Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Noiva.com responde"

Spice Girls para tocar na cerimônia de casamento: pode?

26 de novembro de 2013 2

Já pensou em usar Wannabe, das Spice Girls, entre as músicas da cerimônia de casamento?

wa

“Yo, I’ll say you what I want, what I really really want / So tell me what you want, what you really really want / I’ll tell you what I want, what I really really want…”

Provavelmente não, né? Mas agora eu vou te fazer mudar de ideia. Fecha os olhos, respira, tenta esquecer a versão original e aperta o play abaixo (tá bem, aperta o play e depois fecha os olhos). Geri Halliwell, a Spice ruiva, fez algo inimaginável com a música. E não é que ficou digna de tocar até no casório?

Não ficou lindo? Nossa, eu tinha esquecido que a Geri cantava bem. O som das Spice era mais gritado, menos melódico. Ela não só está linda como cantando como nunca. Arrasou!

É incrível como uma mesma música, dependendo do arranjo e de quem canta, pode ficar bacana ou absolutamente intolerável. Cof cof.

No clima de Rock in Rio, é de Justin Timberlake a música queridinha dos casamentos

16 de setembro de 2013 6

Como vocês sabem, a minha irmã organiza casamentos, e por isso sabe cerimônias de trás para frente. Vocês não têm ideia do quanto é divertido ir em casamentos com ela (a Claudya como convidada, no caso). Ela sabe quanto tempo o padre costuma falar, por qual porta vai entrar a daminha e até o momento exato em que o pessoal vai se emocionar e começar a chorar. Num casamento no ano passado, eu e ela sentadinhas lado a lado, os noivos se preparavam para trocar alianças. Cochichei no ouvido da Claudya:

“Aposto que vai tocar I’m Yours, do Jason Mraz”. 

Ela, bem sabichona, me deu nos dedos:

“Nada a ver. Agora é outra a queridinha do momento da troca de alianças.”

Bam! E era mesmo. Os noivos fizeram o juramento com Lucky, da Colbie Caillat, conforme a mana tinha cantado a pedra.

Me lembrei dessa história porque ontem pisou no palco do Rock in Rio o dono da música mais amada do momento por quem vai casar.

image

Mãozinha para cima e cantem “Mirrors” comigo, pessoal!

Justiça seja feita: a música é bem romântica e tem tudo, tudo, tudo a ver com casórios. Deixo aqui o link para espiar letra e tradução. Fica bacana na troca de alianças, mas deve ser fantástica na saída dos noivos da igreja. Vamos ter Justin Timberlindo cantando ela ontem:

Curto muito a música original, mas sou a-pai-xo-na-da pela versão que a banda Boyce Avenue fez com as meninas do Fifth Harmony (aquelas do The X Factor).

Bacana, né? Fica como dica para quem está selecionando as musiquinhas para sua cerimônia religiosa. E sobre o assunto, sempre vale o lembrete:

:: Antes de sair contando com Justin Timberlake na playlist, consulte sua igreja sobre a possibilidade de usar músicas contemporâneas. Alguns locais permitem apenas músicas clássicas, que os noivos podem escolher a partir de uma listinha (a São José, aqui de Porto Alegre, é uma delas).

:: Gosta de uma música, mas acha animadinha demais para usar na igreja? Encomende um arranjo clássico, amiga! Eu saí da igreja com “I’ll be there for you”, da abertura do seriado Friends, mas ao som de instrumentos clássicos da Cia. Acústica e a voz calminha e doce do Daniel Germano. Na época, fiz um post contando como foi transformar pop e rock em músicas que não arrepiariam os cabelos do padre.

image (1)

Agora, caso o orçamento seja gordo e esteja sobrando grana, contrata o próprio Justin para trocar “Mirrors” ao violão. E me convida para esse casamento, poooooor favor!

PS: buquê, bolo, decoração e o vestido da noiva: passa aqui para relembrar o casamento do Justin Timberlindo com a Jessica Timberlinda

Lição de fotógrafo: o que levar em conta ao escolher o profissional

27 de março de 2013 2

Olha aí a gente! Eu, no cantinho, e no palco 5 súper profissionais que participaram do bate papo sobre foto de casamento comandado pelo bloguinho na Mostra Noivas 2013. Da esquerda para a direita: Frederico Mombach, Fábio Martins, Everton Rosa, Jorge Scherer e Daniel Scherer. Timão!

