Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Thumbnail

Sessão de fotos comemorativa aos 61 anos de casados!

“Ai nem acredito que depois de ter acompanhado por tanto...

Thumbnail

Segredos escondidos no guarda-roupa: 3 truques para organizar o armário na troca de estação

“Ai nem acredito que depois de ter acompanhado por tanto...

Thumbnail

Os lindos e desejados tubinhos de couro de Juliana Sanmartin

“Ai nem acredito que depois de ter acompanhado por tanto...

Thumbnail

Faça um cachorro quente: projeto vai dar roupas para animais carentes

“Ai nem acredito que depois de ter acompanhado por tanto...

Thumbnail

Abrindo meu coração: workaholic, workalover, terapia e outros pepinos

“Ai nem acredito que depois de ter acompanhado por tanto...

Sessão de fotos comemorativa aos 61 anos de casados!

15 de abril de 2014 0

61Years_interna

Vi esta sessão de fotos na internet e não pude deixar de compartilhar! Gente, essas duas fofuras completaram 61 anos de casados! Siiim, 61!

A sessão de fotos, foi um presente de natal oferecido a Nina e Gramps, que seguiram a ideia da esposa de um de seus netos que tem adoração pelo filme “Up”. Segundo ela, a ponte foi escolhida para representar o longo caminho do casal, não é fofo demais???

Fonte: Hypeness

Os lindos e desejados tubinhos de couro de Juliana Sanmartin

14 de abril de 2014 2

Os vestidos da foto levam a assinatura de Juliana Sanmartin e fazem parte da coleção de inverno da estilista. Entre os modelos, o tubinho de couro que se consagrou nas passarelas do outono-inverno 2014 – incluindo a do Donna Fashion Iguatemi – como peça-chave para usar com jaqueta, colete ou casacão de lã. Juliana vende com exclusividade na Twin Set, em Porto Alegre, mas faz sucesso por outras bandas também. Luciana Gimenez e a blogger Lala Rudge estão entre as adoradoras das criações da estilista.

JSM_0199

saiu o donna

JSM_0720

JSM_0723

JSM_0196

JSM_0066

JSM_0027

Imagens: Ricardo Lage

Chá da Gabriela

13 de abril de 2014 0

Chá da Gabi (25)

 

“Bárbara e Gabi,

Somos 7 madrinhas apaixonadas por essa noiva. A nossa Gabriela vai além da cor de cravo e do perfume de canela.  Ela é linda, inteligente, bem humorada, tem carinho para dar e vender.  Jornalista primorosa,  filha dedicada,  amiga leal e claro – futura esposa do Fabrício.

Ah o amor… Eles ficaram, namoraram, foram morar juntos até que um dia… Ela foi pedida em casamento na televisão. (Apareceu aqui no blog!)

E detalhe, depois disso tudo: ela não se deixou deslumbrar.

Aceitou, é claro. Mas para a Gabi o casamento não é uma loucura por uma festa, vestido, comes e bebes. Nós sabemos que ela leva esse casamento como a celebração do amor e que para eles vai se materializar na construção da família.

Esse casal – Gabriela e Fabrício -  junto com a pequena Olga, a yorkshire mais sociável do mundo, acolhe a todos  como irmãos e irmãs. A casa deles é a extensão das nossas casas. São churrascos, festas de amigo secreto, jogos de video game, sessões para assistir videoclipes ou simplesmente depois que todos os bares e restaurantes de Porto Alegre se fecham ouvimos aquele clássico: “vamos lá para casa”, com os donos ainda acordados e com um sorriso no rosto.

Com uma amizade tão boa dessas, não podíamos deixar essa noiva sem um chá  lindo de lingerie. Tudo foi feito e organizado  na conexão Porto Alegre – Rio de Janeiro (onde duas madrinhas moram). Docinhos, salgados, cupcakes pequenos mimos para encher os olhos e alegrar o paladar.  A identidade visual foi feita igual a do “save the date” do casamento. E as lembrancinhas – inspiradas no nome da noiva – eram esmaltes vermelhos chamados Gabriela.

