clicRBS
Nova busca - outros
13 abr11:13

Caso Luana completa nove meses sem pistas concretas

O “já volto” de Cíntia Luana Ribeiro de Moraes persiste na memória da dona-de-casa Ivone de Moraes, 55 anos. Foi a última vez que ouviu a voz da filha, que saiu de casa em Três Passos,  há exatos nove meses, por volta das 18h55min, afirmando que se encontraria com o suposto pai da criança que esperava.

Grávida de sete meses e meio, Luana planejava chamar a filha de Emily Vitória. Mas sua família nunca a conheceu. Desde o dia 13 de julho de 2011, a adolescente não dá mais notícias.

Desde então, a Polícia Civil sustenta três hipóteses sobre o desaparecimento: homicídio, fuga por conta própria ou cárcere privado.

O principal suspeito pelo sumiço e suposto pai da criança confirmou em depoimento à polícia que entregou dinheiro para Luana ter o filho em outra cidade, mas que não sabe de seu paradeiro. Buscas foram realizadas sem sucesso na propriedade e residência do suspeito de 28 anos, morador de Humaitá.

A chave do mistério pode estar no resultado de exames, que já foram realizados entre o ano passado e início deste ano. Segundo a inspetora Luciana Rollim, a Polícia ainda aguarda o retorno.

Depois de buscas sem êxito em Santa Catarina e no Paraná, a mãe, por vezes, desanima.

_ Sempre está tudo mais ou menos. Sem a Luana, nada é 100%. A Páscoa foi muito difícil. Tive esperança quando a Polícia foi procurar ela em Maravilha (SC), há alguns dias, depois de uma denúncia, mas nada. Ela não estava lá_ desabafa Ivone.

No município catarinense, onde uma adolescente parecida com Luana teria sido vista em março deste ano, a Polícia espalhou cartazes com fotos dela, mas não obteve novidades.

Novo suspeito pode ajudar a elucidar o mistério

Nove meses depois do desaparecimento de Luana, a descoberta de um novo suspeito pode auxiliar na elucidação do caso que intriga a comunidade de Três Passos.

A partir de denúncia anônima, a Polícia Civil abriu uma linha de investigação alternativa e chegou a um conhecido comerciante de Três Passos, que é casado, e pode estar envolvido no desaparecimento de Cintia Luana.

Segundo a Delegada responsável pelo caso, Caroline Bamberg Machado, o comerciante já foi interrogado, mas afirmou que seu último encontro com Luana foi em março de 2011 e, desde então, não teria mais tido contato com a adolescente.

Como ajudar

Quem tiver informações que possam levar até a adolescente, pode entrar em contato com a Polícia Civil de Três Passos, pelo telefone (55) 3522-1211, ou informar à polícia mais próxima, pelo 197.

Por

Comentários