clicRBS
Nova busca - outros

agricultura

07 abr11:43

Gaúchos devem ampliar área de cultivo do trigo para compensar prejuízos com a estiagem

Rogério Sartori, Especial

lara.ely@zerohora.com.br

Os dois maiores produtores de trigo do país, Rio Grande do Sul e Paraná, têm decisões opostas em relação ao cultivo do grão para a próxima safra.

Enquanto os paranaenses optam pela redução da área plantada, os gaúchos devem ampliar em até 18% suas lavouras como forma de compensar prejuízos da estiagem.

Com resultado muito abaixo do esperado, a colheita das culturas de verão fez com que os produtores depositassem expectativas no trigo. A opção pelo grão ocorre mesmo diante das dificuldades de venda dos estoques da última safra.

De acordo com o presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul (Fecoagro), Rui Polidoro, o produtor vai aumentar a área plantada de 15% a 18% na expectativa de que a comercialização ocorra normalmente.

— Em contrapartida, para escoar a produção sem a dificuldade da safra passada, esperamos uma melhora no aspecto de venda e logística para garantir rentabilidade e comercialização com preço mínimo garantido — afirma.

Polidoro defende que não é necessário criar novos mecanismos de venda. Bastaria o governo usar os que já existem na época certa, como leilões de Prêmio de Escoamento da Produção (PEP) e financiamento de custeio.

A expectativa dos agricultores é de que no lançamento do Plano Safra – que deve ocorrer no próximo dia 15, o governo anuncie algum tipo de apoio ao setor.

Na região de São Luiz Gonzaga, onde a maioria dos agricultores não conseguiu colher mais do que cinco sacas de soja por hectare, o trigo será a primeira opção de recuperar a lavoura. É a estabilidade na produção, aliada à produtividade e a qualidade do grão, que motiva os agricultores.

De acordo com Paulo Pires, presidente da Cooperativa Tritícola Regional Sãoluizense (Coopatrigo), o produtor confia na estabilidade da cultura e na intervenção do governo para a comercialização no mercado interno:

— Estamos produzindo preferencialmente o trigo tipo pão, para atender à demanda do mercado, apesar de os moinhos só quererem comprar mercadoria de fora do país.

>> Clique aqui para ler a matéria na íntegra em zerohora.com

Comente aqui
31 mar14:23

Unidade de recebimento de grãos da Coopermil em Giruá inicia atividades

Uma nova estrutura localizada em Santo Antônio, município de Giruá, situada estrategicamente ao lado da RS-344, no sentido Girua – Santo Ângelo, passou a receber os grãos da safra de soja, desde a última quinta-feira, dia 29.

A 12ª unidade de recebimento de grãos da Coopermil está estruturada para acolher a produção dos associados e agricultores localizados nas proximidades da comunidade. O empreendimento conta com um tombador hidráulico para carretas, o que propicia uma maior agilidade no recebimento da produção.

Segundo o presidente da Coopermil, Joel Antonio Capeletti, o investimento realizado pela cooperativa nesta estrutura, de mais de R$ 1.500.000,00, demonstra a preocupação da Coopermil em oferecer aos associados e agricultores da região as melhores condições para a entrega de sua produção, com a tranquilidade e a credibilidade que são marcas da Cooperativa .

A direção da Coopermil está preparando para logo após o período de colheita da atual safra os atos oficiais de inauguração da nova estrutura, pois, de acordo com o superintendente da Coopermil, Gabriel Weber, a preocupação maior neste momento está voltada a oferecer aos produtores a alternativa de mais um ponto de recebimento, permitindo assim que ele tenha tranquilidade para efetuar a colheita de sua safra.

>> Com informações da Assessoria de Comunicação da Coopermil

Comente aqui
27 mar11:34

Apesar da perspectiva de chuva, agricultores temem mais perdas com a chegada do frio

Marielise Ferreira/marielise.ferreira@zerohora.com.br

A chuva não adianta mais para recuperar a safra frustrada e as perdas bilionárias na economia gaúcha. Mas a perspectiva de precipitações regulares e bem distribuídas até a primavera anima o campo — e exige cautela. Especialistas alertam que a redenção para os problemas no verão não deve ocorrer completamente no inverno.

— Não se pode querer compensar tudo no ciclo de inverno. É preciso manter o planejamento de rotatividade e prazos para plantio — observa Alencar Rugeri, engenheiro agrônomo da Emater.

