus Gabi!!!!
    Muita força para vc!!!!
    Bjs

  • Fernanda diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, já passei por isso alguns anos atrás e te garanto, dói muito, é como perder um membro da família, daqueles mais próximos. Mas com o passar do tempo, só ficarão as boas lembranças. Ganhei um cãozinho, o Slipy, quanro eu tinha 12 anos de idade e ele acompanhou a minha família por 11 anos. Era o bebê da casa e trouxe inúmeras alegrias para nós. Quando se foi, foi um momento muito triste e difícil para todos, mas tínhamos certeza que estaria melhor sendo uma estrelinha no céu.
    Sempre fomos cachorreiros, mas demoramos muito tempo para tomar coragem e ter um cãozinho de novo. Depois de 5 anos adotamos a Lupita, que agora já tem quase 1 ano, e a alegria na casa retornou!
    Acho que fizeste bem em pegar o Dunga, vai te ajudar a superar a perda com mais facilidade! E eles são uns queridos, percebem quando não estamos bem e fazem tudo para nos agradar!
    Mas posso te afirmar, que as coisas boas são as que ficam. Hoje, quando nos reunimos em família e conversamos, percebemos que grande parte dos assuntos giram em histórias que vivemos com ele!
    Vai passar, mas ela estará sempre nas tuas lembranças e no teu coração!

  • Ana Paula diz: 11 de outubro de 2013

    Oi Gabi!
    Não sei bem o que te dizer, mas sei exatamente o que esta sentindo, pois tambem perdi minha viralatinha de 13 anos, ela era a minha vida, passei chorando varios anos com a perda dela, e quando li seus sentimentos neste post lembrei da Machipi, ela era o amor da minha vida. O pior é que quando ela se foi eu estava em casa sozinha com ela, meu pai e minha mae estavam na praia, liguei pra minha mae chorando muito, e no mesmo instante eles vieram pra casa, em Farroupilha. hje eu já casada e esperadndo uma menininha (estou de quase 4 meses), tenho uma canhorinha, tambem vira lata, que é uma figurinha, em dezembro ela faz tres aninhos. Sei que o que vc esta passando e extremamente complicado, e que se a perda de uma pessoa doi, a de um animalzinho que faz parte da familia doi tanto igual. Daqui a alguns anos, vc vai lembrar dela e seus olhos vão se encher de lagrimas, isso eu digo de fonte segura, pois esta acontecendo agora comigo, mas um dia, quando nós chegarmos no céu, esses bichinhos vão estar nos esperando lá.
    bjs fica bem

    Ana

  • Lari diz: 11 de outubro de 2013

    Sem palavras Gabi.
    Estou chorando no meu trabalho feito uma criança, só quem tem animais de estimação sabe do amor imenso que sentimos por eles. E a dor e o desespero que sentimos quando algo não está bem com eles é inexplicável.
    Mas pode ter certeza que ela vai ser um anjinho pra sempre cuidando de ti e da tua família.
    Força Gabi, um beijo pra ti e pra tua família.

  • Patrícia diz: 11 de outubro de 2013

    Lindo depoimento! Certamente ela está latindo pra ti, agradecendo por este carinho.

  • Emilyn diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, em janeiro perdi minha cachorrinha, Chiquinha, uma pequinês que estava com 17 anos. Convivi com ela desde os meus oito anos, e fiquei muito sentida quando ela se foi. O que conforta a gente é que os nossos companheiros estarão sempre ao nosso lado, não importa em que dimensão estejam. Muito lindo o teu depoimento, fiquei emocionada, e isso só mostrou o quanto a Bella foi importante na tua vida. Força e foco, porque agora o Dunguinha será o transmissor do amor e fidelidade dos nossos irmãos e filhos de quatro patas…

  • viviane diz: 11 de outubro de 2013

    Chorei chorei e chorei… sofro contigo… estou lendo e olhando para minha vida deitada na minga perna, uma vira lata de 7 anos que é TUDO PRA NÓS!!. FORÇA E FE!!!!

  • Vane Chaves diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi,

    Estava tomando café da manhã quando li teu post, como sempre na cia da Lola (nossa cachorrinha) que sempre fica por perto.
    Não tinha chegado a metade do texto quando comecei a chorar copiosamente lendo tua história.
    Lola me vendo chorar, me lambia e chorava quase que tentando me consolar, o que só me prova que esses bichinhos são anjos que Deus nos envia disfarçados de cachorros, pois as coisas que eles fazem por nós, não tem outra explicação.
    Gabi, só desejo que todos os bons sentimentos que as pessoas venham a te irradiar hoje, possam amenizar um pouquinho essa dor, que nunca passa, mas que um dia dará lugar a saudade “apenas”.
    E um pedido especial:
    Cuida muito dos teus pais nesse período, pois eles precisarão muito de ti. O vazio que a Belinha vai deixar por não estar mais no convívio deles será imenso, então que ele possa ser preenchido com o amor de vocês. Não substitui, mas acalenta.

    Beijo no coração, fica com Deus.

  • Andressa diz: 11 de outubro de 2013

    Só quem tem um bichinho que ama sabe a falta que ele faz… Imensamente triste por ti Gabi. Força pra tua mãe, pois é difícil viver sem eles.

