clicRBS
Nova busca - outros
05 jul14:43

Com 99 casos de gripe A confirmados, RS recebe 500 mil doses de vacina para reforçar prevenção

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) do Rio Grande do Sul garantiu um total de 500 mil novas doses de vacina contra a gripe, remanejadas de outros Estados pelo Ministério da Saúde. Os lotes chegaram ao Estado em duas etapas ao longo desta semana, cada uma com 250 mil doses. O secretário da Saúde do RS, Ciro Simoni, anunciou, na manhã desta quinta-feira, o pedido de outras 100 mil doses ao Ministério da Saúde, mas ainda não há previsão para o repasse.

Em mapa, veja as cidades que registraram óbitos em decorrência da gripe A desde 2009

As vacinas extras serão distribuídas às regiões que já apresentam circulação viral da doença, como as cidades de Cruz Alta, Ijuí e Santo Ângelo, além de Porto Alegre. A recomendação da SES e do Ministério da Saúde é de manter a vacinação dos grupos de risco e de doentes crônicos, com ênfase em gestantes e crianças de seis meses a dois anos, que apresentaram as menores coberturas até o momento. No entanto, os municípios terão autonomia para redefinir as orientações conforme a situação de sua região.

Lavar as mãos com frequência é uma das recomendações para evitar o contágio. Foto: Joel Rocha, divulgação.

Por meio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, a SES informou, na manhã desta quinta-feira, que já foram confirmados 99 casos de gripe A no Estado neste ano. Desse total, resultaram 15 mortes por causa da doença.
Tratamento e prevenção

O secretário Simoni ressalta à população que fique atenta aos sintomas de síndrome gripal (febre, dor de garganta e dores nas articulações, musculares ou de cabeça) e procure atendimento em unidades básicas de saúde.

A SES reforça as orientações para o uso do medicamento Oseltamivir no tratamento de síndromes gripais. A recomendação ressalta a importância em administrar o antiviral, de nome comercial Tamiflu, preferencialmente nas primeiras 48 horas do início dos sintomas. O uso do fármaco é uma das principais ações no combate do vírus Influenza H1N1, causador da Gripe A.

Para tornar mais ágil a solicitação do medicamento, a SES decidiu não mais exigir o preenchimento do formulário de dispensação, basta o médico utilizar o Receituário de Controle Especial.

Confira outros cuidados:

— higienizar as mãos com frequência;

— utilizar lenço descartável para higiene nasal;

— cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

— higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

— evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

— não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;

— evitar aperto de mãos, abraços e beijo social;

— reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração;

— evitar visitas a hospitais;

— ventilar os ambientes.

Comente aqui
03 jul12:53

Crise na suinocultura assombra produtores do Oeste de Santa Catarina

Criadores com suínos gordos sem ter para quem vender, criadores chorando por ter
que abandonar a atividade que exerciam há décadas, gente com dívidas que não consegue pagar, chiqueiros que estão sendo transformados em estufa, galinheiro ou então depósito e municípios decretando situação de emergência.

Esta é a realidade da suinocultura catarinense, uma das principais atividades econômicas do Estado, que somente em exportações movimentou US$ 452 milhões no ano passado.

A situação da família Altenhofen, de Xavantina, é desesperadora. Eles acumulam uma dívida de R$ 200 mil com a criação e agora estão vendendo a terra. No mês passado, Natalino Altenhofen entregou as 80 reprodutoras por um real ao quilo, pois não tinha mais milho para alimentar os animais. Sobraram quatro porcas de descarte e oito vacas de leite, que dão o sustento para a família.

Um filho que ajudava na criação foi trabalhar de empregado em outra propriedade. A filha Rosane, que ainda está em casa, pensa em ir trabalhar de diarista ou numa padaria. E o casal Natalino e Rosália tenta vender a propriedade por um valor que, pelo menos, cubra as dívidas.

– Senão vamos pra debaixo da ponte – afirma Altenhofen, que está com 65 anos e ainda enfrenta problema de saúde em um olho e nos rins.

