Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Polêmica em Amor à Vida: Autista Linda terá um romance com Rafael

29 de setembro de 2013 64

Divulgação, TV Globo

Em Amor à Vida, Walcyr Carrasco tentou abordar o autismo através da personagem Linda (Bruna Linzmeyer). É uma pena que a história ficou um pouco perdida em meio a tantas outras confusões da novela…

Mas Linda ganhará mais destaque nos próximos capítulos, segundo o Extra. A jovem terá um envolvimento amoroso com o advogado Rafael (Rainer Cadete).

Estreante no horário nobre, Rainer conta como será essa história de amor:

- As pessoas estão cobrando um amor para Rafael e para Linda, e eles vão viver uma coisa pura. Os dois estão criando um vínculo maior, mais do que amizade.

Por mais interessante que possa parecer, acho que Walcyr terá que tomar muito cuidado nessa abordagem. Afinal, Linda começou o tratamento tardiamente, até pouco tempo atrás não fazia nada sem a ajuda da mãe, mal se comunica com as pessoas, daí a mostrar um romance parece um salto muito grande. Não seria melhor mostrar primeiro uma evolução maior no dia a dia da jovem, antes de partir para um namoro?

Dê sua opinião! Vocês acham que é possível que Linda possa se apaixonar por Rafael?

Bookmark and Share

Comentários (64)

  • cu diz: 29 de setembro de 2013

    Claro que é valido. Só pq a menina é autista ela nao pode ter uma vida amorosa normal?

  • Vanessa diz: 29 de setembro de 2013

    Olá… você que talvez nunca trabalhou numa APAE, nao sabe nem realmente o significado de AUTISTA… com certeza que essas pessoas poderão ter uma vida amorosa…. são pessoas normais, e mais inteligente que você pelo jeito!!!

  • Tiago diz: 29 de setembro de 2013

    Sua preconceituosa… Autistas não pode se relacionar com ninguém??

    Se informe mais sobre a doença antes de “falar” besteira.

  • João Paulo diz: 29 de setembro de 2013

    Infelizmente, soou um pouco preconceituoso esse comentário do Blog no fim do artigo. Por que uma pessoa autista não pode ter um relacionamento amoroso? Ela tem sentimentos como qualquer outra. Recentemente o programa Fantástico mostrou uma matéria muito interessante sobre o autismo com pessoas autistas casando com pessoas “não-autistas”, tendo uma vida extremamente tranquila, feliz e com filhos. Acho correto o autor da novela mostrar que isso é possível, sim, para não termos esse tipo de pensamento preconceituoso.

  • Carol diz: 29 de setembro de 2013

    Acho que o Manoel Carlos seria um autor mais apropriado para tratar essa relação.

  • Clau diz: 29 de setembro de 2013

    Eu pensei que o psicólogo é que se encantaria por ela. Mas este advogado está ótimo também. Morro de rir quando Félix o trata como criança. E não vejo mal algum uma autista vir a se apaixonar. Nunca soube de uma ou de algum caso e nem em filmes ou novelas. Mas poderia ser uma abordagem bem interessante…. Claro que o casal vai passar por muitos preconceitos, mas acho interessante. Aliás seria uma boa oportunidade para WC fazer com que essa atriz desenvolve melhor seu papel. Já ando cheia de ver Tatá Werneck todas as noites repetindo os mesmos erros. Já é tempo de Valdirene tomar vergonha na cara.

  • Rosana diz: 29 de setembro de 2013

    Você tá partindo do pressuposto de que um autista é alguém que não merece (não pode pq, tipo não amam?) um vida amorosa? Sei que os preconceitos em relação às inúmeras deficiências são enormes, mas é um pressuposto estranho, concorda?

    O terreno de todas as deficiências é mto complicado, mas o terreno de tudo que é mental é muito mais, pq a gente tende a se fechar, a se proteger, desse tipo de distúrbio. Por isso, acho muito válido tratar disso numa novela, principalmente pq isso acontece aos baldes por ai. Por uma pretensa proteção, muitas famílias enclausuram seus “deficientes” sem lhes dar oportunidade de relacionamentos verdadeiros, que dirá amorosos.

    É um caminho espinhoso, mexe com ideias preconcebidas, mas é de uma humanidade incrível.