    Beijão enorme e que ela corra pelas graminhas do céu canino. :)

  • Ali diz: 11 de outubro de 2013

    <3 :'(

  • Silmara diz: 11 de outubro de 2013

    Não tenho cachorro, mas me emocionei a ler o post. Sinto muito pela sua perda,deve ser bem difícil perder aquele bichinho que convivemos tanto tempo,só senti isso quando criança,é muito triste mesmo. Mas bola pra frente e aproveita pra brincar bastante o Dunga.

  • Carla diz: 11 de outubro de 2013

    Nossa, Gabi, que dia mais triste para ti! Choro como se conhecesse vc e a Bellinha. Adoro cachorrinhos, sei o quanto um bichinho faz bem e muda as pessoas que estão por perto para melhor. Há duas semanas, tive a alegria de comemorar os 18 anos do meu york. Sei que temos pouco tempo juntos, afinal ele já passou da média de idade dos cãezinhos e está lá, velhinho, caminha com dificuldade, debilitadinho,mas não tem nenhum problema crônico. Fazemos tudo para que ele tenha muito conforto nessa fase, companheirinho de uma vida toda. Sei que nunca estarei preparada para o momento final, se já fiquei tão triste lendo tua história, imagina quando chegar a hora… Faz parte, é o ciclo natural, o bom é relembrar todos os momentos lindos que ficaram de lembrança. Vontade de, mesmo sem te conhecer, ir aí te dar um abraço!

  • Janaína diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, sempre acompanho o teu blog mas nunca deixo comentário. Hoje, não tem como. Te entendo perfeitamente. No dia 01/09/13 perdi minha gatinha, que durante 13 anos 09 meses e 25 dias “encheu” a minha casa. Tenho outros gatos, adotados como o teu Dunga, mas tu bem sabes que o amor que sentimos por um não substitui o que a gente sente pelo outro. Passado um mês e onze dias, ainda choro e penso nela todos os dias. É uma dor tanto física quanto psicológica, difícil de explicar mas que quem ama os animais entende. Mas assim como foi quando morreu minha primeira cachorrinha, há muitos anos, sei que a dor vai diminuindo até que só resta a saudade. Então, só quero te dizer o seguinte: vive esse teu luto, que é normal, e tenta te lembrar sempre dos bons momentos que vocês passaram juntas. O que importa é que ela teve uma vida feliz e que vocês fizeram tudo o que podiam pelo melhor pra ela. Acredite, ela sabia o quanto era amada. E se as coisas forem como eu acredito que são, a minha Hanna e a tua Belinha estão bem, sendo bem cuidadas e, quem sabe um dia, a gente se encontra de novo! Um beijo pra ti e pra tua família e fiquem bem!

  • Kelly Heemann diz: 11 de outubro de 2013

    Confesso que não faz muito tempo que comecei a acompanhar teu blog, mas adoro o modo como tu escreve e se mostra uma pessoa sincera e adorável.
    Sucesso para o blog e força nesse momento, não tenho a mínima ideia do tamanho da dor, mas imagino como seja – também tenho um peludo em casa que é minha paixão.
    Beijos

  • Beatriz Cestari diz: 11 de outubro de 2013

    Deve ser um momento muito doloroso mesmo, o meu também tem por volta de 13 anos e às vezes me pego pensando em como será este momento. Como acredito na vida após a morte, penso que o dia que ele se for vai estar bem em outra dimensão sem sentir dor nenhuma e tenho certeza que a Belinha também estará muito bem. Além disso, poderemos ter a esperança de um dia nos reencontrarmos com eles. Pensa nos melhores momentos que vocês tiveram juntas porque isto te dará força para superar este momento da melhor forma possível. As melhores energias pra ti!

  • Ju Behs – Ju Arte na Praia diz: 11 de outubro de 2013

    Só tenho uma coisa pra dizer… Chorei!
    Beijos e fique bem!

  • Isa diz: 11 de outubro de 2013

    Ai Gabi, eu sinto muito. Impossível não ficar emocionada com o teu post sobre a Belinha. Sim, dói muito perder uma amigona, uma princesa, nosso bebê. Sei o que tu estás sentindo e posso te garantir que as lembranças boas vão te acompanhar para sempre! Fica bem, com o tempo a dor diminui um pouco, mas tenho certeza que ela já está correndo de novo no céu dos cachorros.

  • Li Kurzlop diz: 11 de outubro de 2013

    Ai como isso é dificil!
    Eu to aqui chorando e chorando…

    Recentemente eu tive que me despedir das minhas 2 lindinhas…. Elas não morreram como a sua, mas eu me mudei pra MUITO longe e minha mãe vai doá-las para um lugar com mais espaço, já que ela está indo pra um lugar menor.

    E por isso eu sei que quando eu for pra casa, elas não estarão lá me esperando…

    Não gosto nem de pensar nesse assunto pq eu sempre choro…
    Mas faz parte da vida!

    Fique forte e ame ainda mais o Dunga!

    Beijo

  • Bruna diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, dói demais, mas precisamos pensar que eles duram menos porque precisam. O que seria da Bellinha se vocês todos fossem e ela ficasse? Eles duram menos porque precisam do nosso amor, do nosso carinho e dos nossos cuidados. Tenho certeza que ela foi pro céu feliz porque sabe que teve MUITA sorte e foi MUITO amada. Muita força pra ti e pra tua família, lembrem dos bons momentos e em como ela foi feliz até o fim!

  • Melissa diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, já perdi 3 cachorrinhos e sei bem a dor que estas sentido. Com certeza ela foi para o céu dos cachorros e Deus estava esperando por ela com um osso gigante! Fica bem!