Nas últimas duas semanas, 10 municípios decretaram situação de emergência: Braço do Norte, Seara, Xavantina, Grão Pará, Arroio Trinta, São Ludgero, Salto Veloso, Lindoia do Sul, Orleans. Nesta segunda, dia 2, foi a vez de Concórdia decretar emergência. Outros municípios estudam a mesma medida.

Os decretos precisam ser reconhecidos pela Defesa Civil, mas o principal objetivo, segundo o secretário de Agricultura de Concórdia, Márnio Cadore, é dar apoio aos produtores e sensibilizar as autoridades, pois as perdas do setor impactam também na economia destes municípios, com reflexo no comércio e na arrecadação.

– O primeiro impacto é no social, mas depois começa a influenciar na arrecadação – explica o secretário de Agricultura de Seara, Fred Müller.

– Se o governo não der uma mão, a suinocultura está com os dias contados – sentencia o produtor Sigmar Ruppenthal, que está com cerca de 700 leitões e não consegue vendê-los.

Ele entregava os animais com oito quilos e alguns já estão com quase 40 quilos.

– Ninguém quer – lamenta.

Ruppenthal vendeu suínos a R$ 2,50 por quilo há um ano e, recentemente, negociou algumas reprodutoras a R$ 0,94 por quilo. Ele diz que as economias que tinha acumulado se foram, pois a despesa mensal na criação é de R$ 28 mil a R$ 30 mil.

O suinocultor Moacir Mattielo decidiu que vai terminar com a criação. Ele tinha 70 porcas e restam apenas 30, que devem ser vendidas até o final do ano.

– Não tem mais o que fazer – decreta.

Seu filho, que ajudava na criação, foi trabalhar na cidade de Seara. E um dos chiqueiros que Mattielo tinha está sendo desmanchado.

– Vou fazer uma estufa para cultivar tomate – diz.

Para o diretor da Embrapa Suínos e Aves, de Concórdia, Dirceu Talamini, o aumento na produção nacional e o excesso de suínos no mercado, aliados às restrições da Argentina, fizeram o preço despencar. Por outro lado, os custos de milho e soja aumentaram muito. A Embrapa calcula o custo em R$ 2,57 por quilo, para uma remuneração de R$ 1,90.

O presidente da Associação Catarinense dos Criadores de Suínos, Losivânio de Lorenzi, afirma que SC já teve 70 mil suinocultores na década de 1970 e hoje tem cada vez menos. Só neste ano, 240 produtores desistiram. O setor pede ao governo federal a renegociação de dívida e financiamento de R$ 500 por matriz para manter os plantéis. Também querem subsídio de 67 centavos por quilo de suíno vendido, que é a diferença entre o custo e o preço de mercado.

Acesse a reportagem original no Diário Catarinense

Comente aqui
03 jul11:43

"A licitação estava marcada", diz promotor, sobre investigação que prendeu ex-prefeito

Roberto Witter / roberto.witter@zerohora.com.br

Uma operação do Ministério Público (MP) prendeu três pessoas suspeitas de participar de um esquema que fraudaria a licitação para privatização do serviço de água e esgoto em São Luiz Gonzaga, nas Missões. Entre os detidos, o ex-prefeito da cidade, Vicente Diel (PSDB), o ex-assessor jurídico da prefeitura, Cláudio Cavalheiro, e o ex-secretário de obras e candidato a prefeito pelo PSDB, Dilamar Batista.

O esquema começou a ser apurado em outubro de 2011, por acaso. A Polícia Civil investigava uma quadrilha suspeita de tráfico de drogas, quando interceptou um telefonema entre uma servidora da prefeitura de São Luiz Gonzaga. Na conversa, ela contava que Cavalheiro havia comentado na prefeitura que ganharia uma “bolada” caso o Consórcio Nova Missão vencesse a licitação.

Para o MP, era Cavalheiro quem estaria manipulando o esquema, e seria orientado pelo então prefeito Vicente Diel, afastado em abril deste ano pela Câmara de Vereadores após condenação criminal por tentar influenciar licitação de transporte escolar em 2005.

