Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Triângulo amoroso formado por Clara, Marina e Cadu salva Em Família

24 de março de 2014 29
AgNews

AgNews

A repercussão da novela Em Família, no geral, está bem abaixo do esperado. A trama principal, envolvendo Helena (Júlia Lemmertz), Virgílio (Humberto Martins) e Laerte (Gabriel Braga Nunes) não agradou muito. Por isso, as histórias paralelas ganham cada vez mais espaço na novela e no coração do público.

É só acompanharmos o burburinho em torno de Clara (Giovanna Antonelli) e Marina (Tainá Müller), além da doença de Cadu (Reynaldo Gianecchini), que deve atrapalhar o casal gay. Aqui no blog, os posts de “Clarina” são os mais comentados, mostrando que a torcida pelas duas não para de crescer.

O espaço que esse polêmico triângulo amoroso tem recebido na novela também é grande. As cenas de maior duração, variando de 5 até 8 minutos, são as de Clara, Cadu e Marina. No dia 17 de março, por exemplo, dos 52 minutos que o capítulo teve no total, 26 envolviam o trio.

A trama de Juliana (Vanessa Gerbelli) também é interessante, mas deu uma esfriada ultimamente. Nos próximos capítulos, porém, a maluca volta a surpreender ao anunciar seu casamento com Jairo (Marcello Melo Jr), tudo para ficar com a pequena Bia.

Vamos combinar que as cenas de Laerte e Verônica (Helena Ranaldi) chegam a dar sono. Virgílio e Helena, por mais que discutam a relação, não conseguem prender a atenção do público. E a chatinha Luiza (Bruna Marquezine) vive questionando as atitudes do namorado, investigando o passado da mãe e lançando olhares para Laerte.

Talvez as tramas de Manoel Carlos já não agradem aos telespectadores como antigamente. Aos 80 anos, o autor já declarou que não vai mudar o ritmo lento de suas novelas e que deixa a agilidade para os autores mais jovens, como João Emanuel Carneiro.

Bookmark and Share

Comentários (29)

  • Fabio diz: 24 de março de 2014

    Mas esse é o padrão ultimamente. Já disse isso há tempos.
    Alguém se importava com o Theo e a Morena? Com a Pamonha e o outro lá (nem lembro o nome, de tão significante que era)?
    A verdade é que a história do casal principal é sempre rasa e previsível, por isso as tramas secundárias, que podem render histórias diferentes se tornam mais interessantes.
    Ademais, as novelas do Maneco são sempre iguais, todo mundo é lindo, rico, não trabalha e mora no Leblon.

  • Mel diz: 24 de março de 2014

    Realmente! Clara e Marina estão arrebentando na interpretação, são cheias de vida!
    Apenas acho que se elas se afastarem por causa da doença do Cadu, a novela perderá a graça, cairá na mesmice de muitos relacionamentos, o amor com final infeliz.
    O importante é retratar o sentimento entre elas e a força para superar obstáculos, isso sim é uma história de amor.
    Já notamos mudanças nas atitudes de Clara, então, acho comprometedor para a audiência retroceder isso. Ela pode e deve cuidar do Cadu, até que a situação dele se resolva, só penso que deve cuidar dele com a Marina por perto pq o momento é difícil e Clara precisará de apoio.
    Se a vontade é contar um a história de amor, precisa sim aproximá-las, sem cair na vulgaridade, traições, baixarias e sim de uma maneira simples, bonita de se ver.

  • Ricardo diz: 24 de março de 2014

    Faltou ressaltar no post que a figura de Cadu contribui para a polemica e interesse pela história, já que se Clara fosse livre e desimpedida, o casal nao criaria polemica. E a torcida por ele vem crescendo aos poucos e espero que sua doença seja tratada com respeito e cuidado, já que é mais relevante do que a historia delas.

  • Paula diz: 24 de março de 2014

    Sem dúvida! Elas são o que de melhor a novela tem! Elas pegam fogo! Tem paixão em cada olhar! É lindo observar o nascimento de um grande amor entre elas. E Tainá e Antonelli estão ótimas! Convincentes, passando toda a emoção de Marina e Clara. Vida longa ao amor entre as duas!

  • Clarissa diz: 24 de março de 2014

    Ricardo,

    Realmente a doença dele deve ser tratada com respeito e dignidade. Agora isso não significa que o romance das duas esfriará, ao contrário, já deu pra perceber que Clara está bem envolvida se ficar com Cadu será por piedade. Cuidar dele ela deve, é o correto e demonstra caráter (agora ignorar a outra, é descenessário). Qnt a torcida dos dois aumentar por causa de doença, uma história de amor fundamentada na piedade? Nenhum dos dois merece isso.

  • Clau diz: 24 de março de 2014

    Falando com uma irmã, que vive em outro estado do Brasil, ela comentou que lhe dava um sono tremendo, ao assistir a esta novela. Falando com uma amiga, esta me contou que sentou-se no sofá de sua sala para assistir à novela e sem se dar conta, DORMIU e só foi acordar quando estava no final do BBB. Ela nem sabe o que aconteceu, pois APAGOU. Maneco é um SÁBIO! pois descobriu um método para a insônia sem precisar usar medicamentos pesados. É só assistir sua novela que todos DORMEM.

