Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Lua de mel"

Hoje é feriado e dia de ver a Taís casar

20 de setembro de 2013 4

O 20 de Setembro é feriado em todo o Rio Grande do Sul, por isso se as meninas de fora estiverem esperando algum telefonema de trabalho, alguma resposta comercial, lamento: todo o Estado (ou boa parte dele) está curtindo um feriadão. Eu não faço parte do time: desde cedo já estou aqui no jornal (lembrem-se, vestibulandas: jornalista trabalha em fim de semana e em feriado, viu?).

Amo muito o 20 de Setembro, mas estou especialmente empolgada hoje por outro motivo. E é algo que vai acontecer bem longe daqui: em Las Vegas!

brit

Não, não é a série de shows especiais da Britney Spears. Esses ainda não começaram. É outra coisa que tem muito a ver com Vegas.

cassino

Nope, também não são os cassinos da cidade. É aquela oooooutra coisa que acontece em Vegas.

casamento

Sim, casamento! 

A noiva é a Taís Andrade, nossa amada querida poderosa colunete de make do bloguinho. A Taís está acompanhando o marido numa viagem a Las Vegas e pensou: “Hummm, já que vamos para lá, porque não dar uma casadinha rápida?”.

tais

A Taís jura que colocou na mala só um vestidinho de renda básico e um casquete noivinha para deixar a produção com cara de casório. Mas dona Taís, eu quero é ver teu make de noiva! Depois de anos maquiando meninas para seu grande dia, estou doida de curiosidade para ver como a maquiadora se emboneca para seu próprio casamento. Fotos, por favor!

Como vocês sabem, além dos cassinos e dos grandes shows, Las Vegas tem uma série de capelinhas espalhadas pela cidade. Dá para casar até já sendo casado, viu? Se for de férias para lá e quiser repetir a dose do “I do” é só agendar um horário em uma dessas capelas. Tem de tudo: desde um casamento bem tradicional até um ultra maluco, com sósia do Elvis Presley como celebrante.

vegas

Confesso, deu vontade de cantar o “I do”. Será que o meu marido topa?

A Taís e o Fábio escolheram uma capelinha queridíssima chamada Chapel of the Flowers. É essa das fotos abaixo.

chapel

capela4

capela2

capela3

O casamento está marcado para 13h30, no horário de Las Vegas (18h30 para a gente no Brasil). Eu vou acompanhar tudinho por uma bacanice fantástica que a capela oferece: um link para os convidados de fora espiarem o casamento. Muito gentil, o Fábio deixou eu dividir com vocês o link para assistir. Valeu, Fábio! Tu sabes que a mulherada aqui iria morrer de curiosidade, né?

tais_

Essa é a tela inicial do site. Está vendo os três retângulos ali embaixo? Outra bacanice que só Las Vegas faz por você: dá para mandar presentes ou um brinde para os noivos. De longe, o convidado faz a compra, paga com cartão de crédito e depois do casório os noivos recebem os presentes. Amei!

Taís e Fábio, seja em Porto Alegre ou em Las Vegas, casar é sempre o máximo. Que essa cerimônia una vocês ainda mais e seja uma das páginas mais divertidas da vida dessa dupla querida. Estarei em casa assistindo com a vantagem de poder chorar sem ficar com vergonha de borrar a maquiagem.

rr

Só, por favor, se mantenham sóbrios até a cerimônia! Nada de dar uma de Ross e Rachel

:: Mais sobre casórios em Vegas

Informações para brasileiros que querem casar por lá

Suítes temáticas para uma lua de mel ao estilo Vegas

Tá com pressa? Case num carro em movimento!

A Rafa e o Wagner renovaram votos de casamento em Vegas e dividiram fotos lindas com a gente

A Fernanda e o Farlei fizeram uma sessão de fotos de babar por lá

De brincadeira: uma festa de aniversário de casamento inspirada em “Se beber não case” (lembra que o primeiro filme se passa em Las Vegas?)

Fernanda Pandolfi: Beyoncé acertou em escolher Trancoso

19 de setembro de 2013 9

Um passeio todo dourado em Paris

26 de agosto de 2013 8

Essa eu aprendi quando estava noiva: a luz amarela carrega com ela uma sensação de aconchego, de conforto. Usar lâmpadas com esse tom amarelado em casa (o modelo mais comum) remonta aos tempos da época da iluminação à luz de velas que as pessoas usavam nos lares. Já a luz branca, me explicaram, ilumina sem fazer muita sombra, tem um aspecto mais direto, objetivo, passa uma certa frieza. É a luz usada em hospitais, por exemplo.

