19 abr10:14

EU NA FENASOJA: O Grão de Ouro

Jarbas Bueno de Lima, arquivo pessoal

“Soja: nosso ouro iluminado pelo sol gaúcho”.

Autoria: Jarbas Bueno de Lima, de Santa Rosa

>> O concurso “Eu na Fenasoja” premiará três internautas com ingressos permanentes para Fenasoja. As inscrições já estão encerradas e os finalistas que participarão da enquete que definirá os vencedores serão divulgados na tarde desta quinta-feira.

Comente aqui
19 abr10:09

EU NA FENASOJA: Motivo da riqueza de nossa terra

Viviane Rosler, arquivo pessoal

>> O concurso “Eu na Fenasoja” premiará três internautas com ingressos permanentes para Fenasoja. As inscrições já estão encerradas e os finalistas que participarão da enquete que definirá os vencedores serão divulgados na tarde desta quinta-feira.

Comente aqui
19 abr09:58

EU NA FENASOJA: Grão rico em proteínas

Gelson Klein, arquivo pessoal

“Soja, grão rico em proteínas, que alimenta seres humanos e animais, e uma das principais fontes de renda do agricultor”.

Autoria: Gelson Klein, de São Paulo das Missões

>> O concurso “Eu na Fenasoja” premiará três internautas com ingressos permanentes para Fenasoja. As inscrições já estão encerradas e os finalistas que participarão da enquete que definirá os vencedores serão divulgados na tarde desta quinta-feira.

Comente aqui
19 abr09:48

Chuva deve chegar à região a partir desta quinta-feira

O céu encoberto na manhã desta quinta-feira anuncia a possibilidade de pancadas de chuva até o final do dia em municípios do noroeste gaúcho. Há perspectiva de maiores volumes de chuva na região das Missões.

Além de nublado, o dia começou abafado na região, com mínimas que ficaram em torno dos 17ºC. Entretanto, com a nebulosidade, as temperaturas não subirão muito nesta quinta-feira

No fim de semana, o tempo deve permanecer instável, com previsão de chuva para todo o Estado no sábado, e a chegada do frio no domingo. Na segunda e terça-feira, segundo o meteorologista Cleo Kuhn, da Central RBS, as máximas não devem passar dos 18°C.

Comente aqui
19 abr09:35

Operação da Polícia Federal chama atenção para segurança nas fronteiras

Juliana Gomes/juliana.gomes@zerohora.com.br

Policiais Federais distribuem hoje carta aberta sobre a segurança nos portos e aeroportos brasileiros. No Rio Grande do Sul, a operação se estende durante toda manhã, nos postos de fronteiras de Bagé, Chuí, Jaguarão, Livramento, Santo Ângelo (postos de Porto Xavier e Porto Mauá), São Borja e Uruguaiana.

Eles reivindicam melhores condições de trabalho, aumento no efetivo para controle das regiões de fronteira bem como um incentivo para que os agentes permaneçam nestes locais. Para a atividade, os policiais fazem uma verificação minuciosa de documentos de pessoas que ingressam ou deixam o país.

A Receita Federal atua na verificação de veículos e bagagens a fim de evitar tráfico de drogas e contrabando de armas. Por Porto Xavier, diariamente passam cerca de 100 veículos e 200 pessoas. Por Porto Mauá, são 500 pessoas. Em cada um desses locais, há dois servidores atuando na fiscalização.

Comente aqui
19 abr07:59

Oportunidades de emprego na região

A Ellos seleciona profissionais para as seguintes vagas:

- Analista de Custos

- Auxiliar de Depósito

- Auxiliar Administrativo

- Babá

- Borracheiro

- Caixa

- Consultora de vendas cosméticos Santa Rosa

- Consultora de vendas cosméticos – para residência em Giruá

- Coordenador de vendas

- Diarista – doméstica e para empresas

- Estoquista

- Operador Corte Laser

- Operador de Dobradeira

- Operadora de Caixa para Mercado

- Pintor – Metalúrgica,

- Repositor de Mercado,

- Secretária atendente ( experiência em Corel Draw e Photoshop)

- Serralheiro

- Soldador

- Torneiro Mecânico

- Técnico em Informática

- Vendedoras Comércio

- Vendedores Comércio

- Vendedor (a), interno e externo.

