Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O pior da semana: Walcyr Carrasco exagera no preconceito aos gordinhos

13 de outubro de 2013 30
Foto: Raphael Dias, TV Globo

Foto: Raphael Dias, TV Globo

No início de Amor à Vida, Perséfone era apenas a “gordinha louca pra perder a virgindade” e protagonizou cenas caricatas e cansativas. Mas nas últimas semanas, a personagem finalmente ganhou uma história relevante e Fabiana Karla ganhou espaço para brilhar. Bem longe da linha comédia à qual estava acostumada, a atriz mostrou o drama das mulheres que estão acima do peso. O par romântico com Daniel (Rodrigo Andrade) agradou em cheio e conquistou o público.

Até aí tudo bem,é super válido abordar o preconceito sofrido pelos gordinhos. Na escola, por exemplo, crianças mais fofinhas sofrem bullying dos colegas, afinal, os pequenos sabem ser cruéis em alguns momentos.

O problema é levar esse mesmo tratamento para a vida adulta. Usar termos ofensivos pode até ser normal na infância e adolescência, mas na vida real ninguém fala coisas do tipo “você é uma gorda ridícula” ou “meu filho, você não combina com essa gorda”. As pessoas podem até pensar algo assim, mas nunca vi falar na cara, sem pudor, como acontece na novela. Se vocês já viram ou passaram por esse tipo de situação, sintam-se à vontade para me desmentir.

Se tal comportamento ficasse restrito a Leila (Fernanda Machado), até vá, ela é má e cruel mesmo, a julgar pela forma como sempre tratou a irmã autista. O problema é que TODOS os personagens ao redor de Perséfone a chamam de gorda na maior cara de pau, sem se preocupar com os sentimentos da coitada. Até os que se dizem amigos da enfermeira não hesitam em fazer piadinhas desrespeitosas ou dizer que Daniel está fazendo “caridade”.

Mas no “Mundo Maravilhoso de Walcyr Carrasco” todos são lindos e perfeitos, Perséfone é a única gordinha e por isso acaba servindo de saco de pancadas. Ninguém ali olha pro seu rabo, não? De todo o corpo médico do Hospital San Magno, a “gorda virgem” é a pessoa mais pura e íntegra, incapaz de magoar os outros e disposta a tudo para ajudar seus amigos. São essas qualidades que a tornam diferente, não o fato de estar acima do peso.

Concordem ou não comigo, encarem esse post como um desabafo. As cenas de discriminação a Perséfone me incomodam profundamente e não poderia deixar de dividir isso com vocês. O que salva é o amor verdadeiro que Daniel parece sentir pela moça, o que o fez enfrentar a família e o preconceito dos amigos para subir ao altar com ela.

Bookmark and Share

Comentários (30)

  • Anjo Colorado – Zé diz: 13 de outubro de 2013

    Eu concordo contigo. Tá um pouco demais. Os gordos sofrem mesmo perseguições na escola e até no trabalho, mas todos a volta pegarem no pé da Perséfone acaba ficando sem sentido. E quando houver o final da novela onde todos os mocinhos e mocinhas terminam em um final feliz? Todos a deixaram em paz de repente?

    Tu tá certa. Se fosse alguns personagens, vá lá, mas todos é um exagero.

  • Rosana diz: 13 de outubro de 2013

    Vc é gordinha?

    Acredite, as pessoas são bem mais cruéis, chegando a ponto de rir na sua cara, se vc disser que quer namorar, te dizer que vc é desleixada e porca, tudo na “brincadeira” ou “para o seu bem”.