Durante o papo, eu perguntei para os guris quais eram os seus diferenciais, como gostavam de trabalhar e foquei bastante nas dicas deles para as noivas e noivos que estão na fase de escolher um profissional para o casamento. Saíram algumas dicas muito legais dessa conversa. Algumas delas eu reproduzo abaixo.

- Todos foram unânimes: se não rolar empatia com o fotógrafo, a chance de você ficar feliz cai bastante. Os rapazes aconselham: visite, converse, veja se gosta do profissional. É com ele que você vai passar a maior parte do dia do casamento, dona noiva. Não esquece: o noivo só te vê na igreja. O fotógrafo te acompanha desde a chegada no salão.

- Seja franca e diga ao fotógrafo o que você espera das fotos. Conte o ângulo que curte, o que não curte (vale, sim, dizer um “eu odeio meu nariz de perfil), mas confie no profissional. Não são raras as vezes que a noiva se surpreende com o resultado de uma foto que nem queria.

-  Na hora da contratação, você vai ver preços diferentes e muitas opções de álbuns a escolher. Cada álbum tem um preço e às vezes rola uma dúvida danada sobre o que pegar. O conselho dos fotógrafos: concentre-se no profissional. O álbum você pode mudar mais tarde. A grana está curta e você adoraria a pessoa X? Vale considerar contratá-la com um álbum mais simples e, passado o casamento (com o bolso já recuperado), investir num álbum mais lindão.

- Portfólio, portfólio, portfólio. Veja muitas fotos do profissional que quer contratar, pergunte muito. Pode ser uma metralhadora de dúvidas porque eles não se importam. Entenda que você está contratando primeiro o profissional, depois o álbum.

- Sobre álbum, eles fazem um alerta: álbum não é só o material, o tamanho, o número de folhas. Álbum também é edição. O fotógrafo faz as fotos, trata e depois organiza de uma forma toda particular no álbum, como se estivesse contando uma história. A necessidade desse formato lhe agradar é importantíssima!

Obrigada aos queridos que atenderam meu convite para o papo (Fábio, obrigada por mandar a foto acima, que registra o encontro). As dicas do outro painel do bloguinho,o Noivas Reais, estão aqui neste link.

Vestidos de noiva: soluções em sutiã para quem tem busto grande

15 de março de 2013 9

Recebi um e-mail interessante da Patrícia, de Canoas. Ela contou que estava perdendo as esperanças de encontrar um vestido legal nas lojas que oferecem aluguel aqui em Porto Alegre. A Pati disse que pre-ci-sa usar sutiã com o modelo eleito porque tem busto grande e não se sente à vontade sem um. Trocamos algumas mensagens (eu também sou da turma dela, e por isso entendo a aflição) e eu repasso aqui uma dica preciosa que aprendi há um tempo atrás, a mesma que passei a ela: não procure um vestido que case com seu sutiã, mas crie um sutiã que case com seu vestido.

Hein, Gabi? Oi?

Eu explico, gurias. Alguns modelos de vestido permitem o uso de sutiãs adaptados. A noiva elege um modelo que ame de paixão, aquele que a deixa bem confortável, e pede que a loja adapte ao vestido de noiva, seja mudando as alças levemente de posição (e costurando bem firme), seja cortando um pedacinho do bojo para que ele não apareça sob a renda.

Os modelos abaixo são todos da grife gringa Stephanie Allin, que a-do-ro. Todos podem ser usados com sutiã. Espia as dicas para cada decote.

Aqui um frente única onde aquela dica de alterar o sutiã faz mais do que sentido. Ao invés de varrer as lojas da sua cidade atrás de um sutiã com alças perfeitamente no mesmo lugar do vestidão, leve o seu preferido ao atelier e peça que a costureira mova as alças de lugar e faça, na parte de trás do pescoço, uma união bem imperceptível.

Esse modelinho acima, com tecido fininho cobrindo o colo, já dá uma boa sustentação (tenho um vestido de festa assim, então acreditem em mim e no meu sutiã 44/46). Se mesmo assim você se sentir insegura, CONSULTE a estilista sobre alças de silicone. Eu sei, eu sei. Alças de silicone são um terror, mas dependendo da transparência do filó, podem passar despercebidas sobre o vestido. Neste aqui, por exemplo, não ia funcionar tão bem. Já num modelo com renda, bingo!

