Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Thumbnail

Chá de lingerie da Fran

“Oi Bá! Escrevo pois estou muito feliz! Caso no dia...

Thumbnail

Como derreter chocolates que sobraram da Páscoa e transformar num ganache dos deuses

“Oi Bá! Escrevo pois estou muito feliz! Caso no dia...

Thumbnail

Os lindos e desejados tubinhos de couro de Juliana Sanmartin

“Oi Bá! Escrevo pois estou muito feliz! Caso no dia...

Thumbnail

Faça um cachorro quente: projeto vai dar roupas para animais carentes

“Oi Bá! Escrevo pois estou muito feliz! Caso no dia...

Thumbnail

Abrindo meu coração: workaholic, workalover, terapia e outros pepinos

“Oi Bá! Escrevo pois estou muito feliz! Caso no dia...

Chá de lingerie da Fran

24 de abril de 2014 0

1 - franscine2

“Oi Bá! Escrevo pois estou muito feliz! Caso no dia 17 de maio e no último sábado, dia 29, foi o meu Chá de Lingerie.

Quando conversei com minhas madrinhas, as mulheres maravilhosas que eu chamo de Divas, combinamos que eu não saberia de nada da organização! Que seria tudo uma surpresa para mim! As únicas coisas que eu deveria fazer era enviar a lista de convidadas , reservar o salão do condomínio e estar linda no dia! Elas até criaram um grupo de conversas chamado “Madrinhas da Fran SEM A FRAN”! Ótimo!!!

Bem, foi pouco mais de um mês de organização!

Quando cheguei em casa elas me levaram de olhos fechados até o salão…tudo fazia parte da surpresa!

Ao abrir meus olhos, deparei-me com uma atmosfera mágica! Fiquei emocionada, sem palavras…como já disse, eu estava radiante, muuuito feliz!

A decoração do salão estava linda! Elas reuniram flores, velas, pérolas, artigos de decoração da minha casa, porta-retratos com fotos minhas e do noivo ( objetos que personalizaram o ambiente), além de fotos com as madrinhas. Achei muito legal trazerem para aquele momento tão especial peças do meu dia-a-dia com o Noivo! Tinha também uma noivinha de porcelana que é muito especial e que decorava o centro da mesa principal!

Teve também uma participação especial do noivo com um vídeo de Perguntas e Respostas ( e foi demaissss!).

Como lembrancinha elas fizeram uma cinta-liga de renda linda!!! Tudo foi de muito bom gosto!!

Como lembrança para mim elas fizeram uma camiseta com HOT BRIDE impresso (criei o #projetohotbride há cerca 6meses quando me propus a mudar hábitos de vida e também emagrecer para o casamento – e desde lá já foram 13kg). Durante o evento as convidadas deixaram seu recadinho nessa camiseta e agora ela vai virar um quadro!

Todas as convidadas entraram no clima das brincadeiras! Foi divertidíssimo!

Enfim, o dia  vai ficar marcado pra sempre na minha memória! Eu só tenho a agradecer por estar cercada de pessoas tão especiais que estão dispostas a me fazer feliz! Sou muito abençoada por isso!

Desejo que toda a Noiva tenha a alegria e o privilégio de passar por esta experiência”!

Postado por Bárbara Chanas Anton

Problema existe, mas a gente tem o poder de deixá-lo maior, menor ou do tamanho que realmente tem