Quem me deu essa explicação, lá em 2009, foi um fotógrafo, que me enumerava motivos para escolher a igreja Santa Terezinha do Menino Jesus para casar. Eu estava em dúvida entre ela e outra Santa Teresinha, a que fica no Parque da Redenção. Me dizia o profissional que as fotos da Santa Terezinha do Menino Jesus (que tem luzes amarelas) ficavam mais bonitas e emocionantes. Fui lá um dia de noite espiar e meu queixo caiu. Entendi na hora todo aquele sentimento de acolhida que ele me comentou. E mais: descobri que estava explicado o meu amor pela vida em amarelo/dourado. Eu tinha pistas: sempre preferi dourado a prateado, sempre amei roupa amarela, sempre preferi dias brilhantes de verão aos fechados de inverno, sempre amei fotos em sépia, sempre adorei relaxar com velas acesas num ambiente escuro.

Captura de Tela 2013-08-25 às 13.10.33

Bem convencida, casei na Santa Terezinha do Menino Jesus e não me arrependo. Três anos depois ainda olho as fotos e suspiro: de amor, de saudade e pela aura boa que esse tom me traz.

Talvez essa paixão pelo dourado explique porque nas férias deste ano voltei a Paris. Quem já veio, sabe: há dourado por todo lugar.

Captura de Tela 2013-08-25 às 13.17.23

A própria rainha da cidade já é dourada dos pés à cabeça.

No ano passado fomos ao Palácio de Versailles ver como dona Maria Antonieta também era bem chegada no dourado (mas no caso dela era ouro mesmo, né). Tudo por lá reluz, especialmente os lustres do Salão dos Espelhos.   

Captura de Tela 2013-08-25 às 13.16.23

O pescoço dói de ficar olhando para cima, mas vale a pena.

Neste ano não fomos a Versailles (é um passeio cansativo, que merece um dia inteiro de dedicação), mas aproveitamos o dia de chuva que fez em Paris ontem para entrar na Ópera da cidade.

Captura de Tela 2013-08-25 às 12.50.37

Tive uma overdose de dourado e daquele sentimento bom que ele me traz.

Captura de Tela 2013-08-25 às 12.51.06

Captura de Tela 2013-08-25 às 12.51.26 Captura de Tela 2013-08-25 às 12.51.39

Captura de Tela 2013-08-25 às 12.52.23

Captura de Tela 2013-08-25 às 12.52.34 Captura de Tela 2013-08-25 às 12.52.47

Captura de Tela 2013-08-25 às 12.53.04 Captura de Tela 2013-08-25 às 12.53.37

Captura de Tela 2013-08-25 às 12.54.01 Captura de Tela 2013-08-25 às 12.54.10

É absolutamente indispensável passar por aqui se vier a Paris. A entrada custa 10 euros e há uma estação de trem que deixa praticamente na porta.

Não tem motivo para não ir, especialmente se a mocinha aí me lê for ou tiver sido bailarina. Há históricos de grandes dançarinos por todos os cantos, exposição de trajes usados em apresentações e uma infinidade de mimos lindos na gift shop (incluindo tudo, tudo, tudo de fofo da Repetto). Morro de mágoa da minha mãe por não ter me colocado no ballet. É lindo, lindo, lindo!

Captura de Tela 2013-08-25 às 12.54.21

Se tiver uma filha, coloco ela na aula de ballet e ainda compro um desses para o quartinho dela. Adoráveis, né? À venda na Ópera de Paris! Bem douradinho, como deverá ser o quarto da Fernanda (a menina nem foi encomendada e já tem nome). 

Chegamos em Paris...mas as malas não

21 de agosto de 2013 16

Cá estamos eu e o Marcelo acordando felizes em Paris. Um ótimo upgrade de humor considerando que fomos dormir furiosos. Quer dizer, mais ou menos. Eu sou o tipo de pessoa que sempre tenta rir de situações de revés para depois, quando lembrar delas, recordar mais das risadas do que do desespero. Mas olha, ontem foi complicado.

Chegamos em Paris por volta das 15h, horário aí do Brasil. Na esteira de bagagem, tive a surpresa de ouvir pela primeira vez o meu nome ser chamado no saguão do aeroporto.