A parte da frente deste não tem erro, mas o que se faz com a parte de trás, que tem decote aprofundado? Não dá para aparecer o sutiã cruzando de um lado a outro, né? Para este caso, vá numa loja de lingerie e peça aquele modelo abençoado por Deus que oferece mais de 100 posições para as alças. Algumas marcas vem uma faixa extensível, que manda o fecho lá para baixo. Assim, ó.

Abaixo, outro modelo onde a alcinha de silicone pode funcionar. Uma amiga minha casou com um modelo exatamente assim, com pequenas manguinhas em tule. Ela pediu à estilista para não fazer uma camada de tule muito fininha, mas uma que fosse propositalmente grossa para esconder a alça. Ah! A alcinha foi costurada junto do vestido, impedindo que aparecesse quando a Nani se mexesse. Naquela coisa de fim de festa, todas as amigas batendo papo, ela nos mostrou a alça. Quase caímos pra trás porque não dava mesmo pra ver!

Fecho com esse modelinho que parece bem amigo do sutiã. Ele também tem decote profundo nas costas, mas meu motivo para trazer este aqui é dar mais uma prova de como o sutiã tem que ir junto com a noiva para a prova do vestido. O vestido abaixo é justinho no busto e tem tecido fino. Um sutiã de renda por baixo dele seria um desastre, pois deixaria o vestido marcado. Vai aí outro truque aprendido nas minhas festas da vida: forrar o bojo do sutiã preferido com seda. Eu já fiz isso e o meu vestido, que era beeeeem fininho, simplesmente deslizou sobre a lingerie. Não fica nada marcado!

Noiva.com responde: preciso pagar o jantar de quem trabalhar no meu casamento?

31 de janeiro de 2013 16

A Fabi, de Itaara, aqui no Rio Grande do Sul, me mandou um e-mail com um daqueles dilemas de noiva que a menina só se depara na finaleira da organização do casamento. Muita gente se questiona (e me questiona também) o que é certo fazer, por isso eu fui buscar a resposta de quatro profissionais de destaque aqui no Estado. Primeiro, a pergunta da Fabi, e depois as respostas de organizadoras de eventos que têm dezenas de festas na bagagem.

“Estamos com uma dúvida: somos obrigados a fornecer jantar para as pessoas que estarão trabalhando no nosso casamento (como fotógrafo, assistente, cerimonialistas e DJ)? Como teremos serviço empratado e pagamos por pessoa, isto representaria um gasto considerável. Como proceder?”


A primeira resposta é da querida Margarida Müller. Ela faz festas lindas e foi a responsável pela organização do 5º Encontro Noiva.com, lá em 2010, que nos deixa saudades até hoje.

“O cliente pode escolher pagar ou não, salvo conste e contrato que deva pagar. Quando comecei a trabalhar, via profissionais pegando canapés escondido, pedindo para os garçons discretamente um prato de comida, ou ao contrário, se servindo antes dos convidados. Escolhiam uma mesa no salão e se acomodavam e se alimentavam e ainda bebiam sem menor comprometimento com a festa. Hoje os profissionais trabalham mais de 8 horas (sonorização,DJ, foto, vídeo e equipe de organização) e  seria justo quem contrata pagar uma refeição. Mas custos às vezes são altos. É melhor a noiva disponibilizar uma verba para um lanche que fique abaixo do valor de jantar dos clubes.”


Agora quem responde é a Cris Calero, uma fofa. A Cris organizou o encontrinho lá da Maison Carlos Gomes, que ainda está fresquinho na memória da gente.

“Você não é obrigada a fornecer a alimentação, desde que na contratação destes fornecedores este item seja pontuado. Alguns fornecedores colocam no contrato como obrigatoriedade dos noivos a alimentação. Sugiro verificar com a empresa fornecedora de alimentação uma forma de negociação com custo reduzido, pois estes fornecedores não são convidados, tem pouco tempo para se alimentar, não participam do coquetel e não ingerem bebidas alcoólicas. Deve-se levar em conta que trabalham desde muito cedo no dia do casamento e no momento do jantar é impossível se retirarem da festa para se alimentar em outro local. Uma dica ter atenção e solicitar o número correto de pessoas atuantes como fornecedores no dia do casamento que participarão desta alimentação com valor diferenciado, assim evita-se um custo extra pós-casamento.”