24 de abril de 2014 0

Como você reage quando sabe que alguém cometeu suicídio? Tem o grupo que condena imediatamente, se perguntando o dia todo como alguém pode acabar com o dom mais precioso que um ser humano pode receber: “Tanta gente aí lutando para vencer câncer e esse babaca se mata”. Tem o grupo que foca na família e pensa no desespero de quem perdeu alguém querido (e quem já perdeu um familiar, por morte de qualquer motivo, sabe como dói a saudade). Eu faço parte do grupinho que pensa muito na pessoa que se matou. A vida é, sim, cheia de altos e baixos, mas para quase tudo tem uma saída além de cometer suicídio. Eu uso a palavra “quase” aqui para estar ciente da minha ignorância sobre a vastidão do universo. Eu não passei por todas as experiências do mundo. Eu não sei – e não tenho vergonha de admitir – se não haveria um dia algo tão insuportavelmente dolorido na minha vida que me fizesse pensa a acabar com ela precipitadamente. É por isso que penso demais na pessoa que se matou. Fico imaginando o que passou pela cabeça dela para tomar uma atitude tão extrema. Certamente, não viu luz no fim do túnel. Provavelmente, estava passando por um problema que achava que não teria solução. E isso me dói especialmente. Dos corações partidos da adolescência a demissões depois do fim de um estágio, já passei por dores que considerei por alguns momentos que nunca iriam sarar. E sararam, porque quem disse que tempo cura tudo devia ser bem sábio. Pense agora em quantos problemas “insolucionáveis” você teve na vida e como lidou com eles. Tem gente aí que até vai abrir um sorrisinho e pensar: “Uau, e naquela época eu achei que meu mundo tinha acabado”. 

Keep calm porque essa não é uma carta de suicídio online. Felizmente, nunca passei por algo tão extremo a ponto de pensar nisso. Espero nunca passar. Mas eu queria dizer que não julgo quem faz. Eu apenas lamento que a pessoa não tenha tido a clareza de perceber que talvez ainda deveriam existir pessoas que pudessem ajudar, que nem todas as alternativas teriam se esgotado. Olho esses casos de meninos jovens que se mataram com 11, 12 anos porque eram xingados na escola. A bagagem de vida deles, tão curtinha, fez com que não encontrassem outro meio de lidar com aquilo. Penso neles com grande tristeza. Vontade de estar perto, de abraçar e dizer: “Hey, eu tenho 36 anos e já passei por vários problemas cabeludos. Mas eu sempre soube que deveria existir uma solução e me foquei em procurar por ela. Tudo vai ficar bem, acredita em mim”.

Textinho sombrio para um começo de quinta, não é? Essa introdução tão forte foi feita para falar que, por mais bizarro, pecaminoso e cruel que seja a decisão de alguém, no fim das contas cada um é o responsável pela sua vida. Já te aconteceu de dar um conselho simples, claro, direto, básico e óbvio para alguém e a pessoa não seguir? Tipo um “amiga, esse cara só te trai, cai fora” e ela seguir com ele? Acontece. O julgamento final do que qual caminho pegar, no fim das contas, é dela.

Nos últimos anos eu descobri uma forma estranha de lidar com meus problemas, uma forma que nem todo mundo entende, mas que depois de tanto papo aí nos parágrafos acima, espero que pelo menos parem um instante e tentem analisar. Eu passei a escrever num blog o que acontecia comigo. Comecei com coisa boa, falando sobre meu casamento, como foi organizar tudo. Depois que ele passou, senti que tinha à minha volta uma comunidade de pessoas que me queriam bem e que já considerava amigas (com exceção de uma ou outra que me detestam, o que faz parte do jogo). Falar de um perrengue aqui e outro ali me fez ter um retorno que eu não tinha de pessoas muito próximas como meu marido, minha irmã, minhas amigas. Lembram do episódio do estresse crônico? Todo mundo que me ama estendeu a mão para me ajudar, mas eu senti mais conforto ao ler recados de pessoas que também passaram por aquilo e fizeram a gentileza de me dizer como foi e como superaram. Não tem preço. É um acalento para a alma, é um afago no coração. E é uma gentileza sem tamanho que alguém tenha parado alguns minutos em frente ao computador para confortar uma pessoa que nunca viu ao vivo. Bravo, bravo!