“Senhora Gabrieli Chanas e senhor Marcelo Brandão Hugo, favor procurar a funcionária Gardênia na esteira de bagagens 7″.

Chegamos à Gardênia, que nos apresentou a Veruska, “a responsável por problemas de bagagem”. No explica a moça que quando nosso avião saiu, perceberam que nossas malas tinham ficado em Porto Alegre. Mas jurava que seriam embarcadas ontem à noite num voo para Paris que chega hoje também por volta das 15h.

Nessas horas tu pensa em tudo que tem dentro da mala e tem vontade de chorar no cantinho. Pelo menos eu tinha colocado notebook, câmera e uma necessaire gordinha na mochila. Mas roupa, shampoo, perfume, desodorante, remédios (isso o mais importante) tudo tinha se perdido. A mocinha da TAM nos deu 38 euros como “ajuda de custo”, o que não dá para comprar quase nada. Tentando ver o copo meio cheio, catei o Marcelo e partimos para o centro de Milão para dar cabo naquele plano de apresentar o centro da cidade em tempo express (Milão, hein? Sim, descemos em Milão e algumas horinhas depois sairia nossa conexão para Paris). E olha, foi melhor que encomenda.

Com nossos 38 eurinhos compramos passagens do trem que vai do aeroporto de Malpensa até o centro de Milão (Manoela, tuas dicas foram perfeitas!). Deu tempo de tirar fotos na frente da catedral, de mostrar o shopping antiquíssimo, que dizem que foi o primeiro da Europa e que tem uma arquitetura deusa. Apresentei o que pude para o marido, que estava na cidade pela primeira vez.

milao2

A Duomo é um dos lugares mais lindos que eu já visitei. Fiquei feliz do Marcelo ter visto também.

Também deu tempo de passar numa GAP bem ali pertinho e comprar uma roupinha para o dia seguinte. Eu tinha 15 minutos para comprar short, blusa, sapato, lingerie. Sem experimentar nada, me joguei num shortinho jeans, camisetinha e uma alpargata animal print que a minha amiga Melina vai amar (quer que te leve uma, bonita?). Na fila para entrar no voo rumo a Paris, tcharam, também encontrei minha amada Kiko Milano e fiz um rancho de essenciais: base, concealer, rímel, sombra, tudo para dar um jeito na minha cara acabada pela viagem e pelo estresse.

Captura de Tela 2013-08-21 às 03.51.36

Meio alpargata, meio tênis, short coringa e camiseta fresquinha: pra aguentar o calor daqui.

Agora são 8h40 por aqui. Vou vestir minha roupa improvisada e dar meus primeiros bordejos. Exigi para o Marcelo: please, vamos voltar a um lugar de encher bem os olhos (é nossa segunda vez em Paris). Eu preciso esquecer a série de infortúnios de ontem para manter meu bom humor. Vamos a uma cartinha:

Querida TAM, estamos esperando. Meu humor é ótimo, mas minha fúria é igualmente maravilhosa. Se as malas não chegarem hoje, esperem barraco em todas as suas definições.

Com amor, Gabi

PS: se alguém já passou por situação assim, me diga por favor que há esperança. A querida Bárbara está liberando os comments do blog para mim e eu leio tudo do celular e respondo sempre que der. Me segue no FB também para espiar as fotinhos! Não que vocês nunca tenham visto Paris antes, mas se as malas não chegarem eu documentarei minha loucura fofo a foto. Será lindo!

Usando a internet do telefone no exterior: fácil e baratinho

20 de agosto de 2013 4

Eu anda não cheguei, viu? Deixei este post agendado antes de entrar no avião. Sei lá, vai que vocês acham que peguei um jato super rápido que me levou a Paris em menos de 5 horas…

Fiquei de explicar por aqui como faço para usar a internet do meu celular fora do país e não pagar os tubos por ela. Tem três formas:

1. Antes de sair do Brasil, ligar para a operadora e habilitar o roaming internacional. Você vai ter que dizer quais os países irá visitar. A atendente vai consultar quais são as operadoras locais parceiras e te dar uma listinha. Chegando no destino você liga o telefone, escolhe uma dessas operadoras e sai usando. O valor desse uso vem com a conta telefônica brasileira. Importante: não costuma sair muito barato, não. No meu caso a operadora é a Vivo. A diária por uso internacional é de R$ 30 e apenas para uso da internet. Ligações são cobradas separadamente. Fazer isso é bem bacana até por motivo de segurança. Sabe-se lá se você tem alguma emergência e precisa entrar em contato com a família. Só usa se paga, mas se usou um pouquinho só no dia, paga pelo dia todo.