A licitação para contratar a empresa que substituiria a Corsan nos serviços de saneamento começou a ser realizada em 2009 e foi interrompida diversas vezes em função de irregularidades no processo. Este ano, foi reiniciada, mas novamente suspensa pelo atual prefeito, Mário Meira (PP), que assumiu o cargo com a saída de Diel.

- Flagramos diversos encontros entre representantes da prefeitura, integrantes da assessoria que organizava a licitação e representantes de empresas ligadas ao consórcio. Eles se comunicavam sobre todos os passos do processo. Foi uma licitação marcada - explica o diretor da Promotoria Especializada Criminal, Flávio Duarte.

Outros indícios foram apontados pelo MP. Uma advogada contratada pela prefeitura seria casada com o funcionário de uma empresa ligada indiretamente ao Consórcio Nova Missão. Além disso, após ser afastado do cargo, Diel teria procurado emprego em uma das empresas do consórcio.

- Descobrimos que o mesmo pode estar acontecendo em outros municípios, nas licitações para serviços de saneamento - afirma o promotor.

Computadores e documentos foram apreendidos na casa dos três suspeitos e nas sedes das empresas. Uma arma foi encontrada na casa de Diel, que também deve ser indiciado por porte ilegal de arma. A prisão temporária é válida por cinco dias, período que o MP usará para ouvir testemunhas. Mandados de busca e apreensão também foram cumpridos em Florianópolis, Bento Gonçalves e Porto Alegre.

Os envolvidos

-  Vicente Diel

Estava no segundo mandato e foi afastado do cargo em abril deste ano pela Câmara de Vereadores após condenação criminal por que teria tentando influenciar em licitação de transporte escolar. É suspeito de ser o mentor da fraude.

- Cláudio Cavalheiro

Filiado ao PSDB, é suspeito de ser o operador do esquema. A investigação iniciou por ele, depois que a Polícia Civil interceptou uma conversa telefônica onde uma servidora do executivo afirmaria que Cavalheiro haveria comentado dentro da prefeitura sobre a fraude.

- Dilamar Batista

Segundo a direção do PSDB, é o candidato do partido à prefeitura de São Luiz Gonzaga. Seria o responsável por manter o acordo, já que este era o último ano de Vicente Diel na prefeitura.

O que diz Fabiano Barreto, advogado de defesa do ex-prefeito Vicente Diel e do ex-assessor jurídico da prefeitura Cláudio Cavalheiro

” Estou em Porto Alegre e ainda não pude analisar o processo. Por enquanto não sei nada sobre o processo, apenas conversei com o Cláudio Cavalheiro, por telefone, e ele me disse que não estava entendendo a prisão.”

A família do ex-secretário de obras não foi encontrada até as 20h desta segunda-feira. O presidente municipal do PSDB, Raul Alves de Melo, foi consultado, mas não soube informar quem era o advogado de Dilamar.

Comente aqui
03 jul11:35

Cresce número de famílias gaúchas sem condições de pagar dívidas atrasadas em 30 dias

O percentual de famílias gaúchas que não terão condições de pagar suas dívidas em atraso dentro de 30 dias quase dobrou de maio para junho, passando de 6,5% para 11,3%. A constatação é da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência das Famílias Gaúchas (PEIC-RS) que está sendo divulgada hoje pela Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado (Fecomércio-RS).

Foto: Ângela Bem, Especial.

Conforme análise da entidade, a intensa variação registrada pelo indicador no período “requer cautela na avaliação de uma possível deterioração do cenário de endividamento”.

Ainda segundo a pesquisa, o número de famílias gaúchas que afirmam ter algum tipo de dívida foi de 64,7% da população. O resultado é menor do que o registro feito em junho de 2011, quando alcançou 75,4%.

“Mesmo com as taxas de juros em nível inferior ao de 2011 e com outras medidas de estímulo por parte do governo, como a redução do IPI de eletrodomésticos e veículos, o ritmo mais lento da atividade econômica contribui para que o endividamento esteja abaixo do nível do ano passado”, afirma, em comunicado, o presidente do Sistema Fecomércio-RS, Zildo De Marchi.

