Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Belas paisagens e muito romance marcam a estreia de Flor do Caribe

11 de março de 2013 14

A trama de Walther Negrão se passa na fictícia cidade de Vila dos Ventos, no Rio Grande do Norte. As belas paisagens foram o grande destaque da estreia, ponto para o diretor Jayme Monjardim, que escolheu a dedo cada cenário.

O primeiro capítulo remonta ao passado, mais precisamente ao ano de 1944, na Holanda. Um menino vê os pais sendo levados para um campo de concentração. De volta ao presente, ou melhor, a 2006, no Nordeste do Brasil, Samuel (Juca de Oliveira) se lembra dos horrores que viveu durante a Segunda Guerra. O barulho de aviões faz o velho holandês reviver seus traumas de infância.

Samuel é pai da bela Ester (Grazi Massafera), a mocinha da história. Enquanto ela aguarda ansiosa pela volta do namorado, no ar, Cassiano (Henri Castelli) pilota um caça e sonha em reencontrar a amada.

No núcleo milionário e sem caráter, conhecemos o playboy Alberto (Igor Rickli). Logo nas primeiras cenas, ele deixa claro que só quer saber de se divertir e esbanjar o  dinheiro da família. Porém, Dionísio (Sérgio Mamberti) tem outros planos para o futuro do neto. Prestes a se aposentar, o ricaço deixa bem claro que Alberto terá que assumir os negócios, mas o rapaz não quer saber de trabalhar e garante que “veio ao mundo a passeio”.

O novato Igor Rickli não fez feio em sua estreia na telinha. Com um olhar marcante e o cinismo característicos de um bom (ou mau) vilão, ele deixou transparecer toda a inveja que sente pelo amigo Cassiano e a paixão doentia por Ester.

Grazi Massafera e Henri Castelli já mostraram uma boa química em cena. O casal tem tudo para conquistar a torcida do público e proporcionar momentos de pura paixão na telinha.

Logo foi possível perceber o clima de tensão entre Alberto e Ester, mesmo que os dois tenham tentado disfarçar. Um flashback mostrou que anos antes, no dia da formatura de Cassiano, o playboy se declarou à moça e pediu que ela ficasse com ele. A guia turística mandou que ele esquecesse o assunto, já que seu grande amor sempre foi Cassiano. Além do mais, ela não queria estragar a amizade do trio, que se conhece desde a infância.

Após o reencontro com Ester, Alberto toma uma importante decisão: ele comunica ao avô que resolveu assumir os negócios da família. Ao fixar residência em Vila dos Ventos, o pilantra ficará mais perto de sua grande paixão e poderá fazer de tudo para conquistá-la.

No final do capítulo, a família Albuquerque dá uma festa para comemorar a decisão de Alberto de assumir os negócios. O rapaz aproveita o brinde para anunciar o noivado de seus amigos, Ester e Cassiano, para a surpresa de todos, inclusive do casal. O vilão dá o anel que foi de sua avó para Cassiano colocar no dedo de Ester e consolidar o compromisso. Furioso, Dionísio repreende o neto por ter se desfeito da joia, mas Alberto anuncia que logo o anel voltará para a família, já que em breve a noiva será sua.

Foi assim, com um sorriso sarcástico nos lábios, que Alberto deixou no ar a promessa de que promete atormentar bastante a vida do casal protagonista.

Sem grandes destaques, mas com uma história convincente, Flor do Caribe já mostrou que veio para trazer frescor para os finais de tarde. O único ponto negativo é a quantidade de atores provenientes de Avenida Brasil, novela que saiu do ar há tão pouco tempo e continua viva na memória do público. É impossível olhar para Juca de Oliveira e não lembrar de Santiago, ver Débora Nascimento em cena e não ligá-la a Tessália. Até mesmo José Loreto, que na novela das seis vive o apatetado Candinho, ainda é o Darkson para boa parte dos telespectadores.

Fora isso, Flor do Caribe traz uma história interessante e boa de acompanhar. Sem as aulas de história de Lado a Lado, mas com um cenário paradisíaco e personagens marcantes.

E vocês, gostaram da estreia de Flor do Caribe?

Bookmark and Share

Comentários (14)

  • Dá diz: 11 de março de 2013

    Nossa, ameei . =D
    todos perfeiitos. !