  • miriam soalheiro s ferreira diz: 29 de setembro de 2013

    Acho maravilhoso ele se apaixonar por ela, dar à ela carinho, companheirismo, amor!!!
    Como podemos pensar em inclusão, se não for em todos os pontos?
    Apoio e parabenizo a ideia.
    Abraços.

  • camila diz: 29 de setembro de 2013

    acho q as pessoas ao inves de julgar deveriam procurar conhecer e ver q autismo nao impede ninguem de fazer nada ,namorar,trabalhar..acho muito legal ‘um romance pra linda” so´q apostei no psicologo,kk..mas rafael esta valendo!!kkk..

  • Fernando Yanmar Narciso diz: 29 de setembro de 2013

    a atitude é louvável sim, mas vindo a ideia de quem ela tá vindo, é quase certo q vai ser um romance rocambolesco dakeles

  • Stefani diz: 29 de setembro de 2013

    “Afinal, até que ponto uma jovem autista pode ter um relacionamento amoroso? Será que é válido mostrar isso na novela?”

    Minha nossa, quanta ignorância!!

  • Carol diz: 30 de setembro de 2013

    Nessa novela já tem muito preconceito…e isso é um blog, não um lugar de coisas certas e científicas!
    Eu acho que a Linda é uma autista “muito autista”, não me entendam mal, é que os pais dela nunca fizeram um tratamento e sempre tentaram colocá-la numa redoma de vidro. Aquela mãe dela ao invés de ajudar tá sempre crititcando o médico e as evoluções da filha. Quem eu vejo que tento ajudar é o irmãe e agora a Perséfone. Quem sabe um amor faça com ela evolua ainda mais!

  • Camila Costa diz: 30 de setembro de 2013

    Não conheço nada sobre o assunto, mas concordo com a Michele. A personagem até pouquíssimo tempo fazia xixi na cama. Primeiro deveria ter mostrado, focado mais na sua evolução, superação. Precisamos sim conhecer mais sobre o assunto. Daí o WC esconde o personagem por vários capítulos, depois já vem com uma relação??!! Concordo com o outro comentário: já encheu o saco a Valdirene com aquelas bobagens todas!!

  • Mariana diz: 30 de setembro de 2013

    Acho q se o WC mostrar o romance dela de uma forma pura, vai fazer parte da evolução dela. A cena do Rafael tirando a Linda para dançar foi bem tocante, e mostrou isso. Agora, se do nada começar um romance com beijos, abraços demais vai ser forçado, pq como falou a Carol e a Camila, a história da personagem é de que a mãe superprotetora não deixou que ela desenvolvesse seus talentos. Michele, acho válido você fazer um update no teu post para esclarecer o q vc quis dizer pq soou, sim, preconceituoso. E quando a gente lida com a escrita, e não com a fala, tem que ter cuidado com a forma como escreve para ver se o outro não a recebe de forma diversa.

  • Soní diz: 30 de setembro de 2013

    Que ótimo Michele que tens te mostrado uma pessoa acessível e modesta, em teus comentários, assim nos sentimos mais próximas e com maior liberdade para opinar sem receio de errar. Somos, na grande maioria, leigos no assunto. Li a respeito e sei que há diversos tipos (ou graus) de autismo inclusive e que o caso da Linda é apenas um deles. Torço para que o autor nos ajude a entende melhor esse tipo de problema.

  • Ana diz: 30 de setembro de 2013

    O problema é que a Linda tem um grau de autismo que não é leve. Ela pode inclusive ser considerada incapaz, pela lei brasileira. Portanto, se o advogado avançar um pouco mais com ela, pode ser considerado estupro. E romance é romance, amizade e afeto é amizade e afeto. Romance sem sexo não é romance.

  • Mária diz: 30 de setembro de 2013

    No caso da Linda, que é autista clássica, e está ainda em tratamento, acho impossível esse salto de fases. Acho que o autor está trabalhando de forma errada a tentativa de vencer o preconceito. Não é assim que se oferece um ganho para o autista e sim, no investimento em suas capacidades, tudo a seu tempo. Tenho certeza que muitos pais de autistas verão com maus olhos esse envolvimento, pois trata-se de uma menina ainda, no sentido emocional. É preciso que se saiba que existem diversos graus de autismo e quando se fala em Asperger, autismo leve, é muito mais fácil se tornar independente em todos os sentidos. Já o autista clássico precisa ser bem mais trabalhado. Autistas podem ter envolvimento amoroso? Sim, claro. Mas a novela precisa ser mais realista.