    De fato, a trama só anda, só dá curiosidade para ver o que vem por aí, no triângulo amoroso entre Clara, Cadu e Marina. Não se preocupem pois elas ficarão juntas no final, tenho certeza. Só que Maneco pode deixar muitos obstáculos pela frente, pois se é este núcleo que sala a novela,não poderá ser resolvido logo de cara. Clara poderia já se envolver com Marina, sem que Cadu saiba. Não por ser safada e traidora, mas para poupar o marido por causa da doença. Também Maneco poderia usar de mais artimanhas vindas de Vanessa. Pois antes da novela começar, Vanessa era vista como uma vilãzinha enciumada. E até agora não vi nada que possa ir contra ela. Maneco não sabe criar VILÕES. Mas sim, sabe perfeitamente criar personagens CHATOS.

    Nesse meio tempo, já que Gabriel Braga Nunes está causando tanto mal nas gravações, e acumulado inimizades a ponto de não saberem o que fazer com ele e haver uma sugestão de morte – bem que Maneco poderia matá-lo na trama. Daria um alívio aos colegas de elenco e daria mais ação à trama. Afinal Laerte poderia ser morto por muita gente. Ok! Já sei que Helena não pode ficar sem par, já sei disso… E que Verônica ficaria sozinha e que Shirley também perderia o pai de seu filho. Mas outro personagem poderia chegar… Um primo distante. Afinal Selma e Chica têm um irmão que até agora não apareceu na trama. Mas foi mencionado mais de uma vez na novela. Além dos pais de Marina que também é outro que não rosto ou voz.
    Mas se matassem Laerte, haveria um período para se saber quem o matou. Helena? Virgílio? Luíza?…. Ou ainda Verônica? Shirley? Serafina? André?
    Porém Maneco não sabe fazer este tipo de enigma. O “QUEM MATOU?” definitivamente não é com ele.

    E FABIO tem toda razão! É uma verdadeira fantasia… TODOS têm empregadas e TODAS elas adoram seus patrões. Inclusive atendem no meio da noite…
    Todos tem dinheiro pra gastar com as coisas mais estapafúrdias. Juliana já gastou horrores com a menina e quer bancar o pai da mesma agora. Clara reclama da falta de dinheiro em casa, porém acha graça de tudo. Chica chega a dar nojo de tanta infantilidade. O Ricardo com aquela cara dissimulada… Então já está passando da hora de tirarem esses autores cheios de vícios para escrever suas tramas, pois uma lembra sempre a anterior deles. Que venham outros autores novos com mente arejada e que a Globo diminua o tempo de exibição dessas tramas e continue investindo nos seriados e minisséries pois isto tem muito mais criatividade que novelas.

    Em tempo! Larguei meu sonífero!! Depois de Em Família, nenhum outro calmante é mais poderoso para induzir ao sono do que esta novela.

  • Arlindo Borba Filho diz: 24 de março de 2014

    Olha gente sinceramente, se você for fazer uma Retrospectiva dessas novelas, não dá não viu !, E essa tal em Família, essa que é um porre mesmo, Luisa sai de baixo ou bichinha chata ! essa é de mais. Como ela vai saber que o magnata é o pai dela ? se ela está comendo ele com os olhos. Olha é melhor chupar pirulito debaixo de uma ponte, do que assistir essas novelas da Globo . kkkkkk

  • Nhyala diz: 25 de março de 2014

    Sem sombra de dúvida.
    A trama central da novela é muito fraca, os personagens são desinteressantes e depois deste tempo todo quase não se cruzam, não há conflitos; As tramas secundárias são sempre melhores descritas nas novelas do MC, e nesta, só mesmo a história da Juliana (que já estava um pouco repetitiva, mas agora avança) e “Clarina” dão gás a novela.

    O triangulo é a única história que avança de forma bem estruturada e que nos deixa na espectativa… para além disso, interpretações excelentes das atrizes, um texto quase perfeito e produção caprichada, fazem das cenas entre a Clara e a Marina o “must” da novela…. é tudo muito lindo, solar, envolvente… é vida (até mesmo os dramas e as angústias)!

    Engraçando que a trama da novela anda a volta da “Fénix” e de um amor que renasce, mas os personagens são todos neuróticos – Laerte, Helena e compania… . Amor saudável mesmo só vejo em “Clarina” – só acho uma pena que as últimas cenas estejam a ser tão curtas e muito editadas (enquanto passam sequencias longas e completamente desinteressantes).

    Outros personagens com potencial, e subaproveitados: Branca e a Shirley. O drama do Cadú também deverá suscitar interesse, mas neste momento, apesar de já sabermos que ele fica doente e tal, ainda é tudo mto genérico. Esta história deve ser tratada com respeito mas sem esquecer que é uma novela… ninguém precisa de perder horas a fio a ouvir conversas sobre pormenores médicos.

  • Ricardo diz: 25 de março de 2014

    Clarina super saudavel ne? Cadu e seu filho que o digam.

  • Clarissa diz: 25 de março de 2014

    Ricardo,

    Pelo menos com a Marina o Ivan vai compreender o que eh ter um trabalho, um ofício pq com os pais tá difícil! A n ser que queira ser sustentado pelo leilão tbm né? Aprender a sonhar com o Cadu com certeza ele vai.

