Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Etiqueta"

O casamento acabou: preciso devolver os presentes?

03 de novembro de 2011 22

Sei que casamento desfeito não é o melhor assunto para tratar em um blog visitado por milhares de moças que sonham em trocar alianças, mas como o tema está em voga, vamos pensar que estamos falando dele só por curiosidade. Pode ser?

Que a Kim Kardashian decidiu pedir o divórcio a gente já sabe. Foi um casamentão, que dizem ter custado 10 milhões de dólares, e foi mostrado na tevê em um especial de 4 horas. Uma parte deste especial mostrava os noivos em uma loja divina escolhendo os itens que fariam parte da lista de presentes. Porcelanas Hermès, faqueiros de prata e outros mimos caríssimos entraram no pacote. Agora me diz: já que o casamento terminou após míseros 72 dias, o que fazer com os presentes? A etiqueta manda devolver?

A Kim publicou em seu blog uma carta para os fãs onde dizia que ela iria doar o dinheiro correspondente aos presentes para uma instituição beneficente. Ela não comentou valores, mas a imprensa americana diz que ela fará um cheque de 200 mil dólares. Apesar do valor ser alto e generoso alguns críticos condenaram a atitude. Lizzie Post, autora do livro Emily Post’s Etiquette 18th Edition, disse à revista People que quando o casamento é encerrado após pouquíssimo tempo (caso da Kim) os presentes precisam ser devolvidos para os convidados.

A orientação de devolver os presentes também é válida para os mimos ganhos na festa de noivado. Se o noivado for desfeito é  de bom tom devolver o que foi ganho. Considerando que os presentes ainda deverão estar intactos e esperando serem usados após o casamento não fica tão complicado.

O que pensam sobre o assunto, meninas?

Noiva.com responde: convido meu ex para o casamento?

12 de abril de 2011 13

A resposta é simples e direta: apenas se o seu noivo estiver confortável com a ideia. A mesma regra vale para a situação inversa: ele só deve convidar uma ex-namorada se você não enxergar problema algum nisso.

É fato que muitas pessoas têm sorte de terminar um relacionamento e manter uma relação de amizade por anos e anos. Nada mais justo, num caso como este, da pessoa em questão ser convidada para o casamento entre tantos outros amigos. Agora, se se esse convite deixar o noivo ou a noiva um pouquinho chateado, recomendo fortemente a abandonar o projeto. O planejamento de um casamento já tem fases estressantes e causa algumas briguinhas aqui e ali. Forçar o outro a a aceitar no dia mais importante da sua vida alguém que não gosta é motivo para terremoto na relação. Eu já vi casais se desfazerem por causa disso.

Meu conselho: se você tiver dúvidas sobre como o noivo se sente sobre convidar o ex para o casamento, introduza o assunto com todo jeitinho bem antes de enviar os convites. Não vá perguntar isso na hora de fechar a lista, quando vocês começam a correr contra o tempo e o nervosismo já bate à porta. Outra dica: convidar um ex pode causar constrangimentos não só no seu futuro marido. Considere como sua família e seus amigos iria reagir à presença desta pessoa na festa.


Falando no assunto, ouviu a história que William e Kate convidaram 6 ex-namorados ou namoradas para o casamento? E a gente aqui preocupado com um, né? Pelo visto, parece que os britânicos são bem mais flexíveis sobre isso. Aproveitando o papo, passa lá na página do Noiva.com no Facebook para votar na enquete sobre o tema. Ah! Aproveita para  curtir o blog também, viu?

Lista de presentes: informar no convite ou não?

10 de fevereiro de 2011 38

O que diz a etiqueta: que colocar aquele pequeno cartão junto do convite informando onde está a lista de presentes não é nada recomendado. As normas de etiqueta pregam que a situação se torna constrangedora por dois motivos: o convidado entende que dar presente é uma obrigação e, caso queira presentear, sente-se limitado ao local escolhido pelos noivos.

O que dizem os convidados: geralmente os convidados gostam da praticidade da lista de presentes. Evita a angústia de ficar pensando no que dar, a cor, o estilo, se combina com a casa dos noivos. Uma listinha de várias opções ajuda bastante na tarefa. A maioria das pessoas também já é simpática à ideia de encontrar a indicação de onde está a lista no convite de casamento. Isso poupa tempo e, num mundo de agendas sempre lotadas, reduz preocupações.