A corrida por informações sobre novas culturas já foi deflagrada. A linhaça e a canola surgem como alternativas ao trigo em algumas

Foto: Roberto Witter/ Efeitos da seca ainda são percebidos no noroeste

regiões. Entre os agricultores do Noroeste, uma das regiões mais castigadas pela seca, a maior preocupação é com a cobertura de solo, o que indica um aumento no cultivo de aveia.

Antes da chuva, porém, a preocupação é que o frio provoque outro revés na safra de verão. Segundo a Emater, as baixas temperaturas previstas para os próximos dias podem prejudicar as lavouras remanescentes de milho e soja. Rugeri destaca que a variação extrema de temperatura é um risco para a planta.

O consultor Jorge Vargas observa que o objetivo deve ser reter o máximo de água no solo para tentar evitar perdas maiores na safra de verão. Se depender do clima, há esperança de sobra. Além da chuva mais frequente a partir de abril, a previsão é de volumes considerados bons até mesmo na primavera, quando começa a safra de verão.

— Tudo dependerá de como o solo vai absorver a água, mas se a primavera for mesmo chuvosa, há boas perspectivas de safras melhores — salienta Julio Renato Marques, professor da Faculdade de Meteorologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

>> Clique aqui para ler a matéria na íntegra em zerohora.com

Comente aqui
24 mar15:11

Com quebra na produção, abre oficialmente colheita de soja no Estado

Foto: Germano Rorato Neto, especial

Leandro Belles/ leandro.belles@diairosm.com.br

A colheita da soja no Estado foi aberta oficialmente na manhã deste sábado, em Tupanciretã, na região Central, com a presença do governador Tarso Genro. O município escolhido para a solenidade tem a maior área plantada do principal produto agrícola do Rio Grande do Sul: são 140 mil hectares de lavouras.

Tarso chegou à propriedade do produtor Dorival Terra, onde foi realizada a solenidade, pouco antes das 11h da manhã. Depois de participar da cerimônia e dar um breve passeio em cima de uma colheitadeira, ouviu as reivindicações de um grupo de produtores. Entre outros pedidos, foram solicitados mais atenção do governo para a programas de fomento à renovação das máquinas agrícolas e aumento de projetos de incentivo à irrigação.

Os agricultores também estenderam uma faixa com os dizeres: “os produtores rurais pedem socorro”. Em seu discurso, o governador prometeu empenho em atender os anseios do setor, castigado por uma das piores secas dos últimos anos:

- O governo gaúcho está pronto para atender os nossos agricultores. Estamos tomando medidas efetivas para solucionar os problemas.

A falta de chuva que marcou o verão gaúcho deve fazer com que os agricultores tenham perdas importantes. A Emater estima que a colheita de 2012 terá uma quebra de 30% em relação ao que era inicialmente estimado. No início do ano, esperava-se colher até 10,3 milhões de toneladas do grão, mas a falta de umidade no solo deve achatar a produção gaúcha para cerca de 7,1 milhões de toneladas.

>> Clique aqui para conferir a matéria na íntegra, em zerohora.com

Comente aqui
13 mar08:35

Demanda prevalece sobre oferta e preços da soja sobem

Rural BR

Segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), os preços da soja no Brasil continuaram firmes nos últimos dias, com a demanda prevalecendo sobre a oferta. Compradores internacionais seguem ativos, com registros de grandes quantidades a serem embarcadas nos portos brasileiros (principalmente Santos e Paranaguá) nos próximos dias.

Enquanto isso, os dados de oferta vão sendo reajustados para baixo, dando suporte aos valores. Entre 2 e 9 de março, o Indicador Esalq/BM&FBovespa (produto transferido para armazéns do porto de Paranaguá) subiu expressivos 4,35%, a R$ 54,26 a saca de 60 quilos na última sexta, dia 9.

Ao ser convertido para dólar (moeda prevista nos contratos futuros da BM&FBovespa), o Indicador fechou a US$ 30,41 por saca de 60 quilos na sexta, aumento de 1,33% no mesmo período. A média ponderada das regiões paranaenses, refletida no Indicador Cepea/Esalq, teve elevação de 4% entre 2 e 9 de março, indo para R$ 51,26 a saca de 60 quilos.

