Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Lado a Lado: Constância desiste de matar o neto e o entrega para adoção

23 de outubro de 2012 20

Pra quem está horrorizado com a frieza de Constância (Patrícia Pillar), que planeja matar o próprio neto logo após o nascimento, podem respirar aliviados. A megera demonstrará que não é tão cruel quanto parece.

Após trocar o bebê de Isabel (Camila Pitanga) por uma criança morta, Constância perde a coragem de dar o bebê para a “tecedeira de anjos”. Segundo o Extra, ao segurar o menino no colo, a vilã se lembra do filho que perdeu muitos anos atrás e até dá nome ao neto: Elias.

Em seguida, ela pede a Berenice (Sheron Menezzes) que encontre alguém que possa cuidar da criança e a morena indica sua irmã, Zenaide (Ana Carbatti).

Constância exige que o bebê seja bem cuidado e se prontifica a bancar as despesas do menino. E por incrível que pareça, ela passa a visitar o neto com frequência e acaba se afeiçoando ao pequeno Elias.


>>> Agora o Noveleiros também tem um espaço no Facebook. Clique aqui, curta, compartilhe e comente.

Bookmark and Share

Comentários (20)

  • Apaixonada diz: 23 de outubro de 2012

    Isso já era certo. O interessante é essa história dela ter sofrido um aborto. Ainda não tinha falado nada sobre né??
    Minha curiosidade agora é: Elias vai nascer branco ou moreno?? Provavelmente a cara do Albertinho, para ela se afeiçoar né? Interessante também é que a criança vai ser criada próximo ao avô e a Tia Jurema. E ainda vai ter as roupas que seriam dele mesmo.

    A novela está se aproximando da tal passagem de tempo… ´por isso essa semana além desses acontecimentos inicia a separação de Edgar e Laura, a ida de Zé Maria para a Marinha e de Albertinho para o exército. Semana agitada em Lado a Lado.

    Gente continuo acreditando na possibilidade do Albertinho morrer em guerra, só para facilitar a vida do autor. Será???

    Hoje vendo o vídeo do dia que Albertinho tenta se explicar para Isabel e ainda arranca um beijo dela, fiquei pensando naquela correntinha que ela a presenteou. Será onde foi parar?? Será que essa correntinha vai para no pescoço do bebê vivo, como nos filmes de crianças afastadas dos pais???

    Vamo que vamo!!!

    obs: Amei Salve Jorge ontem ,vocês gostaram???

  • Rita Porto Alegre diz: 23 de outubro de 2012

    Bah, por essa eu não esperava…
    Com certeza, esse guri terá uma pele branca, não um caucasiano, mas creio que será bem mais claro que a Isabel, já que fará com que Constância lembre do filho que perdeu e também, ela o sustentará.
    Seria ótimo que a história se caminhasse para que o Alberto descobrisse essa atitude da mãe, se revoltasse e cortasse de vez, o cordão umbilical tardio que os une. Depois, ele iria lutar com todas as forças, para que Isabel o perdoasse, mostrando a ela, sua mudança de atitude. Teria uma grande ajuda da Laura é claro.
    O nascimento e posteriormente a descoberta que essa criança não morreu, serviria para transformação do pai biológico e quem sabe, uma união da família. Falo do casal Isabel x Alberto.Ah, como eu gostaria que fose assim! Me daria um grande prazer em ver esses dois atores maravilhosos fazendo essas interpretações. Rafael e Camila são ótimos encenando drama.

  • Anjo Colorado – Zé diz: 23 de outubro de 2012

    Já era de conhecimento público muita coisa, mas Constância se afeiçoar ao neto era uma novidade tão grande quanto descobrir que ela tivera um filho abortado.

    Tambem fico meio pasmo com Albertinho entrando por exército. Provavelmente um novo caráter será emoldurado durante esse tempo. Possivelmente se tornará mais responsável e maduro.

    Não creio que Albertinho morrerá tão cedo. Ele ainda tem função na novela. É um dos personagens principais. Pode ser que perto do final isto aconteça, não tão cedo assim.

    Sobre SAVE JORGE… Eu não assisti. Por enquanto vou acompanhar só LADO A LADO mesmo.

