Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ernest Hauser e César Khoury: Os piores pais da telinha

04 de janeiro de 2014 6
Divulgação, TV Globo

Divulgação, TV Globo

Em se tratando de paternidade, dois péssimos exemplos povoam a telinha da Globo. Ernest Hauser (José de Abreu), de Joia Rara, e César Khoury (Antonio Fagundes), de Amor à Vida, ensinam como NÃO criar os filhos.

O poderoso da novela das 18h teve quatro rebentos, sendo que um é bastardo. Franz (Bruno Gagliasso), Hilda (Luiza Valdetaro) e Viktor (Rafael Cardoso) herdaram a boa índole da mãe, por isso não seguiram os passos do papai tirano. Pelo contrário, os três contrariaram Ernest e decidiram, cada um, seguir seu próprio caminho, mesmo que longe do luxo e riqueza. O filho mais velho, Manfred (Carmo Dalla Vecchia), nunca foi reconhecido como um legítimo Hauser, por isso cresceu revoltado e cheio de ódio no coração. Após anos de humilhação, ele resolveu dar o troco, agora é Ernest quem sofre nas mãos do filho rejeitado.

No horário nobre, César é tudo aquilo que um homem não deveria ser: péssimo marido, mulherengo, pai omisso para Paloma (Paolla Oliveira) e rígido demais com Félix (Mateus Solano). Isso sem contar os outros filhos espalhados por aí… Enquanto a filha sempre teve o carinho do pai, o filho sempre foi rejeitado e humilhado por ser gay. Mesmo antes de sair do armário, Félix já era saco de pancadas do paizão, que nunca suportou seus trejeitos. Pra piorar, o médico disse na cara do filho que preferia que ele, não o primogênito Cristiano, tivesse morrido. Tanto ódio paterno transformou Félix em um homem rancoroso, invejoso e cruel, capaz de tudo para tirar do caminho quem quer que fosse, inclusive a irmã e a sobrinha recém-nascida. Foi somente ao encontrar carinho desinteressado e generosidade na casa de Márcia (Elizabeth Savalla) que Félix percebeu o que realmente importa na vida. Agora, ele dá mostras de ter se voltado de vez para o caminho do bem e pode ser o responsável por salvar a vida do pai que tanto o odeia.

Tanto Ernest quanto César criaram verdadeiros monstros. A educação rigorosa demais, as humilhações e a falta de amor paterno moldaram o caráter distorcido de Manfred e Félix. Como na história de Frankenstein, as criaturas se voltaram contra seus criadores. Nem é possível sentir pena desses péssimos pais, afinal, ambos estão colhendo o que plantaram, não acham?

Bookmark and Share

Comentários (6)

  • Fernando diz: 4 de janeiro de 2014

    E a pior mãe é a Valdirene, que abandonou a filha pequena para vó e a tia cuidarem e foi tentar a sorte no BBB, e ainda fez o palhaço ficar de plantão lá com ela em vez de cuidar da filha.

  • se quer saber diz: 4 de janeiro de 2014

    Os dois deveriam ser torturados e depois mortos. Cretinos.

  • Clau diz: 4 de janeiro de 2014

    Verdade… Se bem que Manfred não tem o ar mais irônico que Félix tem e tinha, mesmo quando era mau. Mas mesmo assim, Manfred tem seus momentos de deboche e parece desmoronar quando se depara com Pérola. Talvez pelo carinho que a menina tenha por ele e ele no fundo sinta isso. A menina não tem raiva, dele, nem nojo, nem medo. Ela teme pelo o que acontece aos outros e a seus pais, mas não tem medo dele como uma cirança qualquer teria. E creio que Manfred sente isso.

    Mas também vamos falar das mães. Manfred passou a vida vivendo de ilusões que Gertrudes colocou na mente dele. ELE achava que um dia seu pai iria lhe amar, pois Gertrudes SEMPRE fez questão de lembrar que ele é um Hauser.
    Já Pilar, enquanto lhe era conveniente, o filho lhe servia. Agora ELA escolhe os brincos e sapatos e roupas. ANTES ela ADORAVA que Félix fizesse isso pra ela. Depois passou a detestar.

    CRIMES:

    Há uma desconfiança no ar de que Gertrudes tenha matado Catarina e não Ernest. O mesmo se deve a Pilar. Pelo menos dá a impressão que foi ela quem armou o acidente que matou a m~e de Aline e aleijou Mariah, mãe de Paloma. E não César, que a própria Mariah pensou que fosse o responsável. Até nisso as novelas se parecem. Mostrando o que pode uma mulher apaixonada fazer. Gertrudes, mesmo sendo empregada sempre amou Ernest e Pilar, mesmo sendo a esposa legítima de César, era capaz de fazer tudo por seu amado marido, até matar.

  • Cristina diz: 4 de janeiro de 2014

    Não creio que a atitude do César ou mesmo do Ernest seja justificativa para as maldades seja do Félix ou do Manfred. Maldades não se justificam. Lembre-se também de A Vida da Gente, a Manu era filha da psicopata da Eva e nem por isso era uma mau caráter. Nem a Ana, nem a Manu. Manfred e Félix já tinham um desvio de conduta mesmo, e isso não os tornam melhores que os pais. Colocar a culpa na má criação dos pais pelo desvio de conduta dos filhos já é um pouco demais. Sendo que desvio de conduta pode vir até de família bem estruturada, com ótimos pais.

  • maria diz: 5 de janeiro de 2014

    É VERDADE,ERNEST PREFERE SE SUBMETER AO LOUCO DO MANFRED E DEIXAR OS FILHOS SEM NADA DO QUE ASSUMIR SEU CRIME,O OUTRO FICOU CEGO E BURRO E IDIOTA,QUE ACHAM QUE TODOS MENTEM SÓ A “SANTINHA” DIZ A VERDADE,POXA TEM COISAS NAS NOVELAS QUE OS AUTORES SUBESTIMAM A INTELIGÊNCIA DOS TELESPECTADORES!

  • Rodrigo diz: 5 de janeiro de 2014

    Cristina> Vc merece um pai como o Cesar.Ai eu queria ver a tua opinião.

Envie seu Comentário