Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Índias: Aninha Lima se encanta pela psique humana

01 de março de 2009 0

PEDRO PAULO FIGUEIREDO, CZN

Aninha Lima sempre foi apaixonada pela complexidade e pelos segredos da mente humana. Mas depois que começou a viver a aplicada assistente social Ciça, em Caminho das Índias, sua paixão aumentou.

– É incrível como a mente é fascinante! – confessa a atriz, que se rendeu de vez aos encantos do cérebro humano quando visitou o Instituto Nise da Silveira, na Zona Norte do Rio, e conheceu pacientes que sofrem de distúrbios mentais.

– Fiquei tão encantada que, às vezes, me pego na rua, diante de alguma situação, pensando como agiria se fosse um deles. Porque é uma sinceridade tão absurda…– derrama-se.

Para fazer bonito na pele da profissional, a atriz levou o estudo sobre o assunto a sério. Além de participar de diversos workshops com psicólogos e psiquiatras do Instituto Psiquiátrico Philippe Pinel, na Zona Sul do Rio, e da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ela também assistiu a palestras com os doentes mentais e seus familiares.

– Não esqueço da história do Vitor Hugo, um esquizofrênico que ficou dois anos sem ser medicado, voltou a tomar remédio e hoje está até casado. Foi a palestra mais rica de todas – lembra.

O interesse de Aninha por esse universo não é recente. Antes de ser convidada por Glória Perez para interpretar Ciça, ela já escutava, com a maior atenção, muitas histórias sobre pacientes com problemas psíquicos.

– Tenho um tio psiquiatra e sempre conversamos à beça sobre os casos dele. Isso também me ajudou a compor a Ciça – destaca ela, fazendo questão de acrescentar que a personagem, apesar de para lá de dedicada à Assistência Social, não vai viver só de trabalho na história.

Além de estar satisfeita com a oportunidade de interpretar uma personagem com uma função importante na trama, Aninha também está feliz com a estreia no horário nobre. Nascida em Carangola, Zona da Mata mineira, Aninha tem uma trajetória particular. Conhecida como cantora – principalmente como backing vocal do marido, Gabriel, O Pensador, com quem é casada há 12 anos –, ela interrompeu o sonho de ser atriz por circunstâncias da vida, como o casamento e a maternidade.

Postado por TV+Show, Diário Catarinense

Bookmark and Share

Envie seu Comentário