Não há cobrança do candidato para a entrega do currículo. Em caso de entrevista com o candidato e realização do relatório que acompanha o respectivo currículo será cobrada a taxa de 20,00. Essa entrevista com currículo tem validade por um ano e o candidato tem direito a concorrer às vagas de seleção durante esse período.

Interessados devem enviar o currículo para o e-mail ellos_psicologia@hotmail.com. A Ellos está localizada em novo endereço: Rua Buenos Aires, 749, sala 302, Edifício Allaor Terra, acima do Cartório Haigert. Fone: (55) 3511-2099.

Comente aqui
18 abr17:24

EU NA FENASOJA: Riquezas para o Rio Grande

” A soja potencializando a qualidade de vida e proporcionando riquezas para o Rio Grande.”

Autoria: Ana Camila Ludwig

>> O concurso ‘Eu na Fenasoja’ premiará três internautas com um ingresso permanente para a Fenasoja. Participe você também! Envie sua foto e frase sobre o tema ‘soja’ para o e-mail participe@clicrbsnoroestemissoes.com.br, até esta quarta-feira. Clique aqui para conferir o regulamento

Comente aqui
18 abr16:35

NÃO É CÉU: Não somos salsichas!

Eduardo Matzembacher Frizzo/eduardo7frizzo@hotmail.com*

Existem mulheres e mulheres. Existem homens e homens. Se as pessoas fossem iguais, que graça teria a vida? Toda pureza é burra. Toda pretensão de superioridade é besta. Boa é a pluralidade. Boa é a diversidade. Legal é você gostar de Godard e conhecer alguém que detém vocação apenas para “Velozes e Furiosos” – e mesmo assim, por um motivo ausente de quaisquer explicações (pra quê explicar uma emoção?), sentir algo mais que empatia pela cidadã. Alguns falarão que “afinidade estética” é fundamental. Eu rebaterei: não necessariamente. Já vi casais completamente antônimos em seus gostos que se davam às mil maravilhas. Do mesmo modo, conheci casais praticamente iguais (livros, filmes, músicas, profissões, manias pra dormir: tudo, absolutamente tudo igual) que viviam em pé de guerra. A única regra da atração é a ausência de regras.

O estranho é que nos quesitos “atração” e “relacionamento”, temos uma sede e uma fome de regras e receitas que beira o ridículo. Quem nunca ouviu a seguinte frase: “homens são de Marte e mulheres são de Vênus?”. Me falaram, inclusive, que se trata do título de um livro – o qual de maneira alguma quero ler. Quem nunca folheou uma Cláudia (a revista, não as geografias corporais das “Cláudias” espalhadas pelo mundo – as quais me interessam bem mais que a revista) e leu: “o Universo Feminino blábláblá”? E quem jamais se deparou com a expressão “Universo Masculino”? Para mim, o único Universo possível é o Universo que habito. Os demais, ou são paralelos (ao melhor estilo Stephen Hawking) ou são lengalengas criadas por marqueteiros com o único intuito de encher sua cabeça de porcarias.