Foi numa linda tarde de domingo na cobertura da sogra da noiva, no Bom Fim, que realizamos o chá. A Gabi chegou de surpresa (repare na foto a reação dela subindo as escadas), e depois, foi só alegria. Imagine uma noiva dentro de uma piscina de hidromassagem vazia abrindo os presentes para a lua de mel?! Pois esse foi só o começo, o chá teve risos, abraços apertados, lágrimas, mães orgulhosas, lingeries para todos os gostos e um vídeo mostrando a sintonia do casal. O evento que começou às 16h só foi terminar pelas 6h da manhã!

Se o chá da Gabi foi assim, imaginem a festa de casamento…

Com amor,

Priscilla, Tuca, Catarina, Maria Paula, Samantha, Fabíola e Roberta”.

Fotos: Art Imagem/ Carolina Barcellos Neves & Tuca Padilha Eventos

Segredos escondidos no guarda-roupa: 3 truques para organizar o armário na troca de estação

12 de abril de 2014 0

Já começou a boa e velha temporada de transferir os casacos mais pesados para as prateleiras de baixo do guarda-roupa e passar para as de cima – aquelas que precisam de banquinho para alcançar – os biquínis e blusinhas extrafrescas do verão. Para facilitar o processo, espie estes três truques que ajudam a manter a ordem em meio ao caos que sempre que é a troca de estação.

cabides

saiu o donna

1. O que você não usa mais?

Certamente você tem apego a um casaquinho que comprou há uns cinco anos numa viagem. Só que o apego não é proporcional à quantidade de vezes que você o usou. Todo inverno, bate aquela incerteza sobre mandar ou não o casaquinho para a sacola de doações, mas você sempre dá uma chance ao querido, achando que em breve vai querer experimentar. Para acabar com o impasse, faça o seguinte: neste inverno, sempre que devolver uma roupa usada para o cabide, vire o gancho dele para dentro, mirando o fundo do guarda-roupa. Quando chegar a primavera, abra as portas do armário e espie a cena. Aqueles cabides que ficaram com o gancho virado para fora são sinal de que você não tocou neles o inverno todo. E, se não usou nesse, dizem especialistas, é muito, mas muito improvável que use nos próximos.

closet

“Ai, achei minha Chanel perdida!”

2. Cadê a blusa nova?

Já aconteceu de, numa mexida despretensiosa no armário, encontrar uma blusa que comprou, nunca usou e ainda está com a etiqueta? Deve ter sido fruto daquele momento de comprinha compulsiva ou de puro descuido na hora de guardar. Para não cair nessa, adote a regra: roupas novas sempre vão para os cabides da frente, os que ficam mais à vista quando você abre o closet. É tiro e queda para acabar com a sensação de “não tenho roupa”. Você pode até ter e ela estar emboladinha e esquecida atrás dos shorts de corrida.

cores

3. Saindo da monocromia

Tem dificuldade de fugir do trio branco, preto e bege para trabalhar? E fica ainda mais furiosa porque tem no armário várias roupas coloridas? Isso acontece porque elas estão misturadas, e quando você abre as portas do guarda-roupa fica até zonza pensando em qual delas experimentar. Mude isso agrupando as blusas, calças e saias por cor. Fica mais fácil se decidir entre cinquenta tons de vermelho ou amarelo do que entre vermelho, amarelo, verde, azul, roxo, rosa e por aí vai.

Just married: Cristiane e Alexandre

12 de abril de 2014 0

Cristiane e Alexandre (5)

“Olá Bárbara,

Obrigada por mais esta oportunidade para que eu possa dividir algumas fotos do meu casamento realizado no dia 30.11.2013, em Canoas-RS.

Um dia simplesmente, maravilhoso, inesquecível. Depois de todo um ano de preparativos, expectativas, foi tudo perfeito!

Acredito que foi o dia em que fiquei mais nervosa, parecia que meu coração iria “saltar” pela boca! E com certeza foi o dia mais importante da minha vida! Valeu a pena todos os momentos vividos!  A cerimônia na igreja foi linda e nossa festa foi ótima super animada!

