Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O que fazer no Rio

04 de junho de 2012 0

Você leu no Nosso Mundo desta segunda-feira sobre o que fazer  no Rio durante a Rio+20. Segue aqui o serviço para as atividades paralelas:

Cúpula dos Povos
– Reunirá cerca de 50 mil pessoas para assembleias, oficinas e mostra de estandes de participantes.
– De 15 a 23 de junho.
– Aterro do Flamengo (do Aeroporto Santos-Dumont, no Centro, ao início da Praia de Botafogo, na Zona Sul).
Como participar?
Acesse o site oficial para conferir a programação. Parte das atividades não requer inscrição. Sem custo.
Outras informações
www.cupuladospovos.org.br

Rio+Social
– Palestras que irão debater de que maneira as mídias sociais e a tecnologia podem contribuir para a conscientização das pessoas em relação à sustentabilidade.
– 19 de junho.
– Hotel Windsor Barra (Av. Sernambetiba, 2.630, Barra da Tijuca).
Como participar?
É preciso preencher um formulário online de inscrição, grátis. A partir daí, haverá uma seleção de participantes, conforme a ligação com o tema.
Outras informações
www.rioplussocial.com.br

Ideias Justas
– Organizado pelo Instituto Internacional para Desenvolvimento e Meio Ambiente, o evento conta com sessões plenárias, mesas-redonda e workshops para discutir soluções para um planeta sustentável.
– 16 e 17 de junho.
– PUC-Rio (Rua Marquês de São Vicente, 225, bairro Gávea).
Como participar?
Basta se inscrever pelo site, sem custo.
Outras informações
http://iied.org/registration-for-fair-ideas

Exposição Marco Universal  _ Rio+20 edição especial
– Com curadoria artística de Marcelo Dantas, quatro salas com exposições interativas tratarão o tema meio ambiente.  
– 13 de junho a 12 de agosto.
– Museu do Meio Ambiente, dentro do Jardim Botânico (Rua Doutor Salvador França, 1.427, bairro Jardim Botânico).
Como participar?
A entrada é livre, sem inscrição.
Outras informações
www.marcouniversal.com.br

E-vento
– Oficina de confecção e soltura de pipas com materiais reciclados.
– Confecção nos dias 16 e 17 de junho. Soltura nos dias 21 e 22.
_ Confecção no Parque Lage, dentro do Jardim Botânico. Soltura no Aterro do Flamengo e Riocentro.
– Grátis.
Como participar?
Não é preciso se inscrever.
Outras informações?
www.facebook.com/events/448134818530417/

Sustentabilidade e eu com isso?
– Mostra de cartazes de artistas e designers brasileiros em bibliotecas públicas de comunidades cariocas
– 11 de junho a 30 de julho
– Biblioteca Parque de Manguinhos (Av. Dom Helder Câmara, 1184, atrás do Colégio Estadual Luiz Carlos da Vila).
– Biblioteca Parque da Rocinha (Estrada da Gávea, 454).
– Biblioteca Pública de Niterói (Praça da República, sem número).
Como participar?
A visitação é livre.
Outras informações
Manguinhos: (21) 2334-8915.
Niterói: (21) 3601-1956.
Rocinha: (21) 2334-7096.

Veto parcial ao Código

24 de maio de 2012 0

A informação é do vice-presidente Michel Temer: a presidente Dilma Rousseff deve apresentar vetos parciais ao Código Florestal. Ela tem até amanhã para tomar uma decisão sobre veto ou sanção.

Conforme o portal G1, Temer adiantou a informação em conversa com jornalistas, em Brasília, após reunião em seu gabinete.

Lei regulamenta sacolas plásticas

22 de maio de 2012 0

O governo do Estado regulamentou a lei 13.272, que obriga que todas as sacolas plásticas usadas por supermercados ou estabelecimentos de menor porte estejam dentro da norma 14.937 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

A boa notícia é que, segundo afirmou ao blog o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, cerca de 80% dos estabelecimentos já estão adequados ao novo padrão de sacolas.

Ou seja: será muito difícil haver recolhimento ou falta de sacolas, pelo menos nas grandes redes, nos primeiros dias com a nova lei em vigor.

– É uma sacola mais reforçada – afirma Longo.

Uma chance para mudar

15 de maio de 2012 2

O episódio envolvendo as declarações do gerente de fiscalização de trânsito da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Tarciso Kasper, escancara como Porto Alegre parou no tempo em conceitos de mobilidade urbana.
Ao desdenhar do interesse público pelo transporte coletivo e, indiretamente, estimular o uso de veículos próprios, a EPTC tomou a contramão de uma tendência recorrente em economias desenvolvidas ou em desenvolvimento. Deixar o carro na garagem faz bem para os próprios motoristas – afinal, significa trânsito menos pesado – e para o planeta, já sufocado pelas emissões de dióxido de carbono.
Porto Alegre poderia olhar adiante do próprio umbigo. Já há no Brasil empresas especializadas em compartilhamento de carros, sem falar em sites para agendar caronas. Nos Estados Unidos, criaram-se faixas específicas para veículos com mais de uma pessoa – quem circular sozinho leva multa. Em Londres, os Jogos Olímpicos vão ocorrer sem estacionamentos para os espectadores, salvo em casos especiais, como portadores de deficiências.
Os ingleses apostam no próprio transporte público, e aí reside uma boa lição para a EPTC. Em vez de dar desculpas, o órgão deveria aproveitar a oportunidade para estimular a população a andar de ônibus. E, principalmente, melhorar a infraestrutura disponível. Porque mandar trocar o ônibus pelo carro, seja ou não nas entrelinhas, torna ainda mais tênue a linha que separa a incompetência da omissão.