  • Anjo Colorado – Zé diz: 23 de outubro de 2012

    Rita, Agora que li o teu comentário. Camila e Rafael já fizeram umas interpretações juntos e foram muito boas nesta novela. Sempre gosto quando Isabel enfrenta Albertinho.

    todavia fiquei com pena dele quando abriu o coração pra irmã. Ele tem um juízo péssimo de si mesmo. Não se julga digno de uma paternidade e parece ter até vergonha da própria pessoa.

    Ele é um fraco, mas não mau.

    Eu torço muito para que ele mude, pois só beneficiaria a trama, mas até agora o rapaz não fez nada prático por Isabel.

    A sorte da mulata é que ao menos tem o emprego no teatro graças a intervenção de Zé Maria.

  • Rita Porto Alegre diz: 23 de outubro de 2012

    Esqueci de comentar a respeito da tua pergunta Apaixonada.
    Gostei do primeiro capitulo, mas acho que alguns personagens estão repetitivos, com a mesma função. como é o caso Da neusa Borges e Antonio Caloni. Parece que eu estava vendo o irmão do Said do clone.
    Cncordo contigo Anjo Colorado. O exército ajudará bastante o Alberto. A intenção do pai em mandá-lo para lá, terá esse objetivo, já que o mesmo só quer vida mansa e ficar à sombrada mãe. As forças armadas dará um jeito nele. Será um corte definitivo do cordão umbilical como já escrevi. Agora quanto o autor matá-lo, meu Deus que barbaridade. Nem cedo nem tarde. O mais coerente é que ele passe por mudanças é isso que queremos. A transição do menino-adulto, para adulto., sem intervenção da Constância, aliás bem longe dela. A música tema dele diz isso: “…ele não sabe ser melhor…”
    O Alberto precisa se descobrir ,assumir o que quer, o que sente, saber tomar suas próprias decisões. Desejo que no final, ele reconheça e assuma o filho com ou sem a Isabel. Seria ridículo o autor mata-lo, para deixar o caminho livre para Zé Maria. Que por sinal, está sem função. Já virou herói , mas e agora? Ele irá para as forças armadas e fará o que quando retornar? O que falta ao Zé Maria? Só o filho de outro, o impede, por hora, de voltar para a mulher que ama, mas ela o “perderá”, aí eles voltam? E quando se descobrir que o gurizinho está vivo, ele a abandona outra vez?
    Ah, noveleiros, o romance desses dois é tererê demais. E já vimos muito isso. O “mal” se regenerando e pagando por escolhas erradas é que interessa. Com o Alberto seria assim: pagaria sofrendo lá no exercito, longe da mamãe e seus mimos, com disciplina e regras. No retorno, com toda bagagem do aprendizado, iria lutar pelo perdão de quem prejudicou. E eu acrescento, que pelo amor também, por que não?
    Bah, escrevi demais e fui repetitiva. Mas velho é assim mesmo…desculpem…
    Abraços.

  • Rita Porto Alegre diz: 23 de outubro de 2012

    E cá estou eu, novamente…
    Anjo Colorado, vi agora teu comentário também…
    Camila e Rafael são ótimos atuando juntos. Mesmo não estando juntos como casal, as cenas de encontro desses dois, prendem a nossa atenção. Como casal então, ninguém resiste! Bah, só o autor não percebeu isso.
    Quando tu fala a respeito da auto-imagem do Alberto é correto. Ele mesmo confessou isso para Isabel na fase da conquista. Ele disse mais ou menos assim: “voCê me faz ver, que sou melhor do que realmente sou”. Dá uma olhada depois nos vídeos da novela.
    Não restam duvidas, que Isabel pode contribuir e muito para uma transformação na vida desse rapaz. No interior e exetrior também. Aliás, a mudança no interior estava ensaiando acontecer, porém dona Constância barrou abruptamente. Lembra da confissão dos sentimentos?
    Quanto ao não fazer por Isabel na prática, é o medo da reação da mãe o principal motivo, para essa atitude.
    Abraços para ti.

