Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

A Favorita: Morte de Dodi bate recordes de ibope

14 de janeiro de 2009 2

Dodi é assassinado pela esposa Flora/TV Globo/Renato Rocha Miranda

Com 51 pontos de média (54 de pico), a novela A Favcorita, de João Emanuel Carneiro, bateu seu recorde de ibope bem como participação em televisores ligados: 73,7%, segundo o colunista Ricardo Feltrin, do UOL.

Este é o maior índice em cinco anos, desde Senhora do Destino, de Aguinaldo Silva, em 2004 (que, aliás, está de volta no Vale a Pena Ver de Novo).

Para se ter uma ideia, a estreia do BBB 9 ficou bem abaixo, com 37 pontos de média.

Nada mal para o autor, não é?

Mas, e para o público? Valeu assistir à cena?

Depois de aprontar todas, o vilão Dodi (Murilo Benício) teve seus dias de farra cessados e foi morto pela esposa Flora (Patrícia Pillar) quando ameaçou entregar Donatela (Claudia Raia) à polícia. Para defendê-la, Flora deu cabo no malandro.

Para quem, como eu, achava que o personagem teria uma morte superchocante, como foi a de Marcelo Fontini (Flavio Tolezani) e de Dante Salvatore (Walmor Chagas), a cena deixou um pouco a desejar.

Apesar de ter pecado na morte do Gonçalo, a produção da novela tinha caprichado em várias tomadas decisivas da trama, e, por isso, era de se esperar que Dodi tivesse um final à altura de sua importância no enredo.

A cena da morte de Dodi começa a prender mesmo a atenção na parte em que ele ironiza Flora, já sabendo que ela vai pegar a arma na bolsa. Muito legal também os dois levantando juntos – ele com a arma apontada para Donatela e também sob a mira de Flora.

A “escrava Isaura” Silveirinha (Ary Fontoura, aliás, está ótimo), sai de gaiato e quebra um candelabro na cabeça de Dodi, uma alusão interessante à cena da morte de Marcelo, quando Cilene (Elizângela) salvou também Donatela. 

Dodi cai, depois atira e parece acertar Silveirinha. Flora atira contra Dodi, e os dois se encaram, em duelo, separados por um sofá.

É a sentença de morte dele. E é aí que a cena desanda. Não pelos atores, pois Patrícia Pillar arrasa mostrando a frieza da vilã e Murilo Benício dá o tom de medo do personagem.

O problema é: e depois? Ambos levantam, ela dá um tiro e… corte na cena. Mal uma carinha de sofrimento de Dodi. Tá lá, um corpo estendido no chão. Sem marca de bala, sem sangue. Dodi deitado no chão, sereno, olhinho fechado, como que dormindo. Economia total de “ketchup”.

E Silveirinha? Aparece bem, calminho que só, sem um arranhão.

Flora e o criado decidem como dar um fim ao corpo, e é isso. Fim. Tão pobre…

A cena também contradiz, de certa forma, com o comportamento de Flora na novela. Para alguém tão esperto como ela, matar Dodi em sua casa jamais seria um bom negócio. Primeiro, porque Donatela ou mesmo Silveirinha poderiam incriminá-la, era só pegar a arma com as digitais (ela tem antecedentes). Isso nem seria tão difícil, pois o ajudante não serve o café para ela todos os dias? Era só usar um sonífero e pronto.

Além disso, Pimentel (Alexandre Damascena) poderia extorqui-la.

Dar fim no corpo, enterrando-o em um lugar qualquer da propriedade, foi uma saída dada pelo autor para que os mocinhos tivessem provas contra Flora, mas como uma vilã tão maquiavélica como ela não teria pensado nisso?

No começo do mês, João Emanuel Carneio confessou à Patrícia Kogut que não conseguia escrever a cena do assassinato de Dodi. Ele disse que a morte estava planejada já antes da estréia da novela para o capítulo 140, aproximadamente, mas o vilão ganhou uma “canja” e sobreviveu para mais de trinta capítulos:

— Eu acho que ele é um personagem adorável, o palhaço da novela. Não consigo me inspirar para matá-lo — disse o autor na época.

Parece que ele não conseguiu mesmo se inspirar.

Mas a novela continua! A cena seguinte, da bala de festim, quando Flora atira em Donatela, já foi bem mais legal. Imperdível a continuação hoje. A parte em que a vilã fecha os olhos e o cilindro do revólver gira foi muito boa. Esta, porém, já é outra história.

 

Assista à morte de Dodi:

 

Postado por Juliana Herling

Bookmark and Share

Comentários (2)

  • Rosalinda diz: 14 de janeiro de 2009

    Dódi teve uma morte típica de figurante! Q q é isso meu povo! Um personagem como o Dódi (de longe o mais criativo de toda a novela) merecia algo bem melhor.
    Se ele não tinha inspiração, q pedisse a algum colaborador para escrever a cena. Gostava tanto do Dódi q, ao evitar escrever uma boa cena de morte, acabou matando MESMO seu personagem. Gonçalo ainda vive na história, por todas suas boas cenas. Dódi desapareceu sem deixar rastros. Triste.

  • sonia ribeiro diz: 15 de janeiro de 2009

    O ATOR MURILO B. MERECE 1 OSCAR PELO ´´DODI´´, ESTEVE PERFEITO, 1 CAFAGESTE PERFEITO,SE REVELOU UM ATOR DE PRIMEIRA, PENA TER MORRIDO NA NOVELA, MERECIA UM FINAL MAIS ORIGINAL. ALGO Q. COMBINASSE MELHOR COM A SUA PERSONALIDADE BIZARRA E DEBOCHADA.

Envie seu Comentário