Me faz bem escrever sobre a minha vida. Me faz bem dizer coisas até bem particulares num fórum que está aberto aí na rede para quem quiser ler. Por que eu faço isso? Parte porque é como se tirasse um peso do coração fazendo o que mais gosto de fazer na vida (escrever, tanto que escolhi isso como profissão). Parte porque aquele tal retorno de “hey, vai ficar tudo bem” é impagável. E, finalmente, porque essa sou eu. A Gabi de 2008, que começou um blog sobre casamentos, definitivamente não é a mesma de 2014. A de 2008 achava que três ou quatro pessoas leriam suas histórias chatas obre como dobrar o guardanapo na festa de casamento. A de hoje celebra ter à sua volta gente que de vez em quando se materializa no supermercado, no parque, que te para no elevador para contar que te acompanha. E que gosta ou que divide de opiniões parecidas contigo. É como se amigos brotassem do chão como plantinhas. É por isso que adoro fazer encontros para conhecer gente, ver o rostinho de quem é meu amigo virtual. Como diria o Lulu Santos: “me faz tão bem, me faz tão bem”.

Eu consegui dar uma breve explicação de como eu sou, de como vejo a vida e porque falo abertamente num blog sobre problemas que muitas pessoas guardariam para si mesmas? Espero que sim.

Com tudo isso dito, me sinto à vontade para dividir um outro episódio da minha vida. Depois do meu casamento, muita gente começou a me cobrar para ter um bebezinho. Justo, né? Tenho 36 anos e está mais do que na hora. A chegada do pequeno está nos meus planos com o Marcelo, aqueles mesmos planos que a gente faz a longo prazo, que incluem trocar de carro ou apê, adotar mais um cachorro, largar tudo e fazer mochilão pelo mundo. Já estamos na fase “no pílula”, testando para ver quando é que Deus vai me mandar meu pacotinho. Sei que tenho a torcida de muitos para que seja em breve, mas juro, de todo meu coração, que acredito que será na hora certinha, aquele timing que só Deus sabe quando é, que às vezes a gente não entende, mas depois de um tempo descobre  porque foi tão rápido, tão demorado, tão fácil, tão doloroso, tão sei lá o que. Como é mais fácil ver a solução dos problemas uns dias depois de eles acontecerem, né?

Vou abrir mais um capítulo da minha nada interessante vida aqui. Pelo motivo que expliquei ali em cima: me faz bem. Na semana passada, eu sofri um aborto espontâneo. Foi bem na semana da chegada do meu afilhado lindo, perfeito, presente divino, amorzão da vida de sua dinda. Foi algo bem no comecinho da gestação e eu sequer sabia que estava grávida.

Respondendo uma série de questões num tiro só: é mais comum do que a gente imagina, acontece por uma série de motivos (os meus estão sendo devidamente investigados), eu posso engravidar de novo (a princípio não há nada errado comigo). O sangramento fora de hora assustou – e muito – mas como eu ia dizendo ali em cima, foi na semana na chegada do Bernardo. Eu tinha a opção de escolher entre me acabar em choro por algo que o médico já tinha dito que acontece bastante ou me concentrar em mandar boas vibrações para a Bárbara. Escolhi um misto dos dois. Abracei a tristeza por 5 minutos (era sobre isso que eu me referia no post de ontem no FB), falei claramente comigo mesma sobre como aquilo era corriqueiro e como eu deveria ficar contente por poder engravidar de novo quando quisesse. No dia seguinte, nasceu perfeito o Bernardo. Qualquer resquício de dúvida que eu tinha sobre como realmente estava me sentindo naquela semana passou quando peguei ele no colo. Senti um amor sem fim, vontade de proteger, felicidade pela minha sobrinha (gente, tem pessoas aqui perguntando se a Bárbara tem 16 anos. Hahhahaha, não, ela tem cara de piá, mas tem 24). Bazinha e Bê eram mais importantes.