  • Cristina diz: 30 de setembro de 2013

    Nossa, pessoal, calma! O que a Michele disse é para o autor ter cautela! Também não acho impossível um autista se relacionar, acho perfeitamente possível, porém ele tem que estar com a síndrome perfeitamente no controle. Acho que a situação seria a mesma se a pessoa tivesse transtorno bipolar ou qualquer outro transtorno mental. Ora, é perfeitamente louvável que essas pessoas estejam com seus problemas perfeitamente controlados. Acho que a novela só não pode retratar como se um problema desses fosse algo fácil. O meu maior medo é que o autor deixe tudo romanceado e fora da realidade. É preciso ter cuidado ao retratar um tema desses. Só uma observação: eu estudei o autismo e já tive contato com pessoas com deficiência. Aliás, estou me preparando para me tornar uma profissional na área de educação especial. Eu respeito sim, e muito, as pessoas com deficiência ou transtorno mental e acho elas perfeitamente capazes como qualquer um de nós.

  • Thaya diz: 30 de setembro de 2013

    Bom eu concordo com o que todos falaram acima…
    Mas, Para as pessoas que assistem entender bem o que é essa doença, o WC deveria mostrar a evolução do caso como fez na janta com a Persefone e com o Daniel, que ele disse que ela nunca soube comer macarrão e vendo a Persefone comer ela fez igual, isso é uma evolução.
    Deveria mostrar mais o desenvolvimento da personagem, ela se vestir sozinha, sentir quando necessita ir ao banheiro, e principalmente ter o apoio da familia, no caso a familia aceitar que ela pode viver normal, que isso não ocorre agora.

  • ana dalila diz: 30 de setembro de 2013

    Ma ela nem fala direito com as pessoas como podem colocar logo um namorado para ela pois um relacionamento não depende só de beijos e abraços mas também de comunicação entre os dois primeiro façam ela desenvolver a falar melhor.

  • Edinaldo diz: 30 de setembro de 2013

    Desculpem-me, por favor, a franqueza. Mas não vejo motivo para criticar o autor se tal relacionamento amoroso da Linda nem aconteceu. E não se esqueçam que a evolução dela não aconteceu rapidamente, foram nove meses que se passaram. Acredito sim que está na hora de um relacionamento, pois ela está se familiarizando e ficando independente. Parabenizo o Walcyr por tratar de um tema sério e ao mesmo tempo meio desconhecido com tamanha naturalidade. e só mais uma coisa, vamos esperar a estória acontecer para criticarmos?

  • Denise diz: 1 de outubro de 2013

    Também sou leiga no assunto, mas o que vejo na novela o problema maior não é a Linda e sim os pais dela. Ela tem apoio médico, apoio do irmão e muita vontade própria. O que na minha opinião é mostrado na novela (não tão claramente) como estes fatores a ajudaram a evoluir e muito. Quem mais precisa de tratamento na verdade são os pais, que chega a dar raiva de vê-los limitar tanto a garota.
    Acho que o romance será interessante e o autor irá precisar de muitos dedos para tocar neste assunto.
    É uma história muito importante que vale a pena o autor correr o risco de errar.
    Um abraço.

  • Soní diz: 1 de outubro de 2013

    Denise, concordo contigo. Os pais dela deveriam ser mais preparados para lidar com o problema da filha. Ainda bem que o irmão Daniel a entende melhor e a ajuda bastante, alem do tratamento que ela faz . Percebo que muitas pessoas estão se interessando pelo assunto e na expectativa de como o autor vai conduzir esse personagem. Esperamos que ele esteja bem assessorado através de profissionais da área e assim nos esclareça muito sobre, já que ele resolveu levantar o tema em sua trama.

