Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Salões"

Na festa: definindo lugares por ala, não por mesa

27 de julho de 2012 2

Nesta semana rolou lá no Love Loft, da Mauren Motta, o curso para noivas contemporâneas. Eu participei como uma das palestrantes das aulas desta quinta-feira e adorei a experiência (lembrou meus tempos de professora). Antes de mim, quem falou foi a Bettina Becker, uma das organizadoras de eventos mais badaladas aqui do Rio Grande do Sul. No papo com as noivas, a Bettina comentou um assunto que sempre rende pano para manga aqui no blog e que por isso sempre é bom trazer de volta: afinal, é bacana ou não é bacana definir os lugares onde cada convidado vai sentar durante a festa?

A minha opinião vocês conhecem: sim, sim e sim por todos aqueles motivos que comentei aqui. Para quem não curte muito essa coisa de definir o número da mesa para cada pessoa, a Bettina lembrou de um formato parecido, mas menos imperativo: definir regiões do salão para os convidados, e não uma mesa específica.

Vocês já devem ter ido em festas usando este esquema. As mesas com uma determinada cor ou em um determinado ponto do salão são para os amigos do noivo. As de outra cor ou em outro canto, são da família da noiva e assim por diante. O convidado vai até seu espaço, que concentra várias mesas, e escolhe onde quer ficar. Sei o que muitas de vocês devem estar pensando: como ficam aqueles que se encaixam em mais de uma categoria (amigos da noiva e colegas de trabalho do noivo, por exemplo)? Aí vai do critério de cada um de enxergar onde estão os amigos mais próximos e ficar com eles. O organizador, nestes casos, fica sempre por perto e dá uma ajudinha.

Dica importantíssima e fundamental para quem vai adotar este esquema sem a ajuda de um organizador: não basta simplesmente dividir o salão em três ou quatro áreas. Os noivos precisam, com a lista final de convidados em mãos, fazer um exercício de futurologia e imaginar onde cada amigo ou familiar iria querer se sentar. Isso é fundamental para que o número de mesas em cada ala seja planejado. A parte ruim deste esquema (que não acontece na definição mais rígida de mesas) é que se faltarem mesas na ala dos parentes da noiva, aquele tio que chegou atrasado não terá escolha senão se sentar com colegas de faculdade do noivo, único cantinho com espaço sobrando.



Se for dividir o salão em alas, aproveite para fazer uma brincadeirinha com elas. Batize cada uma com o nome de algo relacionado a ela. Exemplo: a área dos amigos de colégio do noivo pode ser batizada com o nome da escola. A da família da noiva, com o nome da praia que todos frequentam no verão. Esses nomes podem estar em cartões sobre a mesa (ajudando a identificar cada área) e certamente arrancam sorrisos quando o convidado chega em seu lugar.

A inauguração do Palazzo di Baco

30 de abril de 2012 4

Lembram do Palazzo di Baco, nova casa de festas de Porto Alegre que falamos aqui no blog? O espaço foi inaugurado oficialmente no fim de semana e o Noiva.com traz algumas fotinhos da decoração da festa para engordar as pastinhas de inspirações das noivas.

A casa de 15 mil metros quadrados fica na zona sul de Porto Alegre. O salão principal tem 400 metros quadrados de área livre. Para quem pensa em fazer a festa em local fechado, mas a cerimônia ao ar livre, o Palazzo tem varanda de 110 metros quadrados totalmente inserida no jardim. Para pedir orçamentos ou saber mais informações, fica o e-mail da casa: contato@palazzodibaco.com.br


Imagens: Silva’s Fotografias

Tem tanto lugar bacana para festas surgindo nos últimos tempos, não é? Para quem está planejando evento é uma maravilha ter mais opções. Além do Palazzo di Baco, olha só alguns novos espaços que mostramos recentemente.

Alameda Figueira, em Cachoeirinha

Casa Vetro, no Jardim Europa, aqui em Porto Alegre

Choice, que recebeu o Petit Comité Noiva.com

Maison Carlos Gomes, que vai receber um evento no blog na semana que vem!

Programe-se: Workshop Inesquecível Casamento em maio

13 de abril de 2012 30

Noivas do Paraná, tem evento bacana para colocar na agenda! Nos dias 5 e 6 de maio acontece em Curitiba mais um workshop da revista Inesquecível Casamento. O local segue o mesmo das edições anteriores, o lindíssimo Castelo do Batel.

