clicRBS
Nova busca - outros

Caso Luana

13 abr11:13

Caso Luana completa nove meses sem pistas concretas

O “já volto” de Cíntia Luana Ribeiro de Moraes persiste na memória da dona-de-casa Ivone de Moraes, 55 anos. Foi a última vez que ouviu a voz da filha, que saiu de casa em Três Passos,  há exatos nove meses, por volta das 18h55min, afirmando que se encontraria com o suposto pai da criança que esperava.

Grávida de sete meses e meio, Luana planejava chamar a filha de Emily Vitória. Mas sua família nunca a conheceu. Desde o dia 13 de julho de 2011, a adolescente não dá mais notícias.

Desde então, a Polícia Civil sustenta três hipóteses sobre o desaparecimento: homicídio, fuga por conta própria ou cárcere privado.

O principal suspeito pelo sumiço e suposto pai da criança confirmou em depoimento à polícia que entregou dinheiro para Luana ter o filho em outra cidade, mas que não sabe de seu paradeiro. Buscas foram realizadas sem sucesso na propriedade e residência do suspeito de 28 anos, morador de Humaitá.

A chave do mistério pode estar no resultado de exames, que já foram realizados entre o ano passado e início deste ano. Segundo a inspetora Luciana Rollim, a Polícia ainda aguarda o retorno.

Depois de buscas sem êxito em Santa Catarina e no Paraná, a mãe, por vezes, desanima.

_ Sempre está tudo mais ou menos. Sem a Luana, nada é 100%. A Páscoa foi muito difícil. Tive esperança quando a Polícia foi procurar ela em Maravilha (SC), há alguns dias, depois de uma denúncia, mas nada. Ela não estava lá_ desabafa Ivone.

No município catarinense, onde uma adolescente parecida com Luana teria sido vista em março deste ano, a Polícia espalhou cartazes com fotos dela, mas não obteve novidades.

Novo suspeito pode ajudar a elucidar o mistério

Nove meses depois do desaparecimento de Luana, a descoberta de um novo suspeito pode auxiliar na elucidação do caso que intriga a comunidade de Três Passos.

A partir de denúncia anônima, a Polícia Civil abriu uma linha de investigação alternativa e chegou a um conhecido comerciante de Três Passos, que é casado, e pode estar envolvido no desaparecimento de Cintia Luana.

Segundo a Delegada responsável pelo caso, Caroline Bamberg Machado, o comerciante já foi interrogado, mas afirmou que seu último encontro com Luana foi em março de 2011 e, desde então, não teria mais tido contato com a adolescente.

Como ajudar

Quem tiver informações que possam levar até a adolescente, pode entrar em contato com a Polícia Civil de Três Passos, pelo telefone (55) 3522-1211, ou informar à polícia mais próxima, pelo 197.

Comente aqui
22 mar10:12

Polícia aponta novo suspeito no Caso Luana

Oito meses depois do desaparecimento de Cíntia Luana Ribeiro de Moraes, a descoberta de um novo suspeito pode auxiliar na elucidação do caso que intriga a comunidade de Três Passos. Desde que saiu de casa por volta das 18h55min do dia 13 de julho de 2011, a adolescente de 14 anos, que estava grávida de sete meses e meio, não deu mais notícias.

Até então, o principal suspeito pelo desaparecimento da menina era um morador de Humaitá, ex-namorado de Luana e suposto pai da criança que esperava.

A partir de denúncia anônima, a Polícia Civil abriu uma linha de investigação alternativa e chegou a um novo suspeito. De acordo com a Polícia, um conhecido comerciante de Três Passos, que é casado, pode estar envolvido no desaparecimento de Cintia Luana.

_ As investigações continuam. A descoberta deste novo suspeito, não afasta o anterior da investigação. Com dois suspeitos, temos mais uma possibilidade de solucionar o caso_afirmou a delegada Caroline Bamberg Machado.

Comente aqui
13 fev17:16

Caso Luana completa sete meses de silêncio

Passaram-se sete meses desde um “já volto” de Cíntia Luana Ribeiro de Moraes. Desde então, a família não tem mais notícias da jovem que desapareceu aos 14 anos e grávida de sete meses e meio. Ela saiu de casa por volta das 18h50min do dia 13 de julho do ano passado, com planos de batizar a filha que esperava como Emily Vitória.