  • Paloma diz: 1 de outubro de 2013

    Acho super valido mais eu gostaria que a Linda ficase com o outro carinha o psicologo dela

  • Clau diz: 2 de outubro de 2013

    MICHELE, acho que foste bem clara em tuas colocações e não há motivo algum para virem agredindo e te chamando de preconceituosa. Deu pra entender perfeitamente o que quiseste saber, sobre nossa opinião. É que ultimamente as pessoas andam tão estressadas que escolhem blogs para colocar pra fora suas neuras. Absurdo isso! Mas entendo o que quiseste dizer. E concordo contigo no sentido em que WC não está abordando o assunto AUTISMO. O que temos sobre isso na novela? Nada! Só vez por outra Linda aparece, fala uma coisa ou outra, faz um gesto ou outro e só. Imagino o tempo de laboratório que a atriz se preparou para um personagem que fica apagado durante capítulos. E tanta coisa boa poderia ser mostrada.

    Já como DENISE comentou, WC deveria mostrar mais o preconceito dos PAIS de Linda pois esses sim, têm preconceito. Olha o capítulo de ontem? eles esperando o filho pra criticá-lo por este ter uma namorada gordinha! O que foi aquilo????? A mãe, Neide, sendo rude com Perséfone pois esta querendo ser gentil, estimulava Linda e a “sogra” de cara amarrada. Então o preconceito é sim dos PAIS de Linda. E isso sim deveria ser mais explorado. E parar de uma vez por todas com o comportamento IMORAL de Valdirene e Márcia. Sempre atrás de marido rico, a Valdirene com criança de colo e saindo com os caras para levá-la a restaurantes e ela comer feito uma égua faminta. Pegando comida dos pratos alheios inclusive… QUE NOJO!!! Chega desta palhaçada e que Linda apareça mais na novela pra ajudar a quem este problema na família.

  • kelly diz: 3 de outubro de 2013

    Concordo com a MICHELE, foi bem clara em suas colocações. Não é preconceito, mas Linda começou o tratamento tardio p/ já começar a namorar, ela começou a experimentar as coisas da vida agora, como uma criança de 1 ano, e parece uma criança de 1 ano até na comunicação. O autor deveria antes, acelerar a melhora da linda, p só depois ela ter um namorado, a não ser q começasse a namorar o psicologo dela q/ acompanhou o tratamento desde o início. Até achei q/ era c/ ele q/ Linda ia ficar, acho muito artificial uma pessoa q acabou de conhece-la, iniciar um relacionamento c/ ela.

  • kelly diz: 3 de outubro de 2013

    depois q postei o comentário, é q li os outros comentários sobre Linda e o psicologo. Acho até q/ ia dar romance entre os dois, mas talvez tenha causado polêmica no núcleo por causa da ética profissional, realmente seria anti-ético os 2 ficarem juntos, embora pouca s coisas sejam éticas nessa novela rsss) e por isso o autor colocou o advogado p namorar c ela.

  • Mária diz: 3 de outubro de 2013

    Não sei por que, há alguns comentários sobre o preconceito com os autistas, só porque discordamos da forma como a história foi conduzida. Então, queria esclarecer que acompanho muitos casos de autismo e meu filho é Asperger, ou seja, tem um grau leve de autismo. Para o meu filho, que é entrosado, articulado, não haveria dificuldade tão grande (embora elas existam) de ser relacionar com alguém. No caso da Linda, que mal fala, mal arrumava uma cama ou usava o banheiro, ou seja, autista clássica – e mal dirigida pela família – o namoro é surreal. Não tem nada de preconceito em enxergar isso. A novela deve ensinar como um autista deve ser inserido na sociedade por uma EQUIPE de profissionaiscom a ajuda da FAMÍLIA. Querer que um homem feito como aquele advogado se envolva com essa menina é pintar um mundo cor de rosa. Pode até sugerir que outras adolescentes autistas tenham a mesma história e a família ache normal. A menos que ela fosse uma Asperger , fato que Linda não é, segundo declaração do autor.

  • kelly diz: 4 de outubro de 2013

    é exatamente o q eu acho Maria

  • Debora diz: 4 de outubro de 2013

    Bem eu conheço um casal com uma menina autista e o caso dela é dos piores ela jamais poderia casar, ela não fala, não come sozinha, ela não sabe ir no banheiro, ela tem a pior grau da doença, mas existem casos mais leves em que um autista consegue ter uma vida normal e são muito inteligentes. Não vejo o mal dele fazer um romance para a evolução dela. No Brasil há muito preconceito ainda em pleno século 21, a nível de evolução a Europa supera e muito. Até as novelas Brasileiras não parecem evoluir, é uma pena, a novela não é mà, mas o ator deu importância a coisas fúteis sem conteúdo, como a Valdirene que não tem piada nenhuma, as cenas Michel e Patrícia sexo a toda hora, enfim, tem personagens mais interessantes que essas e ele deu destaque logo às mais podres, a da Perséfone està virando uma historia linda, o autor devia se focar mais nisso e deixar as outras só para divertimento de minutos e não praticamente a novela quase toda que depois farta né?