O workshop terá a presença de 26 expositores, incluindo nomes de São Paulo, Rio de Janeiro e aqui do Rio Grande do Sul. A programação também conta com 3 mesas redondas comandadas pelo jornalista Bruno Chateaubriand, talk shows e ainda, 6 desfiles. Um deles, da Camargo Alfaiataria (leve o noivo!), terá a presença de Paulo Zulo como modelo.

Para participar do evento é preciso comprar um convite. O passaporte para os dois dias custa R$ 25, para quem comprar até o dia 2 de maio, e R$ 30 comprando depois desta data. Também há convites para apenas um dia só. O link para comprar e saber mais informações está aqui. No mesmo site você vê a programação completa, com horários de cada mesa redonda e desfile.

Já faz um tempo que eu quero conhecer o Castelo do Batel e encontrar noivinhas do Paraná, por isso a passagem já está comprada para ir espiar o evento. Estarei por lá nos dois dias e na segunda vou passear pela cidade, bem turista. Estive em Curitiba pela última vez ainda criança, e não me lembro de quase nada. Já aceito sugestões de “tem-que-ver”!

Para ir dando um gostinho sobre o que vem plea frente eu ilustro este post com imagens lindas do casamento do casal Morgana e Victor, fotografado pelo gaúcho Claudio Fonseca. Divino, né?

Novo espaço para casar ao ar livre

09 de abril de 2012 5

Mais uma opção de espaço para casar para as meninas que sonham com cerimônias ao ar livre (mas com plano B caso o tempo mude, né?). Foi inaugurada há pouco aqui pertinho de Porto Alegre a Alameda Figueira, casa de eventos localizada em uma área verde enorme e com direito a um jardim com figueiras centenárias.

A casa fica na cidade de Cachoeirinha, vizinha de Porto Alegre, e pode receber festas para até 600 pessoas (usando as áreas externa e interna). Para entrar em contato sobre orçamento e outras informações o e-mail é contato@alamedafigueira.com.br. Mais imagens na galeria abaixo.

Imagens: Frederico Mombach

Checklist do calor para não derreter o casamento

17 de fevereiro de 2012 3

Aqui em Porto Alegre o carnaval tem promessa de ser quente. Literalmente. Já na madrugada fez um calorão e em algumas cidades a temperatura pode passar dos 41 graus. Imaginou você, querido amigo que lê o blog, numa festa hoje à noite suando em bicas dentro de um terno com gravata? E você, amiga, vendo sua maquiagem escorrer e o penteado ir despencando de pouquinho em pouquinho?

Se na sua cidade o verão é cruel como o nosso, anote aí um checklist especial para saber se o salão escolhido tem condições de oferecer conforto aos convidados. Quando for fazer aquela visitinha ao local você vai se concentrar no espaço, se o palco comporta banda e se a comida é gostosa, mas tudo isso vai pelo ralo se os amigos estiverem passando mal de tanto calor.

Primeira coisa a considerar: o salão tem ar condicionado? Se não tiver, pense duas vezes antes de ficar com ele. As promessas de que “é fresquinho à noite, que tem janelões por onde entra um arzinho” nem sempre são fiéis. Sabe aquele calorão abafado que costuma fazer nos dias mais quentes? Estes, amigos, só com ar ou ventilador para enfrentar.

Um outro ponto bacana para levar em conta é se o salão tem gerador de energia elétrica ou não. A gente sabe que quando fica quente demais as companhias de energia piram e falta luz. De nada vai adiantar ter ar condicionado no local se não tiver luz. O gerador de energia garante o fornecimento enquanto a companhia não liga a energia de novo. E fica a dica: é possível locar um gerador para um salão que não tenha. É daqueles gastos que economizam rugas de preocupação pensando: “ai, e se faltar luz, o que eu faço?”.

Fica a dica: se estiver indecisa entre um salão e outro, leve em consideração o ar  condicionado e o gerador. Não adianta um casamento lindo com doces derretendo, tia passando mal, noivos pingando suor e convidados indo embora cedo.

Como é mesmo essa história de salão + economato?