Os principais tipos de dívida atualmente são: cartão de crédito (66,8%), carnês (26,5%) e crédito pessoal (22,6%). A participação do cheque especial caiu de 34,6% em maio para 14,9% em junho.

Comente aqui
02 jul11:52

Duas mulheres morrem após acidente em Panambi

Duas mulheres morreram após um acidente no início da manhã desta segunda-feira, na rodovia Panambi — Ijuí (BR-285), em Panambi, no noroeste do Estado. Outras duas mulheres estavam no Pálio, com placas de Frederico Westphalen, que saiu da pista e se chocou contra uma árvore.

As vítimas foram identificadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) como Silvana Ponath, 30 anos, e Franciele Crestani, 23. Janine Albarello, 30 anos, e Sandra Edinara Baratto, 28, foram encaminhadas em estado grave para o Hospital de Panambi. Segundo informações preliminares, elas seriam estudantes da Unijuí.

A colisão aconteceu por volta das 9h e o trânsito não ficou bloqueado na rodovia.

Comente aqui
02 jul10:42

Ano Internacional das Cooperativas estimula debates sobre a cultura em todo o mundo

Cooperativismo está no centro dos debates em todo o mundo neste ano. Em 2009, a Aliança Cooperativa Internacional (ACI) e a Organização das Nações Unidas (ONU) instituíram 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas, um período para que população e governos possam refletir sobre como essa forma de organização pode ajudar na melhoria das condições de vida de uma comunidade. O debate ganha mais força com a proximidade do Dia Internacional do Cooperativismo, comemorado este ano em 7 de julho.

Agropecuária é o setor que apresenta o maior número de cooperativas em funcionamento no Brasil. Foto: Tadeu Vilani, Agência RBS.

Em uma definição clássica, poucas palavras representam tão bem a ideia de ação coletiva quanto cooperação. Segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), cooperativa é uma associação autônoma de pessoas que se unem, voluntariamente, para satisfazer aspirações e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio de uma empresa de propriedade coletiva e democraticamente gerida. Mas mais do que uma entidade, o cooperativismo é um modelo de desenvolvimento com princípios estabelecidos, que preza a sustentabilidade, bem-estar e prosperidade de uma população.

A ação por meio de cooperativa é reconhecida em 13 ramos de atividade, entre eles habitação, infraestrutura, saúde, trabalho, crédito e também o agronegócio. No Brasil, de acordo com a OCB, cerca de 30 milhões de pessoas estão envolvidas de alguma fora com o cooperativismo, e a agropecuária é o setor que apresenta o maior número de associações em funcionamento.

Em 2011, 1.523 cooperativas do ramo agropecuário estavam registradas no país, uma queda de 2% na comparação com o ano anterior. Apesar disso, o número de pessoas cooperadas cresceu 3%, chegando a 969 mil pessoas – só menor do que os envolvidos nos setores de crédito e consumo. Em número de empregados, as cooperativas agropecuárias também estão na liderança, com 155.896 pessoas ligadas.

Tamanha representatividade pode ser medida nos principais índices econômicos do país. Em 2009 o setor foi responsável por 37,2% do Produto Interno Bruto (PIB) Agrícola do país, e suas exportações renderam US$ 3,6 bilhões. Apesar dos números, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) ainda aponta que a população brasileira apresenta um índice baixo de participação em entidades associativas, cuja média mundial é de aproximadamente 40% da população.

FORÇA NO SUL

Geograficamente, os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul ocuparam em 2011 os primeiros lugares na quantidade de cooperativas. Em número de cooperados, além desses, Santa Catarina também se destaca no ranking brasileiro.

As imigrações europeias, especialmente a italiana e a alemã, impulsionaram a cultura do cooperativismo no Brasil, especialmente no Sul e Sudeste. Nessas regiões, segundo informações do governo e das entidades representativas, estão localizadas cooperativas consideradas modelo em gestão.

Conforme o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras, Márcio Lopes de Freitas, Norte e Nordeste não possuem essa cultura calcada, especialmente na área agrícola.