Fecho com a palavra das experts Aline e Shana Zimmermann, irmãs que comandam a Idealize Eventos. Vocês lembram delas do deslumbrante 10º Encontro Noiva.com, lá na Inês Noivas.

“O cliente não é obrigado a fornecer jantar para a equipe que estará trabalhando em seu casamento. Entretanto, consideramos de bom tom fornecer jantar aos profissionais, visto que a maioria deles inicia o trabalho horas antes da cerimônia e permanece no evento muitas vezes até o final. Isso não quer dizer que o fornecedor irá jantar a mesma alimentação e ter o mesmo custo que os demais convidados. Hoje em dia, a maioria dos economatos já estão preparados para atender toda essa equipe que trabalha durante o evento e já oferece ao cliente um valor reduzido para esse serviço e algumas vezes, até outro tipo de alimentação a estes profissionais. Na dúvida, questione e deixe claro como será o procedimento com cada profissional no dia do evento. Cabe também, que esse acordo entre as partes, fique registrado em contrato. Seja qual for a sua opinião, fica a nossa dica: você escolheu pessoas para fazer parte do dia mais especial da sua vida e serão elas juntas, satisfeitas e empolgadas que trarão o melhor resultado para esse dia.”

Peônias no casamento: caras e difíceis de conseguir

25 de outubro de 2012 13

Ontem à noite encontrei a Cláudia Sauaressig (decoradora, proprietária da Tok de Arte) em um evento e aproveitei para tirar todas as minhas dúvidas sobre peônias com ela. A flor, que é linda de morrer, é paixão não só minha, mas de um monte de noivas que sonham em ver o casamento todo decorado com elas. As peônias são “repolhudinhas” (uma florzinha só pode ter até 60 pétalas) e ficam divinas em arranjos e buquês. Naqueles casamentos americanos, que a gente adora espiar, reinam absolutas e nos fazem ter muita vontade de copiar. Essa vontade, no entanto, é barrada pelo preço e pela dificuldade de consegui-la aqui no Brasil.

A Cláudia me explicou que não há produção de peônias no Brasil. Quando elas chegam aqui, vêm importadas. O preço médio de uma flor é de R$ 15 (sim, apenas uma), mas pode chegar até a casa dos R$ 40 considerando custos de transporte e armazenamento. Façam as contas e pensem quanto um casamento todo custaria tendo só peônias na décor.

Falei da dificuldade de conseguir a flor, né? No papo com a Cláudia, ela comentou que é um pouco complicado de conseguir prever quando o fornecedor de flores vai trazer peônias. Os decoradores compram flores de produtores que trazem “modelos” específicos quando há uma demanda que justifique a importação. Dessa forma, se você sonha com um buquê de peônias (apenas um buquezinho não quebraria o orçamento do casório), como eu sonhava, não vai conseguir ligar para o produtor e pedir que ele importe umas 6 ou 7 flores para você. O pedido teria que ser bem, mas beeeeeem maior.

Para quem já ficou com vontade de chorar em luto pelas peônias, deixa eu perguntar uma coisa: vocês conhecem lisianthus? É uma flor linda, que existe aos montes por aqui e tem preço bacana. Ela não é tão cheia quanto a peônia, mas dá aquele efeito repolhudinho que a gente ama. Ela está entre as flores do buquê abaixo. Na minha modesta opinião, é uma substituta bacana. A Angélica Martins, que fez o meu buquê,  usou e eu amei, amei, amei. Na decoração do casamento ela também apareceu.

Só para a gente chorar de amores mais um pouquinho pelas peônias, fiz um álbum lá no Pinterest com buquês e arranjos com elas. É como eu já disse por aqui há algum tempo: é o Brad Pitt das flores!

Noiva.com responde: posso pedir que meus convidados paguem a bebida?

25 de setembro de 2012 18

A pergunta vem da Letícia, de Curitiba. Ela quer saber se pode custear apenas o jantar e pedir que os convidados paguem pela bebida.

