Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Quase sem retoques

02 de maio de 2008 0

Cenas entre o prefeito Viriato (Lima Duarte) e Cândida (Eva Wilma) foram um dos pontos fortes/Divulgação, William Andrade / TV Globo
Com um texto impecável de Walther Negrão, a trama global das seis, Desejo Proibido, foi palco de comoventes interpretações do elenco veterano. Eva Wilma como a amargurada Cândida, Nivea Maria na pele da extrovertida Magnólia e Marcos Caruso, como o Padre Inácio, conseguiram esculpir personagens majestosos. Mesmo com o sotaque carregado pela prosódia e com trejeitos interioranos, não houve atuações caricatas. Cenas entre o prefeito Viriato, de Lima Duarte, e Cândida, de Eva Wilma, foram dignas de ovações.

Os ingredientes são basicamente os mesmos das antigas tramas de Walcyr Carrasco, como O Cravo e a Rosa ou Chocolate Com Pimenta. No entanto, sai de cena o pastelão e o cenário da São Paulo do início do século passado para dar lugar  ao sotaque miudinho e a devoção a uma fictícia santa de pedra. São recursos manjados, mas que ainda prendem a atenção.

A ousadia foi colocar o mocinho numa batina com o padre Miguel (Murilo Rosa), para enfrentar a fúria do riquinho arrogante Henrique (Daniel de Oliveira). Entre a cruz e a espada, Fernanda Vasconcellos, como a apaixonada Laura, apesar da atuação forçada, mostrou algum carisma. Neste elenco jovem, quem se sobressaiu foi Emilio Orciollo Netto, como Argemiro.

Os figurinos de Marília Carneiro que vestiram com elegância o texto de Negrão. Com alusões à moda parisiense dos anos 30 e uma adaptação do vestuário contemporâneo para a época, a figurinista conseguiu costurar diversos personagens. Até mesmo a direção de Marcos Paulo surpreendeu com cenas ágeis, bom ritmo e uma leitura original da história.

O último capítulo

Quer saber o final de Desejo Proibido? Aí vai: Miguel (Murilo Rosa), Escobar (Alexandre Borges), Chico (José de Abreu) e Ana (Letícia Sabatella) são inocentes. O assassino de Henrique (Daniel de Oliveira) é Diogo (Pedro Neschling). Depois de  envenenar o neto de Cândida (Eva Wilma), o vilãozinho sentirá o gostinho de ocupar o cargo de prefeito de Passaperto, mas
sua alegria vai durar pouco. A verdade será descoberta, e ele terminará a novela na prisão de Passaperto.

A vilã Cândida (Eva Wilma) é outra que não terá um desfecho feliz.

Não sabia mais o que fazer com ela. Então, resolvi matá-la – adianta o autor Walther Negrão.

Enquanto Cândida se dará mal, Germano (Osvaldo Mil), que armou todas com a vilã, terminará bem.

Pensei em um desfecho meio Vale Tudo (novela de Gilberto Braga exibida em 1988). Ele não vai dar uma banana para Passaperto, mas fugirá com as jóias e o dinheiro da Cândida – explica Negrão.

Como não poderia deixar de ser, o último capítulo da novela será recheado de finais felizes. Florinda (Grazi Massafera) vai virar estrela em Hollywood e terá Ciro (Rodrigo Lombardi) a seus pés. Enfim, a mocinha Laura (Fernanda Vasconcellos) conseguirá ficar ao lado de Miguel (Murilo Rosa). Mas nada de casamento:

Ela acabou de ficar viúva, enquanto ele é um ex-padre. Achei melhor fazer com que a união deles fosse na gruta – avisa Negrão.

Após uma passagem de tempo de sete meses, Ana e Escobar retornarão a Passaperto com o filho nos braços. Alegrias também estão reservadas para Eulália (Aninha Lima), que ficará grávida de Argemiro (Emílio Orciollo Neto).

Postado por Jornal de Santa Catarina

Bookmark and Share

Envie seu Comentário