O que a etiqueta diz que você deveria fazer: as normas não são contrárias à lista, mas ao cartãozinho junto do convite. Se você vai casar e quer seguir a etiqueta à risca, deixe o cartão de lado. Informe o nome da loja onde fez a lista para as pessoas mais próximas (pais, irmãos, padrinhos) e também para a cerimonialista. Se algum convidado perguntar o que dar de presente eles podem indicar o local onde vocês registraram sugestões.

Se quiser informar onde está a lista: não escreva no próprio convite o nome da loja onde deixou a lista de presentes. A maioria das empresas oferece pequenos cartões que você coloca dentro do envelope ou prende com clip ao convite.

O que você não pode esquecer: lista de presentes é uma sugestão dos noivos. O convidado, de forma alguma, é obrigado a escolher algo daquela relação ou daquela loja.

Noiva.com responde: como sair da saia justa de cumprimentar os pais dos noivos

20 de janeiro de 2011 1

A dica deste post não é para madrinhas nem noivas, mas para convidados de uma festa de casamento. Você conhece o esquema: quando chegam na recepção os convidados são recebidos pelos pais dos noivos que, em fila, recebem os cumprimentos em nome dos filhos. Quem não conhece a família dos amigos costuma ficar na maior saia justa, sem saber quem é pai ou mãe de quem e na dúvida sobre o que dizer nesse momento. Anote aí, então, dicas preciosas do Noiva.com.

:: Caso você nunca tenha encontrado as famílias antes, apresente-se brevemente e fale algo simpático. Lembre que existe uma fila de convidados atrás de você e que não há tempo para se estender demais. “Boa noite, eu sou Fulano, trabalho com seu Beltrano. Esta é minha esposa. Parabéns pelo lindo casamento” está de bom tamanho.

:: Você já conheceu a família, mas não lembra mais quem é quem. Neste caso, evite se apresentar de novo. Pode parecer que você esqueceu dos pais dos amigos (o que é verdade, mas ninguém precisa saber). Cumprimente pelo casamento, deseje felicidade. Usar termos como “eles”, “o casal”, “os noivos” evita que você fique falando da beleza da “sua filha” para a mãe do noivo.

:: Apertos de mão e beijinhos. As mães dos noivos estarão penteadíssimas e maquiadíssimas, portanto nada de beijos demorados e nem daqueles abraços de urso. Dois beijinhos de leve ou um aperto de mão estão de bom tamanho.

Jamais passe batido pelos pais dos noivos sem cumprimentá-los. É uma atitude respeitosa e de carinho com quem, até o momento, é o anfitrião da festa. Caso chegue mais tarde, com a recepção já em andamento, procure-os para se apresentar e dar um beijo.

Noiva.com responde: fazer a brincadeira de cortar a gravata do noivo é deselegante?

17 de dezembro de 2010 8

O Matheus e a Paula casam em janeiro e perguntam se fica chato cortar a gravata do noivo ou passar o sapato da noiva entre os convidados no meio da festa. Antes de responder, um breve esclarecimento para quem não conhece a brincadeira. Ela tem o objetivo de arrecadar um dinheirinho extra para novo casal. Os amigos podem pegar a gravata o noivo e “vender” pedacinhos dela ou circular entre as mesas com um dos sapatos da noiva pedindo que os convidados coloquem dinheiro dentro dele.

É considerado deselegante? Sim, é. Abandono totalmente a ideia? Não necessariamente.

Se a brincadeira for uma tradição da família de vocês não há porque deixá-la de lado. Se este não for o caso, tente evitar. O motivo é simples: os convidados já terão gasto um bom dinheiro comprando o presente de vocês. Outra questão para levar em conta é que quase ninguém anda com dinheiro vivo no bolso. A não ser que os amigos passem entre as mesas com uma máquina de cartão de crédito, muitos podem se sentir constrangidos por não poder contribuir.

Uma dica que nunca é demais repetir: se você não quiser a brincadeira no casamento deixe isso claro para a família e os amigos mais próximos. Como um deles puxa toda a função, é bom deixar todo mundo bem avisado.

Essa questão é só uma de várias polêmicas envolvendo casamento. Clica aqui para ver outras que também tiram o sono de quem vai casar.