  • priscila diz: 6 de outubro de 2013

    Meu filho é autista, faz tratamento desde os 3 anos e o autismo dele é mais severo que o da personagem linda, ele não fala mas se expressa perfeitamente também acho que o manoel carlos teria abordado o tema do autismo melhor, a linda não tem muito espaço na trama, infelizmente está novela se tornou uma palhaçada onde assuntos ridículos ganham espaço enquanto que um dos assuntos mais importantes da novela e para mim é o mais importante eu só comecei a ver essa novela pelo fato de ter uma personagem autista senão não teria começado a assistir, é uma pena que até agora não tenha tido um destaque maior a própria novela parece cheia de dedos para tratar do autismo eles não dão mais espaço por puro preconceito a bruna linzmeyer está fazendo o papel maravilhosamente bem o problema é o tal do walcir carrasco ele não entende nada sobre autismo.

  • Mária diz: 7 de outubro de 2013

    Era um depoimento assim como o da Priscila que estava faltando, a mãe de um autista clássico dando seu parecer. Eu me decepcionei com a falta de profundidade ao abordar o tema. E concordo, tem assuntos demais na novela, e ele dá mais atenção a coisas irrelevantes.

  • Eric Barbosa diz: 10 de outubro de 2013

    Michele como sempre detonando nos comentário, Faloo tudo que eu penso e acho.
    eee pra muitos ai que acha que você é preconceituosa, Primeiramente não souberam entender oque quis dizer, e como a estupidez fala mais alto vem logo criticando , sem ao menos entender a real informação que quis passar..
    Ta de parabéns pela sua educação, paciência e por todos seus comentários. Acho valido tudo que disse e penso assim como você.. ^^

  • lara rubiane inez diz: 12 de outubro de 2013

    LINDA , DEVE SE APAIXONAR E RAFAEL DEVERA SER A PORTA PARA O FUTURO DA LINDA, POIS SE LINDA FICAR SOB AS ASAS DA MÃE ELA SERA SEMPRE SÓ MAIS UMA AUTISTA. LINDA NO PRECISA NAMORAR E SIM CONVIVER PARA NO FUTURO POSSO SE CASAR COM RAFAEL.

  • Fabrício Rayner diz: 12 de outubro de 2013

    Achei bonito o tema, o começo da evolução da personagem…. Fiquei um pouco desconcertado porem encantado com o aproximação do casal. Ja tem varios sites fazendo pesquisas sobre a relação dos dois, e porcentagem de pessoas que acham forçado a relação é pouco maior. Que isso não induza a Globo a promover o afastamento afetivo de linda.
    Espero que os dois namorem, sejam felizes.

    PS: Não gosto de novela, por sorte vi uma cena da linda e comecei a me interessar.
    Muito bem escrita a historia.

  • Carmen Ferreira diz: 18 de outubro de 2013

    Tenho uma filha de 29 anos que é autista atípica. Jamais terá condições de se relacionar com alguém, ela é como uma criança. Existem vários graus de autismo. O da Linda é muito severo para que se vá adiante com um romance. Fica até estranho para nós que conhecemos o autismo a fundo imaginar isso acontecendo na realidade. Não se trata de preconceito, cada um sabe o grau do autismo do seus filhos e sabe quem conseguiria ou não ter um relacionamento, no meu caso minha filha é como uma menina de seis anos, não dá nem mesmo para imaginar isso acontecendo com ela. Todos nós que temos filhos autistas desejamos que eles fossem independentes e tivessem a capacidade de se cuidar sozinhos, ir e vir sozinhos e tivessem a alegria de ter um grande amor, para alguns com autismo mais leve até pode acontecer, mas não com a grande maioria infelizmente.
    Minha filha faz tratamento a muito tempo e não teve nenhuma evolução, a evolução deles é muito lenta, achei bem estranha a evolução da Linda.
    Não vi nada de preconceituoso na matéria aqui do blog, muito pelo contrário!

