Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

QUINTON JACKSON E CRO COP SE APOSENTAM

25 de setembro de 2009 5

Quinton Jackson vai ser astro de cinema/reprodução, mmaweekly

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A semana foi marcada pelo anúncio de aposentadoria de dois grandes nomes do MMA (popularmente conhecido como vale-tudo).

O croata Mirko Cro Cop falou em parar de lutar após ter sido nocauteado pelo brasileiro Junior Cigano, no último de 19 de setembro, no UFC 103.

E, segundo o site Fightersonly, o Croata confirmou sua aposentadoria.

Mirko lutou cinco vezes no UFC, com 2 vitórias e 3 derrotas, a saber: no UFC 99 nocauteou o libanês Mustapha Al Turk, no UFC 67 ganhou de Eddie Sanchez, no UFC 70  perdeu  para  o  brasileiro Gabriel Napão em um dos nocautes mais impressionantes da história do MMA, no UFC 75 foi derrotado por Cheick Kongo na decisão dos Jurados e no UFC 103 perdeu por desistência verbal para Junior Cigano no UFC 103.

Cro Cop começou  sua  carreira  de  lutador  de  MMA  na organização japonesa K-1, no dia 19 de agosto  de  2001  onde venceu o japonês Kazuyuki Fujita. Posteriormente, migrou para o Pride onde fez sua estreia em 03 de novembro de 2001 contra o japonês Takada, onde permaneceu até 2006 quando conquistou o título do Pride GP 2006, vencendo o americano Josh Barnett na finalíssima.

Cro Cop detém um Cartel com 25 vitórias, 7 derrotas e 2 empates (contra o japonês Takada e o brasileiro Wanderlei Silva).

De acordo com o site mmaweekly, outro lutador que anunciou que está fora do Mundo das Lutas é o americano  Quinton Rampage Jackson.

Cabe salientar que Quinton aceitou um papel no filme “The A-Team”, impossibilitando os treinamentos para a luta programada para o dia 12 de dezembro de 2009 contra Rashad Evans.

A organização do UFC não se mostrou satisfeita com o adiamento da luta.

De acordo com a rotina do UFC que sempre determina que os técnicos do Reality Show “The Ultimate Fighter”, promovido pela organização americana, enfrentem-se após o final de cada edição, apontaria-se o duelo entre os americanos Rashad Evans e Quinton Rampage Jackson.

A 10ª edição do “The Ultimate Fighter” está ocorrendo e tem como técnicos os dois lutadores acima referidos, ambos ex-campeões da categoria meio-pesado, hoje dominada pelo brazuca Lyoto Machida.

Nesse quadro, Jackson achou por bem se dedicar à carreira de ator de cinema, abrindo mão da sua vida de lutador de MMA.

Rampage é um grande lutador, tendo um cartel com 30 vitórias e 7 derrotas no MMA, tendo duelado com grandes nomes do esporte como:  Wanderlei Silva, Murilo Bustamante, Chuck Liddell, Ricardo Arona, Murilo Ninja, Mauricio Shogun, Dan Henderson, dentre outros.

É uma lástima para o MMA que deixa de ver dois grandes atletas que fizeram lutas memoráveis.

Postado por CAJU FREITAS

Bookmark and Share

Comentários (5)

  • Arlei Gouvea diz: 25 de setembro de 2009

    é uma pena, tava querendo ver a luta do
    Quinton Rampage Jackson contra Rashad Evans.
    Seria uma grande luta.

  • Carlos Salvador diz: 26 de setembro de 2009

    Mas se eles sentiram que é a hora de parar é bom que façam isso mesmo. São grandes lutadores, já fizeram muito pelo esporte. Não precisam provar mais nada pra ninguém. O que não é bom são aqueles atletas que não reconhecem que já chegou a sua hora de se aposentar e ficam fazendo apresentações deprimentes, mais pelo nome que possuem do que pelo que podem apresentar realmente em ação.

  • abraao diz: 12 de novembro de 2009

    minha pior frustaçao no ufc rampage, parando de lutar assim como liddell e cro cop
    a fixa ainda ñ caiu afinal eu comessei alutar quando vi a luta entre liddell e
    rampage no ufc 71 trágico!!!

  • marcelo martins diz: 13 de outubro de 2009

    Pessoal, quem teve o prazer em assistir estas duas lendas lutarem certamente estam tristes. Rampage e cro cop são e serão sempre lembrados pelos amantes de um combate de primeira linha.

  • André de Godoy diz: 2 de outubro de 2009

    É uma pena essas duas aposentarias, principalmente para os saudosos do Pride, em que os dois atletas travaram lutas memoráveis, sobretudo Cro Cop, a meu ver um dos maiores nomes desse esporte. No caso do croata, o problema parece ser basicamente psicológico – agravado pela derrota terrível para Napão -, aliado a certo cansaço e desinteresse pela rotina sacrificante de treinos e dieta – sem esquecer que é difícil manter o foco depois de já se ter conquistado quase tudo e batido os maiores.

Envie seu Comentário