  • Renata diz: 11 de outubro de 2013

    Nunca me emocionei tanto com um post…sei exatamente como é a sensação de perder um bichinho amado e foi exatamente assim (como tu descreveste) que eu me senti! Pode ter certeza que ela foi mt feliz (e fez mta gente feliz tb) e que agora está descansando em paz no céu dos cachorros.

  • Giovana diz: 11 de outubro de 2013

    Nossa, que triste…sinto muito pela tua perda!!! Ainda bem que existe um céu para cachorros e anjinhos que cuidam especialmente deles. Saber disso ajuda a confortar um pouco. Fica bem! :(

  • Arita Costa diz: 11 de outubro de 2013

    Gaby, li sua mensagem e não tive como não me emocionar, só não chorei por que estou no trabalho e um colega olhando para mim, mas segurei firme, por que tenho um poodle de 15 anos e 5 meses, diariamente verifico se ele respira, corro com ele pro veterinário em qualquer dodói…e sinceramente não estou preparada, mesmo sabendo que a hora dele está chegando. Não consegui pensar o que fazer quando ele partir. Todos os dias eu abraço ele forte e digo o quanto eu o amo, o quanto é importante na minha vida e digo, se ele quiser descansar…o que posso fazer, não posso ser egoísta.
    Mas dói e dói muito pensar sem vê-lo mais…
    Lamento sua dor e um dia chegará o meu dia…
    Abs.,

  • Josi diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, querida!
    Sinto muito! Que vcs todos consigam amenizar essa dor… mas sabe-se que só o tempo pode ajudar, e nessas horas, pra nós, ele parece demorar mais pra passar. Força e luz! Mentalize coisas boas dela, deem risada das histórias e orgulhem-se, pois ela era mesmo uma lady.
    Fiquem bem, com muito amor e desejando que essa dor amenize logo…

  • Aline diz: 11 de outubro de 2013

    Estou muito triste tb porque ontem ao meio dia e pouco também perdi meu companheiro….Meu Bono estava com seis aninhos e meio só mas foi atropelado por um descuido que tivemos….Estou muito sentida e me sentindo culpada! Ele foi um cachorro muito especial…esperto e participava de tudo que envolvia a família….Não sei como vai ser daqui pra frente sem ele porque a dor á imensa e faz sentir falta de ar…Espero que o Bono e sua Belinha se encontrem e possam brincar juntos onde quer que estejam….

  • Eliana diz: 11 de outubro de 2013

    Bah, apesar de a gente saber que essa passagem faz parte da vida, a dor não fica menor.
    Estou com lágrimas escorrendo pelo rosto, pensando nas minhas netas, cuja guarda compartilho, pois minha filha está numa condição semelhante a tua.
    Ao mesmo tempo me confortei com o lindo texto da Marci, que nos traz a certeza de que eles ficarão bem até nosso reencontro.
    Fica com Deus e teus anjos.

  • Gabi M. diz: 11 de outubro de 2013

    Nossa, é muito triste mesmo!
    Tenho minha cachorrinha vira-lata que já está com seus nove aninhos e fico triste só de pensar que ela tbm se vai.
    Me dói mais pelo fato de que não consigo dar à ela a atenção que merece, pois é trabalho, faculdade, etc. que quase não a vejo em dias de semana. Além do fato que minha mãe não aceita cachorro dentro de casa, então ela sempre na área/rua, nunca fica mais de um dia limpa e por isso quase não ganha colos, apenas carinhos com o pé (mas que ela adora).
    Fique bem, Gabi, a Belinha viveu bem e amada por todos estes anos!

  • Mariana diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, chorei muito aqui lendo teu depoimento.
    Tenho um fox paulistinha de 14 anos, o Billy, que foi meu primeiro e único cachorro, e sei que vou passar pelo que tu está passando também, mas só de pensar meu coração dá um nó.
    Só quem sente esse amor sabe como é. Esses bichinhos são nossos companheiros, nos amam de verdade sem pedir nada em troca.
    Tenta ficar bem e lembrar de todos os momentos bons que tu passou junto com a Belinha. Muita força!
    Beijos

  • Caroline Corrêa diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, chorei junto contigo! Impossível não chorar! Já perdi dois grandes amigos de 4 patas, um aos 18 anos e o outro jovem, aos 6 em decorrência de uma anemia. Sei exatamente o que está sentindo e nao tive a mesma sorte que tu, de poder me despedir. Toda minha força e meus sentimentos pra ti e pra família, afinal, só quem ama esses pequenos sabe a dor que é perde-los! Bellinha agora é um anjinho de 4 patinhas no céu dos cachorrinhos! E vai estar sempre perto de vcs! Beijos

  • Jéssica diz: 11 de outubro de 2013

    Oi Gabi,

    Sou seguidora assidua do teu blog… :) Sinto muito pela perda da belinha, tenho uma velhinha em casa, e só de imaginar nossa vida lá em casa sem ela, meu mundo já fica mais vazio… Tive que controlar as lágrimas, pro pessoal do serviço não notar… Mas a Belinha foi descansar, esse é o melhor pensamento para confortar nosso coração…

  • Luciana Ferreira diz: 11 de outubro de 2013

    bah gabi, emocionante esse teu depoimento!!! nem sei o que escrever agora… te desejo força e um abraço bem apertado!!!! bjs
    Luciana

  • Diego Pires Martinez diz: 11 de outubro de 2013

    Fiquei comovido com teu relato e ao mesmo tempo tento me colocar no teu lugar pois o meu primeiro cachorro o “Skypi” esta com 13 anos quase chegando aos 14 e também esta passando por difilcudades da idade. Na verdade tenho pensando muito quando chegar o dia da separação, e hoje tenho certeza atraves do teu depoimento que nunca estamos preparados para final dessa relação de amizade, amor e cumplicidade.
    Obrigado pelo teu texto, apesar de todo tua tristeza te agradeço de coração pois assim poderei curtir ainda mais tempo que o Skypi ainda tem.
    Fica em paz e tenha certeza que a belinha soube e sentiu esse amor que voce sempre deu para ela . Bjo
    Diego Martinez

  • Tatieli diz: 11 de outubro de 2013

    Que linda homenagem Gabi… Que deus conforte seu coração.

