clicRBS
Nova busca - outros
09 mai10:46

Fraude é investigada no hospital de Três Passos

Uma intervenção temporária no Hospital de Caridade de Três Passos foi decretada na última segunda-feira pelo prefeito Cleri Camilotti (PTB). A partir da medida, foi destituída a diretoria da entidade. A decisão se dá depois do início de uma investigação de fraude e desvio de dinheiro. A apuração do Ministério Público aponta que as irregularidades estariam acontecendo há seis anos. Um membro da diretoria e dois contratados do hospital podem estar envolvidos. Um comitê gestor, formado por dois funcionários do hospital, dois médicos do corpo clínico e quatro funcionários municipais, foi designado para assumir a administração por 180 dias. De acordo com o MP, ainda é cedo para falar no valor desviado. Segundo o prefeito, a entidade tem uma dívida de pelo menos R$15 milhões.

O comitê deve dar condições para que se mantenha o atendimento da comunidade. Além disso, criará um novo estatuto para o hospital e elegerá nova diretoria.

_ A ideia é abrir as contas para facilitar o trabalho dos órgãos interessados em esclarecer a situação_ afirma Camilotti.

Segundo o relato de funcionários, empresas da região forneciam notas fiscais em branco nas quais eram lançados bens nunca adquiridos pelo hospital. O ex-presidente Armindo Leonhardt, renunciou ao cargo na semana passada assim que o caso veio a público. O administrador Jeferson Gomes de Oliveira teve o contrato rescindido pela diretoria. De acordo com testemunhas, ele teria conhecimento e era conivente com as irregularidades. Também está sendo investigado Amarildo Dall’Ago, antigo administrador do hospital. Ele dava assessoria à entidade e teve o contrato suspenso.

O vice-presidente do hospital Valcídio Reinheimer chegou a assumir a presidência interinamente e se disse surpreso com as revelações do Ministério Público.

_ Jamais imaginamos que pudesse haver qualquer irregularidade. É lamentável _ disse.

Uma equipe do Ministério Público foi designada exclusivamente para o caso. Desde a última sexta-feira, triplicou o número de pessoas dispostas a testemunhar. Segundo a promotora Aline Stefanello Segnor, pelo menos quatro empresas estariam envolvidas.

_ Ainda temos muito trabalho pela frente. É possível que aumente o número de envolvidos. Por enquanto, acreditamos que os demais integrantes da direção do hospital desconheciam o esquema_ diz a promotora.

O Hospital de Caridade de Três Passos é uma associação privada que recebe recursos dos municípios da região Celeiro, do Estado e da União. Do governo federal, seriam repassados ao mês, pelo menos, R$300 mil e das demais esferas outros R$500 mil mensais. Como o caso envolve verbas da União, o Ministério Público Federal será comunicado sobre o andamento do trabalho e a Polícia Federal deve auxiliar nas investigações.

Contraponto

O ex-presidente Armindo Leonhardt, o ex-administrador Jeferson Gomes de Oliveira e o ex-assessor Amarildo Dall’Ago não foram localizados por Zero Hora.

Por

2 Comentários »

  • Mari disse:

    É por essas e outras que a saúde está do jeito que está, é revoltante ler uma notícia dessas e mais ainda é saber que provavelmente não vai acontecer nada com essas pessoas, nem terão que devolver o dinheiro… Pois essas investigações demoram anos e resultam em nada geralmente…Brasil….

  • julio disse:

    Bom é realmente uma vergonha por isso que pessoas que prescisam de acistencia do hospital acabam morrendo por corredores dos hospitais. E os encaregados por essa vergonha é sempre os que já tem os bolsos cheios mais como nunca chega… Mais esperamos que não acabem em pizzas de novo. Estamos de olho tenque aparecer os nomes de todos os envolvidos… pois aqui se faz aqui se paga…

Comentários