— No Nordeste o cooperativismo urbano, e não rural, vem se desenvolvendo, especialmente no setor de crédito — comenta.

Dar visibilidade e apoiar a profissionalização das cooperativas são metas do governo no ano internacional dedicado ao setor.

— O Estado não pode intervir nas cooperativas. Então, nossa função é apoiar e estimular ações através do fomento — explica a diretora Diretora Substituta do Departamento de Cooperativismo e Associativismo (Denacoop), Vera Lúcia de Oliveria Daller.

>> Leia mais no site Rural BR

Comente aqui
02 jul10:38

Prouni encerra inscrições nesta segunda-feira

As inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) encerram-se nesta segunda-feira. Os interessados devem acessar o site do ProUni até as 23h59. Para o segundo semestre de 2012, estão disponíveis 90.311 bolsas. Desse total, 52 mil são integrais e 37 mil são parciais, que custeiam 50% da mensalidade.

Faça a sua inscrição no site do MEC

Podem se candidatar estudantes que tenham cursado todo o ensino médio em escola pública ou em estabelecimento particular na condição de bolsista. Também é pré-requisito ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011 e atingido pelo menos 400 pontos na média das provas objetivas, além de não ter zerado a nota da redação.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar mensal de até 1,5 salário mínimo (R$ 933) por pessoa. Já as bolsas parciais podem ser pleiteadas por quem tem renda familiar de até três salários mínimos (R$ 1.866) por pessoa.

Ao acessar o sistema, o candidato poderá escolher até duas opções de curso, elegendo sua prioridade. A lista dos pré-selecionados será divulgada no dia 5 de julho. Haverá ainda uma segunda chamada, prevista para 20 de julho.

Comente aqui
02 jul10:36

Operação do MP gaúcho prende ex-prefeito de São Luiz Gonzaga e outras duas pessoas

Rádio Gaúcha

O Ministério Público (MP) realiza operação para prender suspeitos de favorecer empresa na licitação para privatização do serviço de água e esgoto em São Luiz Gonzaga, nas Missões.

Três pessoas foram presas temporariamente nesta manhã. Entre elas o ex-prefeito da cidade, Vicente Diel (PSDB). As investigações que começaram em 2011 indicam que o ex-prefeito trabalhou para favorecer um consórcio na licitação.

Agentes do MP e da Brigada Militar foram à casa de Vicente Diehl, em São Luiz Gonzaga. Foto: Jocimar Farina, Agência RBS.

Diel foi preso em São Paulo das Missões, mas levou os agentes do MP e da Brigada Militar até sua casa, em São Luiz Gonzaga. Além do ex-prefeito, foram presos, também, o ex-secretário de obras e o ex-assessor jurídico da prefeitura.

Questionado sobre a situação, Diel alegou inocência e disse não saber porque estava sendo preso.

Em abril, Vicente Diel foi cassado pelos vereadores por causa de condenação criminal de dois anos e três meses em regime aberto por tentar influenciar em licitação de transporte escolar quando ainda era vice-prefeito em 2005.

2 comentários
27 jun14:43

ANTT autoriza reajuste da tarifa de ônibus interestaduais e internacionais

As tarifas de ônibus interestaduais e internacionais terão reajuste de 2,77% a partir do próximo domingo, conforme resolução publicada nesta quarta-feira, no Diário Oficial da União (DOU).

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) autorizou o reajuste de 2,77% na tarifa de ônibus para viagens de percurso superior a 75 quilômetros a partir da origem, que será aplicado sobre o coeficiente tarifário nos diferentes tipos de serviços.

Segundo o DOU, o reajuste não se aplica ao transporte rodoviário interestadual e internacional semiurbano de passageiros, que será determinado em ato específico.

Fonte: Agência Estado

Comente aqui
27 jun14:34

Dólar eleva preço de fertilizantes

O mesmo dólar alto que elevou o valor das commodities e fez brotar sorrisos nos produtores rurais agora causa apreensão no setor. O preço dos fertilizantes, que chegou a subir 30% desde o início da escalada da moeda americana, pegou de surpresa quem ainda não havia comprado os insumos para o plantio de inverno.