    Me emocionei muito..

    bjs

  • Diego Pires Martinez diz: 11 de outubro de 2013

    Emocionante e comovente teu depoimento, e posso imaginar todo teu sofrimento ja que tenho um cachorro chamado “Skypi” que tem a mesma idade da tua Belinha e também esta passando pelas mesma difilcudades da idade. Ao parar para ler esse depoimento me dei conta que tenho que aproveitar ainda mais o tempo que resta como meu amado amigo.
    Na verdade Gabi, acho que nunca estamos preparados para essa separação dos nossos amigos peludos, companheiros fieis. Fica em paz e tenha certeza que a belinha foi sabendo que o tempo que esteve aqui foi muito amado por voces.
    Bjo! Diego

  • Carla diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, te desejo do fundo do coração força neste momento. Parei diversas vezes para chorar lendo teu post, lágrimas que insistiam em cair e um enorme aperto no peito como se você e a Belinha fossem próximas de mim..incrível a lição que estes anjos nos deixam inclusive a de aproximar na mesma dor pessoas que nunca se viram. Tenho acompanhado o teu blog e amo ver o carinho que você fala do Dunga e da Belinha..a poucos dias havia lido o post do medo da Partida que falava dos teus anseios em relação a tua pequena e já havia chorado porque também sofro em pensar neste momento, pois amo muitos meus dois malteses Sleep e Marie e a minha gorda Preta Rottweiler Blume. Difícil ter palavras neste momento..vi que você ficou chateada no face com as críticas, mas não dê importância Deus colocou estes anjos para abençoar de alegria a vida de pessoas especiais estes que criticam são pessoas que jamais saberão a alegria e paz de um amor tão singelo como de um amigo cão. Um abraço carinhoso.

  • Ana diz: 11 de outubro de 2013

    Nossa que tristeza, não consegui ler tudo pois já estava chorando, tenho uma de 7 meses e já fico triste pensando nesse dia, minha princesa, meu amorzinho, são anjos!

  • Juliana diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, eles fazem a nossa vida mais feliz! Nos ensinam que a felicidade é o simples, que o amor deve ser demonstrado dia a dia, que é muito bom estar perto de quem se ama. Nos acalmam, nos fazem rir, nos dão carinho infinitamente. São seres especiais e o amor que temos por eles é especial também. Me emocionei mto com o texto, pois tenho dois vira-latas e já perdi uma beagle que eu tive quando era criança. Quando a Mila morreu eu chorei mto e minha sobrinha que tinha 6 anos na época me disse: -Dinda, não fica triste, ela está no céu dos cachorrinhos. Me lembrei disso novamente quando li o teu texto. Sei o quanto dói e até hoje não posso ver um beagle na rua que lembro da Mila. Que bom q tens o Dunga, pois ele vai te confortar nesse momento. Sinto muito pela sua perda!

  • mariana candiago diz: 11 de outubro de 2013

    gabi, acabei de adotar um cachorro. li este texto e as lagrimas escorrendo….fica bem, para cuidar do dunga. beijos, mariana

  • Ilca diz: 11 de outubro de 2013

    Choro aqui novamente. Terça passada, dia 08/10, a minha pequena de 18 anos e 4 meses se foi… não há palavras pra descrever a dor que sinto e que sei que estas sentindo… a ausencia dentro de casa… o silencio. Um abraço grande.

  • dagma klein de castro diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi consigo entender a sua dor, pois a exatamente 1 ano e 3 meses perdi meu amigo Drago meu lindo pitt bobão lindo que só me dava alegria .A dor foi e é tão grande que meu coração chora qdo falo e lembro dele. É tão dolorido a falta dele que só de ler seu relato acabei chorando um monte. Espero que São Francisco protetor dos animais receba de braços abertos seu animalzinho e que te de coragem para .bjs queridasuportar essa dor

  • Larissa Tita diz: 11 de outubro de 2013

    aii Gabi… chorei.. e as pessoas em volta de mim qdo perguntaram o que tava acontecendo choraram também… e a saudade vai apertar tanto… e daqui algum tempo vai passar… e como faço agora que decidi adotar um gatinho pra minha nova vida de casada ?! … mas sei que vamos passar por momentos assim sempre, com bichos, com gente, com todos que amamos.. agarra muito o Dunga neste final de semana que já dá uma aliviada. Fica bem !

  • Dani diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, nem tenho palavras para dizer. Eu tenho uma poodle, que ganhei em 2001,eu tinha 19 anos e ela é minha primeira e única cachorrinha.. (tenho também um gato). Ela tem 12 anos e lendo teu depoimento identifiquei muitas coisas da Belinha na Nica (minha bebê), eu fiquei impressionada com o teu texto e triste pensando no dia que minha princesa for embora.. Chorei como criança lendo teu texto, pois o apego com esses seres lindos é grande demais..
    Força e tenta ficar bem!