Poder até pode, Letícia, mas é bom sempre lembrar que normalmente uma festa de casamento é totalmente custeada pelos noivos. Quando a gente recebe um convite, nem pensa que terá que pagar alguma coisa além do presente e uma boa sessão no salão de beleza, não é? O ideal seria te organizares mais um tempo para conseguir juntar um dinheirinho extra.

Se isso não for possível, podes pedir que os convidados paguem pela bebida, mas isso deverá ficar absolutamente claro para eles. Não podes, de forma alguma, fazer com que a pessoa passe o constrangimento de ser surpreendida pelo fato e não ter levado dinheiro ou cartão para tua festa. Ressalto: isso precisa ser informado antes da festa, ainda no momento do convite. Há quem leve um detalhe destes em consideração na hora de aceitar ou não o convite. Pensa nisso!

Posso te dar uma sugestão que fica no meio do caminho? Tenta oferecer sem custo para o convidado aquele pacote de bebidas básicas, como água, refrigerante, suco e cerveja. O convidado paga pelo que consumir de extra, aquelas bebidinhas mais elaboradas, como whisky, vinho e espumante. Estas, podes comprar em esquema de consignação (quando compras da distribuidora de bebidas e pagas apenas pelas garrafas consumidas, devolvendo as que sobrarem e não desperdiçando dinheiro).

Uma última dica: toda festa tem o brinde dos noivos, não tem? Ter este momento no casamento não significa ter que gastar rios de dinheiro com espumante. É possível servir a bebida apenas para o brinde, em taças entregues já cheias pelos garçons. O bloguinho até já deu dicas fofíssimas de como servir espumante só no brinde e encantar os convidados.

Afinal, buquê combina com o que?

09 de julho de 2012 35

Buquê combina com a decoração da igreja? O buquê combina com o sapato da noiva? Buquê tem que usar a mesma flor da decoração da igreja? Essas são algumas das dúvidas que sempre chegam por aqui. Já que são tantas, matamos várias delas com um post só.

Começo lembrando um detalhezinho que faz toda diferença entender como funciona esse esquema: a noiva não faz parte da decoração, por isso ela não precisa combinar c0m nada. Isso quase responde todas aquelas perguntas ali de cima, né?

O buquê não precisa, de jeito nenhum, ser da mesma cor da decoração da festa. Se você gostar do mesmo esquema de cores, beleza. Caso sonhe com outro para o buquê, vá em frente. O mesmo vale para a igreja. Quando foi a última vez que você viu uma noiva entrando com um belo buquê de rosas e pensou: “sacrilégio! Como ela faz isso se a decoração do corredor é com flores do campo?”. O buquê também não precisa combinar com o sapato da noiva, nem com algum detalhe colorido que ela esteja usando.

O buquê precisa fechar com o todo do look da noiva. Um modelo cascata, aquele bem comprido, não vai casar com uma menina baixinha, pois a última flor irá bater abaixo do joelho dela. Se você é miudinha, deixe de lado aquele buquê gordão, que vai tapar grande parte do seu vestido.

Como na igreja você será fotografada mil vezes ao lado do noivo, é bacana combinar o buquê com a boutounnière do noivo. Fica uma unidade bem fofa. Para garantir que sejam parecidos, encomende buquê e flores de lapela (do noivo, pais e padrinhos, juntos).



Está na moda acessorizar o buquê com fitas, broches, plumas e raminhos de cristal entre as flores de verdade. Se neste momento você quiser dar uma combinada com o esquema de cores que escolheu para o casamento, fica divino! O que não dá para esquecer é que casamento é sonho, é uma vez na vida. Se sonhou a vida toda com um big buquê de rosas vermelhas, mas optou por branco na igreja, não há porque anular um ou outro em busca de um “combinandinho” que ninguém vai reparar.

PS: na imagem acima, buquê de cravos e chuva de prata e buquê de calas, ambos da Florá

Noiva.com responde: como enviar convites para padrinhos que não são um casal?

02 de julho de 2012 2

A dúvida é da Débora e foi enviada pelo e-mail do blog (contato@clicnoiva.com). Ela vai convidar padrinhos que não são um casal (não são namorados, nem noivos, nem casados), e quer saber se envia um convite só no nome dos dois ou se faz um para cada um.