  • giovana cristina ferreira diz: 13 de outubro de 2013

    EU NÃO GOSTO AUTOR E NEM ASSISTO ESTA NOVELA ,MAS COMO MINHA FAMÍLIA ASSISTE ,FICO POR DENTRO DE ALGUMAS COISAS .EU SOU OBESA E POR OPÇÃO RELIGIOSA NÃO NAMORO E NÃO PRETENDO ME CASAR ,MAS SE ALGUÉM FIZESSE COMIGO ,ASSIM COMO TEM FEITO COM ESTA PERSONAGEM ELES VERIAM QUE GORDO TAMBÉM SABE BATER E NA CARA KKKKKKKKKKK ACHO DE PÉSSIMO TOM ,QUALQUER TIPO DE COMENTÁRIO QUE DENIGRE A IMAGEM DE ALGUÉM ,ESTE AUTOR É TOTALMENTE SEM NOÇÃO .A NOVELA DELE NÃO INSTRUI ,SOMENTE DISTORCE O CAMINHO DO RESPEITO E IGUALDADE DE DIREITOS QUE A SOCIEDADE TEM PROCURADO PERCORRER .NOTA ZERO DEI DESTE O PRIMEIRO CAPITULO E SEI QUE NO FINAL SERÁ A MESMA NOTA ,ISTO SE EU PERDER MEU TEMPO OUVINDO ,JÁ QUE NÃO ASSISTO .ALÉM DE MÉDICOS SERÁ QUE TEREMOS QUE IMPORTAR AUTORES TAMBÉM ?

  • Apaixonada diz: 13 de outubro de 2013

    Oi Michele,

    Infelizmente você está enganada. Os “gordinhos” sofrem preconceitos sim, e descarados. Já vi e presenciei vendedores de loja fingir que não vê o cliente gordinho entrando na loja e antes mesmos de pegar uma roupa dizer que não tem “número” que serve para ele.

    Eu não sou obesa mas estou 10Kg acima do meu peso, estou com o que chamam de sobrepeso e como sou baixa as pessoas tem a impressão de que sou mais gorda do que realmente sou, eu uso 40 ou 42 mas quando me mostram roupas me mostram do 44 acima ou GG. Fui em uma loja no shopping e comprei um vestido, a vendedora foi um doce. como fui muito bem atendida voltei lá algum tempo depois para comprar outro vestido, era outra vendedora, além dela não me atender, enquanto eu olhava as roupas, quando eu perguntei o preço de um vestido que gostei ela me respondeu a gente não tem nenhum que te serve.

    A outra cliente que estava na loja, já com duas peças escolhidas, ficou indignada. Eu só virei e falei com ela: Esse vestido que estou vestida comprei aqui. E se você pensa que o fato de não ter roupa que me sirva é uma vergonha para mim ao contrário é vergonha para vocês, porque sou cliente como qualquer outra. Sai da loja arrasada, só fiquei feliz porque a outra cliente saiu sem comprar e me disse que lá ela não entraria nunca mais.

    Enfim o preconceito está aí e é cruel, especialmente para as mulheres claro. As pessoas acham um absurdo um cara bem afeiçoado se interessar por uma mulher obesa. E criticam sim e falam sim. Os amigos fazem gozação e só homens com personalidade forte é que superam criticas dos “amigos” isso é a pura verdade. Muitos se interessam por uma mulher mais gordinha, mas só ficam com elas escondido dos outros. Portanto na minha opinião, o autor não exagerou não.