  • Apaixonada diz: 23 de outubro de 2012

    Anjo Colorado / Rita Boa tarde,

    Concordo com você, acho que Albertinho é peça fundamental nessa trama. Mas que é nítido a mudança de planos do autor em relação a Albertinho e Isabel, é. Na cena dele com Laura ele diz “tudo isso por uma noite”. Então para quê aquela insistência com Isabel? Porque ele enfrentou a mãe? Ele só desistiu quando a Isabel afirmou que amava o Zé e era com ele que ela queria ficar. A sensação que eu tenho, posso estar enganada, é que até o dia que ele humilhou a Isabel a pedido da mãe, já estava certo. O que venho depois… os comentários frios sobre ela, como se ela fosse só mais uma é contraditório. Para mim os planos era ele ficar escondido da mãe atrás da Isabel e ela não o perdoar. Mas como o casal caiu na graça do povo… Ele resolveu valorizar ao máximo a fraqueza do Albertinho.
    Por isso que eu brinquei em outro blog que só falta ele matar o Albertinho aí a Constância se arrependeria e iria atrás do neto fazendo todo mundo desconfiar. E o casal que foi feito para ficar juntos não teria esse empecilho.

    Mas o que eu quero mesmo e´que voltando do exército mais maduro, Albertinho desconfie e pelo menos descubra o seu filho e assuma ele de vez, mesmo não tendo a Isabel de volta que ela o perdoe.

    Sinceramente, pelo que leio de seus comentários, acho que você iria gostar de Salve Jorge. Tive a sensação que a história vai ser mais centralizada no Brasil, o outro país será só para investigação dos crimes. A mocinha é completamente imperfeita. Moradora do morro, ficou grávida aos 14 anos, deixa filho para ir dançar funk, barraqueira…
    Misturou fatos reais com os personagens da novela na pacificação do morro. Ficou perfeito.
    Amei. kkk Sei falar no Rodrigo Lombardi que é um show a parte. Recomendo.

  • Anjo Colorado – Zé diz: 23 de outubro de 2012

    Apaixonada, Rita… É sempre bom receber abraços e beijos de vcs mesmo que virtuais.

    Olha, pra mim o Zé Maria não perdeu função somente porque já virou herói. Ele ainda é o homem que ama Isabel e ela é a mulher que o ama. Há ainda muita história pra rolar.

    Os sentimentos entre Albertinho e Isabel até agora não são concretos. Ele se encantou pela beleza e personalidade da linda mulata enquanto ela se derretou toda por um rapaz que no fundo não existia. O janota se fez passar por alguem trabalhador, cheio de boas intenções, que até falava em casamento. Não era o caso.

    O romance entre eles é algo que tem potencial, mas a história deles foi iniciada pormentiras e, por enquanto, continuadas com remorsos, despeitos, humilhações e até raiva.

    Claro que Albertinho criou sentimentos por Isabel, mas é fácil qualquer homem se apaixonar por uma mulher bonita, inteligente, boa de caráter e guerreira.

    Estou torcendo para que haja um romance entre os dois para que aconteça um embate com Zé Maria pelo coração de Isabel, mas até o momento… Só temos um herói e um rapaz fraco que por motivos diferentes serão afastados da musa negra.

    Só tenho uma curiosidade…

    A marinha que Zé Maria pretende se alistar só pode ser a mercantil. Não tá me parecendo que seja marinha militar. De onde saiu essa informação que o capoeira será militarizado???

  • Isa Jay diz: 24 de outubro de 2012

    Oi, gente!
    O que vocês falaram foi maravihoso! Realmente, ficou visível que o autor fez uma mudança radical no Albertinho… no início ele demonstrava mesmo que estava apaixonado pela Isabel. Como o autor percebeu que o público estava gostando, que as coisas estavam saindo do controle (Isabel com Albertinho estava mais carismático que Isabel com Zé Maria) tentou reverter a situação… e está se complicando…
    Penso que a ida do Albertinho ao exército vai ser sensacional. Dessa vez ele vira homem, dessa vez vai, rs Como já percebemos, ele está longe de ser um vilão, é apenas um rapaz mimado e imaturo que precisa amadurecer. Achei a cena dele chorando linda (além dele ter admitido que foi um cafajeste com a Isabel, ele mostrou que sente-se incomodado com a falta de coragem diante da existência do próprio filho, e isso é bom, é um sinal de que ele tem noção da sua fraqueza e não se orgulha dela).
    Ainda torço pra que o autor mude de ideia e deixe Isabel com Albertinho. Os dois juntos com o filhinho deles iriam formar uma família linda. Estou na expectativa…

  • Clarissa diz: 24 de outubro de 2012

    Nossa, coitada da Isabel ela já sofreu tanto grávida, e agora mais essa. Quanto ao Albertinho dá vontade de dar uns tapas pra ver se cresce.