Espero que gostem das nossa fotos”!

Ficha Técnica:

Igreja: Capela São José La Salle – Canoas | Recepção: Panevino Grill – Canoas | Vestido: Inês Noivas Porto Alegre | Dia da noiva: As Santas – Canoas | Maquiadora: Taís Andrade | Cabelereiro: Dodô Gehleen | Terno noivo: Aduana | Foto, Vídeo e Som: Ópera Produtora | Decoração e Cerimonial: Djan Drago | Doces e Bolo: Glécia e Luciana | Coreografia Noivos: Boteco de Dança | Convites: Paperplace

Faça um cachorro quente: projeto vai dar roupas para animais carentes

12 de abril de 2014 0

Roupa para cachorro não é frescura: no auge do inverno, os idosos e de pelagem curta sofrem especialmente com o frio. Para dar um aconchego para essa turma, o Projeto Cachorro Quente vai buscar doações para produzir 200 peças de roupa que serão doadas à ONG 101 Vira Latas, que fica em Viamão e cuida de 500 cachorrinhos. São necessários R$ 1.770 para bancar a ideia.

Quem começou a função toda foi a Giulia, diretora da Pet Project, grife de roupas para cães e donos. A PP já nasceu com o compromisso de apoiar ONGs e protetores que tratam de animais abandonados, e o Cachorro Quente foi idealizado como uma forma de materializar este compromisso.  As roupinhas serão produzidas exclusivamente para a ONG.

dog

Vamos ficar uns gatos!

saiu o donna

A arrecadação da grana necessária para as roupinhas será feita através do Bicharia, aquela plataforma super bacana e confiável que ajuda um monte de causas nobres. Temos até o dia 5/5 para juntar aqueles R$ 1.770. Se cada um der R$ 10, o valor é atingido rapidinho. Clica aqui para acessar a página, encaminhar uma doação e fazer muitos cachorros quentes neste inverno.

Maria Casadevall usa vestido de noiva em desfile: entendeu o recado, Caio Castro?

11 de abril de 2014 2

Minha sequência de pensamentos ao ver o e-mail “Maria Casadevall desfila de noiva para Lucas Anderi” na minha caixa postal:

1. Ah, que legal! Lucas Anderi! Entrevistei ele no ano passado. Ele foi bem gente boa e faz vestidos deusos.

2. Hummm, o desfile deve ter sido na CasaModa Noivas, eventão de casórios que começou hoje em São Paulo.

3. Será que escolheram a Casadevall por causa dos boatos que o Caio Castro pediu ela em casamento?

4. Acho que esse peixe do almoço não me caiu bem.

5. Ok, Gabrieli. Para de pensar e vai ver as fotos.

IMG_7747

IMG_7744

IMG_7754

IMG_7758

IMG_7726

Ok, uma nova sequência de pensamentos:

1. Isso é de noiva? Não, mundo, não. Eu não aceito tanta modernidade.

2. Nah, deve ser vestido de madrinha.

3. Mas madrinha de preto?

4. Buenas, anda virando modinha.

5. Bah, aquele peixe realmente me fez mal.

6. Vai ver se tem mais foto, guria!

IMG_8685

IMG_8672

IMG_8702

IMG_8690

IMG_8707

Ah, bom, gente! Tudo explicado! Ela usou um look noiva e um de festa no desfile que foi mesmo na CasaModa Noivas (vai até dia 13 no Hotel Unique e é muito, mas muito bacana). E posso dizer uma coisa?

IMG_8754

Adorei a franja cheia com tiarinha. Eu sei que ficou meio princesa da Disney, mas realmente me encantou. Mas sei lá, vai que é o peixe no meu estômago se revirando e me fazendo ter alucinações. 