Ainda Lutzenberger

14 de maio de 2012 0

Se você ainda não leu a reportagem especial sobre os 10 anos da morte do ambientalista José Lutzenberger, vale conferir o material especial publicado em zerohora.com.

Trata-se de um site especial. Boa leitura!

Time-lapse da casa do futuro

09 de abril de 2012 3

Na reportagem especial desta segunda-feira do Nosso Mundo Sustentável, mostramos como funciona uma casa sustentável alemã. Produzida pelo governo local, ela produz mais energia do que consome.

Aqui, você confere a time-lapse da construção da casa:

Carta do Amazonas

24 de março de 2012 0

Organizador do Fórum Mundial de Sustentabilidade, o Grupo  de Líderes Empresariais (LIDE) divulgou há pouca a Carta do Amazonas. Abaixo, a íntegra:


CARTA DO AMAZONAS

Neste ano de 2012, em que a atenção do planeta está focada no Brasil devido à Rio+20, o LIDE firma o compromisso de mobilizar a sociedade brasileira pela aprovação de uma legislação nacional de pagamentos por serviços ambientais, reconhecendo este mecanismo como fundamental para garantir o desenvolvimento sustentável.

Destacamos também, através do FÓRUM MUNDIAL DE SUSTENTABILIDADE, outros temas que merecem especial atenção da sociedade brasileira e mundial. São eles:

1 – A aprovação de um tratado internacional para implementar o REDD+ como mecanismo de preservação das florestas nativas.

2 – Estabelecimento de metas para a universalização do acesso à energia limpa até o ano de 2030.

3 – O apoio à maior cooperação Sul-Sul, na base de benefícios mútuos que não repitam os erros cometidos no passado.

4- A importância de repensar as estruturas atuais da ONU para aumentar a eficácia dos processos de governança internacional.

5 – A formulação de um programa de governança dos oceanos, que permita a recuperação dos ecossistemas marinhos e estoques pesqueiros, através da criação de áreas marinhas protegidas em águas territoriais nacionais e internacionais.

6 – O reconhecimento de que a atmosfera é um bem comum, compartilhado por todos, e cuja contaminação por gases do efeito estufa e outros poluentes precisa ser gradualmente eliminada, através de um cronograma mundial de metas firmes e compatíveis com a ciência.

7 – O desenvolvimento de uma plataforma ambiental a nível municipal como prioridade, que explicite compromissos a serem assumidos por governantes locais, com especial atenção à universalização do saneamento básico, ao incentivo à construção sustentável e à promoção da educação ambiental e do consumo consciente.

8 – A regulamentação e efetivo cumprimento do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, dando atenção à possibilidade de geração de empregos, através da valorização da cadeia de reciclagem do PET.

9 – O uso das respectivas cadeias de valor de grandes corporações para promover o comércio justo e o desenvolvimento sustentável na base da economia.

10 – A incorporação clara e explícita nas metas de desenvolvimento dos direitos de futuras gerações a um meio ambiente mais limpo e sadio.

Manaus, 24 de Março de 2012

Os riscos do Pré-Sal

24 de março de 2012 0

Sylvia Earle surpreendeu: tirou foto dos jornalistas na coletiva.

A oceanógrafa americana Sylvia Earle vê riscos sérios na exploração de petróleo da camada de Pré-Sal, inclusive do ponto de vista econômico. Se esse petróleo trará benefícios financeiros, também servirá como incentivo para a continuidade do uso de combustíveis fósseis. E isso é um problema, disse ela na tarde deste sábado, em coletiva no Fórum Mundial de Sustentabilidade, em Manaus. Seria melhor, afirmou, focar no desenvolvimento de novas matrizes, como a energia solar.

Mas há outros riscos. Um dos principais, afirmou Sylvia, diz respeito a ecossistemas ainda desconhecidos e localizados na área do pré-sal – a uma profundidade média de 7 mil metros.

- O grande risco é a destruição desses ecossistemas. Não sabemos o que vamos encontrar, nem o impacto – explicou.


*O jornalista viajou a convite do Fórum Mundial de Sustentabilidade.

Bianca Jagger fala em caminho sem volta

24 de março de 2012 0

Depois de uma manhã de workshops em Manaus, o Fórum Mundial de Sustentabilidade terá, neste sábado à tarde, as apresentações da ativista Bianca Jagger e da oceanógrafa Sylvia Earle. Bianca falou no final da manhã em entrevista coletiva. Nascida na Nicarágua e ex-mulher do Rolling Stone Mick Jagger, ela reforçou o discurso de urgência para frear o aquecimento global.

- Não é um ponto crítico em 10 anos. É um ponto de não-retorno – afirmou.

Bianca – que até se parece com Mick Jagger – também tocou no ponto das matrizes energéticas:

- Energia renovável não é só um benefício para as pessoas, mas para os governos. Criou empregos nos Estados Unidos, mesmo que o governo não a apoie.


*O jornalista viajou a convite do Fórum Mundial de Sustentabilidade.

Sem propostas

23 de março de 2012 0

Ainda sobre FHC no Fórum, em Manaus: na avaliação da imprensa especializada, a palestra deixou a desejar. Faltaram propostas na fala do ex-presidente sobre desenvolvimento sustentável.

Foi o oposto do que aconteceu com o ex-primeiro ministro francês, Dominique de Villepin, e com a ex-primeira ministra norueguesa, Gro Brundtland, bem mais específicos nas falas.

*O jornalista viajou a convite do Fórum Mundial de Sustentabilidade.