Mas o pior de tudo isso, é que você identifica claramente as mulheres adeptas de “práticas mulherzinhas” e os homens abobados em “discursos homezinhos” – aqueles que a VIP lança todo mês, por exemplo. O Facebook é um terreno fértil para proceder com tais pesquisas. Geralmente a moça que se filia à “mulherzinhices”, recheará seu mural com coisas como: “solteira sim!, sozinha nunca”; “homens ligam, meninos mandam mensagem”; “batatinha quando nasce se esparrama pelo chão (…) – Caio F. Abreu”; etc. (ad infinitum). Por outro lado, o rapaz que se quer “homezinho” irá abarrotar seus posts com imagens de carros, “humor troll”, fotos que dizem “olha!: pego todas!” ou trechos de músicas da seguinte estirpe: “eu bebo sim! / e tô vivendo / tem gente que não bebe / e tá morrendo – Velhas Virgens”. O que isso quer dizer? Muita coisa. Contudo, calma!: não sentarei a ripa em ninguém. “Cada um faz o que quer, pelo menos penso assim”, já falava o Xirú Missioneiro. Mas o que questiono é: por que as pessoas não buscam uma autenticidade ao invés de vestir a primeira “capa de personalidade” que lhes oferecem – e que geralmente detém matizes “fofuxas” ou “masculinérrimas”?

Tal fenômeno quem sabe tenha relação com algo que denominarei a partir da sigla VM – isto é: “Vício Manualesco”. O VM está em todos os lugares. Queremos manuais pra tudo. Quer enriquecer? Tem manual. Quer se suicidar? Tem manual. Quer reconquistar sua ex? Tem manual. A contemporaneidade traz consigo uma tendência que busca uma total “economização da vida”. “Que diacho é isso?”, perguntará algum leitor. Respondo: somos de um tempo no qual se crê que tudo pode ser medido em estatísticas e que receitas/regras para se conquistar o que quer que seja efetivamente existem e funcionam. Quem duvidar da realidade do VM, olhe a lista de livros mais vendidos da Veja (aquela revista semanal de piadas). Ou ligue a televisão e veja programas como aquele em que homens passam numa esteira (dessas de supermercado) para serem “escolhidos” por mulheres que tem de “conquistar” em alguns minutos (como se fossem caixas de sabonete ou garrafas de cerveja, os rapazes). Como o povo gosta disso? Não sei. Só sei que o resultado pode ser visualizado na “Mulher Samambaia”: a “coisificação do humano” (processo pelo qual a pessoa se torna coisa).

Por isso tudo é que a cada dia me torno mais chato. Cansa você conhecer pessoas que ao invés de buscar uma autenticidade na vida, querem apenas a segurança de uma boa profissão que lhes garanta um consumo elevadíssimo vida afora e carteira adentro. Cansa você conversar com indivíduos que não sabem debater, mas somente esgotar a garganta em monólogos que de razoáveis não tem nada. E cansa mais ainda a “tendência água com açúcar” que tentam nos enfiar goela abaixo em livros ao estilo Nicholas Sparks – como se a vida pudesse se esgotar nas “fofuras” de um romance de bordas tão adocicadas que parecem favo de mel (amor é “(500) dias com ela”, não “Querido John” – isso pra ficar nas recentes plagas cinematográficas). Então afirmo: não existe “Universo Masculino”, não existe “Universo Feminino”, não existe um manual de regras/receitas para qualquer coisa na vida, não existem pontos certos para nada. A existência repousa na diversidade, a vida só é vida na pluralidade e a certeza só é certeza na dinâmica da construção/desconstrução inscrita em cada segundo.

Temos que parar de buscar fórmulas pra tudo. Temos que parar de rotular as pessoas. Temos que buscar a autenticidade tatuada em nossos silêncios e os amores mais improváveis que cruzam conosco em cada esquina. Precisamos celebrar a incerteza. Precisamos da aventura do caos. Chega de medo. Chega de “cagaços de descer ladeira abaixo” – como aquela música do Paralamas. Não existe “mulher ideal”. Não existe “homem ideal”. O que existem são pessoas plenas de qualidades e defeitos que procuram a felicidade em todas as horas de suas vidas. A “economização da vida” e a “coisificação do humano” constituem processos totalmente ausentes de sensibilidade/humanidade e completamente apegados a sensos patéticos/reducionistas que buscam uma síntese da vida em 140 caracteres (como no Twitter). E se “filosofar é aprender a morrer”, como disse Montaigne, a única maneira de superarmos essas etiquetas que querem grudar em nossos traseiros é uma consciência plena disso.