Noiva.com responde: posso enviar meus convites de casamento por e-mail?

30 de novembro de 2010 2

Seria mais bem mais simples e economizaria um bom tempo, não é? A questão é que, por mais modernos que estejam ficando os casamentos, algumas formalidades ainda são muito bem-vindas e necessárias. Os convites do chá de panela podem ser enviados sem problema algum via e-mail, mas os da cerimônia e recepção pedem a pompa do papel.

Mas, e o que fazer com aqueles convidados que moram longe? Siga firme na regra do convite em papel. Coloque dentro de um novo envelope (jamais escreva o endereço no próprio envelope do convite) e monitore a entrega. Neste caso vale enviar um e-mail ou telefonar informando que o convite está seguindo pelos Correios. Isso será fundamental caso o carteiro demore mais que o esperado. Seu convidado poderá lhe retornar pedindo mais detalhes para não perder a festa.

A Andréa, aqui de Porto Alegre, foi quem enviou as perguntas acima. Ela também quer saber se ainda existe a regra de entregar os convites pessoalmente. Existe, sim, Andréa. Caso os noivos estejam cheios de compromissos e não possam fazer as visitas é de bom tom encarregar os pais desse trabalho. Eles atuam como correspondentes oficiais do casal.

Se, por algum motivo, você precisar deixar um convite com o porteiro do prédio da amiga ou no escaninho do colega de trabalho, adote o mesmo procedimento de telefonar e dizer quando e  onde deixou o convite. Se ele acabar extraviado a pessoa sabe que seria convidada e entra em contato.

Para fechar, nunca é demais reforçar: o convite do casamento deve ser entregue de dois a um mês e meio antes da festa.

Noiva.com responde: preciso pagar o jantar de quem estiver trabalhando no meu casamento?

25 de novembro de 2010 6

Mais do que dizer se você deve ou não arcar com este custo eu quero te dar dicar para evitar constrangimentos com o seu salão de festas e com os profissionais contratados. Como essa política varia de local para local, é interessante que você se informe antes para não ter que lidar com a questão no meio do casamento.

No dia do seu casamento você terá alguns profissionais lhe acompanhando desde cedo, como o fotógrafo, o cinegrafista e o cerimonialista. Imagine que eles cheguem com você na estética por volta das 15h e fiquem até a madrugada trabalhando. Serão mais de 12 horas de serviço e em algum momento essas pessoas vão precisar comer, certo? Como não podem dar uma fugidinha até o McDonald’s mais próximo, é interessante que eles comam durante a festa. A questão é: quem paga por estes jantares?

Há locais que tratam essa questão com informalidade e oferecem o jantar sem custo. Outros exigem que os noivos informem previamente o número de profissionais que irão jantar e providenciem o pagamento. O casal que estiver contando com a ajuda de um cerimonialista no planejamento será questionado e orientado sobre esse ponto. Caso você esteja organizando sozinha é extremamente recomendado verificar com seu economato como proceder.

É um gesto simpático e educado dos noivos providenciar o jantar dos profissionais. Caso não seja possível arcar com os custos é de bom tom informar isso a eles previamente para que possam se organizar, trocar de posto com um assistente ou, quem sabe, fazer um pequeno break no trabalho para poder comer fora.

Noiva.com responde: quem paga o casamento?

18 de novembro de 2010 13

A Marcela e o Jonas, do Rio de Janeiro, ficaram noivos no mês passado. “Um segundo depois de trocar as alianças já estávamos fazendo planos para a festa, mas ficamos com uma dúvida enorme sobre quem paga a festa: nós ou nossos pais?”.

Todo mundo sabe como funcionavam as coisas antigamente, não é? Os pais da noiva eram os responsáveis por custear o casamento. Os noivos não tinham trabalhos expressivos (em termos de salário) e geralmente moravam com os pais. Hoje as coisas estão bem mudadas e não é difícil encontrar casais que ganhem mais dinheiro do que os pais. Quem paga a conta, então? Quem quiser ou quem tiver condições de arcar com as despesas. É bom, no entanto, que isso seja acertado previamente para ninguém ter surpresas na hora de desembolsar o dinheiro.

