Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Fernanda Montenegro mandará "beijinho no ombro" em cena de Babilônia

24 de março de 2015 2
Estevam Avellar, TV Globo

Estevam Avellar, TV Globo

Falem bem ou falem mal, Babilônia está na boca do povo. Beijo gay, prostituição, aborto e outros temas polêmicos tornam a novela alvo dos críticos de plantão. Para os que pensam em boicote, a personagem de Fernanda Montenegro dará o recado em cena dos próximos capítulos.

Autor fala sobre beijo gay em Babilônia: “Não é feito para chocar”

Evangélicos organizam boicote contra novela Babilônia

Fernanda Montenegro diz que ficou surpresa com a repercussão do beijo gay

As cinco maiores polêmicas da primeira semana de Babilônia

A advogada Paula (Sheron Menezzes) é o braço-direito de Tereza (Fernanda Montenegro) no escritório. Porém, por ser negra, pobre e morar na favela, a moça ainda enfrenta muita discriminação. Prova disso foi a cena em que Inês (Adriana Esteves) achou que a advogada fosse a “moça do cafezinho”.

Ao receber seu primeiro salário depois de ser promovida, Paula desabafa com Tereza:

- Sabe o que eu queria fazer com esse cheque? Esfregar na cara de todos que duvidaram de mim por eu ter entrado pra faculdade pelo sistema de cotas.

É aí que Fernanda Montenegro, na pele de Tereza, solta a frase:

- É minha querida, como diz aquela grande pensadora contemporânea: beijinho no ombro pras invejosas.

Segundo o colunista Daniel Castro, apesar de ter sido escrita bem antes de começarem as críticas a Babilônia, a cena serve como uma luva ao turbilhão de polêmicas que envolve a novela.

Leia outras notícias do Noveleiros

Curta nossa página no Facebook

 

Bookmark and Share

Comentários (2)

  • Clau diz: 25 de março de 2015

    O acho bacana nesta novela, é que mostra que pessoas de têm uma vida diferente, podem ter sucesso e conviver naturalmente junto aos demais. No caso de Tereza que vive com uma mulher há anos e tem seu escritório de advogacia com muito sucesso. Se sofreu algum preconceito, ficou no passado. Pois se o escritório dela ainda está na ativa, é porque tem clientela Dá oportunidade de emprego a pessoas menos favorecidas financeiramente, mas trabalhadoras e inteligentes. Acho isso muito legal! Mesmo porque já estava na hora de algum autor colocar negros que trabalham em outros ramos e não somente nas cozinhas das casas dos patrões brancos. Paula é um caso desses, que se fez tendo a oportunidade das cotas. Outra que notei na novela é a dona do salão de beleza onde a personagem Zélia trabalha. Ela é branca e é funcionária de uma negra. E Cristovão que como negro e motorista particular, se envolve sexualmente com sua bela e rica patroa.
    É disso que as novelas precisam. De ralidade. Afinal, não é somente brancos que têm poder e dinheiro neste país. Podem ser em maioria, mas os negros também têm chances de serem vitoriosos.

    E quanto a Tereza, só posso bater palmas. Também concordo com cada palavra dela e e o beijinho no ombro para os “Jihadistas” de plantão. rsrs

  • Aninha House diz: 26 de março de 2015

    Francamente mandar beijinho no ombro? DESNECESSÁRIO.

Envie seu Comentário