  • Andrea diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi,

    Não tenho cachorro, mas sei como é dolorido perder um amigo. A saudade sempre vai existir, mas as boas lembranças, como as que vc listou, sempre irão te abraçar.
    Bjos

  • Gabriela diz: 11 de outubro de 2013

    Triste…Sinto muito!

  • Miriam diz: 11 de outubro de 2013

    Aii Gabi, que dó! Eu bem sei o q vc está sentindo, há dois anos perdi minha poodle tbm. A Meg tinha 13 anos e, além de morrer dois dias antes do meu aniversario, tinha passado por um procedimento cirúrgico dois meses antes. Mesma história: estava velhinha, catarata, cega, surda e bem brabinha. Foi bem difícil de lidar com essa perda, até pq provavelmente ela tenha tido um ataque do coração e foi encontrada embaixo do meu carro.

  • Fernanda diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi

    Hoje minha sexta começou mais triste com a sua noticia, quando vi a frase “Minha princesinha se foi“ meu olhos ficaram cheios de lagrimas, no mesmo tempo passou um filme na minha cabeça, lembrança do meu aniver do ano passado, pois perdi meu príncipe que esta certamente junto com sua princesa, mas como vc mesmo falou temos que lembrar sim, dos momentos lindos que passamos com eles e eu sei muito bem a dor que sentimos de perder nos queridos amigos. Se cuida, gosto mt de vc. Bjoss

  • Tássia diz: 11 de outubro de 2013

    Não consegui ler muito bom, porque meus olhos se enchiam de lágrimas a todo instante, foi linda a sua declaração…eu sei como doi isso!!!
    Nossos filhos de quatro patas nos dão tanto amor que é impossivel descrever a dor que sentimos quando temos que nos despedir…
    Um beijo…e força :’(

  • Gabi diz: 11 de outubro de 2013

    Ai Gabi, na primeira vez não consegui ler todo o post, pq estou no trabalho e tava com os olhos cheios de lágrimas. Mas na segunda fui mais firme. Só quem tem um bichinho sabe o valor que eles tem. Eu moro em apto tbm, sempre quiz ter um cachorro, mas dai pensamos que ele não iria ser feliz, ficando o dia todo em casa sozinho, então um colega tinha uma cocota e ele queria dar ela, pronto, ela é nossa a um ano, a Hannah, e vc tem que ver, ela viaja com nós, dorme no quarto com a gente, bem quietinha(na gaiola dela), fala algumas coisinhas, quando tem visita, ela sobe na perna da pessoa (sem cerimonias) e faz festa quando chegamos em casa. Tem outra alegria a vida com eles.

    Sempre estou olhando o teu blog (de hora em hora, hehehhe) adorooo…mas nunca comentei, mas hoje foi mais forte. Força Gabi, vc tem o Dunga, e eu, mesmo só por foto, amoo ele.

    bjoos.

  • Ana Caroline Lopes diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, sinto muito por tua perda, sei bem oque está sentindo e lendo teu post me emocionei muito. Em fevereiro o alemão, meu velhinho de 17 anos, se foi, foi bem complicado me adaptar com a ausência dele. Temos mais amigos de 4 patas em casa e tanto para nós quanto para eles a falta do alemão é muito grande, nos primeiros dias a Bebel, companheirinha dele chorava bastante, principalmente à noite pois dormiam sempre juntinhos. Agora estamos mais acostumados, mas mesmo assim é bem difícil. Sei que é bem triste, mas com o tempo as lembranças boas vão nos acalmando. Sinta-se abraçada, desejo que fiquem bem, e com certeza o Dunguinha vai ajudá-los nesse momento. Bjs

  • Luciana diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi. Sinto muito. Doi e dói mesmo. Eles fazem parte da nossa vida de uma forma muito especial. E quando vão embora deixam um “buraco” no coração da gente. Ficam as lembranças e a certeza de que nos tornamos um pouco melhores por eles terem existido na nossa vida. Fica bem. Um beijo para vc e para o Dunga.

  • Marcia Flores diz: 11 de outubro de 2013

    Nossa Gabi, ñ tem como ñ cair no choro com a sua dor, eu me vejo em seu lugar, tb sou de gravatai e tb tenho uma cadelinha chamada belinha, e mais 2 lhasa apso que são a minha vida!! é impressionante como esses bichinhos conseguem nos enlouquecer de tanta paixão que temos por eles, espero que seu coração se acalme e que essas lembraças que vc tem dela te ajude a matar um pouquinho da saudade……lembre-se da vida maravilhosa que deste a ela, fique com Deus!!!

  • Simone Souza diz: 11 de outubro de 2013

    Poxa Gabi, não sei nem o que te dizer. Me emocionei e chorei aqui…sou tri cachorreira, como tu disse aí em cima, e sinto muito pela tua perda.
    Tenho um poodle de porte médio que amo de paixão, e ele tem 8 aninhos, mas também fico com medo, pensando no futuro, como vai ser sofrido ficar sem ele(sofro por antecipação). Mas com certeza, o que importa é o que vocês passaram juntos, os momentos que dividiram, as fotos como uma recordação de algo que foi tão bom e especial.
    Oro a Deus para que Ele conforte teu coração, e creio que Ele aguarda a Bellinha lá no ceú dos cachorrinhos.