  • Gisely diz: 19 de outubro de 2013

    Concordo com a autora da postagem sobre considerar complicado a relação amorosa dos dois personagens. Sou educadora e já trabalhei com muitas crianças portadoras de diversas síndromes, inclusive o autismo em variados graus. Acho interessante e importante o autor abordar o tema do autismo, pois muitos pais e educadores não sabem como lidar com os portadores da síndrome. No caso da personagem Linda ela aparenta ter um grau moderado do autismo e a falta de estímulos da família e um atendimento especializado tardio dificulta bastante que ela venha a ter uma relação no nível que a novela quer mostrar. Seria muito mais interessante mostrar e evolução da personagem, suas conquistas, as possibilidades de desenvolvimento e a participação da família neste processo assim como a escola. Gostaria de ver a Linda entrando em uma universidade do que simplesmente namorando. Pelo meu conhecimento e experiência na área acho que esta alternativa pra personagem é mais real. Conheci um autista de grau moderado que se formou na universidade federal em um curso de exatas, porém nunca se relacionou amorosamente, além do amor em família e amigos.

  • Débora diz: 19 de outubro de 2013

    Olá a todos. Gostaria de dar minha opinião como profissional em educação e trabalho com inclusão. Tenho este ano três alunos autistas, um menino e duas meninas. O menino tem autismo severo e as meninas o autismo leve (síndrome de asperg) e é bem delicado o trabalho com eles. As meninas assimilam as coisas rápidos, mas uma inocência acima do normal para a idade. Para eles não existe o abstrato, é tudo concreto. O que vc fala, eles levam ao pé da letra. Eles demonstram muito afeto e segurança pela pessoa que cuida deles. As meninas poderão levar uma vida, se praticamente normal. Se comunicam oralmente de forma clara. Já o menino com o autismo severo, não se comunica oralmente, defeca na roupa, se auto mutila, grita, se bate, morde, roda em torno de si mesmo, agride quando está nervoso e os pais o levaram desde pequeno para acompanhamento, mas o autismo dele está num estágio severo. Ou seja ele irá necessitar de alguém para cuidar dele, não poderá se relacionar. de forma amorosa. As meninas uma tem 17 e a outra tem 18. O menino tem 20 anos, e acreditem é muito difícil segurá-lo quando ele está nervoso, ele já agrediu a mãe, e fugiu para a rua, três homens (parentes dele) tiveram que segurá-lo. Hoje ele está mais calmo, mas toma remédios fortes para acalmá-lo. Estou trabalhando com ele, mas preciso sempre da presença do pai ou do irmão mais velho, caso ele tenha uma crise mais forte. No caso de Linda ela não parece ter o autismo severo, é a síndrome de asperg cujo os pais não trabalharam desde que descobriram, então pelas minhas experiências Linda poderá ter uma vida normal e a evolução dela será positiva. Espero ter contribuído. Obrigada.

  • Carol diz: 23 de outubro de 2013

    Ao meu ver, Linda tem dificuldade de linguagem, ou seja ,na maneira com que se relaciona e interpreta o mundo ao seu redor. Em um relacionamento serio devemos garantir condicoes de se colocar, verbalizar sentimentos bons e ruins, alem de estrutura emocional para lidar com situacoes diversas nem sempre favoraveis.Sera que hoje, considerando sua trajetoria Linda estaria pronta para lidar com as dores e delicias de um relacionamento serio? Nao seria melhor possibilitara exploracao do mundo ,autonomia, conviver e conhecer mais pessoas em seu circulo antes de pular para uma relacao que exige estruturas que muitas vezes mesmo quem nao e autista nao tem. E preciso cuidado inclusive com as consequencias. Ja vi uma adolescente com dificuldades em llinguagem ficar gravida sem compreender realmente a causa nem a demanda dos cuidados de um bebe…foi bem triste!!!

  • Polly diz: 24 de outubro de 2013

    Acho o tempo da novela curto para mostrar toda esta evolução até chegar no romance. Talvez, como é um folhetim, esta evolução possa ser mostrada juntamente com o desenvolvimento amoroso, uma vez que ao se relacionar com ele ela podera evoluir tambem sob os outros aspectos. Mas acho uma historia bonita que não deveria ser descartada. Se bem conduzida valerá a pena acompanhar.