À mãe, disse que se encontraria com o suposto pai da criança, morador de Humaitá de 27 anos, e retornaria em seguida. Desde então, nenhuma notícia. Naquela noite e no dia seguinte, a mãe recebeu mensagens do celular da filha, afirmando que ela estava com o ex-namorado e teria viajado para Santa Catarina.

No entanto, o homem confessou à polícia que pegou o celular de Luana, como é chamada pela família, e enviou as mensagens para que a mãe não se preocupasse. Ele ainda, afirmou que teria dado dinheiro para a adolescente ter a criança em outro lugar e que desde então não sabe de seu paradeiro.

A Polícia já realizou buscas em diferentes Estados, checou a possibilidade da criança ter nascido em outro lugar nas maternidades do sul do país e fez vistorias na propriedade do principal suspeito pelo desaparecimento, mas nenhuma pista concreta foi encontrada até agora.

De acordo com a delegada Caroline Bamberg Machado são aguardados exames periciais, alguns realizados há três meses, para facilitar a investigação do caso.

Sem nenhuma pista concreta do que possa ter acontecido com Luana, são mantidas três hipóteses sobre o desaparecimento: homicídio, fuga por conta própria e cárcere privado. A Polícia alerta que se alguém tiver notícias sobre a jovem deve fazer contato com delegacia mais próxima.

Em Três Passos, o fone para contatos é (55) 3522-1211.

Comente aqui
13 jan11:35

Meio ano sem notícias de Luana

_Não sei mais o que pensar. Espero que em 2012 seja diferente_comenta Ivone de Moraes, mãe de Luana, adolescente que desapareceu aos sete meses e meio de gravidez, em Três Passos, noroeste do Estado.

Mesmo com o apelo da família e com o esforço da Polícia Civil, que checa todas as informações que chegam e realizou buscas em diferentes municípios do noroeste e até mesmo em Santa Catarina, a última notícia de Cíntia Luana Ribeiro de Moraes foi às 18h55min do dia 13 de julho, quando disse para a mãe que “já voltava. Máximo vinte minutinhos”.

Ela iria se encontrar com o suposto pai da criança, que admitiu à Polícia que entregou dinheiro para que a adolescente tivesse o filho em outro lugar.

De acordo com a delegada Caroline Bamberg Machado diversas diligências já foram realizadas e resultados de perícias são aguardadas.

_Não abandonamos o caso. Já realizamos diligências até mesmo em outros Estados e buscas na casa do principal suspeito pelo desaparecimento. Também está sendo aguardado o resultado de perícias em veículos _destaca a delegada.

São mantidas três hipóteses sobre o desaparecimento: homicídio, fuga por conta própria e cárcere privado.

A Polícia alerta que se alguém tiver notícias sobre a jovem deve fazer contato com delegacia mais próxima.

Em Três Passos, o fone para contatos é (55) 3522-1211.

Comente aqui
13 dez12:12

Após cinco meses do desaparecimento, caso Luana segue sem solução

Passaram-se cinco meses e o sumiço de Cíntia Luana Ribeiro Moraes continua sendo um mistério. Por algumas vezes a mãe da adolescente que desapareceu em Três Passos, aos 14 anos, a dona-de-casa Ivone de Moraes, 55 anos, retira as roupinhas do bebê que Luana esperava do roupeiro e imagina como seria ter a neta Emily Vitória nos braços.

_No mesmo período que era para ter nascido a Emily, nasceu a minha bisnetinha. Hoje pego ela no colo e fico imaginando que poderia estar ali também o nenê da Luana_ comenta a mãe, abatida.

As idas à Delegacia são freqüentes. Mas a resposta é sempre a mesma: nenhuma notícia. Já foram feitas buscas no noroeste gaúcho, em Santa Catarina e no Paraná. Todas sem sucesso. Há duas semanas, a partir de uma denúncia, Luana foi procurada na casa de conhecidos em Dionísio Cerqueira (SC). Mas ela não estava lá.

_Todas as denúncias que chegam são apuradas. As hipóteses que não são fundamentadas, são descartadas_destaca a delegada de Três Passos Caroline Bamberg Machado.

Diante da falta de informações, a mãe de Luana, por vezes, desanima.

_Eu já não sei se conto mais que ela esteja viva. Se estiver, está bem escondida em algum lugar e sem comunicação_comenta Dona Ivone.

