clicRBS
Nova busca - outros
17 abr14:15

VIDA ÚTIL: É hora de Dormir!

Kelly Meller – kellymeller@hotmail.com

Depois de um fim de semana de mudança, tive o prazer de experimentar uma noite bem dormida, após algum tempo sem vivenciar isso. Mudei-me para um lugar muito calmo, sem barulhos, que me proporcionou a maravilha de um sono saudável.

Passar noites em claro ou revirando na cama não tem a menor graça. E não é só pelo flagrante imposto pelas olheiras no dia seguinte. Há aquele efeito dominó sobre a saúde, o humor e até no peso corporal. É difícil definir a quantidade de sono ideal. Para a maioria das pessoas, sete a oito horas são plenamente revigorantes. Mas há os dorminhocos longos, como os adolescentes, que precisam de até dez horas de cama. Da mesma forma que é absolutamente natural que pessoas mais velhas se sintam bem depois de seis horas de sono. O importante é que você observe o quanto precisa para ficar bem disposta. Quando os especialistas aconselham a manter um sono regular – deitar e acordar sempre no mesmo horário – no fundo, o que estão propondo é uma disciplina que ajude a controlar melhor a quantidade de horas dormidas por noite. O corpo gosta da rotina. Já o cérebro se ajusta às mudanças – quando precisa acordar mais cedo, acorda; quando precisa dormir até mais tarde, dorme. O problema é que, no mais das vezes, a gente vai dormir, mas acaba acordando cedo.

Regulando o nosso cérebro

Quando você for dormir, comece a diminuir a luz. Prepare-se lendo um pouco e com cinco minutos de penumbra antes de deitar. Para muita gente funciona. De manhã, para acordar bem, aí, sim, aumente a estimulação luminosa – abra a janela, acenda a luz. O cérebro precisa entender que o dia começou, e você também.

E a pele se ilumina… 

Durante o sono é que se produzem os antioxidantes, substâncias responsáveis pela manutenção celular. Na falta dele, além da baixa desse elixir da juventude, há um aumento da circulação de radicais livres – principais causadores do envelhecimento precoce. Dormir o sono dos justos tem tudo a ver com a beleza, portanto. Sem contar que evita olheiras e aquela expressão de cansaço. É correto afirmar que, a falta de descanso acumulado submete o corpo a estresse e rouba a beleza da pele. E, noites mal dormidas desidratam a pele, perdendo seu brilho e aparecendo as famosas rugas.

Roubando o Sono…

O álcool, café e o chimarrão são grandes vilões. O primeiro prejudica a qualidade do sono e os outros dois são estimulantes. Evite-os antes de dormir.

E tem o lance do nosso quarto, onde passamos a maior parte do nosso dia, por isso deve ser um ambiente aconchegante e saudável. Evite luzinhas que parecem inofensivas, pois mesmo de olhos fechados atravessam a pele da pálpebra.

A melhor medicação…

Se é comum não conseguir dormir e ter uma boa noite de sono, com repercussões no dia seguinte, a insônia propriamente dita não é tão comum. Afetando 15% das pessoas no mundo, caracteriza-se por problemas para dormir, no mínimo três vezes na semana durante três meses seguidos. Nesse caso é recomendado procurar um especialista do sono para diagnosticar seu problema e indicar tratamento. Existem clínicas que ensinam a pessoa a dormir melhor. A primeira medida é esclarecer que o remédio não resolve o problema. Hoje, os benzodiazepínicos são os medicamentos mais vendidos e levam à dependência. Com o tempo acabam perdendo o efeito. O segundo ponto é tentar mudar as crenças equivocadas. A pessoa com insônia transforma o ato de dormir muito racional. É preciso remover estes pensamentos, às vezes não precisamos dormir tanto como imaginamos. Precisamos tornar natural essa função biológica.

“ Agora é só esperar a noite para dormir…”

Kelly Cristina Meller é Enfermeira Especialista em Oncologia, Mestre em Ciências da Saúde PUC/RS e Colunista deste Site

Por

Comentários