Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O fim de um gigante do MMA

13 de novembro de 2012 0

O Strikeforce era o maior concorrente do UFC até o momento em que o maior torneio de lutas – no dia 11 de março de 2011 – anunciou a sua compra.

De lá para cá, a grande interrogação que se estabeleceu versava acerca do futuro da organização, tendo em vista que as outras aquisições do UFC – Pride e WEC – restaram extintas.

No ano de 2011 tudo transcorreu normantente no Strikeforce, com duelos memoráveis, além da notória abertura e consolidação do MMA feminino com Gina Carano, Ronda Rousey e Cris Cyborg.

Em 2012, tudo parecia muito bem, com administração independente e contrato com a emissora Showtime, com Ronda Rousey como grande estrela.

Contudo, o americano Gilbert Melendez se lesionou em setembro e o show que se daria no dia 29 do mesmo mês acabou cancelado. Duas semanas mais tarde, Frank Mir – que lutaria com Daniel Cormier – também se lesionou e o evento do dia 3 de novembro também foi cancelado.

Em seguida, os organizadores anunciaram que o Strikeforce faria eventos somente em 2013, restando grande incerteza no que se refere ao futuro da organização.

No fim das contas, o Strikefroce fará o seu evento de despedida no dia 12 de janeiro e será extinto. Lembremos que o UFC também adquiriu o Pride em 2007 (maior evento de MMA japonês e para muitos o melhor já existente)  e o WEC (evento americano de extremo sucesso que se fundiu com o UFC em 2010).

” Acompanhe também Caju Freitas sempre às quintas na Zero Hora, aos sábados 20hs na Rádio Atlântida e com drops diários, às terças no TVCom Esportes e aos sábados no RBS Esporte”.

Bookmark and Share

Envie seu Comentário