06 de fevereiro de 2012 2

Algo me diz que o pessoal que ficou noivo nas festas de fim de ano tirou o mês de janeiro para já começar a procura por igreja e salão para o casamento. Por que eu acho isso? Nunca recebi tantos e-mails juntos sobre um mesmo assunto. Neste caso as dúvidas são sobre o famoso e tão falado “alugue o salão e leve o buffet junto”. Já que tem muita gente encucado com isso, que tal um ponto a ponto sobre o tema?

Para começar: como é essa história de ter que contratar os dois juntos?

Vários espaços para eventos (sejam clubes ou casas de festa) adotam a seguinte prática: você aluga o espaço, mas precisa, obrigatoriamente, contratar também o buffet com o qual trabalham. Nem todos os espaços atuam assim, por isso é preciso perguntar.

Qual a parte ruim deste combo?

A parte ruim é que se você perde possibilidades quando já tem um serviço atrelado a outro. Se você adora um economato específico (talvez aquele que contratou para sua formatura ou para o aniversário de casamento dos pais) e faz questão de tê-lo na sua festa, terá que procurar um salão que permita a contratação em separado. Para quem se preocupa muito com orçamento outro ponto ruim é não poder pesquisar vários e contratar o que oferecer o melhor preço.

E qual a parte boa?

Com certeza, ver suas preocupações bem reduzidas. Os clubes normalmente trabalham com bons economatos, empresas de renome. Por estarem bem acostumadas a trabalhar naquele local específico os buffets conhecem bem a cozinha, as entradas e saídas de serviço, os horários impostos pelo clube.

Então estou de mãos atadas? Não poderei escolher nada?

Sim e não. Caso seu clube imponha a contratação de um economato específico, isso não significa que você não poderá escolher nada. A montagem do cardápio será feita em conjunto com os noivos e você poderá, sim, barganhar um bom preço. Vale a ressalva: vários economatos trabalham com valor mínimo por pessoa.

E no que isso influencia em valores?

Atenção total aqui, srta. noiva. Quando pesquisar um clube para casar, pergunte se você precisa contratar o economato. Um local pode ter um valor de locação baixinho e muito atrativo, mas um economato que não cobra bem caro. No fim das contas o que pareceria bom se tornará bem caro.


Antes de pegar o telefone e começar a ligar para seus clubes preferidos para pedir um orçamento, anote o checklist abaixo. Faça todas as perguntas abaixo para ter informações mínimas para tomar uma boa decisão.

Para inspirar quem quer casar durante o dia

12 de janeiro de 2012 7

No final do ano passado o blog levou leitoras para a inauguração da badaladíssima Casa Vetro, novo espaço de eventos de Porto Alegre. O dia estava chuvoso, por isso os decoradores optaram por cobrir com toldo cristal a área externa. Ficou um charme! Para quem ficou curioso querendo saber como é o local sem o toldo, o fotógrafo Franco Rossi vem nos salvar. Ele enviou para a gente uma imagem do casamento da Melissa e do André. Divino, não é?

Casando em casa: como transformar uma residência em palco de festa

09 de janeiro de 2012 4

Mais cedo eu mostrei a primeira parte do Donna especial deste fim de semana, com fotos do casamento da Elisa e do Diego. Agora eu compartilho imagens de outra das reportagens especiais, dessa vez a que deu dicas para quem casar em casa. As fotos são do casamento da Mirian e do Guilherme, que aconteceu na casa do avô da noiva, de frente para o Guaíba.

Imagens: Silva’s Fotografias – Equipe Hunter

O primeiro passo para saber se uma residência pode receber a festa de casamento é determinar quais áreas serão usadas e se elas comportam o número de convidados planejado. Depois é preciso cuidar da estrutura para recepcionar os amigos, começando pela segurança. Se não houver estacionamento próximo, considere a contratação de manobristas para que os convidados não precisem andar muito. Seguranças para vigiar os carros que ficarem na rua são indispensáveis.

Antes de passar para a decoração, pense em como acomodar os profissionais que estarão trabalhando na festa. Se a cozinha for pequena, planeje onde será montada uma extensão dela. Cheque se há tomadas para instalar os freezers das bebidas e por onde os garçons irão circular. É importante cuidar da instalação elétrica. A rede de energia da casa pode não suportar toda a iluminação e o equipamento de som programados, portanto é prudente contratar um eletricista para fazer uma avaliação.

Não esqueça de avisar seus vizinhos com antecedência. Se eles forem pegos de surpresa com toda a movimentação, podem lhe causar dores de cabeça. Informe sobre montagens e desmontagens de material, atuação de seguranças e horários. Vale o lembrete: recepções em casa costumam começar mais cedo para não avançar madrugada adentro com som alto.