    Mudando um pouco de assunto – acho que tá ficando meio óbvio que o Fernando é filho da Diva né.

    E já estou com pena da Laura só de saber que a Catarina vai voltar =/

  • Apaixonada diz: 24 de outubro de 2012

    Clarissa a principio também pensei nisso, mas acho que ele deve ser filho de uma negra. Seria perfeito para quebrar esse preconceito bobo dele. Diva disse a Isabel que seu filho está em um colégio interno e como alguém lembrou tem um ator ( esqueci o nome), aquele que fez papel de gay em Tititi – perfeitamente diga-se de passagem – que ainda não apareceu na novela, que chega na segunda fase, deve ser o filho dela.

    Isa Jay Concordo, mas acho que o autor não vai deixar os dois juntos mais não. Se ele voltar amadurecido e for ele que descobrir sobre o filho eu já fico feliz.

    Anjo Colorado foi eu que falei militar kkk

    Abraço para todossss

  • Rita Porto Alegre diz: 24 de outubro de 2012

    Bom dia a todos.

    Apesar de todos os meus questionamentos a respeito da vida amorosa dos 3 personagens queridos, estou certa de que o autor de fato, quer o Zé com a Isabel. Mesmo com as contrariedades demonstradas aqui, ele vai seguir o seu roteiro. Uma pena…uma pena ele descaracterizar o Alberto assim, tão radicalmente…

    Anjo Colorado – Zé,
    que mais o Zé Maria tem a fazer? Se tornar um marinheiro revolucionário, que unido com Edgar e Guerra, lutará pelo bem estar da Republica, afastando os corruptos e inescrupulosos, ou pelo menos tentando. Contraindo inimigos ferrenhos e vingativos, sofrendo represárias e etc… tem algo novo nisso? Emocionante? Não.
    O outro par, aquele que gostaríamos de rever juntos, sim tem mais potencial, como tu fala, ainda que com todas as implicações.
    Agora não entendo, o que passa na mente desses autores/escritores. Eles criam uma história. Já tem traçado metas, objetivos, porém o público é atraido e se encanta por algo que tecnicamente não estava nos planos, mas não importa, o público é quem compra o produto, então por que não satisfazê-lo?

    Apaixonada,
    fui eu quem disse que talvez o filho da Diva seja o ator André Arteche, o gay da novela TiTiTi. Ele também é gaúcho como o Rafael e a Sheron.
    Por falar nisso, faço uma crítica aqui. Parece que na Rede Globo, o Brasil só se resume nos eixos Rio-São Paulo nas novelas das 9h. Acabou uma, centralizada num subúrbio carioca, começa outra, com um núcleo forte num morro do Rio. Só nos outros horários, é que de quando em vez, abrem uma excessão. Como em AVDG, que era ambientada no Sul, porém o que mais se ouvia na fala da maioria dos personagens era os sssssssss do carioca. Em toda a novela, nenhum personagem nem se quer bebeu o chimarrão, que é um costume.
    Quando diz que é no Nordeste, usa-se aquele sotaque chato e cansativo de se ouvir, caricato mesmo. Estive na Bahia, por conta da minha filha ter se mudado para lá, mas o sotaque deles não é como se mostra nas tramas. Pelo menos na capital não. Pronto falei.
    Abraços para todos.

  • Rita Porto Alegre diz: 24 de outubro de 2012

    Pessoal, perdoem meu tremendo erro de Português: escrevi EXCEÇÃO com SS.

  • Anjo Colorado – Zé diz: 24 de outubro de 2012

    Rita… Pode ser que o meu ponto-de-vista seja naturalmente mais masculino, mas um personagem audaz, corajoso, íntegro e que domínia um tipo de arte marcial tem muita função numa trama. Pra mim o que tu comentaste sobre “Se tornar um marinheiro revolucionário, que unido com Edgar e Guerra, lutará pelo bem estar da Republica, afastando os corruptos e inescrupulosos, ou pelo menos tentando. Contraindo inimigos ferrenhos e vingativos, sofrendo represárias e etc.” seria muito emocionante de assistir. No entanto não me referia a isto.

    Zé Maria ainda ama Isabel, mas seu orgulho até o impede que se reconcilie. Pra mim é interessante ver como pode mudar.

    Na cena em que Zé Maria tira satisfações com Albertinho de uma certa maneira o fez o ponto-de-vista de sua amada pela primeira vez. Tanto é assim que agora ele quer escrever uma carta de despedida.

