Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Primeiras impressões de A Favorita

03 de junho de 2008 5

Divulgação, TV Globo

A estréia de A Favorita deixou a desejar, como já falamos aqui. Foram apresentados os personagens principais, tramas paralelas e personagens secundários. Logo de início, pudemos começar a avaliar as duas candidatas a “Favorita”: Flora e Donatela.

Patrícia Pillar convenceu como a sofrida Flora, que acabou de sair da prisão após 18 anos cumprindo pena. A personagem me lembrou a sem-terra Luana, de O Rei do Gado, uma pessoa simples e maltratada pela vida, com andar arrastado e olhar triste. Não é difícil acreditar na inocência da personagem, que jura ter ido para a cadeia por um crime que não cometeu.

Por outro lado, a soberba Donatela nada mais é do que uma perua que trata os empregados de forma rude e vê na filha adotiva, Lara (Mariana Ximenes), sua única razão de viver.

Confesso que foi meio difícil entender o troca-troca de casais. É o seguinte: no passado, Flora era casada com Dodi (Murilo Benício) e Donatela

era esposa de Marcelo. As duas mulheres eram amigas, até que Flora e Marcelo se apaixonaram, tiveram uma filha, Lara, e logo depois Marcelo foi assassinado. Segundo Flora, Donatela é responsável pelo crime, ajudada pelo amante Dodi. Flora foi presa pelo assassinato, que na versão dela teria sido tudo uma grande armação de Donatela para incriminá-la.

Apesar de a trama girar em torno de Cláudia Raia e Patrícia Pillar, quem roubou a cena, na minha opinião, foram Tarcísio Meira e Mauro Mendonça. Os

dois interpretam, respectivamente, Copola (um líder trabalhista cheio de ideais) e Gonçalo (milionário dono da maior fábrica da cidade). A cena em que os dois quase se engalfinham foi hilária. Só a presença de atores desse gabarito já valem passar algum tempo em frente à televisão.

Mariana Ximenes não chamou muita atenção como a jovem Lara. É mais uma personagem doce e bonitinha, mas também um pouco rebelde e carente. Não entendi muito bem se a menina é meio revoltada por causa da ausência da mãe biológica, ou se o jeito “moleque” é próprio do estilo da personagem.

 

De relance, apareceram Lilia Cabral, que vive uma dona-de-casa que é humilhada pelo marido Leon (Jackson Antunes). Já vi que a atriz vai sofrer um bocado na pele da personagem, talvez seja pra compensar as crueldades de Marta, de Páginas da Vida.

 

Cauã Reymond é o mulherengo e boa-vida Halley. Assim como o Mateus, de Belíssima, o personagem torra todo o dinheiro que a mãe dá para ele pagar os estudos.

A jovem Alicia, personagem de Taís Araújo, começou a novela chamando bastante atenção. Filha do político Romildo Rosa (Milton Gonçalves), a moça causou furor ao ficar nua no comício do pai. Taís está ótima, mas aquele cabelo não combinou com a beleza da atriz.

O capítulo terminou quando Flora e Donatela ficaram frente a frente. Hoje saberemos como será o embate entre as duas, mas já deu pra perceber que o olhar de ódio de Patrícia Pillar é muito mais convincente do que o de Cláudia Raia. Donatela parece ser falsa em tudo o que diz, enquanto Flora traz a sinceridade no olhar.

Será que a trama continuará dessa maneira previsível ou o autor João Emanuel Carneiro prepara uma grande surpresa para os próximos capítulos?

 

>>> Confira os horários de A Favorita

Postado por Michele Vaz Pradella

Bookmark and Share

Comentários (5)

  • Carlos André Moreira diz: 4 de junho de 2008

    Confesso que eu ainda não entendi em que época ou país esse troço se passa. Porque não há como, no Brasil, repito, não há como, no Brasil, alguém ficar 18 anos preso em regime fechado por homicídio sendo primário. Nem o casal Guilherme de Pádua ficou tanto tempo, mesmo com toda a repercussão na mídia. Todo preso no Brasil progride de regime depois de um sexto de sua pena e vai para o semi-aberto, depois para o aberto. Só se essa mulher foi condnada a 120 anos de cana.

  • Diana Leite diz: 3 de junho de 2008

    Pra mim esta foi a pior novela dos últimos tempos, definitivamente a globo precisa rever seus conceitos.

  • Túlio Dorval diz: 4 de junho de 2008

    Mais um pouco do mesmo de sempre. Da Globo não se pode esperar qualidade…Vou entrar na campanha contra as drogas, a começar pela Globo e suas novelas.

  • Mariana diz: 4 de junho de 2008

    Eu estou gostando muito da novela…
    Espero que não ter uma decepção vendo as coisa demorarem para acontecer na trama e nem os mocinhos se dando mal até o fim….

  • Juliana diz: 4 de junho de 2008

    Muito fraca essa novelinha!A Cláudia Raia não convence como atriz, é muito ruim.Que espécie de jornalista a Juliana Paes está interpretando?Está mais pra “chiquinha” do programa Chaves, do que para um profissional de comunicação.Totalmente “jeca”.Está na novela só pq é bonita, pq como atriz, ainda tem muuuito o q aprender.Com certeza, essa será mais uma novela que não conseguirá prender à atenção das pessoas.Sempre a mesma história;mocinhaXvilã…Coisa mais “sem sal”! Ninguém merece!!

Envie seu Comentário