Ao planejar a decoração, use o estilo da casa como ponto de partida para ganhar tempo e economizar. Se o aspecto for rústico, com muita madeira, tons terrosos e belos gramados, siga essa linha. Caso algum ponto esteja em más condições, adote truques de profissionais para disfarçá-los, como folhagens altas para esconder uma parede descascada ou uma tapadeira de madeira forrada com tecido para bloquear um cômodo. Se o imóvel não for seu, peça um cronograma de horários e rotinas dos moradores. Será mais fácil pregar, cortar e serrar quando estiverem fora, em horário de trabalho.

Quem sonha com não só a festa, mas também com a cerimônia religiosa em casa, precisa checar se a igreja dá permissão. Nem todas as arquidioceses liberam padres para realizar casamentos fora de igrejas, por exemplo. Nesse caso, os noivos podem contratar um celebrante ou realizar apenas a cerimônia civil no local. Uma dica fundamental para quem vai usar a residência da família é não envolver demais os moradores na organização. Pais e irmãos devem aproveitar o dia sem se preocupar se as bebidas já gelaram ou se os doces chegaram. Também deixe-os de fora das tarefas de limpeza no dia seguinte. Conte com a ajuda de todos, mas permita que fiquem livres para curtir o casamento sem preocupações de profissional.

Dicas de especialista

A organizadora de eventos Xuxa Pires, que tem na bagagem dezenas de eventos realizados na casa dos clientes, dá dicas para tornar a festa em casa um sucesso.

- Ao definir o cardápio da noite, dê preferência a pratos que não exijam o uso de faca. Dependendo do tamanho do ambiente, nem sempre o jantar será servido à mesa.

- Quando definir as flores para a decoração, tome cuidado com aquelas que têm aroma muito forte. Em ambientes pequenos, o cheiro fica ainda mais forte, o que pode desencadear reações alérgicas. As rosas são perfeitas porque têm um perfume muito suave.

- Use móveis da casa para a mesa de doces ou de café. É uma forma de valorizar a decoração original da propriedade. Se for um móvel antigo, de família, fica ainda mais bonito.

-  Os convidados precisam estar confortáveis. É crucial não ter na festa mais pessoas do que a casa comporta.

- Várias famílias têm bares na sala de estar, sacada ou varanda. Use esse espaço para instalar uma ilha de caipirinhas ou de drinques internacionais. É fundamental que o lugar tenha boa circulação, pois certamente os convidados ficarão por ali, conversando, enquanto esperam a bebida ficar pronta.

- Não guarde porta-retratos nem quadros com fotos da família. São muito charmosos.

- Já que a festa está sendo realizada na casa da família, por que não incorporar receitas tradicionais ao cardápio da noite? Pense naquele famoso doce da avó e sirva como sobremesa. O mimo também pode ser a lembrancinha da comemoração. Não esqueça de incluir um cartão explicando por que o doce é tão especial e foi escolhido pelos noivos.

Casando em casa: festa em apartamento

09 de janeiro de 2012 2

Viram o caderno Donna, da Zero Hora, neste fim de semana? Ele foi especial sobre casamentos e uma delícia de fazer. O tema central que escolhemos é a tendência americana que cada vez mais agrada as noivas brasileiras: casar usando a residência de familiares como cenário. Nós mostramos dois casos bem legais: o da Mirian e do Guilherme, que casaram na casa do avô da noiva, e o da Elisa e do Diego, que trocaram alianças no apartamento da mãe do noivo em Uruguaiana. O caderno foi ilustrado com fotos lindas e provas de que é possível, sim, transformar uma casa em palco de uma festa linda.

Para as leitoras que moram fora do Rio Grande do Sul eu trago o texto da matéria principal na íntegra. Neste post também mostro mais fotos do casamento da Elisa e do Diego. Ainda hoje prometo uma galeria de imagens da festa da Mirian e do Guilherme. Fiquem ligadas!

Imagens: Reinaldo Alves

A festa de casamento está ficando cada vez mais familiar. Depois dos eventos com estrutura de fazer inveja a shows de rock, os noivos começam a aderir ao estilo americano de casar: lista com poucos convidados, cerimônias que começam ainda com a luz do dia e lugares alternativos para a festa. Entre esses ambientes, a casa dos pais ou avós como cenário para a troca de alianças é o que faz mais sucesso. A tendência vem ganhando o coração das noivas gaúchas, que consideram que casar em um lugar que desperta boas lembranças agrega ainda mais alegrias à nova vida.