Sessão de fotos: Carolina e Anderson

11 de abril de 2014 0

Carolina e Anderson (6)

“Fotografar sempre é bom, ainda mais quando usamos vestido de noiva, véu e cuidamos de cada detalhe, como maquiagem, cabelo e buquê. Como nosso fotografo, Luis Gustavo Dos Santos Gomes, mesmo comentou: “Quem disse que para se vestir de noiva, tem que fazer aquela festa?” Sem cerimônia, optamos por uma tarde linda de sol para realizar a sessão fotográfica nos Jardins do parque Dmae, em Porto Alegre. No começo, com muita timidez, após muito bom humor partimos para fotos com um toque original, especial e lindo.  O resultado foi tão incrível que deixou gostinho de quero mais”.

Eu estou magra, feia e dando um péssimo exemplo

10 de abril de 2014 136

Essa semana está especialmente corrida. Estamos trocando dia pela noite e trabalhando bastante no Donna Fashion Iguatemi (espero que vocês estejam conseguindo assistir aos desfiles lá no shopping, ao vivo na internet ou mesmo espiando as galerias de fotos do site). Já babei por muita coisa que vi na passarela e estou especialmente encantada pelos vestidinhos curtos com mangas compridas, aqueles que as famosas amam em red carpet. Inclusive, na minha coluna da revista Donna do próximo domingo, eu vou contar onde tem para vender os modelos de couro mais desejados do momento.

Mas o que me traz aqui, de “chambre” (amo essa palavra), sonolenta e com toalha enrolada na cabeça, é outro. Eu poderia estar aproveitando a manhã para dormir até mais tarde, mas vim aqui falar sobre como eu estou magra, feia e dando péssimo exemplo. Palavras, é bom ressaltar, que não são minhas, mas que estão registradas em várias mensagens enviadas a mim durante esta semana.

Por onde eu começo? Hummm. Bom, quem sabe dizendo que falar da minha vida nunca foi problema para mim. Eu contei tudo do meu casamento (as partes boas e os momentos de desespero), eu escrevo aqui que tenho celulite, que acho meu nariz caído e até divido meus dilemas mentais mais profundos. Essa é a Gabi. Quem gosta, passa no blog ou no Facebook, lê, comenta, concordando ou discordando, vai embora e volta de novo. Quem não gosta, não lê, não passa no Facebook ou decide que precisa urgentemente fazer com que eu mude a minha personalidade. Uma moça me escreve direto: “Te valoriza, guria! Para de escrever sobre teus defeitos!”. É um conselho que vale a pena ser observado, porque se a gente só destaca o que acha que tem de ruim, vai ser complicado querer que os outros destaquem o que tu, teoricamente, teria de bom. Deu para entender? Pois então. A questão é que minha celulite, meu nariz, meu salário que não é grandão, minha casa estar de pernas para o ar ou eu estar podre de cansada dizendo que uso chambre, não soam para mim como uma manifestação de defeitos. Quando comento essas coisas, seja em blog, no FB ou com amigas, me sinto mulher. Me sinto real. Melhor: me sinto normal. Quantas de vocês aí têm celulite? E vocês que não têm, parem agora de ler esse texto e levantem as mãos para o céu agradecendo a bênção, viu?

A última rodada de críticas que venho recebendo tem a ver com meu peso. Eu contei, em mais um daqueles posts de abrir o coração, o que aconteceu para que 13 quilos fossem dar uma passeadinha. O que me fez perder peso não foi um evento necessariamente bom, mas o resultado me deixou feliz. Eu vivia lutando contra quilos a mais, já que sou uma glutona de marca maior. Adoro fritura, salgadinho, refrigerante, pizza. Detesto – ou detestava – verdes e frutas. Quando me vi com 10 quilos a menos, peso que eu tinha na época do meu casamento, há quase 4 anos, pensei: “Tá bem. Vou fazer deste limão uma limonada. Eu vou manter meu peso, mas de uma forma saudável, que é como os médicos dizem que a gente tem que fazer”. Foi aí que implantei na rotina 3 hábitos essenciais: agora eu tomo café da manhã (antes eu detestava), bebo água (abasteço minha garrafinha no trabalho o tempo todo) e incluí carnes brancas, vegetais, legumes e frutas no dia a dia. O detalhe importante: passei a gostar desse combo porque não estou comendo nada forçada, com o objetivo de secar, mas sim de alimentar meu corpo com vitaminas e nutrientes que ele não devia ver há um bom tempo. E tem dado certo: meu peso estabilizou, e olha que eu piso na jaca direto.