    Beijos, amada.
    Deus te abençoe!

  • Ânderson diz: 11 de outubro de 2013

    Que lindo depoimento, fiquei emocionado Gabi!

    Tenho a Mel em casa e é uma filha pra mim, ainda bem que ela ta nova com 2 anos.

    Eu perdi o Rex um cofapi que foi meu grande amigão, sinto muitas saudade dele.

    É incrivel como os cachorros são mais amigos que os seres humanos. Eles são presentes de Deus.

    Tenho certeza que a Belinha sempre estara perto de você

    Abraço

  • Rita diz: 11 de outubro de 2013

    Gabi, sempre que alguém próximo perde seu companheiro(a) eu revivo o dia 21/07/2013… o dia mais difícil da minha vida até hoje!
    Nesse dia meu velho companheiro após 16 anos partiu, me deixou com uma dor imensa no coração, um sentimento de vazio que parece que nunca vai ser preenchido!
    No começo parece impossível conviver com a ausência daquele serzinho que sempre esteve ao nosso lado!
    Assim como a Bellinha, o Pimpo foi o meu primeiro cachorro, ganhei ele quando eu tinha 11 anos, crescemos juntos, vivemos muitas histórias, mas a certeza de que eles estão bem nos dá forças para seguirmos.
    Força! É clichê mas é a mais pura realidade… o tempo ameniza as feridas! O que hoje é dor aos poucos vai se tornar em saudade e em lembranças dos bons momentos que viveram juntas!

  • Denise diz: 11 de outubro de 2013

    Nem sei o que te dizer…chorei por vocês. Só quem tem um anjo desses na vida pra entender a dor da separação. Sinto muito.

  • Helena Mayer diz: 11 de outubro de 2013

    Nossa! Q texto lindo e emocionante! Tentei segurar o choro na frente do computador aqui no trabalho, mas não deu. Passei por isso recentemente com meu Fred e a história dele na minha vida é bem semelhante a tua com a Belinha e o Dunga. Hj ficou só Lion q faz o q pode para ocupar o vazio…T desejo força!

  • Angela Cioato diz: 11 de outubro de 2013

    Li chorando e permaneço. Perder os nossos amiguinhos é horrível. Minha Meg também faleceu após várias convulsões aos 13 anos de idade. Era uma poodle estilo Bellinha.
    Sinto muito.

  • Dani Luz diz: 11 de outubro de 2013

    Oi Gabi! Tive que ler o post em prestações… não conseguia segurar as lágrimas!! Eu entendo totalmente esse amor… tenho a minha pequena aqui em casa que ainda é filhote, mas que qndo penso que um dia ela vai me deixar sempre choro! Com certeza um dos momentos mais difíceis da vida! Mas força, Gabi!! Que Deus possa consolar o teu coração e de todos que amavam a Bellinha! Abç.

  • Gabriela diz: 11 de outubro de 2013

    OI, Gabi! Meus sentimentos pela perda da tua Belinha Maria. Eu nem gosto de pensar como será o dia em que isso acontecerá. Tenho um maltês chamado Lord que está com quase 9 anos. Ele chegou quando eu ainda era solteira e foi minha companhia, pois morava sozinha. Hoje que sou casada ele é a alegria da nossas vidas. Concordo com o que você disse: o melhor é pensar em tudo o que ela proporcionou para todos vocês e lembrar do quanto ela foi amada e querida na tua família. Com certeza ela está no céu dos cães olhando por vocês. Beijos.

  • Karina diz: 11 de outubro de 2013

    Querida, chorei muito ao ler o blog, que Deus te dê forças. A dor da perda é indescritível e a saudade será eterna. Tenha certeza que sua princesa foi muito feliz ao seu lado. Que as lembranças dos momentos juntas possam te confortar. Ela está alegrando Papai do céu agora. Beijos.

  • Carla diz: 12 de outubro de 2013

    Guria, estamos todos de luto contigo! Sei bem como é difícil aceitar… Ontem, comentei com meus pais (que são teus ouvintes assíduos) e eles ficaram muito tristes. Quando minha irmã casou o Thor ficou com meus pais, um basset hound lindo, gordo, preguiçoso, mas muito amável e brincalhão. O Thor e o Ronaldinho (esse era meu, um York coisa mais querida, ninguém podia chegar perto e ele se botava latindo) faziam uma dupla e tanto, na praia, ficávamos só observando os dois: o Thor dava medo pelo tamanho e o Ronaldinho, escondido, só latia. O Thor se foi bem no dia das crianças, hoje vai ser choradeira na hora do almoço lembrando dele e o Ronaldinho foi atropelado na praia há 4 anos, bichinho de casa não sabe soube atravessar a rua, quando deu uma fugida do pátio.
    Um dia passa…não sei quando! Meus pais até hoje choram de saudades. Eu fui mais forte porque não tive coragem de contar para a minha filha que era muito apegada no Ronaldinho. Com o tempo ela foi vendo que não íamos mais na veterinária visita-lo e se deu conta.
    Beijo

  • Mari de Boni diz: 12 de outubro de 2013

    Gabi, sinto muito, me emocionei com tuas palavras! Estou orando por ti e pelos teus, q o conforto chegue logo e só fique a saudade boa. Fica bem, carinho e bjbj.