Foram justamente as boas memórias vividas na casa do avô, o ex-governador José Augusto Amaral de Souza, que fizeram com que a advogada Mirian de Souza Ribeiro viesse do Canadá para casar no Brasil. A residência, localizada na Ilha da Pintada, de frente para o Guaíba, faz parte da vida da noiva desde seus cinco anos. Mesmo depois de se mudar para o Rio de Janeiro e mais tarde para o Exterior, Mirian seguiu expressando o desejo de voltar ao Rio Grande do Sul para fazer do sobrado o cenário para o casamento com o administrador de empresas Guilherme Cadar Lopes. A transformação da residência em um ambiente que comportasse 150 convidados exigiu uma semana de trabalho e cuidados especiais. Os donos da casa foram consultados sobre os espaços que poderiam ser usados.

- Montar uma recepção em uma casa demanda um esforço maior, pois ao contrário de um salão vazio e pronto para receber um evento, temos que aliar a organização com os moradores, que seguem vivendo por lá e tendo suas rotinas normais –  afirma Neca Esbroglio, que, com Anna Medeiros, recebeu a tarefa de criar a festa.

- Começamos na terça-feira e fomos fazendo alterações ao longo de toda a semana. Deixamos para o grande dia apenas os retoques finais.

Para o casamento de Mirian, a área interna da casa foi transformada em salão de jantar. Ali foram montadas mesas para cerca de 40 pessoas. A área externa foi a que exigiu mais trabalho. Próximo à piscina, foi montado o altar da cerimônia, de frente para o rio, e um grande lounge com bistrôs e namoradeiras para os convidados mais jovens.

Engana-se quem pensa que apenas grandes casas podem comportar uma festa de casamento. Até mesmo um apartamento pode ser transformado em local de festas, como provou o casal de advogados Elisa e Diego Marty. Eles tiveram uma cerimônia realizada na sala do apartamento da mãe de Diego, em Uruguaiana, na fronteira oeste do Estado. O casamento teve 80 convidados e tudo que uma festa tem direito, incluindo pista de dança com DJ.

- Transformamos a sala de estar e TV em pista de dança. Minha sogra foi incrivelmente gentil e nos permitiu inclusive furar o teto para pendurar globos de luz. A sacada, com vista para o Rio Uruguai, foi coberta, e lá tocava um outro tipo de música. Servimos um coquetel e depois o jantar em miniporções para que não fossem necessárias mesas e cadeiras, num estilo mais formal. Como tínhamos uma lista restrita de convidados, formadas por amigos próximos e familiares, seguimos comemorando no fim de semana com uma reunião no sítio da família, onde fizemos fotos lindas – conta a noiva.

Ter um casamento íntimo e diferente do usual foi o que empolgou Elisa e Diego a fazerem da casa da família o salão de festas. É também o que motiva uma série de casais a adotarem casas não só na cidade, mas também em praias e no campo, como cenário.

- Entendemos esse movimento das noivas. As pessoas querem que seus casamentos sejam diferentes, e não que seus convidados entrem um mesmo salão aonde já foram em outras dezenas de festas. Quem opta por um casamento em casa tem um lado intimista e pessoal bem fortalecido. Não é por economia, por às vezes não ter a estrutura de um salão próprio para eventos torna tudo mais caro- afirma Neca Esbroglio.

Um casamento em casa pode mesmo não sair mais em conta do que uma festa tradicional. Tudo vai depender do número de modificações que a residência precisará receber para acomodar os convidados e a decoração. O aluguel do salão de festas de um clube pode passar de R$ 10 mil, mas nivelar o piso de uma casa, instalar toldos na área externa e locar todos os objetos de cozinha para o serviço podem resultar numa conta superior a R$ 50 mil. Usar a casa para a festa visando à economia só é um bom negócio caso as alterações sejam mínimas. Quem pensa em utilizar uma área externa para ampliar o espaço da festa precisa ter cuidado extra. É prudente cobrir os espaços com toldos para se precaver de chuva, sereno e sol forte, no caso de uma comemoração à luz do dia. Com antecedência, os noivos também podem encomendar um projeto para revitalizar o jardim e a pintura de muros e paredes.  As reformas já ficam como um presente para os donos da casa pelo empréstimo da propriedade.