2. Comprar um telefone local: assim como no Brasil, tem telefone a preço de barbada lá fora. Eles são pré-pagos e te permitem ir usando até os créditos acabarem (aí é só repor). Tenho amigas que compraram modelos bem simples, só para acessar Facebook, Twitter e Insta. Trouxeram o aparelho de volta para o Brasil e deram para alguém de presente. Vale o alerta: nem todo aparelho comprado fora funciona por aqui, por isso não invista em modelos caríssimos.

3. Colocar um chip local: essa é minha modalidade preferida. Já usei com sucesso na França, na Espanha e na Itália. Você vai a uma operadora local (na França e na Espanha usei Orange e na Itália, Vodafone), que pode ser quiosque de shopping, loja de rua, e pede para comprar um chip para acesso à internet. Não esqueça de dizer quanto tempo vai usar para que o atendente escolha um plano apropriado. É muito barato e, normalmente, o uso é ilimitado. Você vai trocar o chip do seu telefone por um da operadora local (o meu telefone é iPhone e funciona muito bem). Em Paris, paguei 20 euros. Em Barcelona e em Florença, 10 euros cada. Importante: antes de sair do Brasil, certifique-se (pode ser pelo atendimento por telefone mesmo) de que seu celular está desbloqueado, senão o chip não funciona. Também tenha o máximo cuidado de guardar seu chip original para poder retomar o número quando voltar para casa.

cell-phone-paris-full

Conhece outra alternativa para postar a viagem no FB, Insta, Twitter, mandar fotos para amigas via WhatsApp e não comprometer o orçamento da viagem? Dicas são muito bem-vindas! Escreve aqui na área de comments! 

:: Estou de férias! Acompanhe meus posts de viagem clicando aqui!

Fernanda Pandolfi: a minha Paris em cinco passos

19 de agosto de 2013 5

Dica para a lua de mel em Paris e para um happy hour em Porto Alegre

01 de fevereiro de 2013 3

Como a maioria dos grandes jornais do país, a Zero Hora tem um caderno de gastronomia. Aqui ele se chama Gastrô e é editado há uns 20 anos pela Bete Duarte, que é uma mega crítica gastronômica e uma cozinheira de mão cheia. Em janeiro ela saiu de férias e eu fiquei com a responsabilidade de cuidar do Gastrô. Imagina o pânico. Eu não sou lá essas coisas na cozinha. Sou boa mesmo é de provar e dar opinião na comida dos outros. Editar o caderno (por editar – vale uma explicação para quem não é do meio jornalístico – entenda escolher as pautas, as receitas, as fotos, dar a cara que aquele caderno terá) foi um desafio, mas no fim das contas eu amei de novo (no ano passado também tive meus dias de interina da Betinha).

Meu último caderno como editora está nas bancas (e nos apps da ZH) hoje (leia e prestigie a Gabi) e tem uma matéria com dica ótima sobre Paris. É bacaníssima para quem está planejando a lua de mel para lá ou simplesmente com viagem marcada para descansar. Taí a página.

Como não dá para ler nadinha aí em cima, eu sei, reproduzo abaixo o texto na íntegra. Fiquei triste por não ter conhecido antes. Quem sabe na próxima passagem por Paris eu passo lá!

Um dos destaques da gastronomia de Paris tem sotaque brasileiro. Há quatro anos, o casal de chefs Célia e Gustavo Mattos, de São Paulo, comanda o Chez Nous Chez Vous. O restaurante, que serve apenas jantares para pequenos grupos, não poderia ter clima mais acolhedor: funciona dentro do apartamento da dupla, localizado no charmoso 15ème arrondissement, com vista para a Torre Eiffel.

Formados pela prestigiada escola de cozinha Le Cordon Bleu, Célia e Gustavo já tinham larga experiência em restaurantes franceses quando decidiram abrir o espaço intimista. O imóvel eleito para receber casa + negócio foi todo reformado, dando um bom destaque para a cozinha, que teve uma das paredes derrubada, permitindo que os clientes do Chez Nous Chez Vous assistam da mesa de jantar toda a preparação dos pratos.