Um adendo: eu nunca fui uma menina acima do peso. Lá em 2011 eu tive uma fase de 75 quilos, meu máximo na vida. De resto, sempre fiquei ali na casinha dos 64, 65 ou uns 69 quando voltava de viagens (como não comer de tudo na França?). Agora, são 55, o que realmente me dá uma aparência de estar bem mais magra do que antes. Estou feia, segundo alguns leitores (e eu não discordo de vocês, viu? Gosto é gosto e eu tenho espelho em casa para saber que não sou a Gisele Bündchen). Segundo outros, postar fotos minhas no FB está dando péssimo exemplo para as pessoas.

Uou, uou, uou. Peraí. Aqui eu queria a permissão de vocês para discordar um pouquinho.

Eu estou feliz com minha perda de peso? Claro! Voltei a entrar nas roupas que não cabiam mais, me sinto mais confiante para finalmente usar cropped top, que achava lindo, mas detestava em mim. Ontem fui comprar uma saia lápis e a vendedora me analisou de cima a baixo e disse: “Humm, pra ti acho que tem que ser PP”. Até ontem, era G. Quem é mulher sabe que isso é divertido de ouvir. Estar mais magra te permite se vestir de outro jeito, experimentar coisas novas. Mas eu estou mais feliz com a minha nova atitude diante da comida. Estou numa fase de não comer meus sentimentos. Não sento na frente da tevê entediada com um pacote de Oreo só para passar tempo. Mas pego o mesmo pacote de Oreo e vou comer na pracinha perto de casa enquanto o cachorro brinca. Se vai durar? Para ser bem sincera, eu duvido: Gabi rima com bacon. Eu acredito que daqui há um tempo, vou começar a jacar de novo e retornar para aqueles 60 e poucos. Mas enquanto eu conseguir me manter assim, vou vibrar. Me sinto mais disposta, mais energizada. Terei que fazer uma pequena cirurgia para tirar pedras da vesícula e me sinto bem mais saudável para passar por isso aqui do que no tempo que amanhecia tomando Red Bull.

Esse blog não vai virar fitblog, com dica de comida saudável que preparei em casa com 3 brotos de bambu e um fio de azeite. Mas se um dia eu descobrir que bambu com azeite é bom (o que duvido), juro que posto a receita. Nem que seja para alguém copiar em casa jogando um monte de fatias de queijo cheddar em cima (essa receita fica cada vez mais nojenta).

Eu tenho 36 anos e uma pele bem cascudinha no que diz respeito a xingões, ofensas na internet. Sei separar o que é estupidez pura e simples, do que é maldade e do que é uma crítica positiva. A quem é estúpido e me chama de caveira ambulante (cara, sente o exagero), espero que as palavras acima sobre eu estar meu cuidando alterem de alguma forma a sua opinião. Já sobre eu estar feia, não posso fazer nada. Tem coisas, amigos, que nem toda maquiagem do mundo resolve. Com quem é maldoso porque acordou com o pé esquerdo e decidiu que a vida só faz sentido se xingar e ofender muuuuuito na internet, minhas lástimas. Aquela minha pele cascudinha me deu o poder de entender quando algo é pesado, mas para o bem, e quando algo é pesado porque a pessoa se acha invencível atrás da tela do computador. Não é. Para você, nosso encontro será brevemente marcado em ambiente policial e judicial, pois confio cegamente no belo e dedicado trabalho da Delegacia de Crimes Cibernéticos, que dará andamento ao boletim de ocorrência aberto por mim (estou de boca aberta com a atenção dada ao meu caso pela Polícia Civil, a quem, independentemente de resultado, vou agradecer eternamente). E para quem me chama de feia como uma crítica construtiva, obrigada. Sério. Existem palavras e palavras para expressar o sentimento por alguém. As da crítica construtiva vêm acompanhadas de meiguices que mostram que a pessoa se preocupa contigo. A vocês, meu beijo e meu juramento: a saúde está em dia. Não se preocupem, tá?