Contei para minha mana só depois do netinho dela nascer feliz e bonitão, para minha mãe e para uma ou duas amigas no trabalho, que precisavam entender minha ausência. Hoje, faz uma semana do que aconteceu e me sinto tranquila para dividir aqui nesse mundão que é a internet e ouvir relatos de almas legais que queiram me contar suas experiências. É como um Alcoólicos Anônimos: ouvir histórias de gente que venceu um problema não te anima a seguir em frente? Eu venci estresse crônico e contei aqui que para tudo tem jeito. Agora, estou contando outra história de vida.

Estou bem. Mesmo. De saúde e de cabeça. Mas eu sou blogueira (não me atreveria a dizer que sou escritora), e blogueiros gostam de escrever, se sentem bem com isso. Foi essa minha motivação para colocar o note no colo e escrever esse longo post, sem nenhuma figurinha ou fotinho, antes de ir me vestir para ir trabalhar.

Todo dia a gente aprende um pouquinho, né? Eu estou vivendo um ano lotado de experiências extremamente engrandecedoras, que, boas ou ruins, me ajudam a entender o sentido da vida e escolher o caminho a tomar. É claro que, se pudesse, deletaria o aborto dessa listinha de episódios, mas ele veio para me ensinar alguma coisa. Já tenho uma leve suspeita do que, mas irei consolidando minha opinião nos próximos dias.

Não precisa fazer beiço, abraçar no corredor e chorar ao me ver (aconteceu direto quando a Bellinha morreu). Ao contrário daquela vez, eu estou realmente tranquila. Divido aqui porque sou uma mulher que conta mimimis na internet. E eu sei que existem outras Gabis por aí no mundo. Toquem aqui, gurias! Estamos juntas, acontece e a vida segue. Só ter uma vida já não é presente suficiente? Eu acho que sim.

Uma linda e abençoada quinta para vocês,
Gabi

Captura de Tela 2014-04-24 às 08.42.12

Para não dizer que não tem nenhuma fotinho nesse post. Bazinha e Bernardo mandam beijos. Estão ótimos! A Bárbara manda dizer que ser mãe é a melhor coisa do mundo.

Pré-Wedding: Thayrine e Moisés

23 de abril de 2014 0

Pré wedding (28)

“Lembro que um amigo disse uma vez que o “centro de Porto Alegre é a parte mais feia da cidade”. Sempre pensei nisso e tive que concordar com o fato de que o centro não vive seus melhores dias devido ao descaso e abandono de tantas áreas lindas, mas infelizmente mal cuidadas. Porém basta um olhar mais sensível para percebermos que a beleza do centro ainda está lá, basta encontrar ela. Esse foi o nosso maior desafio ao realizarmos este ensaio.

No mês de Março tivemos a honra de realizar o ensaio Pré-Wedding do casal Thayrine e Moisés. Juntamente com o casal, escolhemos o centro de Porto Alegre para realizar as fotos. O casal fez as fotos do Trash e do Save em parques e fazendas, pensando nisso decidimos, juntamente com o casal, fazer algo diferente para o Pré wedding. Então optamos pela proposta de ensaio estilo urbano.

Foi em um domingo ensolarado onde pudemos encontrar algo raro para o centro da cidade: estava vazio. Andamos um bocado pelo centro. Primeiro subimos até o Viaduto da Borges de Medeiros, parada obrigatória, depois descemos para a Andradas, a ideia era aproveitar o brilho da rua pavimentada com paralelepípedos e reforçar a ideia de urbano com os prédios ao redor. Esperávamos mais movimento de pessoas passando para utilizar nas cenas também, porém não teve, mesmo assim o resultado foi muito satisfatório. A última parada foi na Praça da Alfândega, onde pudemos aproveitar um pouco das construções antigas e também botar um pouco de verde no ensaio.

Juntando isso ao entusiasmo e sintonia do casal, obtivemos o belo resultado que gostaríamos de compartilhar.

