Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

As três maiores decepções da telinha em 2014

13 de dezembro de 2014 10

Sabem aquela expectativa gostosa que nós, noveleiros de plantão, sentimos antes de uma nova trama? Pois é, às vezes o que acontece é uma grande decepção. Confiram as três novelas que prometeram muito, mas entregaram pouco em 2014:

 

EM FAMÍLIA – A chatice do ano

emfamilia

Sempre gostei das novelas de Manoel Carlos, por isso a decepção com as últimas histórias do autor foram ainda maiores. Os primeiros capítulos de Em Família prometiam uma trama interessante, com um mocinho meio vilão, uma mocinha rebelde e uma aprendiz de vilã capaz de tudo. Mas…a expectativa morreu logo nos primeiros acordes da flauta de Laerte. Gabriel Braga Nunes parecia um robô em cena, não disse a que veio e até agora tenho dúvidas sobre o caráter do personagem. Júlia Lemmertz conseguiu ser uma Helena ainda mais insuportável que a de Taís Araújo em Viver a Vida, tanto que foi perdendo o posto de protagonista lá pelo meio da novela. E o que dizer da mocinha chata vivida por Bruna Marquezine? Luiza deveria ter morrido junto com Laerte… Em meio a protagonistas sem carisma, os coadjuvantes roubaram a cena, com destaque para Giovanna Antonelli, Tainá Müller, Marcello Melo Jr. e Vanessa Gerbelli.

 

 

GERAÇÃO BRASIL - O gol contra

geracaobrasil

A Globo apostou no sucesso de Cheias de Charme (saudades das Empreguetes…) que a trama criada pelos mesmos autores seria o mesmo sucesso. A novela começou bem, o reality show com os jovens nerds foi uma sacada interessante, mas aí veio a Copa do Mundo, e tudo desandou. Coincidência ou não, a interrupção da trama durante o Mundial foi um banho de água fria em quem estava curtindo a história de Jonas Marra (Murilo Benício). Quando voltou a ser exibida normalmente, Geração Brasil ficou tão empolgante quanto a Seleção Brasileira naquele jogo contra a Alemanha. Reviravoltas bizarras e cenas sem pé nem cabeça ajudaram a levar a trama direto ao fundo do poço. Um verdadeiro gol contra para quem esperava por uma goleada…

 

 

BOOGIE OOGIE – Ficou na média

boogieoogie

Calma, antes que comecem a me xingar, garanto a vocês que eu ainda não desisti de Boogie Oogie. Ainda gosto, mas ando um pouco cansada das enrolações em torno do “segredo de Carlota” e das armações para separar o casalzinho Rafael (Marco Pigossi) e Sandra (Isis Valverde). E nunca vi tanta fofoca em uma novela só, impressionante… Gente que não tem nada a ver com o segredo alheio fica espalhando informações pra qualquer um, parece um “telefone sem fio” (lembram disso?). No geral, a trama de Rui Vilhena ainda é legalzinha, gosto do elenco e das reviravoltas, não perdi a esperança de voltar a adorar, a novela tem munição para ser muito mais do que tem apresentado.

 

*** Alto Astral está no ar há pouco tempo, ainda é cedo para fazer qualquer avaliação.

 

VEJA TAMBÉM: 

>>> As três melhores novelas de 2014

Bookmark and Share

Comentários (10)

  • Clau diz: 13 de dezembro de 2014

    Bom, eu sou suspeita pra falar, pois gosto muito desta novela. Mas não vejo na média, não. É uma bela novelinha. É ágil, os segredos não se perpetuam, os personagens são encantadores e os atores e atrizes são ótimos! Matei saudade de Joana Fomm, estou felicíssima por ver a atuação de Betty Faria, só dispenso Francisco Couco, que há momentos de afetação. Mas todos ali estão ótimos! A trama também ajuda. Muitos morma no mesmo prédio, o que nada tem de mais, pois quem já viveu num prédio e ainda mais na década de 70, sabe que as pessoas eram mais próximas. E como não havia internet, celulares, TV a cabo e outras tecnologias, então uns se metiam na vida dos outros. Em suma, esta novela é o que se chama de NOVELA. Boa, curta, tempo de duração dos capítulos diários; assuntos cheio de clichês, maravilha!; e leve, o que faz um bem enoooorme!! na gente.

  • Jorge Cambará diz: 14 de dezembro de 2014

    Quanto a novela “Império”, sem comentários…

  • Karla diz: 14 de dezembro de 2014

    Affff… colocar Boogie Oogie na lista das “decepções”?? Uma novela MARAVILHOSA, que praticamente não tem defeitos?? E vc ainda elogia Império, que é um LIXO?
    Gosto é gosto, mas sinceramente, o seu é bem questionável…
    Depois dessa, desisti do seu blog. Bye, bye!

