Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Manoel Carlos aborda alcoolismo em Viver a Vida

01 de novembro de 2009 3

Renata sofre de anorexia alcoólica/João Miguel Júnior, TV Globo

Até agora em Viver a Vida, poucos foram os dias em que o telespectador viu Renata (Bárbara Paz) sem um copo nas mãos. A aspirante a modelo e a atriz tem quase tudo para viver bem a vida. É charmosa, tem dinheiro e um namorado bonitão e boa-praça. No entanto, na sua solidão, ela se entrega à bebida e, pior, deixa de comer para compensar as calorias adquiridas com o álcool. Renata sofre da chamada anorexia alcoólica, que, nas palavras do autor da trama, Manoel
Carlos
, é uma das pragas do século.
A julgar pelo histórico de Maneco nesse assunto, a personagem tem tudo para atrair holofotes e cair nas graças do público. Os alcoólatras das novelas do autor foram marcantes. Quem não se lembra de Santana (Vera Holtz) escondendo a bebida numa garrafinha de perfume em Mulheres Apaixonadas, dos porres de Bira (Eduardo Lago) em Páginas da Vida ou da angústia de Sandrinha (Cecília Dassi), com aqueles lindos olhos azuis, observando o pai, Orestes (Paulo José), em situações deprimentes em Por Amor?
Normalmente, em todas as minhas novelas, eu abordo o alcoolismo. É um assunto que deve estar presente porque é uma forma muito violenta de autodestruição, de perda da autoestima, dos filhos, do emprego. É um alerta, porque o álcool é uma droga lícita – diz Maneco.
O assunto já foi abordado de várias maneiras pelo autor. E a mensagem do perigo da bebida não é a única que o autor quer passar.
A Renata é um retrato fiel da atual geração, que pensa em ser celebridade,
divertir-se na noite e se drogar
– diz ele.
Não por acaso, a personagem tem um estilo à la Amy Winehouse.
– O cabelo é inspirado nela, e estou usando um aplique – conta Bárbara.
Ela também precisou perder quatro quilos e deve emagrecer ainda mais. Como a novela fala de superação, Renata certamente terá a sua.
Minha personagem é um alerta, mas eu também sou um exemplo da superação – diz ela sobre sua história, que inclui ter perdido o pai aos sete anos, vítima de cirrose, e a mãe, aos 17, na mesma época em que Bárbara sofreu um acidente que lhe deixou cicatrizes no rosto.
Sou um exemplo de superação. Fiz isso minha vida toda – lembra a atriz. – Já tinha ouvido falar de anorexia alcoólica, mas só passei a reparar nas pessoas com esse problema quando comecei a estudar sobre a Renata. Tem uma menina próxima de mim que sofre dessa doença, mas é algo pessoal.

Os alcoólatras de Manoel Carlos
PÁGINAS DA VIDA (2006) – Bira (Eduardo Lago) nunca confiou na mulher (Natália do Valle), que jogava na cara que o sustentava. Anos depois, ela o trocou por Greg (José Mayer), e ele nunca aceitou a situação. Se no começo da novela tinha talento para ser alcoólatra, na metade da trama chegou ao fundo do poço. Caía pelos bares, nas ruas, chegou a ser atropelado. A filha Marina (Marjorie Estiano) o salvou.
MULHERES APAIXONADAS (2004) -  Santana (Vera Holtz) era uma professora
respeitada de um colégio de alto padrão, mas que sucumbia ao álcool até no trabalho. Em seu desespero, quando pessoas próximas escondiam as bebidas dela, chegou a colocar álcool de uso doméstico na frasco de perfume e bebia escondida
no banheiro nos intervalos das aulas.
POR AMOR (1999) – Orestes (Paulo José) bebia para desgosto da família, principalmente da pequena Sandrinha (Cecília Dassi), que passou a novela toda tentando livrar o pai do vício. Era a única que acreditava nele.
FELICIDADE (1991) -  O jornalista Zé Diogo (Marcos Winter) era o beberrão de Vila Feliz. Dava altos vexames e bebia com o pretexto de afogar as mágoas e esquecer a paixão não correspondida por Helena (Maitê Proença).

A eterna Heleninha
Muito antes de Nazaré Tedesco, de Senhora do Destino (2004), que também adorava umas biritas, existiu Heleninha Roitman de Vale Tudo (1988), de Gilberto Braga, na vida de Renata Sorrah. Filha oprimida da megera Odete Roitman (Beatriz Segal), a personagem era uma mulher sensível, mas, quando bebia, virava uma barraqueira. Seus escândalos regados a uísque até hoje são hit na internet. Heleninha só enfrentava a mãe quando bebia e, por isso, caiu nas graças do público.

Postado por TV+SHOW – Zero Hora

Bookmark and Share

Comentários (3)

  • Alexandre Godinho diz: 1 de novembro de 2009

    Que original! Os autores de telenovelas têm um campo de referência imenso.

  • vania dos anjos diz: 1 de novembro de 2009

    Se bem observando a novela Viver a Vida nota-se que não só a Renata que vive com um copo nas mãos e sim grande parte do elenco. Olha nunca vi beberem tanto Wisky e Champagne quanto eles bebem. Are baba!!!!!

  • lucianne diz: 1 de novembro de 2009

    Esta novela é um pessimo exemplo, todos vivem com o copo na mão, bebem no trabalho,pele manhã,quando estão tristes alegres, uma vergonha. Hipocrisia pura.

Envie seu Comentário