  • Cristina diz: 13 de outubro de 2013

    Realmente o que importa em uma pessoa é o seu caráter e não sua aparência. Não que isso seja uma desculpa para a pessoa não se cuidar. Eu entendo um pouco a realidade de Perséfone porque se trata também da minha realidade, afinal também sou gorda e virgem. Mas não é por isso que eu vou me ver como vítima. Me recuso a me enxergar como coitadinha. Sempre que alguém foge do padrão, corre o risco de sofrer preconceito. Sei disso por experiência própria, pois ninguém espera que alguém seja virgem hoje em dia e muito menos que seja gorda. Há preconceito, isso não tem como negar. Mas o que realmente me importa é a opinião das pessoas que amo, não das pessoas estranhas. As pessoas mais próximas a nós geralmente são mais compreensivas (bom, meu pai não é tão compreensivo assim, vive me enchendo o saco por causa do meu peso. Sei que ele se preocupa, mas o maior problema é que ele é grosso e não tem nenhum tato para falar as coisas para a gente.). Os meus familiares são compreensivos, mas eles se preocupam, porque afinal na minha família tem gente com problema de pressão alta, problemas cardíacos e diabetes. Eu até consegui emagrecer bastante uma vez, acontece que eu voltei ao meu antigo peso. Estou para consultar outro médico, para ver se consigo emagrecer e manter o peso. Mas não que me importe com o que as pessoas pensam, estou mais é preocupada em me sentir bem e definitivamente não me sinto bem sendo gorda. Uma coisa eu concordo com o post: o Walcyr Carrasco está sendo infeliz de retratar o assunto de forma caricata. Fica dando a entender, com essa abordagem, como se ser virgem ou gorda fosse necessariamente uma vergonha. Sendo que a pessoa muitas vezes não é gorda, ela está gorda. A mesma coisa é com a virgindade, vai depender da decisão da pessoa. Infeliz mesmo essa abordagem que a novela está fazendo. Por isso que não faço nem muita questão de assistir, além de não ensinar nada de bom, ainda é capaz de aumentar o preconceito contra gordos e virgens.

  • Maria Helena diz: 13 de outubro de 2013

    Michele,concordo com você em gênero numero e grau,foi enojante ver tanta discriminação,nenhuma pessoa por mais cabeça que fosse sairia ileso deste arsenal de maldade,ate mesmo o enlace dos dois, as cenas foram ofuscadas por estas palavras, as vi como forçadas pelo Daniel que também justificou seu amor como cansado de “pegação”.
    Mas se pensarmos que WC tem mesmo uma queda para liquidar personagens veremos que ele foi fiel a sua especialidade, como aconteceu com a Nicole.Seria muito mais interessante ela não ter morrido e voltar para desmascarar os farsantes… mas ele insistiu em punir a atriz levando o assunto além do dos atores recriando uma outra história comum e velha, já cansativa ao publico.
    WC é péssimo, sem sombra de dúvida.

  • Anne diz: 13 de outubro de 2013

    Michele… infelizmente adultos também chamam pessoas de gorda(o)s.. Há alguma tempo atrás cheguei ao almox da empresa onde trabalhava, para retirar um material.. Quando entrei e quando cheguei próximo a janela de entregas, ouvi claramente o coordenador pedindo ao seu funcionário: “entrega este material para aquela Gorda lá do vendas ” ( que por acaso era eu mesma ). Mas concordo com você que o WC abusou das cenas de preconceito com a Perséfone… e confesso que fiquei enjoada com as poucas que assisti.

  • Oswaldo diz: 13 de outubro de 2013

    Se não for por doença ser gordo é desleixo sim

  • Anjo Colorado – Zé diz: 13 de outubro de 2013

    Eu respeito a opinião dos outros, até porque alguns deram depoimentos pessoais, mas o incrível é que no caso da Perséfone os amigos também debocham demais dela. E eu não sei se existem muitos casos dos pais se oporem daquela maneira a um casamento.

    Creio que o mais comum seria os pais dela serem contra e se queixarem aos filhos, mas abertamente atacaram a moça com se fosse uma leprosa. No Brasil a discriminação é mais camuflada. Normalmente inventariam alguma outra justificativa para serem contra. É difícil pra mim imaginar que diriam na vida real: “Não te queremos por ser gorda”, especialmente pra não parecerem preconceituosos perante o filho.

    Eu falo por experiência porque já namorei uma gorda estilo Perséfone quando jovem. Meus pais nunca criticavam a gordura, mas outros “defeitos” dela.

  • Letícia diz: 13 de outubro de 2013

    Concordo plenamente!!!

  • Cláudia diz: 13 de outubro de 2013

    Claro que é exagerado, mas reparei num post recente da Preta Gil aqui na ZH, ela estava numa janela, fiquei com nojo dos comentários ridículos chamando ela de baleia, de gorda e coisas horríveis. Então me pergunto se essa questão do preconceito não é real.