O convite dos dindos, Débora, segue o mesmo esquema dos convites para os demais padrinhos. Se são casados, apenas um por família. Se são solteiros, um para cada um.



Duas dicas sobre convites dos padrinhos:

1. Faça o convite para os padrinhos antes de entregar os convitinhos de papel a todos os convidados. Vocês sabem: convidar os padrinhos pede um pouquinho de formalidade, talvez uma jantinha ou um presentinho. Entre os seus amigos, é claro que existem vários na expectativa de serem chamados, por isso é bacana convidar deles antes dos demais. Se vocês apareceram na casa daquele amigo que será chamado para ser padrinho com convite simples em mãos, ele vai achar que ficou de fora. Deu para entender a lógica?

2. Não é porque sou madrinha que não vou ganhar convite! A dúvida enviada pela Débora está mais do que fundamentada. Você já chamou a amiga para ser madrinha e ela já teve seus acessos de choro de emoção. Agora, entregue um convite formal para ela também (certamente a moça vai querer guardar de recordação). No envelope, ao invés do nome dela escrito por extenso, seja amorosa e vá de “para minha querida madrinha Patrícia”. Fofo e queridíssimo!

PS: mais dúvidas, dicas de presentes e formalidades sobre seus padrinhos de casamento estão neste link. Vem!

Tirando dúvidas sobre o chá de panela

28 de junho de 2012 5

Há alguns dias eu fiz uma coluna para o jornal Pioneiro, da Serra gaúcha, tirando dúvidas sobre  chá de panela. Sempre recebo perguntinhas bem pontuais sobre o tema, seja de noivas querendo saber como motivar as madrinhas e de dindas querendo saber como planejar a festa. Reproduzo todo meu texto aqui para ajudar quem estiver passando pelo dilema.

O chá de panela é um momento de relax e diversão para a noiva.A comemoração acontece pouco antes do casamento e, segundo a tradição, deve ser totalmente organizada pelas madrinhas.A coluna preparou um guia com dicas para que a festa seja perfeita. Guarde o jornal, convoque uma reunião de amigas e parta para a organização!

Quando promover a festa?

Normalmente o chá acontece no mês anterior ao casamento. Não escolha uma data muito próxima do grande dia da noiva para não sobrecarregá-la com compromissos.

Quem convidar?

O chá de panela é uma festa feminina: homens ficam de fora! As convidadas são as amigas e familiares mais próximas da noiva. Fique atenta, madrinha: não chame para o chá pessoas que não foram convidadas para o casamento, pois elas podem ficar chateadas de estarem participando apenas da festa menor.

Como reunir todas as madrinhas na organização?

Se organizar a festa para outra pessoa já é complicado, ter que fazer isso com um grupo de pessoas que você mal conhece é ainda mais desafiador. A noiva pode ajudar marcando um jantar para apresentar todas as madrinhas. Neste encontrinho, elas podem aproveitar para pedir pistas à noiva sobre o chá, como data preferida, local e cores de decoração. Será um ótimo ponto de partida para começar a pensar na festa!

São tantos chás…

Se você já tem tudo o que precisa para a casa nova e não curte a ideia de ganhar panos de prato e aventais, há outras formas de comemorar.

- Chá de lingerie: neste tipo de chá, os presentes não são itens de cozinha, mas lingeries para apimentar a lua de mel. A noiva pode deixar uma listinha de suas peças preferidas em uma loja ou simplesmente avisar as convidadas sobre seu tamanho e cores preferidas. A comemoração é mais despojada, e muitas noivas convidam professoras de artes sensuais para ensinar truques às convidadas. Sempre é bom avisar: mães, sogras e avós podem ficar constrangidas com as brincadeiras.

- Chá-bar: nesta comemoração, os presentes são para a adega do casal: taças, baldes de gelo, garrafas de bons vinhos. Um chá-bar é, normalmente, realizado numa festa conjunta do noivo e da noiva.

Acima, brincadeirinha apimentada do chá da Vanessa, que mostramos aqui no blog

Tem que caprichar na forma de servir: essa inspiração feito da festinha da Constanza

As madrinhas podem se reunir para fazer os arranjos da festa: este aqui é de papel!