  • Rosana diz: 26 de outubro de 2013

    MEu Deus, qta gente ignorante nesse mundo!!! vendo os comentários da maioria das pessoas, “metralhando” a Michelle me deixou indignada, uma vez que em nenhum momento ela demonstrou preconceito em seu texto. Quanta dificuldade em interpretar um texto tão simples!!! Assim como ela tb achei meio absurdo uma criança autista em grau severo, da noite para o dia já começar a namorar….mostrar a evolução aos poucos até chegar nesse momento(namoro) seria muito mais emocionante e real….

  • Ana diz: 26 de outubro de 2013

    No caso da Linda,acho difícil acontecer um relacionamento assim. O caso dela é mais grave,ainda mais por que não teve estimulo quando criança,como disseram,ela mal sabe cuidar dela mesma,a linha de pensamento dela é toda diferente,quase como de uma criança,ela não está em estado de viver numa relação de namorado-namorada.

    Chega até ser machista,colocar um namorado pra impulsionar a vida dela,seria muito melhor ver a evolução dela,estudando,etc

  • Everton diz: 26 de outubro de 2013

    Claro que sim! E ainda recomendaria ao autor que fosse o quanto antes… Talvez ele possa fazer com que passe um determinado tempo na novela, mas o que o povo quer é ver Linda e Rafael juntos, vivenciando uma história de amor única, particular, só deles e de mais ninguém! Será muito lindo”

  • Thiago diz: 29 de outubro de 2013

    É Michele, entendo teu ponto de vista. Mas, entendamos que as novelas querem audiência, então a massa não quer ver seu desenvolvimento psicomotor, volitivo, ou cognitivo de uma maneira científica ou minuciosa… é chato. É mais legal uma história piegas de “amor proibido” tipo romeu e julieta, com mocinhos e vilões. É disso que a massa gosta. Como profissional que cuida de pessoas com autismo, vejo que o amor eh possível sim, claro. Acho certo a divulgação e desmistificação de doenças como o autismo, como também deveria ser feito com os esquizofrênicos ou bipolares ou maníacos… Lembremos que as novelas não são A REALIDADE, são uma péssima tentativa de imitação, não é? É ficção… tá valendo.j

  • Claudia Augusta de Oliveira diz: 30 de outubro de 2013

    É muito bom que este tema seja abordado no Brasil. O desenvolvimento de alguém que é altista, não tem só à ver com a idade. Mas também com o que ela pode aprender ou não. Eu trabalho na Holanda com usuários de drogas e com pessoas que com problemas psíquicos. O que eu vejo em um caso assim é que o interesse de descoberta muito grande e sitimulador são. O carinho que o advogado mostra por ela e a paciência de lhe instruir no próprio mundo dela só pode ajudar que o processo de desenvolvimento rápido aconteça. O autismo que eles mostram na novela não é claro se a Liinda tem dificuldades de aprendizagem ou se só é influência do mal acompanhamento que ela ganhou da família é. O que eu. Ao tenho nenhuma dúvida é que alguém que tem sintomas de autismo pode não como deve amar e ser amada. Se ela pode levar uma vida a dois ou com uma família isto só depende do companheiro (a) que essa pessoa tem. Que deve ter muita compreensão e paciência para explicar algo talvez muitas vezes porexemplo, . Eu amo saber que no Brasil pessoas com uma de deficiência psíquica estão sendo mais respeitadas. Espero que pessoas que tem crises de psicoses também não demorem para ter respeito e não vistas como loucos.

  • Caca diz: 3 de novembro de 2013

    Dia desses durante uma discussao no ambito familiar, Linda se desestruturou comecando a chorar, gritar e a fazer movimentos repetidos estereotipados para frente e para tras.
    Em um namoro, como seria momentos de discutir a relacao ( que fazem parte de qquer relacionamento)? Nao haveriam esses momentos? Como resolveriam a questao de ter filhos, prevencao e metodos contraceptivos, entre muitas outras…
    Hoje e nitido que ela nao tem estrutura para isso.
    Vamos olhar de maneira consciente!