  • Alice diz: 13 de outubro de 2013

    Olha, há um ano atrás eu era obesa. Fui assim por um bom tempo até conseguir emagrecer 55kg. ANTES de emagrecer, eu casei (que nem a personagem) com um cara beeeem magro. Na boa, nunca passei por preconceito nenhum. Na infância sim, mas na vida adulta não. No meu casamento, ninguém riu de mim e nem fez piada, pelo menos na minha cara. Concordo com teu ponto de vista em que na vida adulta as pessoas não são tão cara duras assim, a não ser que elas queiram te atingir de verdade, por maldade, em momento de briga. Um pouco over… mas enfim, é novela né?!

  • Arthur diz: 13 de outubro de 2013

    A última novela que assisti foi a próxima vitima, mas li o texto e se for assim mesmo, concordo plenamente. No dia-a-dia isso não acontece. Há claro casos de exceçao, claro, como me parece ser a pessoa que comentou sobre o ocorrido algumas lojas, mas realmente hoje impera o melhor convivio social. As pessoas podem até falar alguma coisa (e aqui não somente sobre peso, mas genero, etinia, religiao, idade, etc), mas não se fala diretamente para a pessoa em questão.

    Enfim, me parece puro sensacionalismo, banalizaçao da ofensa, o que de certa forma, me parece mais um incentivo que um tentativa de concientizaçao.

  • leoT diz: 14 de outubro de 2013

    infelizmente, no Brasil, este discurso de que “o importante é a essência e não aparência”, é bonito no facebook.
    na vida real, o brasileiro é cheio de preconceito: contra negro, pobre, gay, gordo, azul, amarelo, etc etc.
    chega deste discurso vazio.
    o primeiro passo pra mudar isto, é aceitar a realidade e dai sim, lutar para a mudança.

  • Thays Lucas diz: 14 de outubro de 2013

    Michele, isso se chama “preconceito cordial”, as pessoas FINGEM que não têm, que aceitam tudo na boa, mas, na verdade, são as que mais falam mal.
    E sim, existe MUITO preconceito, tanto com gordos, quanto com negros e homossexuais (entre tantos outros grupos que sofrem com a ‘sociedade perfeita e julgadora’). Eu mesma, já ouvi jogarem na minha cara e me chamarem de casca de laranja ou de lua por causa da minha celulite (imagina se eu fosse obesa o que eu não ouviria). E outra, com negros é até pior. Uma vez, num ônibus, o cobrador era negro e uma mulher entrou no ônibus gritando “Negro não dá pra aguentar. Se fosse mais clarinho, até passava, mas ASSIM não dá pra aturar.” (o cobrador era bem negro)
    Então, imagina né. Podemos não ver, mas existe muita gente que fala na cara dos outros os seus defeitos, não de ordem construtivas, mas ofensivas mesmo. Uma coisa é tu chegar pra uma amiga e falar os defeitos dela, se isso estiver prejudicando a mesma com os amigos, colegas e tal, outra coisa é tu chegar e dizer “tu é gorda”, “tu não vai casar nunca com essas banhas saltando pra fora.” ou “pq tu que é branca está namorando um negro?”… E SIM isso existe e MUITO. As pessoas são EXTREMAMENTE MALDOSAS, elas querem apenas humilhar as outras, como se elas fossem perfeitas.
    O Walcyr exagerou em algumas partes, sim, mas em relação à virgindade da Perséfone ser colocada o tempo todo à prova por causa do seu porte físico. É como se “obesidade” fosse sinônimo de “virgindade” e as coisas não são assim! Mas quanto ao preconceito, ele não exagerou, não.

