clicRBS
Nova busca - outros
22 fev10:39

Fé e debate sobre a agricultura familiar levaram milhares de fiéis à Romaria da Terra

Foto: Arquivo da CPT e Diocese de Santo Ângelo, divulgação

Milton Gerhardt, leitor-repórter

Nem mesmo o calor intenso desanimou aproximadamente 15 mil romeiros que optaram pela reflexão na terça-feira de carnaval. Com o tema “Agricultura familiar camponesa: vida com saúde”, a 35ª Romaria da Terra reuniu fiéis de todo o Estado em Bom Princípio Baixo, interior de Santo Cristo.

A Romaria foi preparada e organizada pela Comissão Pastoral da Terra em conjunto com a Diocese de Santo Ângelo, que celebra seu Jubileu de Ouro de história. Evento já tradicional do calendário religioso do Rio Grande do Sul, buscou incentivar a agricultura sem uso de agrotóxicos e o associativismo para a produção de alimentos saudáveis.

Foto: Arquivo da CPT e Diocese de Santo Ângelo, divulgação

A presença de nove bispos, dezenas de padres e demais religiosos, políticos e lideranças atesta a certeza e a justeza da realização das Romarias da Terra. Entre as presenças ilustres, o governador do Estado Tarso Genro, que também esteve no cemitério da linha Salto, onde prestou uma homenagem às mais de 20 vítimas do acidente entre um ônibus e uma carreta no oeste catarinense, no carnaval do ano passado.

A comunidade de Bom Princípio Baixo foi escolhida para sediar essa Romaria, porque ali existem expressivas experiências de práticas da agricultura familiar. Iniciativas de associativismo e cooperativismo e formas marcantes de organização comunitária são também características significativas da maioria das comunidades do município de Santo Cristo, conhecido como terra do homem da terra.

O pregador dessa Romaria da Terra foi o bispo D. Guilherme Werlang, da Comissão de Justiça e Paz da CNBB. Em sua fala foi firme ao condenar o latifúndio que expulsa o homem que tira seu sustento do campo e o uso massivo de agrotóxico que gera os males que a sociedade enfrenta.

A 35ª Romaria da Terra também questionou os projetos de construção das grandes barragens, alertou para a insuficiência das políticas públicas de sustentação do trabalho na agricultura familiar e apontou caminhos alternativos para a permanência e sustentação dos jovens no campo.

Foto: Arquivo da CPT e Diocese de Santo Ângelo, divulgação

Foto: Arquivo da CPT e Diocese de Santo Ângelo, divulgação

Foto: Arquivo da CPT e Diocese de Santo Ângelo, divulgação

Por

Um Comentário »

  • Vania de Moraes Walau disse:

    Estou precisando urgente que me postem o formulário de “Avaliação das Caravanas” para que possa responder, ainda hoje, os questionamentos propostos, via e-mail. Vocês poderiam me fornecer, com urgência? Obrigada.

Comentários