  • Vitor diz: 3 de novembro de 2013

    Linda e considerada ininputavel por questoes mentais/psiquicas o que indica segundo estudos muito bem elaborados por multiprofissionais da area medica e juridica que ela nao possui condicoes de responder por si.
    O Rafael advogado tb tera que cuidar mto bem da situacao, dependendo do q acontecer nesse namoro ele pode ate ser indiciado criminalmente…o q ele ja deve saber.

  • Laura diz: 10 de novembro de 2013

    O autista tem mais dificuldades, mas pode vir a amar, sim.

  • Rafael diz: 15 de novembro de 2013

    Na novela até pode ser viável esse namoro entre uma pessoa normal e uma autista, pois lá na novela tudo “é cor de rosa”; não existe naquele mundo de ficção: estupradores safados, pedófilos e gente mentirosa mal intencionada aproveitadora de incapazes.
    Mas, no mundo atual que vivemos, infelizmente há grande maioria com pensamento liberal idiota, imbecil e escrota acredita na fantasia que esses caras com aparente boa índole não vão querer praticar atos libidinosos ou sexuais com pessoas com vulnerabilidade.

  • L. diz: 29 de novembro de 2013

    Teve uma cena em que Patrícia fala para Rafael: “É… Vc está apaixonado”. E ele não nega. Então será que já aconteceu com ele? Bom, em relação à Linda, pelo jeito dela de falar com o Rafael e como ela olha pra ele, muito provavelmente, ela já está.

  • kelly diz: 30 de novembro de 2013

    Um advogado, e bonito, namorar uma autista no grau da linda, só em novela. Imagina a paciência… Imagina na vida real o cara ficar brincando de dominó em consultas c fonoaudióloga, ele ta sendo um pai p ele, ensinando a brincar de bola de plástico. Não acredito nisso na vida real, um homem como ele, só se aproximaria dela p se aproveitar dela fisicamente. NÃO É PRECONCEITO, MAS O GRAU DELA TA AVANÇADO P NAMORAR UM ADVOGADO IGUAL ELE, e o fato da mãe dela ñ deixar ela sair sozinha c ele, ta certíssima, porque exclusivamente no caso de Linda, não tem como ela ficar neste momento sozinha c um homem, e os pais confiarem q a pessoas ñ vai assediar a menina.Futuramente sim, mas na vida real, agora isso é q ta acontecendo é muito irreal.Ela está muito vulnerável a qualquer pessoa q demostre carinho, que mostre algo novo, não sabe identificar o certo do errado, e permitirá tudo, não sabe identificar a malícia das pessoas ainda. Será que ela sabe como evitar uma gravidez por exemplo? não sabe, ele vai ter q ensinar e na vida real, isso não aconteceria de maneira saudável.

  • Isabele diz: 9 de janeiro de 2014

    Minha mae n atrapalha eu e consigo gostar de menino sim. sou jovem e autista e sou normal e sei fazer xixi e não vejo esse programa

  • Jonas diz: 10 de janeiro de 2014

    Não tem nada de preconceituoso no texto da Michele Vaz, ela está correta, a meu ver a Linda ainda é Vulnerável, não que todos os altistas sejam, mas no caso em tese ela é, um exame biopsicológico comprovaria isso, sendo assim um simples beijo lascivo caracterizaria um estupro de vulnerável, levando assim tanto o então Advogado ( burro mas Advogado) Dr Rafael junto com aqueles que são os responsáveis dela para cadeia

  • Avelino Manuel Marculino diz: 28 de janeiro de 2014

    O AMOR É PARA SER VIVIDO
    VIVA E DEIXE O PROXIMO VIVER

  • Luciano diz: 15 de fevereiro de 2014

    Primeiro, não sei porque debater sobre novelas ou Big Brother. Na tela o romance valendo a pena ou não é ficção! Vocês assistem novela e ficam torcendo, o final feliz seria cair uma bomba atômica sobre a cidade e acabar de vez com essa estória, seria até melhor… E ainda ficam tão apaixonados pela ficção que acabam não percebendo que o final do artigo tem uma validade lógica! A vida real, muitas vezes nada tem a ver com o que é mostrado na telona… Todo mundo é bonito nesse mundo ilusório, até o mendigo! Por favor… Parem de criticar uns aos outros! Na vida ao vivo e a cores existem diferentes graus de autismo e não apenas um único!

Envie seu Comentário