Chega de “celebrar a estupidez humana” – como cantou Renato Russo. Busquemos algo real. Quanto mais autênticos formos, mais chances teremos de alcançar alguma felicidade. (Se a pessoa quer viver de rótulos e modismos, ótimo!: todos detêm o direito de pegar carona numa “Highway to Hell” e achar que isso é excelente. Mas que ao viver dessa forma, ao menos detenha noção do que está fazendo, pois liberdade só é liberdade com a consciência da escolha que implica.) Vamos abandonar os manuais. Percebamos que a beleza não reside apenas em “love songs” de “sertanejos new generation”, mas também nos versos da Hilda Hilst. Vivamos na busca de novos livros, novos filmes, novas canções e novos amores. Não somos salsichas!, não somos produtos nascidos em uma linha de montagem! Morte aos padrões! Morte ao VM! Abandonemos caminhos que nos disseram únicos, que nos disseram certos, que nos disseram sem retorno. E mais do que tudo, vamos abrir nossas mentes e corações para a celebração da vida e da incerteza, já que é aí e só aí que encontraremos o pulsar do Universo contido na beleza de cada instante da existência.

E como não sei de que modo findar essas linhas ranzinzas, concluo: this is it.

*  Eduardo Matzembacher Frizzo é estudante, professor universitário, advogado e Mestre em Desenvolvimento pela UNIJUÍ

Comente aqui
18 abr15:30

Mais de R$ 6mil são levados de agropecuária de Tuparendi

Um malote de dinheiro e o valor que estava na gaveta do caixa de uma agropecuária situada na avenida Tucunduva, centro de Tuparendi, foram levados no início da tarde desta quarta-feira. Câmeras de segurança instaladas no local flagraram a ação que iniciou às 12h07min, quando a ladra abriu a porta do estabelecimento, que não tem sinais de arrombamento.

Em poucos minutos, a mulher de cabelo comprido e escuro, que aparenta ter entre 20 e 25 anos, levou mais de R$ 6mil.

O furto foi percebido e comunicado à Brigada Militar quase duas horas depois, sendo que a mulher ainda não foi identificada.

A Polícia investiga o caso.

Comente aqui
18 abr14:53

Porto Mauá prorroga decreto de emergência e reforça ações de combate aos efeitos da seca

Foto: Defesa Civil de Porto Mauá, divulgação/

Há mais de 150 dias com situação de emergência decretada pouco mudou no cenário formado pela seca no município de Porto Mauá. Com o baixo índice pluviométrico registrado a Secretaria de Obras, Agricultura e departamento de Assistência Social prorrogou o decreto de emergência por mais 30 dias, a contar de 9 de abril.

Segundo laudo técnico elaborado por entidades locais, as perdas nos 4 mil hectares de soja cultivados no município chegam a 78% em

Defesa Civil de Porto Mauá, divulgação

relação à expectativa inicial.

Além da soja, os prejuízos decorrentes da escassez de chuva puderam ser sentidos nas lavouras de milho safrinha e na produção de leite. Riachos estão abaixo do nível normal e bebedouros secaram

_Riachos que nunca secaram, agora estão secos. Também sofremos porque a economia do município é altamente dependente do fator agrícola_ afirma o secretário executivo da Defesa Civil Adilson José da Costa.

Diante da situação crítica, o município continua a realizar ações como limpeza de bebedouros, fornecimento de água com caminhão tanque com capacidade de 6 mil litros, visitas técnicas, cessão de uso de caixas de água, mangueiras, insumos e sementes.

Segundo Costa, foram adquiridos equipamentos agrícolas – trator, recadeira, pulverizador, ensiladeira, canterizador e trituradores – para fortalecer a patrulha agrícola e para sessão de uso de grupos de associados.

Os produtores rurais que necessitam de ajuda devem comunicar suas necessidades na Secretaria de Obras, Agricultura e departamento de Assistência Social. Após analise técnica e averiguação de aspecto legal são atendidas as demandas.

Defesa Civil de Porto Mauá, divulgação

Comente aqui