Comente aqui
03 mar15:27

Sementes de milho são distribuídas para agricultores atingidos pela seca em Giruá

Cerca de 300 famílias de Giruá foram beneficiadas com equipamentos, alimentos e recursos financeiros para minimizar os impactos da seca. Após assinar o decreto de emergência, a prefeitura lançou um plano estratégico de reação imediata aos efeitos da estiagem que secou açudes e ocasionou perdas nas lavouras.

Nesta semana, outra medida foi lançada para minimizar os efeitos da seca: o Programa de Apoio ao produtor Rural, um Plano estratégico de reação imediata aos efeito da estiagem.

O Programa destinará mais de R$ 500 mil em benefícios, para as centenas de famílias que realizaram as inscrições e para os beneficiados do Programa Água para Todos. Na última quarta-feira, 29 de fevereiro, ocorreu a entrega de sementes para a formação de novas lavouras de milho para 80 famílias beneficiadas, residentes em aproximadamente 30 localidades do município.

As próximas etapas do Programa englobarão a conclusão de redes de água, entrega de ensiladeiras, roçadeiras, reboques, distribuidores de uréia, entrega de sementes forrageiras e entrega de ração animal. O Programa beneficiará 100% das famílias que realizaram as inscrições. Até o momento, foram realizadas entregas de equipamentos agrícolas para oito grupos de produtores rurais, construídos cerca de 50 bebedouros para animais, efetuado repasse financeiro e de alimentos para 100 famílias, além da ampliação e construção de mais de 5 mil metros de redes de água.

>> Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Giruá

Comente aqui
27 fev11:37

Prefeitura de Santa Rosa prorroga inscrições para forrageiras de inverno

Com a prorrogação do prazo, agricultores de Santa Rosa podem inscrever-se até o dia 9 de março para a aquisição de sementes de forrageiras de inverno (aveia, azevém e ervihaca).

A aquisição será feita por meio do Programa Troca-Troca de Sementes de Forrageiras de Inverno.

As inscrições podem ser feitas na Secretaria Municipal de Agropecuária, junto à Prefeitura no Bairro Cruzeiro, e na Subprefeitura do Distrito de Sete de Setembro. Os interessados no momento da inscrição deverão apresentar o CPF e bloco de produtor.

1 comentário
26 fev11:39

Chuva permanece neste domingo e traz novo ânimo aos agricultores

Uma chuva mansa e constante caiu sobre alguns municípios do noroeste gaúcho ao longo deste sábado e persiste neste domingo.

Em Santa Rosa, chegaram ser registrados 50mm em alguns pontos apenas no sábado. A chuva trouxe refresco e alento aos efeitos da seca também neste domingo.

De acordo com informativo divulgado pela Emater/RS – Ascar, o excesso de calor afetou a floração da soja, provocando o abortamento das flores, e prejudica a qualidade do grão, causando o efeito do “grão esverdeado”, em diferentes lavouras do noroeste. A morte prematura da planta, por estresse hídrico ou qualquer outro fator, acaba forçando o processo de maturação das sementes. Com isso, ao invés de amarelarem, as sementes são colhidas ainda verdes, com altos índices de clorofila, o que afeta seu potencial de vigor e germinação como semente e o rendimento industrial na obtenção de óleo.

Nas lavouras de soja dos 45 municípios de abrangência da Emater/RS-Ascar da região de Santa Rosa, as perdas somam 53,2% da área plantada. A chuva deste final deste final de semana não reverte os prejuízos, mas é capaz de evitar um maior índice de perdas.

_ A chuva também auxilia nas lavouras de milho safrinha e pastagens. Consequentemente ajuda para manter o equilíbrio a produção leiteira_afirma o agricultor Djonatan Coppetti, de Santa Rosa.

Mesmo com a chuva, a máxima deve chegar aos 32°C no noroeste, na tarde deste domingo.

Comente aqui
24 fev16:19

Incêndio atinge lavoura no interior de Santo Cristo

Foto: Emerson Bernardi, divulgação

Emerson Fernando Bernardi, leitor-repórter

Na tarde desta quinta-feira (23), um foco de incêndio atingiu a propriedade de Ademar Riewe, na Vila Laranjeira, interior de Santo Cristo. O fogo se alastrou pela vegetação, árvores e plantação de cana de açúcar.

O incêndio começou por volta das 14 h e foi controlado no final da tarde pelos Bombeiros de Santa Rosa, com apoio da Brigada Militar de Santo Cristo e moradoras. Cerca de 1,5 hectares foram danificados pelas chamas.