  • Lulene diz: 13 de outubro de 2013

    Gabi, realmente sinto muito por essa dolorosa perda. Agora temos o Rico aqui em casa e não nos imaginamos sem ele, mas a vida é assim… apesar desta frase ser um clichê, todas as coisas vem e vão, mas pode ter certeza de que ela estará com vc e sua família para sempre! Rico manda um alô para o Dunga e eu um beijo a você e um abraço beeeeeeeeeeeem apertado!

  • Ana Paula diz: 14 de outubro de 2013

    Oi Gabi, chorei MUITO lendo o teu relato, pois foram os mesmos sentimentos que tive quando a Kênya nos deixou, principalmente em relação ao último encontro (ah se soubéssemos que seria o último). Fica bem Querida e lembra que ela está nos céu dos bichinhos, acompanhada de São Francisco e de todos os outros que lá estão.

  • Carina diz: 14 de outubro de 2013

    Oi flor…pode-se entender sua dor completamente! Tenho uma cachorrinha chamada Pipoca que é tudo pra mim… Só quem tem um 4 patas sabe o quanto é prazerosa e feliz a vida de quem tem a dádiva de conviver com eles! Ela viveu a vida dela dando e recebendo amor, agora vai seguir sendo alegre no céu dos nossos pequeninos! Fique bem, beijos Carina!

  • Rubia diz: 15 de outubro de 2013

    Boa tarde, conterrânea.
    Sempre leio o seu blog mas somente na curiosidade, pois o dia do meu casamento está muuuito longe de chegar.
    Mas quando li essa homenagem a sua cachorrinha, não pude deixar de escrever meu comentário. E de me emocionar junto contigo, com toda certeza.
    Pois eu sou muito, mas muuuuito bicheira. Do tipo que desde que se lembra por gente tem uma infinidade de animais em casa. Do tipo que prefere bicho do que gente.
    Cachorro, gato, passarinho, até galinha, peixe, tartaruga e coelho já tive, todos juntos, na mesma casa, em Gravataí.
    Hoje moro sozinha, em apartamento, com 3 gatas. O resto da bicharada, atualmente 13 gatos, 9 cachorros e 3 passarinhos, moram com minha mãe.
    Sei muito bem como tu estás se sentindo nesse momento. Já perdi alguns, uns mais cedo do que os outros, e sofri da mesma maneira com a perda de todos eles. Cada animal tem a sua personalidade, é especial do seu jeito.
    Sei que a dor é inconsolável, mas, se servir de afago, saibas que eles têm alma. Sim, alma de um ser que zela por nós, que nos ajuda e nos ampara.
    Tenhas certeza que sua Bellinha está olhando por ti, e que ela se foi sabendo que tu amavas ela. E que vai continuar amando até o fim da sua vida.
    Saibas que sentir essa dor por esses seres puros, inocentes e que nos amam DE GRAÇA, sem pedir nada em troca, é uma das dores mais profundas que podemos sentir. Mas essa dor nos faz seres melhores, nos faz ser uma pessoa melhor e com o coração cheio de bondade.
    Fica bem, Gabi.
    A dor não passa, mas alivia.
    Te consola com o teu Dunga, porque ele também está sentindo essa dor por ti. Em te ver sofrendo, ele sofre também.
    Um grande beijo.

  • Lauren diz: 15 de outubro de 2013

    Gabi, li o teu post e tive que segurar as lagrimas… Só quem tem um cachorro entende o que tu estás passando, fiquei muito emocionada. Já passei por isso duas vezes e sei como é triste ter que se despedir…
    Hoje tenho uma cachorrinha chamada Amora, que fará 6 anos na próxima semana… É ela que me faz sorrir todos os dias… que me levanta quando estou triste, que me consola, mesmo sem dizer uma única palavra… apenas com o olhar… O olhar mais sincero e acolhedor…
    Tenho certeza que a tua princesa estará sempre olhando por ti e se manterá viva na tua memória…]
    Com o tempo a dor passa e a saudade é substituída pelas boas, engraçadas e divertidas lembranças…
    Fica bem!
    bj.
    Lauren

  • Letícia diz: 16 de outubro de 2013

    Nossa! Acaboou comigo, só quem tem cachorrinhos pra saber a alegria que é te-los, e a tristeza que é perde-los.. Tenho 4 e o nosso primeiro “filho” já esta bem velhinho, focinho branco, já não é mais tão serelepe, e logo, logo vai partir.. Chorei demais com este post, pq ter outros cachorros é demais mas um nunca substitui o outro, todos são unicamente especiais, e a dor no coração de ve-los partir é indescritivel, só quem tem pra saber.. aproveito para me declarar aos meus bebês, Tobby, Baby, Luna e Kyra a mãe AMA VOCÊS!!!! S2222

  • Carol diz: 16 de outubro de 2013

    Não consegui ler até o fim…só consegui chorar..Só quem AMA de verdade sabe o que é esse sentimento que temos pelos nossos filhotes peludos…Que a Belinha esteja em paz..pode ter certeza que ela está feliz e vai estar sempre te cuidando..