Apesar de atrair clientes de vários países, são os turistas brasileiros que mais procuram a casa, atraídos pela possibilidade de um jantar com o melhor da gastronomia francesa sem ter que decifrar o menu num estabelecimento tradicional. Célia e Gustavo atendem grupos de quatro a dez pessoas por vez e oferecem dois tipos de menu: o tradicional tem entrada, prato principal e sobremesa e custa 120 euros por pessoa. Já o menu degustação, que tem cinco pratos salgados e duas sobremesas, sai por 150 euros por pessoa (as bebidas alcoólicas não estão inclusas no preço). As reservas precisam ser feitas com pelo menos sete dias de antecedência pelo e-mail contato@cheznouschezvous. com.br. Abaixo, Célia Mattos compartilha a receita de uma das sobremesas que fazem sucesso no restaurante. Bon appétit!

Bacana, né? Outra descoberta ma-ra-vi-lho-sa do meu interinato foi o Rambla, ali no Moinhos de Vento. É o novo restaurante espanhol de Porto Alegre e meu novo preferido na cidade. Fica na esquina das ruas Marquês do Herval em Félix da Cunha (casamenteiras, é bem na frente da Associação Leopoldina Juvenil). Se passar por lá, obedeça essa crítica gastronômica de ocasião e prove o pintxo de creme de queijo com geleia de laranja. É divino! Descolamos a receita para o caderno e vocês podem pegar aqui.

:: Mais sobre lua de mel aqui

Lua de mel: os melhores spas de hotéis da América do Sul

22 de janeiro de 2013 2

O site TripAdvisor, que é um guia bem bacana para pesquisar informações sobre hotéis, divulgou uma listinha com os 10 melhores spas em hotéis da América do Sul. O ranking foi feito com base na qualidade e na quantidade de comentários e avaliações dos usuários do site. Trago isso pra cá porque cada vez mais os noivos procuram para a lua de mel lugares que ofereçam um plus de relaxamento. Se é o caso de alguém por aqui, a listinha abaixo pode ser bem interessante.

As fotos que ilustram este post são do “horroroso” primeiro colocado. Uma tortura olhar essas imagens no meio de uma semana que já começou cansada, viu?

  • Tambo del Inka, a Luxury Collection Resort & Spa – Urubamba / Peru
  • The Westin Lima Hotel & Convention Center – Lima / Peru
  • Hotel das Cataratas by Orient-Express – Foz do Iguaçu / Brasil
  • Inkaterra Machu Picchu Pueblo Hotel – Aguas Calientes / Peru
  • Hotel Paracas, Luxury Collection Resort – Paracas / Peru
  • Sofitel Santa Clara – Cartagena / Colombia
  • Palacio Duhau – Park Hyatt Buenos Aires – Buenos Aires / Argentina
  • Copacabana Palace Hotel by Orient-Express – Rio de Janeiro / Brasil
  • Hotel Madero – Buenos Aires / Argentina
  • Meliá Buenos Aires Hotel –  Buenos Aires / Argentina
  • :: Mais sobre lua de mel aqui, dona noiva

    Dicas de lua de mel direto da Itália

    17 de novembro de 2012 1

    Contei aqui que passei os últimos dias na Itália, né? Trouxe de lá algumas dicas bem legais para quem pretende passar a lua de mel no país. Reuni tudo na minha coluna deste sábado no jornal Pioneiro, de Caxias do Sul, mas reproduzo aqui para quem não tem acesso ao jornal. Aproveito e faço uns comentários extras, de um jeito que eu só posso fazer aqui no blog (no jornal eu preciso ser mais séria e contida! Hehehe).

    Lua de mel de princesa

    Quer agradar a noiva escolhendo para a lua de mel um hotel que tenha cara de castelo de princesa? O Château Monfort, em Milão, orgulha-se de ter uma atmosfera de conto de fadas mesmo instalado no meio de uma cidade agitada. Localizado próximo aos centros de compras, é decorado em tons de verde e lavanda. Os quartos têm cuidadosa iluminação, projetada para dar conforto e um clima intimista. Café da manhã ou jantar são servidos em um salão que parece ter sido transportado do Palácio de Versailles. Tem classificação cinco estrelas e é um deleite para os olhos.

    Comentário extra da Gabi: sabe aqueles quartos de hotel de onde a gente não tem vontade de sair? Este hotel é mesmo um encanto e tem toda cara de palácio. A diária é salgada (três noites para casal podem passar de 2 mil euros, mas há opções de suítes mais em conta), mas vale muito a pena.