  • Carlos diz: 14 de outubro de 2013

    Primeiramente quero dizer que fiquei chocado com os depoimentos das pessoas aqui e deixo meu total apoio. Segundo que concordo com o Anjo colorado, já até tinha comentado isso antes aqui que estava enojado com a situação dessa personagem por ABSOLUTAMENTE TODOS (tirando Patricia e Michel) foram preconceituosos com ela, tudo isso teria mas efeito e iria ser mais realista se fossem mais camuflado. Realmente as piadas poderiam até acontecer porém não na frente dela. Quanto a questão da virgindade tenho amigas magras ,bonitas e virgens, confesso que me espanto um pouco com isso por não ser comum hoje em dia porém não é motivo para ter vergonha é uma opção da pessoa por estar esperando alguém especial ou por não ter vontade de fazer mesmo. Acho que as pessoas tem que se assumir como realmente são , não é feio , pecado ou qualquer coisa do tipo ser gordo ela só não podem deixar que a palavra gordo vire algo depreciativo coisa que não é. Sites especializados o que mais tem são pessoas falando mal do artista seja por ser gordo, magro e etc . Isso e horrível mais as pessoas acham que internet é terra de ninguém então aparece essas coisas.

  • Sheila diz: 14 de outubro de 2013

    Ninguém fala mais todo mundo pensa! E este pensamento muitas vezes, sentimos no olhar das pessoas, sejam elas amigas ou não. O que muitas vezes é mais cruel do que as palavras.
    Dói muito quando ao dizermos que estamos apaixonada ou nós relacionando com alguém, as pessoas nós olham de cima, abaixo… como se estivessem se perguntando: quem é o louco?!

    Por isso, que eu digo: talvez o autor esteja até exagerando um pouco, mas o mundo também é cruel para os adultos que estão fora do padrão de beleza estipulado!

  • Carol diz: 14 de outubro de 2013

    Preconceito exite sim, não vamos ser hipócitas, mas o exagero da novela é que me deixou/deixa horrorisada, assim como me parece que deixou a Michele! (já comentei isso várias vezes por aqui)
    Eu estou acima do peso, e eu achava que ninguém nunca iria gosta de mim, pois a dificuldade de emagrecer é muito grande, por alguns problemas que não vem ao caso… mas hoje sou casada e muito feliz.
    Se meus amigos me falassem o que a falam pra Perséfone, acho que eu nunca mais sairia de casa! Tem coisa pior do que a Patrícia ir contar pro Daniel que o Conto de Fadas da Pê terminava em casamento? Que amiga é essa?
    Ela é uma pessoa muito boa, não precisava passar por isso, pelo preconceito descarado, principalmente de pessoas próximas e ela!

  • PATRICIA diz: 14 de outubro de 2013

    Existe preconceito sim, ele não esta exagerando é bem assim que acontece com quem é obeso. As pessoas não tem o minino de educação, e não falam na tua cara mas pela costa com certeza. E é familia, parentes e “Amigos”. As pessoas são muito cruéis.

  • kaka diz: 14 de outubro de 2013

    Infelizmente, já senti na pele o mesmo que a Personagem. Meus “sogros” agiram da mesma forma. Alguns “amigos” do meu namorado também. Eu CONCORDO com o modo que está sendo abordado este assunto, pois o único preconceito falado explicitamente e combatido hoje é racismo e homossexualidade, quando na verdade há tantos outros que acontecem diariamente e ao nosso lado, ou no meu caso comigo mesma… Parabéns ao autor por trazer um assunto que por hipocrisia da sociedade parecia sanado, quando na verdade está camuflado. bom dia a todos

  • Iara diz: 14 de outubro de 2013

    Tu realmente deve viver em um mundo, Feliz.
    Para, ele deve ter feito milhões de pesquisas p estar apresentando isso.
    E sim é assim GORDOS, sofrem! “preconceito cordial”
    so que fica mais pesado pq ela é VIRGEM!
    então GORDA X VIRGEM, logico qe n vai passar em branco.
    Não assisto muito a novela, mas.