    Vencer o orgulho pelo amor é algo difícil, especialmente naquela época. Depois terá que superar as diferenças sociais que existirão entre eles quando Isabel se tornar rica e famosa.

    Por enquanto Zé Maria mais protagosnista que Albertinho que tem potencial, mas até agora nada fez de prático.

    O autor não está descaracterizando o janota. Ele tem suas características bem definidas desde o começo da novela: mulherendo, boa-vida, irrresponsável e fraco. Nós é que queremos que ele seja descaracterizado: que se torne maduro, esforçado, responsável e forte. É claro que acreditamos que isto seja o melhor para a novela.

    No entanto mesmo que o Albertinho se transforme no personagem que desejamos que ele seja a minha torcida ainda seria pelo Zé Maria que já tem todas essas qualidades de um grande homem.

    Esse tipo de personagem que muitos querem em Albertinho já existe em Zé Maria.

    Sobre os sotaques realmente houve falhas em A VIDA DA GENTE. Todavia eu gosto do sotaque nordestino. A minha namorada é pernambucana e eu amo o jeito dela falar.

  • Apaixonada diz: 24 de outubro de 2012

    Rita, tenho uma admiração enorme por Andre Arteche mas o nome dele sempre me escapa kkk.

    Anjo Colorado, Sua namorada é pernambucana? E é noveleira também kkk

    Abraço amigossss

  • Rita Porto Alegre diz: 24 de outubro de 2012

    Anjo Colorado…

    A minha crítica foi sobre a Globo só exibir novelas das 9 ambientadas no eixo-Rio São Paulo, não dos sotaques. Me direcionei para a Bahia, pois é sempre de lá que falam quando fazem tramas com personagens do Nordeste e eles forçam demais é caricato. Olha Gabriela. Já estive em Salvador e lá, não ouvi nada parecido com o da tv. Se em outros estados se fala dessa maneira, não sei. Deixo claro, que nada tenho contra os nordestinos. Recentemente nasceu meu neto baiano, o Benjamin.

    Voltando a novela, eu gosto do Zé Maria. Ele é bom honesto e todos os bons adjetivos que mereça. Mas é um personagem de mesmice. Ele está pronto para qualquer mulher, mas com Isabel não forma um bom par. Naõ prende a nossa atenção, não há emoção, entende?

    O Alberto foi descaracterizado sim.Ele é tudo aquilo que tu mensionou, mas o trabalhar do seu caráter, das atitudes fariam muito bem, e é isso que queremos ver. Esse caso é mais complexo, abriria precedentes para outras questões polêmicas para a a época. Por exemplo um branco de desced~encia nobre, correr atrás de uma descendente de escravos. Vencer a si mesmo, a família e toda uma uma sociedade, para reconquistar uma mulher, agora sendo franco, assumindo os erros do passado. Vê que despertaria mais emoções para quem assiste?

    No caminho do Zé Maria, só o orgulho o afasta da Isabel. Algo na minha opinião simplório demais.
    abraços para ti.

  • livia diz: 24 de outubro de 2012

    nao adianta, gente, gosto do zé, mas quero isabel com albertinho, eles ficam muito melhor juntos. um casal lindo, com uma historia melhor e um filhinho a caminho. rs

  • Anjo Colorado – Zé diz: 25 de outubro de 2012

    Apaixonada… Minha namorada é noveleira, mas não gosta muito de opiniar em blogs ou comunidades. RSRSRS. E infelizmente não está mais assistindo novelas das 18:00 horas.

    Rita… Eu entendi. Se tu tivesse mesmo manisfestado preconceito, teria reclamado pra valer.

    Mas voltando ao assunto Zé Maria X Albertinho…

    Tanto o capoerista quanto o janota estão numa mesmice no momento.

    No capítulo do dia 24/10 mais uma vez Zé Maria enfrentou sozinho um grupo de homens violentos. Novamente ele confrontou o maldoso e poderoso Senador Bonifácio.

    E mais uma vez Albertinho demonstrava lamentar sua fraca personalidade e interessado mesmo apenas em futebol.

    Mas herói negro tem mais coisas além do orgulho pra superar. Pra começar ele é um mestre numa arte proibida e o engajamento na marinha se torna justamente uma forma de fuga e sobrevivência.