    A vez deles

    Já que a noiva (agora esposa) já teve sua cota de encanto, é hora de reservar uma parte da lua de mel para algo que é paixão dos homens: carros. Deixando Milão, pegue um trem até Turim, a casa da Fiat. A melhor hospedagem da cidade é o NH Lingotto, que fica dentro da antiga fábrica da empresa. A aura de velocidade está por todos os cantos. No terraço, os recém-casados podem jantar no La Pista, que, como o nome entrega, fica na pista onde eram realizados os testes dos veículos fabricados pela empresa. No mesmo terraço também está a pinacoteca da família Agnelli, com quadros de Picasso e Matisse.

    Comentário extra da Gabi: a pinacoteca é um deslumbre e certamente foi um dos meus momentos preferidos na viagem. O prédio é incrível! Já o hotel, uau! Com arquitetura moderna, tem quartos com pé direito altíssimo e aura de tecnologia.

    Casamento fashionista

    Durante a estada em Florença, presenciei uma recepção de casamento no restaurante do novíssimo Museo Gucci. Inaugurado no ano passado, o museu conta a história da grife italiana fundada por Guccio Gucci. No andar de baixo, uma loja de presentes com mimos divinos para levar para a casa. No restaurante do museu, uma grande mesa retangular comporta até 30 pessoas e torna o espaço perfeito para uma pequena recepção após um casamento civil. O sonho de uma noiva fashionista, não é?

    Comentário extra da Gabi: o terceiro andar do museu tem vestidos que ficaram famosos no red carpet. Quase morri ao ver de pertinho um dos meus modelos preferidos de todos os tempos, este aqui usado pela Hilary Swank.

    Moda, moda e mais moda

    Terra de grandes estilistas, a Itália rende inspirações mil para o vestido da noiva. Abra o computador e pesquise modelos das grifes Carlo Pignatelli, Gio, Peter Langer, Elisabetta Giuseppe Papini. Você verá que a Itália vai bem além de Valentino.

    Comentário extra da Gabi: amei os modelos de Giuseppe Papini. Fazem bem o estilo dos vestidos que as brasileiras estão amando, com muita renda e tule. Vale espiar!

    Dica casamenteira para quem vem a Paris

    06 de agosto de 2012 26

    Curtindo minhas aguardadas férias, dou uma passadinha bem rápida por aqui nesta segunda lindíssima em Paris para deixar uma dica bem noivinha. Um dos lugares que eu mais queria conhecer era a Pont des Arts, a ponte dos apaixonados.

    Vários lugares no mundo têm espaços onde os casais penduram cadeados simbolizando seu amor eterno, e aqui em Paris e Pont des Arts é o tal. A ponte fica bem pertinho do Museu do Louvre, ou seja: ninguém vai precisar convencer um namorado, noivo ou marido de cara feia a dar uma passada por lá. De longe, num dia de sol como hoje, dá para ver os cadeados reluzindo. Lindo de morrer e super emocionante.

    Tá, mas a dica não é visitar a Pont des Arts, coisa que todo mundo lê em guias de turismo. A minha sugestão é que você leve de casa o seu cadeado customizado para prender na ponte. Ela tem um desfile de estilos e eu passei um bom tempo elegendo meus preferidos. Tem até cadeado com glitter e com paetê, gente!  Tem pequenininho, tem aqueles antigões, tem até cadeado de bicicleta. É muito bacana dar uma boa customizada com nomes e eu fiquei de mimimi por não poder ter caprichado mais no meu. Como eu não tinha lembrado de fazer um prévio, compramos um douradinho bem simpático num vendedor do local (5 euros, baratinho), que ainda nos emprestou canetinha para escrever nossos nomes. Taí!

    Escrevemos “Gabi e Marcelo” de um lado e “Rachel e Ross”, nosso casal preferido ever (do seriado Friends) no outro. Foi a nossa customização. Comprei um extra e coloquei os nomes da minha mana e do meu cunhado, que adorariam estar aqui conosco e são um casal lindo.

    Fica a dica, dona noiva! Ah! Madrinhas, essa é um presente tri para noivas que vão viajar para Paris. Imagina que fofo customizar um cadeado pra ela e dar antes da viagem?

    PS: sorry pelas fotinhos feias. São do telefone!