Fotos: Douglas Morais

Just married: Anelise e Vinícios

22 de abril de 2014 0

Just (3)

“Eu e o Vinícios namoramos desde 2003. No finalzinho de 2012 decidimos e marcamos a data do casamento, dia 11 de maio de 2013, em Glorinha.

Desde o início cuidei de pertinho de todos os detalhes. Alguns, eu que fiz, como o Save the Date, o convite pros padrinhos, os kits dos banheiros, entre outras coisinhas.

Estava tudo encaminhado, tudo saindo como eu sempre sonhei. Dez dias antes do “grande dia”, na penúltima prova do vestido, desmaiei, cai e quebrei o nariz. Isso mesmo! Fraturei o osso do nariz e levei 8 pontos.

Por mais incrível que pareça, em nenhum momento pensei em desmarcar a festa. Eu estava um monstrinho, mas mesmo assim dizia que ia casar.

Aí indicaram-me um “anjo” que fez drenagem no meu rosto durante 8 dias seguidos… A cada dia que ela saía lá de casa, eu ia ficando menos roxa e menos inchada. No dia do casamento, quem não sabia do acontecido nem percebia!

Foi o dia mais feliz da minha vida! Estava tudo maravilhoso! Foi realmente uma noite mágica e que passou muito rápido”.

Ficha Técnica:

Vestido da noiva: Inês Noivas | Dia da noiva: Lúcia Espaço da Beleza | Fotógrafo: Edgardo Iglesias | Buquê: Tatiana Bulsing | Doces: Andrea Doces | Buffet: San Dea | Decoração e Cerimonial: Leandra Noschang /Acontece Cerimonial & Eventos | Iluminação e DJ: Ibiza Dance |Banda: Toque do Tchê | Drenagem: Lucirene Matos – Pretty Way Estética Facial e Corporal

Como derreter chocolates que sobraram da Páscoa e transformar num ganache dos deuses

21 de abril de 2014 0

milena

saiu o donna

Dica para dar fim – ou uma nova chance – aos ovos de Páscoa que encheram o refrigerador depois do domingo: Milena Marin, doceira da La Poele e expert em chocolates, ensina como derreter o que sobrou para criar um ganache dos deuses.

– A forma mais gostosa e prática de derreter os chocolates dos ovos de Páscoa é no micro-ondas– indica Milena. Corte o chocolate em pequenos pedaços, coloque em um recipiente de vidro e derreta à temperatura média. Retire a cada minuto e mexa até o chocolate derreter por inteiro e formar uma mistura cremosa e homogênea. Para fazer o ganache, acrescente creme de leite (para cada tipo de chocolate há uma proporção adequada de creme de leite):

- Para cada 200g de chocolate amargo: 100ml de creme de leite

- Para cada 200g de chocolate ao leite: 70ml de creme de leite

- Para cada 200g de chocolate branco: 50ml de creme de leite

bolo

Dona balança, tenha pena de mim!

Sessão de fotos: Bruna e Eduardo

21 de abril de 2014 0

Sessão de fotos (20)

A Franciele da Zapp Eventos, nos enviou a sessão de fotos do casal Bruna e Eduardo. O clima foi bem gaudério, tchê!

O grande dia será no CTG Armada Grande e seguirá as tradições gaúchas, demais né?

Postado por Bárbara Chanas Anton

Fotos: Jorge Scherer Fotografia

Chá de panelas: Carolina

20 de abril de 2014 0

Chá (11)

“Meu nome é Carolina e gostaria de compartilhar com você e com as leitoras do seu blog alguns detalhes do meu chá de panela.

Planejei e preparei esse momento por três meses e com a ajuda da minha mãe e da minha sogra. Consegui deixar tudo como eu imaginei! Me ative muito aos detalhes, acredito que são os detalhes que fazem toda a diferença em qualquer festa.

Primeiro decidi as cores que eu queria, optei pelo vermelho e o azul tiffany. Depois pensei nas lembrancinhas, queria algo que minhas convidadas realmente fizessem proveito, daí comprei todo material e minha sogra fez os panos de pratos, depois foi só colocar um lacinho com a colher de pau e o tag de agradecimento.