  • Ricardo diz: 25 de março de 2014

    Clarissa

    o que uma pessoa que vive de mesada do pai tem a ensinar sobre trabalho a alguem?

  • Clau diz: 25 de março de 2014

    Deveria ser feito uma auditoria neste negócio de leilões da família Fernandes. É muita gente sendo sustentada, e em grande estilo, só com esta casa…. Muito suspeito. Será que não sonegam Imposto de Renda? Será que não ganham por fora com peças roubadas ou cópias mal feitas???? hein? hein?… Bem que Maneco poderia dar uma guinada na trama assim, principalmente NESTE núcleo. Ter uma pouco mais de EMOÇÃO sem ser sempre os mesmos gritos e choradeiras de sempre. Uma auditoria já na Casa Fernandes de leilões!!!! Receita Federal e Polícia Federal de olho vivo!!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…. É MUITA gente “mamando”…. Pagam empregada com todos seus direitos (suponho)… gastam a rodo com faculdade e cursos infinitos da “patricinha” Luíza e mais a outra, a Alice, que também estuda graças a quê? a quê?? A CASA FERNANDES!!!! claro!!!!! por que não? Sempre cabe mais um! Agora até Ricardo vai entrar na “gangue”… Haja grana pra manter a todos. E como tem gente RICA neste Brasil para esta casa vender tantas obras de arte, antiguidades, raridades… É incrível!

  • Clarissa diz: 25 de março de 2014

    SURREAL!!
    Totalmente surreal!
    Em pleno Rio de Janeiro com tudo pela hora da morte e essa palhaçada! E detalhe só a Helena trabalha, (o resto)profissão pra q? E quem tem é artista(profissão digna claro), o resto ngm quer nada com nada!! Exceção ex marido da Juliana (advogado)

    Ricardo,

    Marina é bem sucedida na carreira, faz o q gosta, (Extrapola? Sim, pq o pai lhe dá ou dava essa mordomia) só q o pai tá pra cortar a mesada dela…essa semana ela já será informada q sua mesada vai ser reduzida…até o fim da novela ela vai ter que se bancar quer apostar? Este homem não tarda a quebrar!
    O restaurante do Kadu provavelmente será o novo point da galera da facu (Luiza e sua turminha agitarão o lugar, bem no estilo fantasioso do Manoel Carlos) e a Marina vai se virar é sozinha ganhando menos, bem menos mas trabalhando e aposto com vc como é com ela que a Clara fica!

  • Nhyala diz: 25 de março de 2014

    Clau,
    Morri com o seu comentário…. Muito bom kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Eu acho que o Maneco errou um pouco com essa de casa de leilões de antiguidades… Afinal o leblon não é a Inglaterra, nem me parece que nos dias de hj isso seja um negócio tãooooo rentável assim pra menter todo mundo!!! Sem falar que é um point chatérrimo… Podia ter pensado em algo que causasse mais identificação com o público e tb mais movimentado

  • Paula diz: 25 de março de 2014

    Caro Ricardo, menos hipocrisia! Se fosse um garanhão dando em cima da Clara estaria td bem? Como é uma mulher a coisa muda? Pq? Ora, me poupe! Tempos modernos meu caro. E AMOR é AMOR! E tá bem nítido o sentimento que está arrebatando as duas. É lindo de ver. Viva o amor!

  • Andre diz: 26 de março de 2014

    Giovanna Antonelli e Tainá Muller são a única coisa que funciona nessa novela.

    O resto do elenco é todo equivocado: Julia Lemmertz, Helena Ranaldi e Humberto Martins não tem carisma; Bruna Marquezine é irritante, uma chatinha, fala arrastado, a personagem deveria ter sido interpretada por uma atriz com mais força, mais presença; Gabriel Braga Nunes tá interpretando ele mesmo, narcisista e arrogante; Natália do Vale, Herson Capri e Bruno Gissoni interpretam os mesmos papéis de sempre (filho adotivo pela TERCEIRA VEZ, é sério isso???); o trio Bianca Rinaldi/Thiago Mendonça/Miguel Thiré não funciona; não dá pra entender o que o Paulo José fala; Reynaldo Gianecchini prova que é um canastrão de marca maior, não dá pra sentir um pingo de esforço na atuação dele.

    Disso tudo, salvam-se Ana Beatriz Nogueira, Vivianne Pasmanter, Vanessa Gerbelli, Leonardo Medeiros, Betty Gofman e Polliana Aleixo.

  • Raphanne diz: 26 de março de 2014

    Concordo com André. Giovanna, Tainá, Viviane, Ana Beatriz, Vanessa Gerbelli, Poliana e Leonardo são os melhores. O resto pode jogar fora, porque são uma chatice.

    Eu adoro a pessoa do Giane, por seu caráter e história de superação, mas convenhamos que como ator ele é um ótimo modelo nas passarelas! Muito fraco. Mas com relação a doença de Cadu, Clara deve ajudá-lo sim, pois há amizade acima de tudo. Entretanto, ela não precisa abrir mão da Marina. Não concordo com traição, mas tudo pode ser conversado. Ela pode se separar de Cadu, mas nunca deixar de apoiá-lo.