Antes de começar a planejar, também é preciso considerar se há espaço para o serviço, já que uma casa não tem uma cozinha grande o suficiente para preparar mais de cem jantares ao mesmo tempo. Normalmente, os organizadores constroem toda uma nova estrutura locando fogões, fornos e freezers para as bebidas. O orçamento também terá de incluir o aluguel de itens de que os salões de eventos tradicionais normalmente dispõem, como mesas, cadeiras, toalhas, pratos, taças e guardanapos. Um casamento em casa pede ainda uma decoração diferente. Os organizadores de eventos primam por não esconder o local. A casa precisa continuar tendo cara de casa. Usar móveis antigos é uma dica. Vasos que já fazem parte da ambientação original podem receber arranjos de flores, e objetos de família vão para o altar da cerimônia. No casamento de Mirian e Guilherme, a mesa de jantar da família se transformou em mesa de doces, os sofás foram para os lounges e a cristaleira da avó recebeu os doces. Na festa de Elisa e Diego, os docinhos foram acomodados em armários e aparadores decorados com objetos de prata presenteados nas bodas dos pais da noiva.

Apesar da lista de transformações, os noivos garantem que o resultado e a repercussão entre os convidados compensam. Elisa, que casou no apartamento dos sogros, garante:

- Faria tudo de novo. Só recebemos elogios e sentimos que foi uma festa diferente e do nosso jeito. Era o que queríamos!

Noiva.com responde: por onde começo a procura por igreja e salão?

28 de dezembro de 2011 2

Imagem: One Wed

Acabei de receber um e-mail da Deise, que vai casar no comecinho de 2013. Ela pediu ajuda para escolher o salão e a igreja e disse que não sabe por onde começar. Como essa dúvida é bem frequente, vou abusar da gentileza da Deise e responder aqui no blog. Dessa forma a gente ajuda vários casais de uma vez só.

É bem comum ter essa dúvida da Deise, mas algumas dicas bem simples ajudam a começar a clarear as ideias e ver um caminho a seguir.

Vale para igreja e para o salão. Pense nos casamentos que vocês já foram e se algum espaço lhe chamou atenção (consulte a família e os amigos também). Passa em frente a um lugar e acha lindo? Anote tudo na agenda.

Imagino a agonia de quem não tem ideia de onde vai começar a procura sabendo que existem dezenas de opções na sua cidade. Quem sabe você não delimita a região da cidade onde quer casar? Se cresceu na zona sul e a maioria dos amigos são de lá, de repente comece a procura por ali. Certamente vocês se sentirão mais em casa.

Quando você começar a fazer as primeiras pesquisas sobre espaços será perguntada sobre quantos convidados terá. Eu garanto: ter uma resposta bem aproximada é muito, mas muito importante. É por este motivo que por aqui a gente sempre dá o conselho de fazer uma listinha prévia de convidados para ter essa ideia de quantas pessoas irão. Na hora de fazer as visitas este número vai ajudar a descartar espaços. Quer um exemplo? Se você terá 200 convidados não tem porque visitar um salão onde cabem 150.

Um conselho para quem está começando o planejamento: não se preocupe em aplicar a regra para o caso de igrejas, que normalmente são enormes, com espaço  para 800 pessoas. A maioria delas vai ficar com bancos sobrando, sim, e isso é bem normal.

Os preços são, certamente, os maiores limitadores desta busca pelo local perfeito para casar. É bacana ter uma ideia, mesmo que vaga, de qual é o seu orçamento. Ama muito o salão onde a sua irmã se formou, ligou para lá e viu que a locação custa a metade do que você tem para gastar? Hora de riscar este espaço da lista e partir para outra.

Num mundo ideal o melhor momento para contratar um organizador de casamentos é justamente neste momento de ansiedade, logo depois de ficar noivo. O organizador vai lhe ajudar a descobrir qual igreja e qual salão casam com o que você quer, inclusive com quanto pretende pagar.

A seção Just Married, aqui do blog, não é só bonitinha. Ela é uma ferramenta e tanto! Passeie pelos posts e anote naquela boa e velha agendinha os lugares que achar mais lindos. Com a lista pronta, comece a telefonar e pedir informações.