  • CLEBER diz: 14 de outubro de 2013

    Olha só é uma pena que muita gente de audiência a essas novelas da globo, tirando o horário das 18:00 que são sempre novelas leves ,com histórias simples, esse horário das 21:00 deveria ser colocado mini-series,filmes,seriados até documentários.Pois essas novelas das 21:00 só mostram coisas ruins com a desculpa de dizer que é a realidade ,há muito tempo os autores da globo se perderam neste horário,mas a população mais simples chama isso de entretenimento e ai somos obrigados a ver estes exageros que realmente acontecem,mas que deveriam ser mostrados como mau exemplo,pq. nunca há atos de ajuda de solidariedade sempre o que sofre preconceito tem que aguentar até um dia o autor fazer com que ele se rebele lamentável ao invés de mostrar o correto para que se crie uma cultura onde não se aceite mais os preconceitos, não sempre essa mesmice do fraco ter que vencer por força própria quando sabemos que na vida real não é bem assim, querem fazer novelas podem fazer mas que usem para espalhar consciência nas pessoas não para apenas mostrar os erros mas sim como se deve agir, Mas como vejo muitos dizerem o povo gosta de barracos de baixaria e assim as novelas vão atingindo altos índices.

  • Gaúcha diz: 14 de outubro de 2013

    É claro que existe preconceito. As pessoas acham que ser gordo é feio,é desleixo ou preguiça, quando na verdade é muito mais do que isso. Eu acho que ninguém é gordo porque quer. Mas na vida real o preconceito não é assim tão descarado, declarado e brutal. Eu nunca passei por uma situação dessas nem na minha família nem na rua. Mas eu também não aceitaria que me tratasse desta forma, acho que se a pessoa não gosta de mim do jeito que eu sou, não tem porque perder meu tempo com ela. Na novela a coisa é muito caricata e exagerada, tanto que estamos todos revoltados. Vai ver a intenção era essa mesmo, dar uma balançada na gente.

  • Leo diz: 14 de outubro de 2013

    Pessoal, o preconceito contra gordos existe sim, mas acho que não da forma que é mostrado na novela. Tenho amigos e amigas gordos que são felizes como são. Comentários maldosos existem, mas geralmente as pessoas mais próximas não os fazem.
    A cena em que o Daniel anunciou o casamento com a Pê, o personagem do Márcio Garcia perguntou se o casamento seria num aquário, pois ele iria se casar com a baleia.
    Pow, se fosse eu, defenderia ela e colocava o malandro no lugar dele, mas não, levaram na boa. Até o Michel fez piadinha, depois de usar e abusar da boa vontade da Perséfone.
    Fora o fato de, nesta novela, a virgindade estar vinculada à obesidade. É irreal e forçado.
    O autor errou a mão feio nesta parte da trama.
    É a minha opinião.

  • Anjo Colorado – Zé diz: 14 de outubro de 2013

    Cleber… Mesmo que exagerado a perseguição feita a Perséfone está mostrando como mau exemplo. O fato de escancarar o preconceito já uma forma de ser solidário. Não é um programa de humor feito pra todo mundo rir do gordo por ele ser gordo.

    O “problema” sobre as novelas é muito simples.

    Já vi gente dizendo que seria melhor a pessoa assistir programas educativos. Tá… A pessoa trabalha de 8 a 12 horas por dia (alguns até estudam), chega em casa, janta, senta na frente do sofá, liga a televisão… tem uma aula de História e Geografia. Quantos telespectadores estão dispostos a isso?

    E tu falas sobre minisséries… Minisséries americanas das tvs a cabo? Tá… quais? Aquelas que tem zumbis? A outra sobre mutantes? Aquela outra sobre vampiros? Aquela que tem clones ou outra com alienígenas? Tem muita minissérie que cujos temas são muito menos reais que nossas novelas, sem mencionar que as mais realistas falam são mais voltadas ao público americano. Pouco diz a respeito do nosso dia a dia e às vezes nada.

    As novelas, mesmo com exageros, ao menos servem pra gente debater seus temas.

    Olha, eu gosto ler. Sempre leio pelo menos de dois livros por mês, mas também aprecio uma novela. Se acho que não presta…. mais tempo tenho pra leitura. Ninguém é obrigado a assistir novelas.