A localidade onde ocorreu o incêndio é uma das comunidades que mais sofre com a estiagem. No domingo, quando ocorreu a última chuva, a precipitação foi de apenas 5mm segundo informações do Secretário da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil de Santo Cristo e morador da localidade Emerson Fernando Bernardi.

A Defesa Civil do Município alerta a população que evite queimar objetos ou efetuar qualquer fogo, sendo que isso pode provocar um incêndio de proporções incalculáveis, haja vista a baixa umidade do ar, aliada a estiagem e as altas temperaturas.

Emerson Bernardi, divulgação

Emerson Bernardi, divulgação

Comente aqui
16 fev15:57

Na contramão da seca, Doutor Maurício Cardoso registra safra de milho acima da média

Enquanto o noroeste sofre com 47% de perdas na safra de milho e 53,2% nas lavouras de soja, um município comprova que alternativas diferenciadas – e simples – podem levar a um resultado satisfatório, mesmo em épocas de seca. Apesar da escassez de chuva no último trimestre, agricultores de Doutor Maurício Cardoso comemoram a colheita de milho, que chegou à média de 125 sacas/ha.

O número é  superior, até mesmo, que a média das safras dos últimos cinco anos, que foi de 83,93 sacas/ha no município. O plantio antecipado do milho é o maior motivo para o alto índice, de acordo com o chefe do Escritório Municipal da Emater, Alcides Arend.

_Em torno de 80% dos produtores realizaram o plantio entre 20 de julho e 15 de agosto, assim que abriu a janela do plantio. Quando a seca atingiu a região, a cultura já estava em fase avançada de formação de grãos e a falta de chuvas não interferiu significativamente nos números_ explica Arend.

Foto: Alcides Arend, divulgação// Os irmãos Vilseu e Vilson Gazzola na lavoura de soja safrinha após colheita de 164 sacas de milho por ha

Além de cultivar no início da fase do plantio, os agricultores de Doutor Maurício Cardoso mantém outras práticas importantes para o sucesso da safra.

_Desde a década de 90 incentivamos os produtores à conservação do solo e rotação de culturas que contribuem para um bom resultado, além da aplicação de tecnologia de ponta_afirma o chefe do escritório municipal da Emater.

A 47 km de Doutor Maurício Cardoso, o município de Santa Rosa contabilizou média de 71 sacas/ha nesta safra, a segunda melhor da região. Entretanto, a situação é crítica nos demais municípios da região, especialmente em Porto Xavier e Ubiretama. O primeiro, onde o plantio ocorreu em agosto, registrou uma média de 23,4 sacas/ha e em, Ubiretama, de 25,83 sacas/ha, nos últimos cinco anos.

De acordo com engenheiro agrônomo do escritório municipal da Emater de Porto Xavier, Leandro Seger, choveu 105mm durante todo o mês de novembro e 94mm em dezembro no município. No entanto, essas precipitações foram rápidas e isoladas.

_A quantidade de chuva foi menor do que o esperado e as altas temperaturas impediram o efeito desejado. As precipitações, em sua maioria, ocorreram em forma de pancadas e foram bastante esparsas, justamente em um período considerado crítico, que é o de enchimento de grãos_ explica Seger.

A preocupação agora é com a safra de soja, cuja colheita começa nos próximos meses. As perdas na área plantada já chegam a 53,2% na região.

Dados atualizados da safra de milho e soja nos municípios de abrangência da Emater/RS- Ascar Regional de Santa Rosa

Milho

Perdas – 47%

Área da região: 161.310 hectares.

Área plantada: 92%

Expectativa inicial de colheita – 4.310kg/ha, ou seja, 71,83 sacas/ha

Expectativa atual (com estiagem) – 2.537kg/ha – 42,28 sacas/ha

Soja

Perdas – 53,2%

Área da região: 653.570 hectares.

Área plantada: 100%

Expectativa inicial de colheita – 2393kg/ha, ou seja, 39,88 sacas/ha

Expectativa atual (com estiagem) – 1172kg/ha, ou seja, 19,53 sacas/ha

Perda: 53,2%

Médias históricas dos últimos cinco anos na região

Milho – 145.888 kg/ha em toda a região

Média – 1.963 kg/ha na região (kg/ha por município)

Média – 32,72 sacas/ha

Soja - 145.888 kg/ha em toda a região

Média – 3.241 kg/ha (por município – são 45 municípios)

Média – 54,03 sacas/ha

Comente aqui