  • Tina diz: 14 de dezembro de 2014

    Descupa la, é sua opnião, mas Boogie Oogie vale mais que Imperio. Nao devia estar aqui. Aliás Imperio que tá ENRROLADA, cap 100 e quase nada aconteceu. E se nao me angano deve ter quase mesma audiencia que Salve Jorge e Amor a vida.

  • Leila diz: 14 de dezembro de 2014

    Concordo Karla, Boogie Oogie é uma novela maravilhosa. Me surpreendeu estar aqui.

  • Lucas diz: 14 de dezembro de 2014

    Olha, eu não diria que Boogie Oogie é uma decepção, mas poderia ser melhor. Gosto muito da novela, mas realmente já está começando cansar. Marco e Isis estão muito bem nos seus papeis, mas parece que a história dos personagens deles se esgotou. Só ficam nesse caso ou não caso. A obsessão de Pedro e Vitória também está muito chata. Tá na hora de virar o disco. O segredo da Carlota então nem se fala. Mas apesar de tudo isso, eu ainda acho que com uns certos ajustes, a novela pode voltar ser muito boa. Essa novela precisa de uma reviravolta.

  • Vinicius Frota das Chagas Gomes diz: 14 de dezembro de 2014

    Primeiramente, “Em Família”, na minha singela opinião foi um marasmo sem fim. História sem pé e nem cabeça, protagonista irritante (digo nem da Helena, que foi mera coadjuvante, e sim da insuportável Luiza). Enfim, mas nem tudo foi um sonífero sem fim. Poucas atuações ótimas como a de Vivianne Pasmanter (sua Shirley foi divina, apesar que ficou meio caricata, conseguiu driblar e voltou como era), Giovanna Antonelli e Tainá Muller (sem palavras, apesar que nem torcia para elas ficarem juntas não posso negar que adorei a atuação de ambas), Reynaldo Gianecchinni (começou a trama morno como o enredo da novela, mas depois do descobrimento do câncer de seu personagem tomou novo rumo e rendeu ótimas dobradinhas com Antonelli e com o pequeno Vitor Figueiredo), Vanessa Gerbelli e Marcello Mello Jr. (apesar de ter achado Juliana uma chata, confesso que essa foi uma das melhores atuações da Vanessa e Marcello roubou a cena até o fim da trama). Achei outras atuações boas, mas destaco esses como principais. Adorei “Geração Brasil”, mas também não posso negar que a trama teve seus altos e baixos. No inicio detestei os autores mudarem e fazerem com que Jonas seja um anti-heroi, mas depois analisei e comecei a gostar e a partir daí meu gosto de continuar a novela continuou. Destaco atuações ótimas dos sempres maravilhosos Murilo Benício e Cláudia Abreu (apesar de ter achado meio afetada a dela) e não gostei do casal formado por Humberto Carrão e Chandelly Braz. Meu Deus, não via nenhuma química nesses dois e gostei quando o Davi se envolveu com a Megan e não gostei quando esta terminou a novela com o personagem do Dudu (péssima atuação, por sinal). Dou uma média de 7,0 para a novela. Agora “Boogie Oogie” nem deveria estar nesta lista, mas opinião é opinião e devemos respeitar. Amo essa novela, adoro ainda mais pelo fato do autor ter reunido tres maravilhosos atores: Betty Faria (impagável e muito divertida como a doce vovó Madalena), Francisco Cuoco (um senhor rabugento e sua dobradinha com Betty está dez) e Joana Fomm (fazendo o que sabe fazer de melhor, uma vilã, pena que sua participação foi curta). Como citaram ai em cima, o elenco todo está ótimo, mas destaco mais uma: Giulia Gam (sua Carlota é insuportável e no início achava a atuação dela meio travada e passei a aplaudir de pé). Enfim, adoro essa novela e nos faz viajar até lá atrás, nos anos 70, sem falar que a trilha sonora é divina.

  • Marcelo José Duarte diz: 15 de dezembro de 2014

    Michele, você pediu para ser escrachada ao colocar Boogie Oogie na lista das decepções, agora aguente…
    A trama de Ruy Vilhena pode não ser lá aquela coisa, mas é envolvente, como sua trilha sonora. Num momento em que assistir novela que preste só no Canal Viva, a trama das seis é um grande alento…
    Quanto às decepções, é lamentável a obra de Manoel Carlos terminar de uma forma tão trágica quanto ao de Laerte… “Em Família” foi sem sombra de dúvidas o mico do ano…

  • Jéssica Camila diz: 20 de dezembro de 2014

    Discordo. Boogie Oogie é a melhor novela exibida atualmente na Globo, mesmo com tantos clichês. Império é boa, mas tem história superficial e Alto Astral tem história boba e repetitiva.

  • Roberta Giovanna diz: 23 de janeiro de 2015

    Discordo plenamente tanto de geração Brasil quanto de Boogie Oogie você precisa se informar melhor emais.

Envie seu Comentário