O maior volume de e-mails, tweets e afins chegou depois da foto abaixo, postada ontem no FB. Eu queria mostrar minha blusa, criada pela Franciele Comparin (anotem esse nome), uma das vencedoras do projeto Senac Next Generation, que destaca novos talentos da moda. Alguns me acharam magra demais e vieram para cima dizendo que eu estava dando um exemplo ruim.

fran

Estou longe de ser dona da verdade, mas eu não consigo ver numa quase selfie algum péssimo exemplo. Sim, eu perdi peso, e eu contei aqui o que aconteceu. Eu não sou anoréxica, não sou bulímica, não deixo de comer. Pelo contrário: estou seguindo a cartilha da saúde para me manter uns quilos mais magra (o que me faz sentir mais disposta) e bem, prontinha para passar dos 90 anos com folga. Eu não me vejo tão magra quanto os outros dizem, mas é claro que olho no espelho, vejo uma diferença e às vezes até eu mesma me acho feia. Faz parte da vida. Se entender é um processo que começa quando a gente nasce e, espero eu, pela fé que tenho, que não termine quando meu corpo morrer.

Fico com uma frase da Deb Xavier, que me viu ontem no Donna Fashion, me puxou para o lado e disse: “Tu estás linda. E não é por estar magra. Tu estava linda antes”. Eu me sinto linda quando estou feliz, em paz com minha consciência, trabalhando no que amo, levando o dog para passear, fazendo malabarismo com o salário, comprando um sapato novo, visitando meus pais, torcendo pela chegada do meu sobrinho. Eu estou feliz agora. Então estou linda. Por fora, todo mundo tem o direito de discordar. Mas do meu interiorzinho, eu que entendo.

Beijos e obrigada de coração pela preocupação. Beijo especial para quem concorda que beleza não se mede na balança, mas pelo tamanho do coração.

Just married: Karen e Giuliano

10 de abril de 2014 2

casamento_karen_e_giuliano_382

“Ai nem acredito que depois de ter acompanhado por tanto tempo o Blog, estou escrevendo pra ele!

“Desceu a chuva, vieram as torrentes, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela não caiu; pois estava edificada sobre a rocha.” Mateus 7:25. Foram essas palavras que ecoaram há 1 ano em um dos momentos mais importantes das nossas vidas: nosso casamento! As palavras, representam o alicerce para o início da nossa família.

Não tenho palavras para expressar tamanha alegria ao ver o Giuliano “em lágrimas” me esperando no altar, cada sorriso e gesto de carinho durante o percurso até o encontro me fizeram ter certeza que cada detalhe desse dia preparado com tanto amor VALEU A PENA!

Eu, o Giuliano e a Rafa (nossa princesa que já estava a caminho: sim casei grávida de 4 meses) optamos por uma festa intimista, com familiares e amigos próximos. Optamos pelo Villa Antonietta, um lugar simplesmente mágico, onde nos sentimos acolhidos desde a primeira visita.

Cada detalhe pensado e realizado com muita dedicação e carinho. Obrigada a TODOS! E as leitoras, RECOMENDO o casamento 100%. Economize no que é possível, invista em aspectos relevantes e o que estiver ao seu alcance e que seja pré-evento( imagine você como uma louca de cabelos em pé no grande dia, NUNCA dá certo) e faça você mesma”!

Ficha técnica:

Local: Villa Antonietta | Voilette da noiva: Tais Andrade | Buffet: Barcelos Gastronomia |  DJ: Fábio Lima | Cabide, corsages e buquê de Santo Antônio: Wedding Shop | Convites e identidade visual: Abelha Catita | Vestido da noiva: | Som e luz: | Cabelo e make: Sandra Varcelli | Sapato da noiva: Durval Calçados | Traje do noivo: VR | Fotógrafo: Gustavo Mittman