As festas de final de ano aumentam ainda mais a saudade. Seria o primeiro Natal de Emily Vitória com a família.

_Já passou meu aniversário e das sobrinhas da Luana. Ela sempre lembrava. No Natal, fica ainda mais difícil. Ela sempre estava por perto_acrescenta a mãe.

Mesmo depois de um mês e meio do retorno do suposto pai da criança, que estava no Paraguai e foi o último a ver Luana, nenhuma novidade aproximou o caso de sua solução.

Em entrevista à ZH, o pai da criança confirmou o que falou em depoimento: que teria dado dinheiro para a adolescente ter o filho em outro lugar.

Quem tiver informações que possam levar até a adolescente, pode entrar em contato com a Polícia Civil de Três Passos, pelo telefone (55) 3522-1211, ou informar à polícia mais próxima, pelo 197.

2 comentários
25 nov10:58

Adolescente desaparece de sua casa em Três Passos

Na manhã desta quinta-feira, dia 24, Andrielli Fabiane Muller, 15 anos, não levantou para ir à aula. Ao conferir o que estava acontecendo, os pais perceberam que a adolescente não estava mais em seu quarto, na residência do centro de Três Passos.  Segundo uma testemunha que viu a menina caminhando na rua, ela vestia uma calça leg bege, uma blusa de cor clara e um tênis.

Quem tiver informações sobre o paradeiro de alguma das adolescentes pode entrar em contato pelos fones (55) 3522-1211 ou 197, com a Polícia Civil.

Cíntia também está desaparecida desde o dia 13 de julho

Comente aqui
23 nov12:32

Polícia segue buscas por adolescentes desaparecidas de Três Passos

Nenhuma notícia de Luana, nem de Savanna. Familiares e amigos das duas adolescentes de Três Passos, na região Celeiro, passam por uma situação semelhante: lidar com a difícil situação de não saber de seu paradeiro.

Cíntia Luana Ribeiro de Moraes desapareceu há quatro meses e meio, aos 14 anos e grávida de sete meses e meio. Disse que falaria com o suposto pai da criança e retornava em “vinte minutinhos”. Foram as últimas palavras que sua mãe, Ivone de Moraes, ouviu de Luana desde então.

Há 16 dias, familiares e amigos de Savanna Natanielli Safadi Pereira, 13 anos, enfrentam a mesma preocupação. A adolescente de 13 anos, acompanhada da amiga Agda Graebin, 15 anos, saiu do Lar Acolhedor, no bairro Glória, e não retornou.

As duas aproveitaram a distração de uma funcionária da casa de passagem, que dava banho em outros internos.

Agda revelou a fuga e se apresentou à Polícia na última quinta-feira, dia 17. No entanto, ela diz que tomou rumo diferente da amiga e não sabe de seu paradeiro. Averiguações foram feitas pela Polícia Civil, no entanto, sem êxito.

Quem tiver informações sobre o paradeiro de alguma das adolescentes pode entrar em contato com a Delegacia de Polícia mais próxima, ou por meio do telefone (55)3522-1211 ou 197, com a Polícia Civil de Três Passos.

Entenda o caso Savanna


- A adolescente de 13 anos vivia há uma semana no Lar “Acolhedor”, no bairro Glória, quando desapareceu

- Acompanhada da amiga Agda Graebin, 15 anos, aproveitou a distração de uma funcionária que dava banho em outros internos para fugir

- A amiga retornou no dia 17 de outubro e afirma que tomou rumo diferente da amiga e não sabe de seu paradeiro

- É a quarta vez que Savanna, que antes vivia com seus pais adotivos, foge neste ano. Nenhuma das vezes permaneceu tanto tempo sem ser encontrada

Entenda o Caso Luana


- Desapareceu no dia 13 de julho deste ano, com 14 anos e grávida de sete meses

- Disse à mãe que se encontraria com o suposto pai da criança, homem casado e morador de Humaitá, e retornaria em seguida

- Mãe recebeu mensagem do celular da família, no dia seguinte, dizendo que Luana estaria em Santa Catarina. Pai da criança confessou que foi ele quem encaminhou a mensagem e que deu dinheiro para a adolescente “sumir”

- A Polícia não tem indícios que o incriminem o homem, apenas assume que ele é o principal suspeito pelo desaparecimento

- Quatro meses e meio depois, nenhum contato de Luana

Comente aqui