Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Acerto de Contas"

Divórcio que rende juros

01 de novembro de 2011 1

Em tempos de divórcio comentadíssimo na mídia a jornalista Giane Guerra, do blog Acerto de Contas, te conta como lucrar com o divórcio alheio. Como assim? Ela explica.

Você apostaria suas economias no divórcio de alguém? Meio mórbido, não? Tem gente que sim. Tanto que divórcios de celebridades são o foco de vários “hedge funds”, como são chamadas aplicações financeiras bem agressivas.

O investimento pode ser feito de duas formas. A mais básica é uma simples e pura aposta em quando determinado casal vai se separar. Acertou, leva. Errou, o dinheiro vai para quem apostou certo.

O outro tipo é bem a cara de um fundo de investimento. Só que em vez de financiar uma empresa ou um governo, você vai financiar o plebeu da história. Explico: esses divórcios de celebridades custam uma fortuna. Quando se separam, alguém sai sem dinheiro até mesmo para pagar um advogado de peso, que, é claro, cobra cifras com vários zeros antes da vírgula.

O dinheiro dos investidores, então, é usado para bancar o processo de separação. A rentabilidade desta aplicação vem da bolada que o milionário da história vai perder para quem você financiou. Isso porque a pessoa terá que devolver com juros aquilo que pegou emprestado do “hedge fund” para pagar a sua separação.

Os gestores deste tipo de investimento olham com um “carinho especial” aqueles jovens casais que ficaram ricos há pouco tipo e muito rápido. Até onde sei, esta aplicação bastante peculiar ainda não existe no Brasil.



Pague suas dívidas antes do casamento

A vida financeira também precisa ser compartilhada

Calculando o valor da lua de mel

Acerto de Contas: pague as dívidas antes do casamento

01 de setembro de 2011 3

Casar, comprar casa nova, trocar o carro por outro mais família e programar a lua de mel envolve muito dinheiro e, na maioria dos casos, parcelamentos, financiamentos e montes de continhas para pagar. Quem tem débitos em aberto e, com isso, restrições de crédito junto ao SPC ou Serasa, tem no casamento uma boa desculpa para colocar as contas em dia. Se você estava empurrando com a barriga uma negociação, quem sabe a mudança de vida não seria o momento perfeito para colocar tudo em ordem? Para poder parcelar o vestido, financiar o apê novo ou pagar mimos com cheque a saúde financeira precisará estar em perfeitas condições. A Giane Guerra, jornalista de Economia e colunista do Noiva.com, fala sobre o assunto e alerta: estamos cada vez mais endividados.

Os números apenas sinalizavam há alguns meses. Agora, estão quase gritando: os gaúchos estão mais endividados e, o pior, mais inadimplentes. A diferença: o primeiro é ter contas para pagar. O segundo é atrasá-las.

A média da inadimplência no Rio Grande do Sul ficou em 10,7%. O que quer dizer este número? Imagine que, a cada 100 pessoas que tentam comprar em uma loja que consulta o SPC, para quase 11 acende a luz vermelha. Elas estão, como se diz, com o nome sujo na praça.

Casais, a inadimplência é uma bola de neve. Sabem por que? É juro sobre juro. Uma dívida de R$ 5 mil hoje no cartão de crédito ou no cheque especial, certamente, vira R$ 10 mil em menos de um ano. Não deixem esta bola de neve nem ao menos se formar.

E atenção para o golpe! Também não acreditem naquelas empresas ou advogados que prometem retirar milagrosamente o nome do SPC ou da Serasa. Muito menos naqueles e-mails estranhos que vocês recebem com essa promessa. O consumidor ganha na Justiça apenas se o nome for colocado irregularmente no cadastro.

Dívida feita tem que ser paga. Pode antes, claro, ser renegociada. Aliás, a renegociação é uma boa saída. Os bancos e as empresas de cartão de crédito sabem que os juros, depois de muito atraso, tornam a dívida difícil de pagar. Correndo o risco de não receber, as empresas facilmente reduzem a dívida durante uma boa conversa por telefone.

Acerto de Contas: a vida financeira também tem que ser compartilhada

13 de julho de 2011 12

O Noiva.com ganha um novo e importante espaço. De tempos em tempos a jornalista Giane Guerra vai passar por aqui para trazer dicas de economia voltadas para a vida a dois.  A Giane, que responde pelas reportagens da área na Rádio Gaúcha, vai selecionar temas que interessam quem está comprando casa nova, alugando o primeiro apartamento, pensando em fazer um financiamento ou tentando entender como organizar as finanças a dois. O melhor de tudo isso é que a Giane escreve um texto super leve e nada assustador (vamos combinar que economia assusta, sim).

Fica a dica de acompanhar o Acerto de Contas, o blog da Giane. Não é por nada que escolhemos o mesmo nome para a coluna aqui do Noiva.com, viu? Aguarde lições para amenizar as briguinhas sobre dinheiro. A primeira dica já é dos deuses!

Não é novidade quando as pesquisas mostram que o dinheiro é o principal motivo das discussões para a maioria dos casais. Fica na frente até mesmo do ciúme! Na verdade, quando a paixão está no auge, o dinheiro é uma preocupação menor. Ela cresce, principalmente, quando os casais começam a ter que calcular juntos o orçamento, fazendo caber o que sai dentro do que entra no cofrinho do novo lar.

Para novos e antigos pombinhos, indico o livro Casais Inteligentes Enriquem Juntos. O autor é Gustavo Cerbasi, um dos meus especialistas preferidos em finanças pessoais. Atenção: o livro não é de auto ajuda. Traz, sim, um pouco de comportamento e muita matemática financeira apresentada de um jeito que qualquer um entenda. Cerbasi começa contando a experiência pessoal dele mesmo. Quando noivou, o casal colocou os custos para a festa em uma planilha. Acrescentou os gastos que teria até o casamento e tentaram encaixar tudo isso dentro do que estava previsto de salários para os dois. Ficaram apavorados, é claro. Teriam que guardar todo o dinheiro por dois anos! Puxa dali e daqui e resolverm guardar 75% por mês. No fim das contas, final feliz e uma lua de mel mais bacana do que esperavam!

Divirta-se analisando o seu perfil financeiro e o do seu companheiro. Veja depois no livro em qual casal vocês se encaixam. Aproveitando as qualidades de cada um de vocês, é mais fácil estabelecer o papel de cada um na vida financeira que agora é compartilhada.

Na maioria das vezes, poupar significa um período de sacrifícios. O bom é que tem prazo para acabar. A meta alcançada dá um gás para estabelecer até mesmo um novo objetivo. A cada recompensa, fica mais fácil recomeçar a caminhada para encher novamente o cofrinho.

Comece a poupar já na compra do livro. Em uma pesquisa rápida na Internet, encontrei preços entre R$ 19,90 e R$ 34,90. O Gustavo Cerbasi também está no Twitter, onde dá dicas interessantes sobre planejamento financeiro: @gcerbasi.