    Ele ainda há de ser perseguido muitas vezes por desafiar os poderosos coisa que para quem precisará futuramente lutar pelo amor de Isabel será um grande problema.

    Talvez Albertinho não se importe com nada disto se Isabel lhe der uma chance. Possivelmente não vai dar bola pros injustiçados, mas não é o caso do Zé Maria.

    Fazer o que é correto e ter um relacionamento amoroso nem sempre é alguma coisa simples.

    Como vai se manter a salvo e ter um namoro com Isabel e até algo mais?

    É difícil. Se não tivesse se envolvido no caso da vacina, não seria alvo da polícia e nem do Bonifácio. Mas o seu caratér heroico o impede deixar as injustiças passarem batidas.

    Zé Maria é o nosso “Zorro da Capoeira”, o “Robin Hood da Rasteira”. Eu pelo menos considero interessante a relação entre mocinho e herói.

    E Rita… Se tu admite que o Albertinho é tudo aquilo que eu disse não achas que está em contradição? Tu mesma disse que é preciso TRABALHAR no caráter e atitudes dele. Isto significa que caráter e atitudes não são o forte dele. Ele foi criado pelo autor pra ser um personagem mimado, irresponsável e fraco.

    Ora, pra ele ser o personagem que queremos, será necessário descaracterizá-lo. Ele terá ser um homem maduro, forte e seguro que até o momento nunca conseguiu ser.

    No dia 24/10 Isabel disse a Constância algo muito certo. Que ela não se deitou com Albertinho. Ela foi pra cama com um personagem que ele inventou.

    Ora, na prática quando uma mulher se deita com um homem que até aquele momento escondeu seu verdadeiro caráter e a sua real história de vida ela manterá relações com uma pessoa que não existe.

    Até agora Isabel não sabe o tipo de homem que é Albertinho exceto aquelas que ficaram bem obvias: é um homem fraco e que se diverte indo pra cama com moças bonitas nem que pra isto precise mentir. Desconhece realmente o homem com que se deitou.

    Mas ele tem chance. Zé Maria também escondeu segredos de Isabel e ela o perdoou.

    Mas uma coisa é certa. Zé Maria ainda usará sua coragem, esperteza e golpes de capoeira contra os malvados desta trama por ser um homem justo e bom. É um homem que é apaixonado pela mulher que o traiu, mas ainda assim a ama e se preocupa com ela.

    Alguem assim terá minha torcida pra ficar com a mocinha da história.

    Eu vou fazer o que faço sempre quando diante da tv ou do cinema: vou torcer pelo herói.

  • Rita Porto Alegre diz: 25 de outubro de 2012

    Anjo Colorado…

    A descaracterização do Alberto que me referir, foi sobre os sentimentos em relação a Isabel. Pois ficou claro para todos, que ele gostaria de assumí-la, não foi só um divertimento.

    Alberto e Zé Maria, são de mundos totalmente diferentes. O primeiro só terá que lutar por ele e pelo amor, tendo o preconceito e a rejeição como cenário de fundo. Já o segundo, pela história de sofrimento do seu povo, tem ideais, desejo de justiça e luta pela sua própria sobrevivência como tu mensionou.

    A grande questão é que o Alberto queria bricar de casinha, sem pensar que teria que arcar com as consequências desse ato. Como é um fraco, medroso e mimado, foi facilmente dissuadido e influênciado pela mãe.Eu queria assistir o personagem crescer. Queria ver o passo a passo da transição do Alberto de menino para homem tardiamente.
    Quando isso acontecesse, desejaria vê-lo lutando pelo amor.

    Ele confessou a Isabel as suas intenções no início, mas também abriu o coração ao falar que se apaixonou, quando ela descobriu a verdade. Se não houvesse a descaracterização, com certeza a paixão, a admiração pela mulata, ainda estariam dentro dele.

    Anjo Colorado, como mulher, gosto de ver paixões arrebatadoras, intensas. O amor se fortalecendo a cada dia, um conhecendo o outro. Para mim, quem tem grande potencial para isso é Alberto e Isabel.
    Abraços para ti.

  • Yara Avilena diz: 27 de outubro de 2012

    Rita

    Concordo com tudo o que você falou. E assino em baixo. Ficou ótimo! É assim também que penso. Por isso, ainda insisto num romance entre Isabel e Albertinho. Seria muito melhor!

Envie seu Comentário