Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de fevereiro 2010

Guia prático para farmácias

26 de fevereiro de 2010 3

A Johnson & Johnson lança, em março, o primeiro volume de um guia prático que auxiliará as farmácias brasileiras a se tornarem estabelecimentos mais sustentáveis. A elaboração do guia faz parte do projeto Farmácia Sustentável desenvolvido pela Johnson & Johnson Brasil, em parceria com a distribuidora Santa Cruz. Qualquer farmácia independente atendida pela distribuidora poderá adquirir seu guia sem custo.
Ao todo, 32 mil farmácias receberão mensalmente um fascículo durante dez meses. O guia completo trará informações importantes sobre o descarte de lixo farmacêutico e de medicamentos vencidos, como economizar energia,  água e sacolas plásticas, entre outros assuntos.
O guia é todo produzido em papel e papelão reciclados e não terá qualquer custo para o dono da farmácia.

Foto: Divulgação

Papel com garantia

26 de fevereiro de 2010 0

Agora, 100% do papel utilizado pelo Grupo Santander Brasil é certificado. Incluindo aí, as correspondências enviadas aos clientes. Os papéis certificados são aqueles que têm garantia de procedência da madeira utilizada para produzi-lo. Nesse processo, a madeira vem de reflorestamento e manejo sustentável e a água e os resíduos são reutilizados.
Há seis anos, o Banco Real optou por usar o papel reciclado. Hoje, com o desenvolvimento da indústria papeleira, o branco certificado tem desempenho ambiental equivalente.

A moda da bruxinha do bem

18 de fevereiro de 2010 0

A atriz Emma Watson, que ganhou fama como a bruxinha Hermione de Harry Potter, anda há algum tempo dando bem sucedidos passos no mundo fashion. Pois agora ela resolveu colocar seus pés na moda sustentável. Emma se juntou com o People Tree para desenhar uma nova linha de roupas que será lançada em fevereiro, segundo o Times Online. A bruxinha, que cresceu e encantou, estará criando para uma linha de moda casual. O People Tree, por sua vez, é um grupo pioneiro de ecodesigners, que produz roupas de algodão orgânico, usando técnicas manuais e estimulando organizações que propõe o chamado comércio justo pelo mundo.

Foto: Divulgação

Contêineres viram casas emergenciais

05 de fevereiro de 2010 0

O projeto Seed, que conta com a colaboração de pesquisadores da Escola de Arquitetura da Universidade de Clemson, da Carolina do Sul (EUA), pretende dar uma boa e eficiente roupagem a contêineres em desuso nos portos de países da região do Caribe, frequentemente assolados por furacões. A ideia é transformá-los em casas emergenciais que podem ser utilizadas após desastres naturais, até que a comunidade possa se recuperar. Com a tragédia do Haiti, o grupo de pesquisadores e designers está somando esforços para que os contêineres possam ser utilizados por lá.

- Como eles tem um “corpo único”, também podem ser usados em áreas onde ocorrem abalos sísmicos -afirma Doug Hecker, um dos professores envolvidos no projeto.

- Você terá as pessoas de volta às suas comunidades e isso as fortalece. Eles trabalham em suas casas, não em um abrigo temporário, ao lado de seus vizinhos para reconstruir a vizinhança – ressalta Pernille Christensen, especialista em planejamento, design e construções ambientais.

O Seed ainda envolve a pesquisa dos ciclos dos desastres naturais para que se elabore uma logística de transporte dos contêineres.

- O projeto tem uma dupla missão: responder à necessidade local de habitação de uma comunidade abalada enquanto resolve um problema global de reciclagem, dando um fim aos contêineres vazios que teriam de ser descartadas – destaca a professora da Clemson, Martha Skinner.

Foto: Divulgação

União pelo planeta

05 de fevereiro de 2010 0

Parque do Ibirapuera, em São Paulo, foi palco de um espetáculo de sustentabilidade na prática neste início de 2010. Entre os dias 22 e 25 de janeiro, o Planeta Sustentável, da Editora Abril, promoveu um festival focado no tema com um conteúdo diversificado e didático para todas as idades. Foram quatro dias recheados com oficinas de jardinagem, compostagem, origami e de transformação de garrafas pet em vasos, flores de plástico, brinquedos, máscaras e instrumentos musicais. A edição 2010 do Planeta no Parque contou ainda com a contação de histórias de Kiara Terra, shows de bandas como Pequeno Cidadão e CO2 ZERO, além de participações do Coral da Gente e do AfroReggae. O evento também ofereceu os painéis educativos Mudanças Climáticas, Água e Energia e Consumo e Cidadania, e atividades recreativas, sempre relacionadas à sustentabilidade. Numa delas, os participantes eram convidados a dar sua colaboração para encher um balão com o formato da Terra. A metáfora é simples. Uma pessoa sozinha não era capaz de encher o balão, mas o esforço de várias pessoas que passaram pelo Planeta no Parque durante os quatro dias de evento fez com que o globo ficasse cheio de ar. “Com o planeta Terra, a lógica é a mesma. É a soma das ações de cada indivíduo que poderá transformar nossa morada em um ambiente bem melhor para se viver, hoje, e também para as futuras gerações”, destaca o blog das jornalistas Mônica Nunes e Thays Prado – que acompanharam o dia a dia do evento. Os participantes foram convidados pela organização do evento a gravar vídeos contando o que fazem para ajudar o planeta. As gravações foram exibidas durante os quatro dias e também estão disponíveis no site www.planetasustentavel.abril.com.br