    Ricardo, por favor, se não curte Clarina não sei porque sempre vem dar pitaco nas matérias sobre elas. É incrível, você comenta em TODAS! Entendo que você tenha a sua opinião, mas o que me surpreende é como em pleno século XXI, existem pessoas que insistem em andar com aquela tapadeiras que os cavalos usam e só enxergam a frente. Desculpem-me a expressão, mas foi a única que encontrei para ser o mais clara possível. Desde quando um filho pode impedir a felicidade de seus pais? Acredito que, se os pais não estão felizes, os filhos também não estarão, pois de certa forma a infelicidade vai interferir no dia a dia.
    Agora, é digno criar um filho sem preconceitos, com mente sã, com respeito. Acredite, meu caro, isso pode acontecer com um casal hétero ou gay. Todos temos condições e dever de passar o bem às crianças. Então que esse bem, comece por respeitar as diferenças e espaço de cada pessoa.
    Se não aceita, tudo bem. Mas convenhamos que o respeito e educação é sempre o melhor caminho.

  • Ricardo diz: 26 de março de 2014

    Paula

    eu ja disse váris vezes que meu problema nao é preconceito, e sim a forma como a relação foi exposta, de maneira ao meu ver suja e desleal.

    Raphanne

    Se tem alguem com viseira aqui é voce, por que eu ja cansei de explicar que nao tenho preconceito com gays e sim com pessoas desleais.
    A atuação do Giane está ótima, poderia estar ainda melhor se ele tivesse material para isso, mas como o Cadu tem que ficar escondido pra nao atrapalhar o casalzinho da vez, mas quando tem oportunidades ele vai muito bem sim, quando na briga com a Clara, por exemplo.
    E por fim, só lembrando que este é um espaço democrático, posto a hora que eu bem entender.

  • Clau diz: 26 de março de 2014

    Gostei muito quando o personal trainer de Branca, conversando com ela enquanto lhe aplicava uma massagem, comentou que havia rompido com sua namorada. Branca lhe disse que então tal namorada não era a mulher da vida dele. No que ele a corrigiu dizendo, que ela não era a PESSOA da sua vida. Achei bem interessante isso e mostra que cada vez mais a tendência será esta: PESSOAS e não mais GÊNEROS masculino ou feminino.
    Uma vez fui desacreditada por ter comentado em um fórum de debates que as pessoas precisam ser vistas como espíritos encarnados e não somente por gêneros, por sexos… Ok, muita gente não entendeu, mas fazer o quê? É assim que procuro entender essa mudança. Me lembro que há dois anos atrás, quando havia uma especulação mundial sobre o final do mundo, – seria em 2012 -…. que na verdade o que foi descoberto é que haveria uma grande mudança planetária, que atingiria os valores das pessoas, a maneira delas viverem e pensarem. É só observar como essas mudanças já estão ocorrendo. Uma evolução mental, uma outra maneira de ver a vida. Tanto é que está havendo muita violência ao mesmo tempo em que ha muita inquietação entre os povos e seus governos. Como também as relações afetivas não possem mais um padrão exato. Eu sei o quanto é difícil enxergar as coisas dessa maneira, mas se pararmos para analisar melhor, o caminho é bem por aí.

    Quanto à novela, fazia uns dois dias que eu não assistia. Resolvi assistir pelo site no Gshow. O que se sucedeu… foi um horror! Eu fazia uma tremenda força para não dormir diante dos dois capítulos mais recentes da semana. JESUS!!!! era muito papo-furado… Helena especulando sobre vida sexual entre casais, com sua mãe numa livraria-café. Era a mesma Helena especulando com Virgílio sobre temperos afrodisíacos, ambos jantando em um restaurante tailandês… E ambos sem tempero algum, diga-se de passagem. Tanto que até as cenas de Juliana com Jairo conseguiram me acordar mais do que ver e ouvir aquela conversa horrorosa entre Virgílio e Helena. Depois ainda apareceu Chica e Ricardo brincando com um globo e programando uma viagem para Europa como que faz uma viagem do Rio até Espirito Santo ou Minas Gerais… ou o sul… ou o nordeste… e de CARRO ainda por cima. Não! Era EUROPA! E o cara dando o roteiro. O pobre coitado que viveu às custas da ex-mulher e agora não sei de onde ele tem dinheiro. AH! perdão! esqueci. O dinheiro dele bem como de Chica vem da?.. da?… dou-lhe UMA… dou-lhe DUAS… dou-lhe TRÊS!!… da CASA FERNANDES!!! mas é claro!!!!

    Lamentáveis as cenas desses capítulos mais recentes! Só conversa fiada entre familiares. Quando assistia a cena com Helena e Chica argumentando sobre sexo, de repente me vi como uma idiota observando um tipo de BBB novelístico. Onde as pessoas estão ali batendo um papo… brincando umas com as outras … tomando banho de piscina… Uma intriga aqui e outra intriga ali e mais uma intriga acolá… enfim…. uma verdadeira M**** !!! ASSUNTO MESMO?? nenhum!