    O grande problema é o advento da televisões por assinatura. Os melhores seriados americanos, os grande documentários e o maiores torneiros esportivos da Europa eram transmitidos gratuitamente aos telespectadores. A queda da qualidade da televisão aberta se deve a uma mentalidade mercadológica em que se cobra pelo conteúdo de uma programação.

    Tu queres essas coisas minisséries, filmes e até documentários em horário nobre? Então pague. Hoje em dia é assim.

    Espero que a Michelle não me leve a mal por ter desviado o assunto do tópico, mas volta e meia tem gente que surge por aqui criticando novelas e sugerindo um outro tipo de programação, mas é uma perda de tempo.

    Pode não ser o caso do Cleber, que se expressou com muita educação, mas muitos fazem esse tipo de coisa só pra bancar o intelectual ou esclarecido.

  • Fernando Yanmar Narciso diz: 14 de outubro de 2013

    sem intriga não há enredo.
    janete clair dizia q um dos mandamentos de escrever uma novela de sucesso era substituir pensamentos por atitudes, e é exatamente isso q o carrasco tem feito, pondo pra fora as coisas q td mundo tem vontade de dizer mas a correção política freia os instintos. claro q é sempre meio over a forma como escolhe retratar o tema, mas é sim condizente com a realidade. claro q no mundo real ninguém escancara o preconceito com tanta gana, mas mal pode esperar pra aproveitar a chance. imagina agora se ela n sofresse nenhum preconceito de ninguém por causa dos quilinhos a mais. pra q o personagem existiria?

  • Mich diz: 14 de outubro de 2013

    Minha xará Michele, disse exatamente aquilo que eu penso!! o Michel, baita sem noção que passava no apartamento da Perséfone, cadê a amizade? ficou dizendo para o Daniel que ele tinha muita coragem, poxa vida, ela é gordinha, imagina se fosse obesa! sabe estou me anojando disso, o Valcir, esqueceu que o Félix é mau caráter, que o Ninho sequestrou a filha e voltou rico por causa da “arte” pra passar a novela toda chamando a mulher de gorda!!! me enchi!!! o Daniel mesmo, vive dizendo pra ela que teve que achar um caminho para amá-la, como se fizesse um sacrífício!!ah vá! eu nem casava… porque o Walcir não colocou a Patrícia como virgem? porque a gordinha tinha que ser encalhada? nunca ouvi alguém, nem mesmo a Patrícia, dizer pra Perséfone que ela é linda, coisa que realmente ela é!achei sim de muito mau gosto as piadinhas quando os dois começaram a namorar, nunca ouvi ninguém dizer tomara que vocês sejam muito felizes, nada! só: ela é gorda, coragem!!!! o que a mãe do Daniel disse pra ela, dá processo, que isso? cadê o respeito pelas pessoas? bah tô com muita raiva dessa novela.. a Paloma já me deu nos nervos, a Amarilys, a Pilar, até a Valdirene já encheu o saco!!prontofalei#

  • Clau diz: 14 de outubro de 2013

    O preconceito existe e é fato. Concordo com teu post Michele, principalmente quando comentas que até os melhores amigos dela fazem piadas. Sim, fazem. Para um homem, um rapaz, talvez seja natural levar essas brincadeiras numa boa, mas para uma mulher, ser chamada de gorda a toda hora e a usarem como piada, não é nada agradável. Perséfone é o tipo de gorda que dificilmente irá emagrecer. Não é desleixo, não é relaxamento não. Isso é hormonal. Há gente que simplesmente não consegue e pronto. Ou não quer mesmo. E somente se a MENTE dela estiver boa a preparada, ela poderá fazer um tratamento que dure. A obesidade (e este não é o caso de Perséfone) tem vários fatores.