Para receber bem minhas convidadas enfeitei as mesas com uns arranjos de flores em jarrinhas que eu comprei no tom da festa e coloquei os guardanapos na cor vermelha e branco também compondo a mesa.

O bolo, não foge muito ao padrão dos chás de panela, mas me baseei por um modelo que encontrei na internet e ficou como eu queria. Lindo e saboroso!!!!

As guloseimas pensei em coisas que eu mesma pudesse fazer, então tinham latinhas com tic tac, brigadeiro branco e preto no copinho, potinhos com doce de leite feito pela sogra e potinhos com biscoitos. Além disso encomendei brigadeiros gourmet, umas xicrinhas de chocolate e cupcakes. Ah…O bolo com os panos de pratos que fez o maior sucesso!

Ainda pra decorar usei um porto retrato que meu amado havia me dado a alguns anos para colocar nossa fotos em preto e branco.

Adorei organizar meu chá de panela e depois ver como tudo ficou perfeito, e ainda melhor ouvir das pessoas os elogios.

Esperem que gostem e que sirva de inspiração”.

Just married: Caroline e Luciano

19 de abril de 2014 0

4 - 1618430_427448684066549_1780415088_n

“Olá Bárbara!!!

Eu sou a Carol, uma noiva novinha em folha e muito feliz!!! Meu casamento foi um sonho! Lindo, delicado e com o meu jeito… Muito especial!

O site da Gabi me ajudou e muito…. Foi o alicerce para criar e tornar realidade meus sonhos”!

Postado por Bárbara Chanas Anton

Habemus Bernardo: parabéns, Bárbara e Renan!

19 de abril de 2014 7

A emoção de contar como é finalmente ser mãe a própria Bazinha vai registrar aqui no blog. Mas eu não podia deixar de babar como dinda e postar uma foto do pequeno, que nasceu cheio de saúde ontem à tarde no Hospital Moinhos de Vento.

BERNARDO

Renan, desculpa não te pedir permissão para te colocar no bloguinho. Mas é que tua cara de feliz e o flagra de soninho do Bernardo estão muito irresistíveis.

Mamãe, papai e bebê passam muito bem. Devem ir para o quarto ainda pela manhã e depois começar uma vida nova muito feliz com toda família babando por seu novo integrante.

Obrigada por todas as mensagens de boas vibrações que foram enviadas nos últimos dias. Deitadinha no hospital (e no maior pique, como sempre), a Bazinha manda agradecer. Se alguém quiser deixar recados, conselhos de mãe ou afins para ela, é só usar o espaço dos comentários. Vou visitar à tarde e mostro tudo para a moça, a mamãe mais feliz, preparada e apaixonada que eu já vi.

Dinda te ama, Bernardo. Ah,Bernardo,  isso aqui aqui é um blog. É um lugar onde as pessoas escrevem coisas bobas sobre as suas vidas, dividem alegrias, fotos que gostam. Tu quer ser colunista do meu? Por mim, tá empregado!

Robô que limpa janelas é novidade no mercado

19 de abril de 2014 0

Winbot-710-DT-office

Apresentado este ano ao mercado, o Winbot, robô que limpa vidros, deve chegar às lojas em breve. O aparelho lava por dentro e por fora de janelas, sendo controlado por controle remoto de dentro de casa. Equipado com sistema de sucção, não se desprende do vidro enquanto executa a tarefa de limpeza e de secagem. Detalhe que faz a gente lembrar da casa moderninha dos Jetsons: antes de começar o trabalho, o robô detecta automaticamente o tamanho da janela.

jet

Na internet o bonito já está à venda. Sai por mais de R$ 2 mil. Mas pensando em quem mora em apês bem altos, parece ser uma boa. Chega de imagens de gente dependurada correndo risco de vida para limpar janela!

saiu o donna

win2