    Marina bebendo, dançando e caindo da escada. Clara como sempre se fazendo de sonsa. Quer se afastar de Marina e se auto-demite do emprego, Mas depois vai visitar Marina, lhe dá uma flor e demonstra todo interesse pela fotógrafa. Porém na hora da verdade, sai rastejando como a Serafina (a cobra de estimação de Shirley). Juliana provocando Jairo foi o ponto mais alto desses capítulos, e acho que na verdade é bem, por aí gente. Os núcleos de Juliana e as loucuras dela, e também a relação entre Marina, Clara, e mais Cadu, são a base da trama. Se tirar isso, nada sobra. Até os velhinhos com aquela Miss Lauren (coitada da Beth Gofmann…) já está chato demais! Para dar um pouco mais de leveza na chatice, Maneco resolveu fazer uma novela Animal. Pelo menos um cão e um gato atuam bem melhor que muitos artistas dali.

    Gabriel Braga Nunes está muito canastrão! Estou desconhecendo Gianechinni ou ele sempre foi assim e eu é que não havia notado?? mas está bem difícil de entender o que ele fala. Fala rápido demais e quase sem entonação. E também está atuando MUITO MAL nesta novela. Para fechar com chave de ouro, de fato Paulo José (Joaquim), é excelente ator, mas o Parkinson está lhe devorando aos poucos. Não se entende o que ele fala. e há quem diga que esta novela está afetando muitos depressivos com essas cenas tristes de Joaquim e doenças. Não sei não gente… Não coloco fé nesta novela. DOIS CAPÍTULOS INTEIROS!!! e ambos sem ter UMA ação, UMA emoção, NADA! Só conversa fiada entre família. O que isso nos interessa???

  • Cristina diz: 26 de março de 2014

    Penso como o Ricardo e que me desculpem quem o criticou. Não é nada saudável abandonar uma família, ainda mais por outra mulher. E que me desculpem, não tem a desculpa de ser moderno e do século XXI para destruir uma família. Tudo bem, são dois irresponsáveis, mas nada disso justifica. E ainda mais a Marina, que é uma mulher super responsável, se interessar justamente por outra que não sabe sequer andar sozinha? Pelo amor de Deus, né? Os fãs das duas que me desculpem, mas tem que saber ouvir críticas. E antes que digam qualquer coisa, eu desaprovo o homem que dá em cima de mulher casada. Se fosse homem, criticaria do mesmo jeito. Não é porque é mulher não. Não gosto de gente dando em cima de gente casada e ponto final, sendo homem ou mulher. Não há paixão que justifique isso. Aliás, quem disse que paixão é um sentimento saudável? Esse triângulo, definitivamente, é a prova de que não é. Pronto, falei. O amor sim é saudável. A paixão não. E vejo muito mais paixão e atração física entre as duas do que amor. Se fosse amor, Marina respeitaria a família de outra, o que não é o caso.

  • Ricardo diz: 26 de março de 2014

    Fico imaginando a crueldade que o Ivan vai passar ao ver o pai doente e a mãe deixando eles mais longe um do outro justo num momento desses por um desejo, por uma aventura, como ela mesma falou hoje. Mas é claro que o autor nem vai tocar nessa ferida, afinal a campanha tem que continuar, mas queria saber o que as pessoas acham disso?Sera que vale a pena terminar o casamento agora ou esperar mais e respeitar a familia?

  • Maria diz: 27 de março de 2014

    O grande problema de Em Família é uma união de pequenos deslizes: Primeiramente, é óbvio que o Maneco se perdeu com tantos cortes na história, adiantam daqui, arrastam dali, enrolam acolá. Com a correria pra gravar, algumas cenas acabam sendo mal editadas e vão ao ar parecendo colcha de retalhos, com cortes grotescos que acabam por prejudicar ainda mais a novela. Em seguida temos a trama principal, que não empolga e não atrai o público. Helena vive para reclamar do passado e aconselhar os outros, especialmente Clara, Luiza roda em todos os núcleos, ataca de engajada em causas sociais em um, flerta ocasionalmente com Laerte em outro, se agarra com o namorado em outro. Virgílio então, coitado, não sustenta núcleo nenhum, nem remotamente.

    A história dos ditos protagonistas não anda, está empacada e parece até que Maneco está com uma bela de uma preguiça de escrever sobre eles. O casal Helena e Laerte nem deu sinais de vida ainda, dão a impressão de que pertencem a núcleos completamente diferentes e o romance com Luiza parece que ainda vai demorar um pouco, assim o público que não torce por Clarina e não tem interesse em outra trama fica sem ter o que acompanhar.

    O que está salvando, por enquanto, é realmente a história de Clara e Marina, que aliás vem sendo muito bem desenvolvida e se tornou o destaque da novela, chegando a um impressionante nível de popularidade internacional, e não digo por torcer pelo romance, está nas redes sociais para quem quiser ver. A história das duas está sendo legendada até em russo, elas tem fã-clubes fora do Brasil e estão constantemente entre os assuntos mais comentados do Twitter. Sucesso absoluto.

    Juliana e suas atitudes desesperadas para obter a guarda de Bia tem comovido o público, que chega inclusive a torcer para que ela se trate e fique com a menina. Também é frequente ver pessoas se referindo a Shirley como “rainha.” Todos adoram a língua ferina da personagem e tem muita gente torcendo para que ela abrace de vez a vilania e comece a agitar o núcleo principal. Outros drama que deve conquistar o coração dos telespectadores é o futuro romance de Cadu e Silvia, que deverá causar muita polêmica também, e os românticos adoram uma história de amor cheia de obstáculos e lágrimas, não é mesmo?