    Não só me chocou a maneira como Neide e Amadeo, sogros de Perséfone falarem mal dela, bem como me indignou a atitude de Michel, médico ENDÓCRINO, e tido como melhor amigo de Perséfone. Entendo que WC quer mostrar a rejeição que os gordos passam, isso eu acho que deve ser mostrado. Mas também deve ser mostrado as soluções e as respostas que esses gordos devem dar ao mundo. Exigindo direitos como SERES HUMANOS.
    Neide e Amadeo têm duas filhas. Uma autista que por si só já sofre rejeição da sociedade por não ser “normal”. Mas a pior de todas: LEILA, a golpista, cruel, má e baixa em todos os níveis. Voltou a se dar com a família porque está momentaneamente aleijada e precisa do irmão fisioterapeuta. Neide, a ANTA, resolve “desabafar” com Leila que seu irmão vai se casar com uma gorda, como se Perséfone fosse uma vadia, uma ladra, um assassina… Ou seja, além de Neide desabafar com sua filha sem moral, ainda por cima julga uma pessoa pelos quilos que ela tem e não por seu caráter.

    Soube que agora Daniel vai dar toques para Perséfone emagrecer porque ELE está sofrendo com as piadinhas dos amigos. E por acaso Daniela não pode se impôr? Mandar os demais se calarem e terem respeito poe ele? Que perca os amigos pois amigos assim não são amigos. E o que dizer do doutor endocrinologista Michel? LOGO ELE!!!!! Fazendo piada da amiga! Cara sem capacidade alguma de trabalhar como médico e como amigo, é do tipo da onça. Pois soube aproveitar a cama de Perséfone e a comida que esta fazia para o casal insaciável. Todos deveriam se desculpar para Perséfone. Por isso que eu disse que ela precisava de um cara que NADA tivesse a ver com esses “boys-magia” como ela mesma chama. Perséfone merecia um cara normal, intelectual, inteligente, e não um gurizão de academia e de noitadas com amigos. E quanto ao casal Neide e Amadeo, deveriam morar com Leila porque no fundo eles a respeitam, mesmo Leila falando os maiores desaforos para o próprio pai quando este ficou com ela no hospital.

  • Clau diz: 14 de outubro de 2013

    CAROL, Patrícia não é amiga de Perséfone. Se Patrícia fosse de fato amiga de Perséfone, quando Joana saiu do apartamento para ter mais intimidade com Luciano, Patrícia jogou Perséfone contra Joana tanto que ambas discutiram em plena rua. Patrícia depois disso, usou e abusou do apartamento de Perséfone e sequer teve respeito pela amiga, pois fizeram de tudo pra usar a cama dela para que Patrícia e Michel tivessem um ninho de amor. Perséfone chegava do trabalho, cozinhava para o casalzinho, ouvia os gritos e gemidos de Patrícia fazendo amor com Michel, e Perséfone ali esperando a cópula do par de animais acabar. Ou então fazia hora no bar, para que ela pudesse voltar pra sua casa depois do casal ir embora e Perséfone ir dormir numa cama imunda de sêmem e suor, fora a cueca que Michel deixou entre lençóis e o sutiã que Patrícia “esqueceu” na cama de Perséfone. E depois é a “gordinha amiga” PÊ que lave os lençóis e lava a louça. UMA VERGONHA! Se uma amiga minha me viesse com essa oferta eu a mandaria pra aquele lugar onde o sol não bate. Um quarto vago ao lado do de Perséfone, mas o casal Michel-Patrícia queriam porque queriam a cama da gordinha virgem. E para conseguir isso, ou que fizeram? encheram-lhe de chocolates. Ora, então eles riem dela, fazem piadas por ela ser gorda, mas quando lhes interessa lhe dão chocolates???? É o fim! WC poderia mostrar a IMORALIDADE dessa dupla Michel e Patrícia – imoralidade espiritual mesmo – que nunca foram amigos de Perséfone e têm relação de BICHO e não de seres humanos.

    Desculpe se me alongo nos comentários, mas têm alguns assuntos que não podemos tratar somente em poucas linhas.

Envie seu Comentário