  • Vanessa diz: 17 de outubro de 2013

    Bom dia Gabi!
    Estou chorando muito depois de ler o post… e quero deixar pra ti todo meu carinho e apoio. Que Deus e o Dunga consigam confortar teu coração!
    Tenha certeza de que a Belinha está no céu dos cachorrinhos e um dia vocês vão se reencontrar!
    Bju

  • Michelle diz: 18 de outubro de 2013

    Nossa chorei a ler esse post, eu sempre olho pois adoro decoração e gostop de tirar idéias para artesanato, mas confessor que me apertou o coração ler, eu tb tive uma poodle e revivi minha história com a minha filhota que assim como a tua se foi no meu caso 15 anos, quando falo da dor que senti em sua morte as pessoas acham exagero, mas só quem ama um cão como uma pessoa da familia entende isso, minha história é muitissimo parecida com a tua, e o que mais lamento é que enquanto estavam contruindo a minha casa(sempre morei em ap) eu não via a hora de ela poder finalmente um pátio para brincar, mas meu bebê se foi antes, jurei q nunca mais teria um cachorro para não sentir a tristeza q senti, mas como amo cães foi inevitavel logo adotei uma cadela de rua grávida e hj tenho mais uma pequena york, mas nunca esqueço as manias, brincadeiras e a imagem da minha poodle amada, cada cão é único. Linda homenagem, amei.

  • Nessa diz: 22 de outubro de 2013

    Gabriela, venho ao teu blog só agora. Sou amiga do Daniel e de ti só tinha visto o Dunga (um lindico, né! paixão!)
    Mas, puxa… não sei o que te dizer. Apesar de não acreditar muito que nós vamos para algum lugar, tenho certeza que eles vão. São especiais!

  • Morgana diz: 22 de outubro de 2013

    Oi Gabi!!

    Descobri seu blog pelos comentários da Mari Kalil no blog dela…. hoje estou lendo seus posts…Também amo animais e a morte de qualquer um deles me deixa triste, mas seu depoimento me emocionou muito pq tenho um cachorrinho o Sheik, um vira-lata, e a nossa história é a mesma que a sua e da Bella, hj ele mora com minha mãe e vai completar sete anos em novembro… sei bem o que é esse amor. Força e saiba que ela será agora um anjinho de 4 patas…

    Bjos!

  • Mariana Siqueira diz: 26 de outubro de 2013

    Olá Gabi, estava procurando algo sobre quando os animais que ficam velhinhos sabem que vão morrer e encontrei seu BLOG.
    Perdi minha princesa, que eu tratava com Lady Lisa Maria de 16/10/2013, bem próximo a data que você perdeu sua Bellinha. Sei exatamente por tudo que está passando, pois pra mim foi tudo muito bem parecido e tudo bem difícil.
    A Lili foi minha primeira cachorrinha, minha mãe também não permitia mais quando viu a Lisa não resistiu e deu a ela o nome de Lisa Maria. Ela foi meu sonho de criança, foi uma princesa, super educada, só faltava falar, vivemos 10 anos e meio juntas. Todos me diziam que a hora dela estava próxima mas eu não queria acreditar.

    Sempre nos reuníamos na casa da minha mãe a Dona Lisa Maria claro sempre presente, nos reunimos pela ultima vez dia 12/12, tenho até o vídeo dela no momento em que meu irmão entregava os presentes para as crianças e a Bonita sempre no meio conferindo tudo….No domingo de manhã acordei com um barulho estranho, acordei e a Lili estava com falta de ar, corremos ao veterinário e ela já precisou ser entubada para respirar com oxigênio, ficou internada, meu Deus, eu quase morri…Como voltaria para casa sem minha princesa???
    No domingo ela teve uma parada cardíaca, eu e meus irmãos fizemos um Evangelho no Lar por ela e a partir daí ela só foi melhorando. Na terça para minha maior alegria a Lili foi liberada para ir pra casa, meu Deus que ALEGRIA, todo minha família foi para casa comemorar a volta da LILI MARIA, pois bem, passamos a ultima noite juntas, acordei de madrugada e coloquei ela na cama comigo pois ela já não tinha mais força de subir, deitei ela com a cabecinha no travesseiro pois era o que ela mais gostava de fazer, se achava gente rs….Ela começou a passar Mal, levei ela para garagem para tomar um ar, percebi que ela não estava bem, que estava lutando para viver e ficar comigo e então tomei a atitude mais difícil da minha vida, disse a ela: Li a mamãe não quer te ver sofrer, se você não estiver mais bem para viver comigo pode ir morar com Papai do Céu e Francisco de Assis, vou ficar bem, falei tudo que vivemos juntas e como foi feliz ao lado dela, lembrei a ela o quanto foi e será amada.
    Chorava feita uma doida mas sabia que precisava fazer aquilo, fui trabalhar e ela ficou com meu irmão, 5 minutos depois que sai meu irmão me ligou falando que ela estava passando muito mal, pedi para ele correr no veterinário e ele a levou e ela entrou para a sala com a veterinária, lá ela teve uma parada cardíaca foi reanimada e e então veio a seguida e ela não resistiu. Eu no serviço sabia que alguma coisa estava acontecendo, liguei para o veterinário e a noticia que eu mais temia aconteceu, a Lisa havia partido….Meu Deus que dor……
    Flor sei por tudo que esta passando, perdi minha maior companheira, meu sonho de criança…
    Sei que nossas princesas estão bem, estão no Rancho Alegre na presença de Francisco de Assis e tenho muita fé que um dia vamos nos encontrar novamente.

    Tudo que pedi a deus foi atendido, pedi a ele nunca deixar minha princesa sentir dor, pedi para se ela fosse ele me deixasse me despedir dela, pois eu não suportaria saber que ela morreu sem eu ter a liberado para morar com Deus, pois bem a Lili morreu de velhinha, passou seus ultimos momentos sendo muito amada por todos e morreu sem nenhuma dor, enfim ela morreu feliz.
    Fica com Deus!!!

Envie seu Comentário