    No final, Em Família será sobre a história de amor arrebatadora de Clara e Marina, o drama materno de Juliana, a divertida quase-vilã Shirley e, provavelmente, o amor que nascerá da estreita relação entre médica e paciente. Já Helena, Laerte e Luiza? Vão ter que se contentar com o posto de “protagonistas mais coadjuvantes dos últimos tempos.” Nem Bruno e Paloma e Theo e Morena “floparam” tanto.

  • Michaela diz: 27 de março de 2014

    Se eu contar que eu assisto essa novela com meu fone de ouvido ligado alguém acredita? Pois é… Eu fico esperando as cenas Clarina e da Shirley. Nossa, eu AMO a Shirley. Dá de dez a zero nas outras mulheres do louco do Laerte. E, Clau, amei todos os seus comentários. Não sei qual eu ri mais. Mas acho que deveriam matar o Laerte. Se fosse a Helena, a assassina, seria muito legal. Daria mais emoção. A mocinha/vilã. Porque, convenhamos, Ô PERSONAGEM CHATA. Nem sei qual é pior, Laerte, Luiza, Virgílio, Helena, André…….. Quanto aos comentários preconceituosos do senhor acima. Torço pra que você, no fundo, não goste de homens, meu querido. Porque quem tem muito preconceito, esconde que, na verdade é mais gay do que o gay que está sofrendo o seu preconceito. Enfim, Clarina é vida!!! Sem mais.

  • Clau diz: 28 de março de 2014

    “mas queria saber o que as pessoas acham disso?Sera que vale a pena terminar o casamento agora ou esperar mais e respeitar a familia?” – RICARDO

    Bom Ricardo, o que eu acho (como pessoa) sobre isso tudo, é que de nada adianta viver um casamento de aparência. Porque na verdade, as pessoas falam de qualquer maneira. Os filhos crescem e vão viver suas vidas. O casal fica só. E se NÃO HÁ MAIS AMOR, então o casal fica só e cada um vivendo sua velhice na sua própria solidão, culpando um
    ao outro ou até mesmo aos filhos, por jamais terem se separado.
    Eu penso que SE Clara e Marina assumirem sue romance, elas não ficarão na frente de Ivan com beijos e abraços. Há psicólogos infantis para tratar de situações que fogem do “normal”. Sabe… me lembrei de um fato que ocorreu há muito tempo atrás. Minha madrasta contava que uma amiga dela estava passando por um grande problema com sua filha caçula, que na época tinha uns 18 anos. Tal filha confessou para sua mãe que estava apaixonada por uma amiga. Ela confessou para sua mãe aos prantos, se sentindo culpada, anormal e sei lá quantos outros adjetivos. Minha madrasta na época comentou que ela havia dito para sua amiga: “Tu tens que dizer pra tua filha, que isso não é NORMAL”, e eu logo corrigi minha madrasta dizendo. “Não. Ela tem que dizer pra sua filha que isto não é COMUM de se encontrar abertamente, mas como MÃE vai dar todo apoio no que sua filha escolher fazer de sua vida amorosa”. Estas foram as minhas palavras. Estou casada há mais de 30 anos. Tenho uma filha hoje adulta, formada e que namora um rapaz a mais de 5 anos. Durante todos estes anos sempre pensei que se um dia ela se apaixonasse por uma amiga, qual seria minha reação ou de meu marido. Conversando com ele chegamos a conclusão que nós daríamos muita força. Não para ser moderna, para ser cult, para ser boazinha. Não. Mas por ser MÃE. Por ser HUMANA. E por entender que nem todos pensam igual e precisam viver igual. Só isso. Aquela palavra que minha madrasta falou.. o NORMAL, ficou ecoando muito tempo em meus ouvidos. Depois me dei conta que eu poderia dizer a ela que muita gente também não achava NORMAL ela estar casada com meu pai, tendo menos da idade de minha irmã mais velha. A diferença de idade entre eles era de quase 30 anos. Ou seja, meu pai já era pai de dois filhos quando minha madrasta nasceu. E no entanto a sociedade aceita isso como algo natural. Mas com certeza, se fosse o oposto, se fosse minha mãe que tivesse casada com um homem 30 anos mais jovem, a sociedade falaria muito mal.

    O Brasil inteiro aceitou Félix e Niko e pergunto se os gays são mais bem aceitos do que as lésbicas? Veja bem! eu já disse aqui mais de uma vez que não em empolguei com o casal Clarina. E até sou bem dura em relação à Clara. Não por ela se encantar por Marina, mas por não se decidir no que quer fazer e ficar , de certa maneira, brincando com os sentimentos de Cadu e Marina. Cadu, pois Clara fala como uma ameaça a ele, dizendo que AINDA não é amor por Marina, que AINDA é só desejo, como que fazendo uma ameaça do tipo “CUIDADO! você vai me perder”. Até acho que Cara fala assim para Cadu de propósito.
    E em relação a Marina, porque se vê que Marina está bem envolvida por Clara. Embora eu não tenha gostado nada quando Branca comentou com Vanessa que há um ou dois anos atrás eram as fotos de Vanessa que estavam espalhadas em uma festa como a que Marina fez para Clara. Ali deu a entender como se Marina fosse volúvel, que fez uma festa igual a que fez para Vanessa… Não gostei disso. Fiquei sismada. Porém, nos últimos capítulos tenho visito um o interesse maior de Marina por Clara e esta apenas ziguezagueando feito um zagueiro driblando adversários diante de um possível gol. O povo todo nas arquibancadas e Clara só atira a bola na trave. Ou nem isso. Pois tem vezes que ela joga pra fora do gramado mesmo. Aí o povo dá aquele uníssono “aaaaaaaaaaahhhhhhh !!! ”

