Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Mariana Rios fala de sua veia cômica em Malhação

14 de março de 2009 1

Divulgação

Todo mundo deve se perguntar de onde Mariana Rios, a Yasmin de Malhação, tira aquelas frases hilárias, tipo: “Jesus, apaga a luz!”, “Chuta que é macumba!”, “Chama a minha mãe!” e “Nossa senhora da bicicletinha, dai-me equilíbrio!”. Pois agora você vai saber, já que ela contou tudo nesta entrevista ao Kzuka. Além de falar sobre sua personagem, a atriz que, assim como a Yasmin, também é cantora, deu um show de simpatia e relembrou sua adolescência em Araxá (MG) e o início da carreira no Rio, além de abrir o jogo sobre como funcionam as coisas nos bastidores da novelinha e dizer quais são os seus planos para o futuro. Confere tudo aí:

Kzuka – Como foi chegar ao Rio, sozinha, aos 18 anos? Foi muito difícil se adaptar e se virar por conta própria numa cidade estranha?
Mariana –
Não foi difícil me adaptar, o complicado foi estar longe da família, sem dinheiro, ter que correr atrás. É muito duro levar muitos “nãos” e ter que passar por cima das coisas pra tentar chegar aonde você quer.

Kzuka – E como pintou a chance na Malhação?
Mariana –
Fui fazendo testes desde que cheguei ao Rio. Fiz teatro, trabalhei com o Oswaldo Montenegro, até que uma hora consegui entrar na TV. Eu cantei no teste da Malhação e, graças a Deus, deu tudo certo!

Kzuka – Como é o relacionamento entre a galera da novelinha? O povo é amigo ou rola guerrinha de egos?
Mariana –
Todo mundo se dá muito bem, é meio como se fosse uma família. A gente mora no mesmo prédio, passa o tempo todo junto, frequenta os mesmos lugares. Somos muito unidos. A guerra de egos acontece independente da profissão, em qualquer meio, pode pintar até dentro de uma casa, entre a própria família. Qualquer equipe de trabalho passa por isso. O que eu acho é que cada um tem que saber do seu e valorizar o que tem, porque ego é besteira.

Kzuka – De onde saíram as frases clássicas da Yasmin? Elas já vieram com o texto ou são criações suas?
Mariana –
A maioria eu falava na infância e adolescência, com as minhas amigas. E uma delas, a Rafaela, é quem inventou a maioria. Ela sempre chegava com uma coisa nova. Uma que eu dizia bastante era “não me mata com a faca da cozinha” e, um dia, soltei isso no meio de uma cena. Eles gostaram e foram me deixando colocar outras coisas.

Kzuka – Na TV, você vive uma patricinha esnobe, grossa e estressada. Como é a Mariana fora das telas?
Mariana –
Eu sou bem tranquila, tenho muita paciência com todo mundo. Sou extrovertida, como a Yasmin, brincalhona e gosto demais de conversar, falo pelos cotovelos. (risos) Mas eu não sou má, não! Sou boazinha, um doce de pessoa! (risos)

Kzuka – Como foi a adolescente Mariana? Você foi uma boa aluna ou era bagunceira, mais da galera do fundão?
Mariana –
Nossa senhora! Eu era muito bagunceira. Mas não sei… Fazia bagunça, só que os professores gostavam de mim porque eu não desrespeitava ninguém. Era brincalhona com todo mundo, participava muito dos eventos do colégio, organizava os negócios de teatro e música. Na sala, era inquieta, mas acabava dando tudo certo… Levava uma bronquinha e, no final das contas, era perdoada. E não sei o que eu arrumava, porque as minhas notas eram sempre boas. (risos)

Kzuka – Como é sua relação com a música atualmente? Dá tempo pra se
dedicar, manter uma carreira paralela?
Mariana –
Eu vou gravar um CD de pop rock. Tudo indica que devo começar ainda este ano. Mas a minha prioridade, agora, é a Malhação. Depois, não sei o que vem. Então, eu penso no que está acontecendo neste momento. Vou gravar um CD, que é um projeto paralelo, e vou tentar conciliar da melhor maneira possível.

Postado por Kzuka, JSC

Bookmark and Share

Comentários (1)

  • adrillene diz: 23 de maio de 2009

    eu também quero ser uma atriz como você quando fizer 18 anos vou para o rio de janeiro e vou fazer vários testes para a novela malhação sem deixar nada me derrubar porque eu tenho ” força na piruca”

Envie seu Comentário