Foto: Divulgação

Inclusão digital e sustentabilidade na Campus Party

05 de fevereiro de 2010 0

A sustentabilidade também esteve em pauta entre os participantes da Campus Party 2010 – realizada no final deste mês em São Paulo. Workshops, palestras e oficinas com temas relacionados a direitos humanos, acessibilidade e inclusão digital tiveram destaque na programação.

Uma das iniciativas mais legais foi o Batismo Digital. Pela segunda vez na Campus Party, os organizadores disponibilizaram centenas de computadores para os participantes, que puderam recorrer a monitores treinados para ajudar as pessoas a ingressarem na sociedade em rede.

ODM: o Portal sustentável

05 de fevereiro de 2010 1

O site de acompanhamento municipal dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) – o Portal ODM -completou seu primeiro ano no dia 29 de janeiro. O espaço reúne notícias e indicadores de todas as cidades do Brasil. Foram mais de 140 mil acesso nos onze primeiros meses de funcionamento do Portal.

Por meio do Portal ODM, gestores municipais e profissionais ligados à administração pública, tem acesso a informações que ajudam a promover o desenvolvimento sustentável. O site é resultado de uma parceria entre a Organização das Nações Unidas – por meio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) -, governo federal, iniciativa privada e sociedade civil.

Uma das novidades do portal é a parceria com o site Cidade Democrática, onde cidadãos e entidades criam um perfil e se relacionam em torno das cidades, apontando soluções para problemas sociais, divulgando-as, recebendo apoio e apoiando propostas.

Pós-graduação destaca práticas socioambientais

05 de fevereiro de 2010 0

Com o objetivo de preparar profissionais para atuar no mercado de tecnologia da informação ligada a questões ambientais, a Universidade Cidade de São Paulo (Unicid) lançou este mês o curso de pós-graduação Tecnologia da Informação e Responsabilidade Socioambiental _ Green IT. O curso pretende formar profissionais especializados em práticas socioambientais, que tenham menor impacto no ambiente, promovam a inclusão digital, reduzam os custos financeiros e propiciem retorno positivo de imagem para as empresas que adotarem essa prática.

Os alunos do curso terão acesso a conteúdos como Fundamentos do Controle Ambiental, Direito Ambiental, Marketing, Gestão de Projetos, Planejamento Ambiental e Auditoria Inovação Tecnológica. O curso está previsto para ter início em 1º de março e terá a duração de um ano. Mais informações no site da Unicid: www.cidadesp.edu.br.

Mal-estar paulistano

05 de fevereiro de 2010 0

Pesquisa do Ibope encomendada pelo Movimento Nossa São Paulo mostrou que houve queda nos principais índices de bem-estar dos paulistanos. Como consequência, 57% da população que vive na capital paulista sairia da cidade se pudesse.

O levantamento foi feito com 1.512 pessoas e teve como base os itens referentes à qualidade de vida sugeridos por mais de 40 mil pessoas. De 1 a 10, a nota geral de São Paulo foi 4,8. Com relação ao ano anterior, aumentou de 6% para 28% a quantidade de pessoas que afirmam temer alagamentos. O receio em relação ao trânsito passou de 16% para 18% e em relação a assaltos ou roubos a preocupação foi de 57% para 65%. A nota mais alta entre os itens ficou com o quesito relações humanas, com 6,5 pontos. Os menores índices ficaram com segurança (4,3), transporte (4,0) e desigualdade social (3,9). A nota mais baixa ficou com transparência e participação política, que somou 3,3.

iPad é amigo do planeta

05 de fevereiro de 2010 0

O iPad, lançado no final do mês pela Apple, deve entrar rapidinho na lista de produtos eco-friendly mais desejados. Os motivos? Quem lista é a jornalista Alice Lobo, do blog Verdinho Básico: é um único produto que tem as funções de um netbook (email, browser de internet, agenda telefônica, calendário e espaço para escrever texto), de livro, caderno, revista ou jornal (e-reader), tocador de música (iPod), video game, álbum de foto, tela de vídeo, diversas opções de software e três lojas online (iTunes para músicas, App Store para softwares e iBook para livros). Mais itens eco: o vidro do display não tem arsênico e a camada de LCD é sem mercúrio. Além disso, o iPad não usa nenhum componente de PVC nem BFR, substância normalmente usada para prevenir que aparelhos eletrônicos peguem fogo (proibida na Europa e criticada nos EUA). Em contato com a pele de seres humanos e animais, ela pode fazer mal à saúde.

Para completar, o processador de 1GHz foi criado especialmente para o iPad e garante alta performance, com baixo consumo de energia. A bateria aguenta 10 horas de uso contínuo ou 1 mês em stand by.

Foto: Divulgação