    Então sinceramente, honestamente, eu nem tenho uma opinião formada diante dessa relação. Mas acho que ficar nesse balança-mais-não-cai de Clara, é que não pode. Porque ela deixa o Cadu em stand by. Dá uma pausa nele. E ele fica ali congelado. Como ela queria mesmo, era congelar o marido e depois descongelava. Cadu coitado já virou peixe dentro de um freezer. ISTO é que não suporto em Clara. Eu gostaria que ela tivesse uma posição. Ou vai ou fica. Ou encara ou desiste. Não ficar pedindo conselhos pra todos, suspirando, não atendendo os telefonemas de Marina.. E não acho Marina uma vilã. Ela está interessada em Clara. Se esta não quisesse nada com Marina, já teria demonstrado. Se não o fez é porque quer. Cadu está na espera. Ele nada pode fazer a não ser esperar. Porque se Clara tivesse aberto o jogo com Cadu, ele tomaria uma decisão. Mas não. Ela deixa ele na espera e também deixa Marina na expectativa. Não gosto e não acho correto esta atitude de Clara. Ela pode apenas estar encantada por Marina e seu mundo, ok. Mas não é correto ela dar esperanças para Marina, com olhares, com gestos delicados, como o que aconteceu dela ir ver Marina na alta madrugada pois esta havia machucado o pé. Se Clara fosse honesta e de fato amasse seu marido, ela teria ficado em casa e em uma oportunidade ela iria ver a amiga. Quem? me diga RICARDO quem? neste país cheio de violência, vai sair de sua cama, de sua casa, na alta madrugada para visitar uma amiga?????? Que não está passando mal e nem hospitalizada? Ah não! Não acredito que seja apenas uma singela amizade. Se Clara não quer magoar o marido, se ela não tem certeza do que sente por Marina, sugiro que ela tenha um caso com a fotógrafa, que traia sim o marido para ver se é o que ela quer. Pelo menso assim Cadu teria motivo para tomar uma posição. Ou rompia a relação de vez com ela ou a perdoava e ambos ficavam juntos, pois Clara pensou sentir algo que de fato não sentia. Mas fazer este joguinho como gato e rato, acho muio imoral. ISTO SIM, pra mim, é imoral! Pois brinca com os sentimentos de outras duas pessoas.

    Quanto a respeitar a família.. Olha, família é o que a gente faz. Até com amigos. Até com UM amigo. Até com um bicho de estimação. Porque, vejamos. HELENA! ah a Helena… Esta respeita a família. É casada, se dedica ao marido, mas guarda dentro de uma caixa todo seu passado. Seu vestido de noiva, cartas, recortes de jornal, tudo sobre seu ex-amor. Nas barbas do marido. Fala de sexo e vai ao motel como marido, mas tem guardado dentro de uma caixa um passado que ela diz odiar. E age com raiva, com ódio contra o ex-amor, o ex-noivo, porém não se furta em lembrar dele. Isso não é trair? pra mim é. Ela diz que Laerte é ODIOSO, porém este homem odioso ainda está na mente de uma mulher FAMÍLIA. E como disse Branca, o oposto do amor não é o ódio e sim a indiferença. E pelo jeito Helena é DOIDA por Laerte. E morreu de ciumes ao vê-lo aos beijos com Shirley, na foto tirada na boite em Goiânia.

    Outro caso de família é Juliana que se casou somente pra ser mãe. Com isso se supõe que ela TRAIU o marido. Afinal ela só queria um reprodutor. Já Shirley casou-se por interesse e talvez por esta ser tão autêntica, é que está agradando ao público. Nunca fingiu ser o que ela é. Então neste quesito FAMÍLIA eu estou fora. Porque isso envolve sentimento. E tenho visto tanto na vida real como na ficção, uma enorme, imensa hipocrisia familiar. Em que homens ditos decentes e respeitáveis traem suas esposas com travestis e ainda passam doenças sexuais para tais esposas. Ou ainda esposas que aparentam estar acima de qualquer suspeita por serem família, mas traem seus maridos com seu personal trainer. É complicado se dizer o que é de fato CORRETO nos dias de hoje. Porque hoje em dia, nada mais se esconde. Antigamente uma pessoa poderia passar sua vida inteira aparentando ser uma coisa quando na verdade era outra.

    Eu penso que FAMÍLIA é ser leal, ser sincero, ser presente… O resto… é apenas o resto. E mesmo assim, sempre haverá quem fale mal.