O primeiro passo, Marcela e Jonas, é saber quanto vocês, noivos, podem pagar. Com esse dado em mãos vocês já terão uma ideia do quanto será preciso levantar com a ajuda da família. O segundo passo é descobrir se os pais têm interesse em contribuir financeiramente com o casamento. A não ser que eles já tenham conversado com vocês sobre o assunto é praticamente impossível de prever o que passa pela cabeça deles. Conheço pais de noivos que fizeram questão de pagar tudo e pais que se negaram a dividir custos por não concordarem com o tamanho da festa.

É bem interesssante partir para esse papo já tendo uma ideia, mesmo que seja bem superficial, de quanto vai custar o casamento. Conversem com familiares ou amigos que casaram recentemente para ter uma ideia do quanto gastaram ou façam uma pesquisa do valor dos itens dos sonhos (dicas aqui) para ver a quantas vai o orçamento.

Mais três dicas para o momento da conversa com os pais:

:: Se os pais eles estiverem dispostos a pagar por tudo, conversem sobre o que esperam da festa. Há casos de pais que gostam de dar palpites a mais, já que estão arcando com todas as despesas (leia mais sobre isso aqui).

:: Se os pais não contribuírem, seja por situação financeira ou por interesse próprio, e isso surpreender vocês, não é preciso desistir de casar. Reorganizem os planos e considerem adiar um pouquinho o casamento para dar tempo de poupar um pouco mais.

:: Se os pais quiserem pagar uma parte do casamento, tentem delimitar essa ajuda para evitar conflitos futuros. De repente eles querem dar uma quantia específica, de repente eles querem pagar uma parte específica (o jantar, as bebidas, a decoração). Saber até onde vai a oferta de dinheiro é fundamental para adequar os planos de vocês e para não deixá-los aflitos.

As meninas que já casaram são super bem-vindas a deixarem comentários neste post para dar um help para quem está com a mesma dúvida da Marcela e do Jonas. Eu já adianto o meu e digo com toda convicção que essa conversinha com os pais é bem bacana e deixa todo mundo mais à vontade.

PS: a pergunta da Marcela e do Jonas chegou pelos Correios, em um cartão acompanhado de um mais um pinguim de pelúcia para a minha coleção (eu amo pinguins e nos encontros de noivas as meninas sempre me surpreendem com um). Foi uma delícia chegar na redação e encontrar essa surpresa fofa. Amei demais, queridos!

Noiva.com responde: devo convidar aqueles parentes que tenho certeza que não virão?

04 de novembro de 2010 1

Aquele tio que mora longe, aquela prima que recém teve bebê, aqueles colegas que estarão de plantão no dia do seu casamento: convido, mesmo sabendo que eles não poderão ir? A pergunta é da Gisele, aqui de Porto Alegre. A resposta é direta: sim.

O critério para não precisar passar horas pensando no assunto é o seguinte:  se eles morassem perto ou não tivessem nenhum impedimento para vir, você convidaria? Se a resposta for positiva, envie o convite. Será um carinho com pessoas que não estarão presentes, mas que sabem que você adoraria vê-las no casamento. Quem sabe esse convite não se torna um motivo para fazerem um esforço extra e virem à festa?

Pense que não enviar pode causar um desconforto. A pessoa nunca vai saber se você não convidou porque sabia que ela não iria ou se não gostaria de tê-la naquele momento especial.

Polêmicas de casamento: a noiva deve definir a cor do vestido das madrinhas?

22 de outubro de 2010 24

Imagem: AFP Images

Hilário ver as atrizes Jaime Lee Curtis e Sigourney Weaver em um momento que a gente conhece como “par de vasos”. As duas se vestiram assim de propósito para promover o filme You Again, que só pelo trailer já me deixou morrendo de vontade de assistir.

Trouxe a foto o blog para discutir uma questão que é polêmica no mundinho dos casamentos: vocês acham que a noiva deve definir a cor e o modelo do vestido das suas madrinhas?

A caixa postal do blog (noiva@clicrbs.com.br) recebe montes de e-mails sobre o assunto. Tem madrinha furiosa querendo saber como dizer à noiva que detestou a cor escolhida por ela, tem noiva perguntando se é ruim deixar livre a escolha da cor (não é, não) e muitos outros dilemas. Noivas e madrinhas, qual a opinião de vocês sobre o assunto?