E, mesmo para quem já estava preparado para a cultura de frio, a alta representa incerteza para a próxima safra de verão. Para o consumidor, que está no final dessa cadeia, toda essa equação pode resultar em alimentos mais caros.

Fabio Polo, que cultiva 3 mil hectares em Santo Ângelo, comprou insumos antecipadamente. Foto: Paulo Marodin, Especial.

Com 100% da matéria prima importada, a indústria de fertilizantes faz seus preços com base na cotação do dólar. Para se ter uma ideia, o Rio Grande do Sul importou U$ 1,6 bilhão em fertilizantes no ano passado, o que equivale a 3,5 milhões de toneladas. Segundo dados da Emater, muitos produtores não compram os insumos com antecedência e foram pegos no contrapé com a alta nos preços. O problema é recorrente no trigo, uma das principais culturas de inverno no Estado.

– Isso aumenta muito o custo de produção dos agricultores – alerta Ataídes Jacobsen, técnico agrícola da Emater de Passo Fundo na área de trigo.

Diminuir a área de plantio do grão ou reduzir a tecnologia empregada na lavoura são as duas saídas para quem foi surpreendido pelo aumento dos preços. O presidente da Comissão do Trigo da Farsul, Hamilton Jardim, comenta que a tendência é que os produtores reduzam a área plantada e mantenham os investimentos em tecnologia, para garantir a qualidade e a valorização do grão na colheita. Segundo Jardim, a expectativa de ultrapassar 1 milhão de hectares de trigo pode ficar comprometida.

– Ainda não temos como fazer previsões. Mas esse aumento nos fertilizantes pegou muitos produtores descapitalizados em função da seca – afirma.

Apesar de reconhecer o problema, a Emater não acredita em uma redução na área do trigo.

– Continuamos esperando um aumento de 6% na área de plantio nesta safra – garante Jacobsen.

Quem continua otimista para a safra de inverno, apesar do aumento, são as indústrias de fertilizantes. Segundo o Sindicato das Indústrias de Adubo do RS (Siargs), 2012 já contabiliza um aumento de 3,8% na venda de insumos em relação ao mesmo período do ano passado. O presidente da entidade, Torvaldo Marzolla Filho, salienta que muitos produtores se beneficiaram do aumento no preço da soja e de outras culturas – em razão da mesma alta do dólar –, o que recuperou parte das perdas com a estiagem e deixou uma margem para a compra antecipada de insumos. No entanto, se o dólar no atual patamar persistir, o aumento no custo de produção poderá ser incorporado e até chegar ao consumidor.

– Mas, por enquanto, estamos otimistas, pois o agricultor ainda está ganhando com a alta do dólar – ressalta.

Quem se preveniu e comprou fertilizantes com antecedência não chega a valer por dois, como diz o ditado popular, mas conseguiu economizar, pelo menos, 30%. Foi esse o percentual de aumento nos fertilizantes desde que o dólar começou a subir. É o caso do produtor de sementes Fábio da Silva Polo, que cultiva 3 mil hectares em Santo Augusto. O plantio de 900 hectares de trigo, que serão cultivados durante o inverno, já começou, com os insumos comprados com antecedência.

– Há quatro anos fazemos um planejamento para a compra de fertilizantes no início do ano, quando os preços são, tradicionalmente, mais baixos – comenta Polo.

Segundo o produtor, a antecipação garantirá o investimento em tecnologia para a produção de sementes com excelência. A preocupação, então, recai sobre a safra de verão.

– Caso o cenário não mude, teremos um custo de produção 30% mais alto – destaca.

Quem também se antecipou na compra dos insumos foi o produtor Francisco Sana, de Getúlio Vargas. Cerca de 90% da sua lavoura de trigo já está plantada. Ele afirma que, se não houvesse comprado ureia e adubo com antecedência, poderia até reduzir a previsão de plantar 60 hectares do grão.

– Aproveitei o bom preço da soja para planejar a lavoura de trigo. Agora, estou apostando em um bom preço na hora da venda – completa.

Comente aqui