  • Clau diz: 28 de março de 2014

    MICHAELA

    Também penso que Laerte deveria morrer e Helena ser a assassina. Uma mulher aparentemente equilibrada, que se dedica a todo mundo, que fica em sua pose em um pedestal… A LENINHA FAMÍLIA… uma assassina!!! Olha, se eu fosse Maneco, faria bem isso. Afinal é sua última novela. E com a baixa audiência, seria um marco a Helena, a última Helena de Maneco ter matado seu grande amor, por simplesmente não suportar mais esconder sua paixão por ele. Paixão misturada com ódio!! E ainda, pra fechar com chave de ouro a trama, Helena guardaria em sua famosa caixa do passado, o “instrumento” de Laerte!!!! Sim, todinho dela, só dela e de mais ninguém.

    A FLAUTA!!!! A “flauta do Laerte”….kkkkkkkk

  • Mel diz: 28 de março de 2014

    Sabe gente, mesmo a Clara estando na zona de conforto, a situação é muito complicada. Como de repente, abrir mão de um casamento de 10 anos por um outro relacionamento?!
    Ninguém que tenha o mínimo de de cabeça faria isso da noite para o dia e, acho que é isso que o autor tenta mostrar, a dificuldade da decisão, a dificuldade da mudança. Vemos isso na vida real todos os dias, as pessoas vão só se enrolando e acabam decidindo depois de terem machucado e se machucado. Alguns nunca nem decidem e enfiam essa vontade sabe-se lá aonde.
    Família! o que é família? é um grupo reunido para o natal, celebrando a felicidade que para alguns não existe, para outros é um porre estar ali e muitos falando mal dos outros, da ceia, e por aí vai. Concordo com a CLAU, família é a gente que faz, independente dos laços de sangue, família mesmo é formada pelas pessoas que se amam, se respeitam e se escolhem. Quando se entra na comodismo ou na obrigação, sobra só o rótulo que muitos usam “somos uma família”.
    Cadu casou com Clara, encostou na casa de leilão e pelo que se fala nos capítulos, nunca fez nada x nada. Agora, não adianta bancar o ciumento, o presente, a essência de 01 pessoa não muda. Se observarmos a fala dele, ele quer ter um restaurante, mas em nenhum momento fala em trabalhar duro nesse restaurante. Ele é legal com o filho sim, mas em nenhum momento parece preocupado com o futuro do menino, com o dia a dia do menino, ele só olha para os próprios sonhos.
    Clara casou com Cadu em um momento de paixão, já encostada tb na casa de leilão, parece que nunca se permitiu realizar coisas, acabou engolida pela proteção da Helena que assumiu a culpa por toda a tragédia na familia e resolveu colocar todos sob suas asas. Com essa zona de conforto toda, Clara preferiu ser engolida tb pelo sonhos do marido, questão de escolha dela.
    Do nada, chega um furação chamado Marina! Mulher forte e que vai atrás do que quer. Uma pessoa que não olha só pra si, consegue reconhecer a capacidade das outras pessoas.O trabalho dela é realizar sonhos pq fotografia é isso, é momento marcante, seja momento bom ou ruim, fotografia faz história. Marina pode até ter feito festas para todas as suas conquistas, só que pelas reações da Vanessa, dá pra perceber que agora vai além de um festa. Dá pra perceber tb uma leve mudança no comportamento da Marina, está mais pensativa e muito envolvida.
    Gente, quando um casamento balança, por mais que se tente, não se recupera o brilho, pode até ficar junto, só que nunca mais o sentimento será o mesmo e na maioria dos vezes passa a ser uma obrigação e todos, filhos tb, sofrem com isso.
    A Clara precisa se decidir para se feliz, machucar menos a todos tb. Óbvio que não será fácil, não creio que o Cadu aceitará não, vem muita briga e dor por aí, só que acho melhor passar por tudo isso pra ser feliz do que engolir o costume, a falta de alegria.

  • Clau diz: 29 de março de 2014

    Muito bom teu comentário MEL. Gostei muito! É bem por aí que vai este caso de Clara-Marina e Cadu. Mas esta tua frase explica tudo, toda a hipocrisia que existe na sociedade quando as famílias se unem. Claro que tem suas RARAS exceções. Mas a grande maioria vai por este caminho:

    “Família! o que é família? é um grupo reunido para o natal, celebrando a felicidade que para alguns não existe, para outros é um porre estar ali e muitos falando mal dos outros, da ceia, e por aí vai.”

    É isso mesmo Mel.

  • Daniely almeida diz: 2 de abril de 2014

    A Novela ta ruim, sem grandes emoções, exceção para a clara e Marina, principalmente a Marina ( Tayna Muller) tá de parabéns, trabalho fantástico!!! Espero que elas fiquem juntas, é um amor puro e único, que só aconteceu porque a Clara, ja vinha desiludida, num casamento monótomo, com o marido que só sabia sonhar, e sem nenhuma vontade de trabalhar e fazer coisas em prol de melhor a vida deles!!!!! Sou uma mulher casada com homem, tenho 1 filho de 3 anos, e se acontecesse comigo o mesmo q a clara, eu lutaria sim pra viver esse amor, só q sem deixar de lado necessidade de dar uma ajuda ao marido em virtude de sua doença!!! Amor é amor em qualquer situação, não tenho preconceitos!!!!!!

  • liana diz: 9 de maio de 2014

    Estou na torcida por CLARA e CADU acho o casa super lindo, amo a personagem da Marina , mais o que vejo entre elas e uma amizade verdadeira que esta sendo confundida.

Envie seu Comentário