  • Carlos diz: 11 de março de 2013

    Não iria assistir mas acabei assistindo e gostei fiquei impressionado com a atuação do rapaz que faz o vilão também gostei de algumas mensagens e comparações que a novela fez como os absurdos que acontecem ainda hoje em algumas empresas e a época do campo de concentração. Li os resumos da novela acabei achando parecido com o conde de monte cristo, alguém sabe se foi baseado nele?. É uma novela que vai exigir mais do núcleo masculino pelo jeito não sei se o henri vai aguentar porém gostei da história e achei o vilão o melhor da novela.

  • Carlos diz: 11 de março de 2013

    poedriam ter colocado atores melhores na novela principalmente os protagonistas

  • luiza ramos diz: 11 de março de 2013

    Não gostei…um saco essas novelas d praia
    sempre a mesma coisa
    só beijação se comendo se chupando começou mau
    eca
    cade a história?

  • Fê diz: 12 de março de 2013

    Para que aulas de história, se o povo brasileiro sabe tudo sobre seu passado e seu País, e tem uma memória histórica maravilhosa…..comentário infeliz….para quem curte a alienação das novelas…parabéns

  • Jack diz: 12 de março de 2013

    Como Lado a Lado foi maravilhosa, acredito q a sua subistituta deveria ser de epoca…..Flor do caribe é mais uma novela previsivel como guerra dos sexos e salve jorge…..ou seja no momento a globo esta com pessimas novelas!!!!!!!!!!

  • mario diz: 12 de março de 2013

    A fotografia é linda, mas o elenco principal parece ser fraco, ainda mais para sustentar
    uma novela por meses a fio. E a história parece ser pouco atraente, meio batida.

  • Núbia Santos diz: 12 de março de 2013

    Gostei da novela,é uma novela leve, veio trazer um pouco de frescor ao horário.

  • Marcia diz: 12 de março de 2013

    Parece realmente baseada no Conde De Montecristo, mas se for ao menos parecida com a novela Montecristo feita na Argentina, será muito boa.

  • Leca diz: 12 de março de 2013

    Acredito que lembra sim, o Conde de Monte Cristo, a primeira vista as semelhanças entre a obra de Dante e a novela foram grandes, com algumas liberdades…rs Há também o holocausto, que trará informções sobre história, julgamentos dos crimes de guerra, esse anel me lembrou alguns filmes entre eles “O plano perfeito”…só menção a jóia e aos crimes de guerra. “Alberto”, no filme ele era filho de Dante, e no livro filho de Mondego.

  • josé anderson diz: 13 de março de 2013

    Eu gostei da novela e achei maravilhosa.Hipocresia desse povo ficar criticando grazi ,pois ela tá fazendo o seu trabalho e ainda dizer “que a historia é a mesma coisa e bla bla bla” .O importante e que pra mim é uma historia diferente e que é ambientado nas lugares nordestinos como o rio grande do norte bem diferentes das outras em que são ambientadas em lugares cariocas e paulistas isso que é mesma historia.A abertura é linda e leve e na voz da querida maria gadú. As trilhas sonoras ficaram lindas pelo menos não cometeu erros que a anteçedora cometeu ao colocar hip hop como trilha sonora e ainda por cima de uma novela de epoca a parte que eu gostei foi do samba , mas deveria colocado mais. Walther negrão está de parabens por fazer uma linda historia e pro jayme monjarjim por ter escolhido esse lindo cenario

  • Raquel diz: 15 de março de 2013

    Eu desde o 2º xaítulo achei parecida com o conde de monte cristo, pesquisei e vi com eu tem muita gente que já acha,é ruim porque nós já sabemos até o final….rsrsrssssss

  • CESAR Q diz: 15 de março de 2013

    Mas é óbvio que a novela é uma adaptação do romance de Alexandre dumas, “o Conde de Monte Cristo “: O amigo de infância rico gosta da Noiva do amigo pobre, noiva essa que os dois a conheceram na infância, o rico arma para o pobre ir para uma cadeia, lá ficando anos, o rico casa com a mocinha grávida do pobre, na prisão o pobre conhece um mentor que ao morrer o deixa muito rico, ele foge, e começa seu plano de vingança.

  • IRACEMA ALVES DA COSTA LIMA diz: 20 de março de 2013

    É UMA REINVENÇÃO DA TRAMA O CONDE DE MONTE CRISTO.

Envie seu Comentário